Ministério Público alegou que norma ia contra o princípio de neutralidade entre as religiões, já que o Estado é laico