.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
64 usuários online :: 2 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 62 Visitantes :: 1 Motor de busca

Jarbas, Khwey

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Projeto de Lei 4330/2004: legaliza a privatização total

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Projeto de Lei 4330/2004: legaliza a privatização total

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Qui 09 Abr 2015, 10:35 am

Câmara deve votar nesta quarta-feira projeto que regulamenta terceirização
Plenário da Casa aprovou nesta terça tramitação em regime de urgência.
Manifestação de centrais contra a proposta gerou tumulto e agressões.

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/04/camara-deve-votar-nesta-quarta-feira-projeto-que-regulamenta-terceirizacao.html

EVANGELISTA/RJ/MSN
administrador
administrador

Número de Mensagens : 6001
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Projeto de Lei 4330/2004: legaliza a privatização total

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Qui 09 Abr 2015, 10:36 am



Câmara aprova base da lei que libera a terceirização Texto-base abre possibilidade para contratação em todas as atividades da economia
Aurélio Gimenez


Rio - A Câmara dos Deputados aprovou ontem à noite por 324 votos, 137 contra e duas abstenções, o texto-base regulamentando os contratos de terceirização no setor privado e para as empresas públicas e de economia mista. A votação dos destaques ficou para terça-feira. Depois a proposta segue para análise no Senado.
A discussão do projeto que regulamenta o tema (PL 4.330/04), em fase final de votação na Câmara, colocou em lados opostos dois argumentos: os que são contra e alegam que haverá precarização das relações de trabalho e enfraquecimento dos sindicatos de trabalhadores, e os que são favoráveis à regulamentação, que falam em modernidade e competitividade em todos os setores da atividade produtiva.


Parlamentares de todas as matizes políticas usaram a tribuna para apoiar ou criticar o texto que, de maneira geral, reduz os encargos trabalhistas das empresas. Ou seja, em última instância, diminui os salários e benefícios dos trabalhadores.


Clique aqui e confira o que muda

O projeto autoriza a terceirização para todas as áreas de empresas, permite inclusive em atividade-fim. Até então, como não havia regulamentação, a Justiça do Trabalho limitava a subcontratação a áreas-meio, como limpeza, segurança e serviços especializados que não tenham relação com o objeto de empresa. Sem lei, a terceirização da área-fim é considerada ilegal pela Justiça.

O texto regulamenta obrigações de empresas contratantes e terceirizadas; exige que a contratante fiscalize o pagamento de encargos trabalhistas pela terceirizada; e obriga as fornecedoras de mão de obra a serem especializadas em um segmento.

“Esse novo projeto acaba com esse assunto de atividade-fim. De forma natural, as empresas realmente vão terceirizar a especialização. Aquilo que é a base, o arroz com feijão do negócio, vai ser feito por equipe própria. Por essa razão é que, na realidade, haverá um controle natural da terceirização”, destacou o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Em nota, a Fecomércio do Rio também defendeu a aprovação do PL 4.330, afirmando que o “Brasil carece de modernização nas relações trabalhistas e a terceirização permitirá que as empresas contratem serviços sem as amarras que atualmente dificultam a atividade econômica e atrapalham o crescimento do país.”

Já o advogado Fábio Chong afirma que haverá uma cisão da atividade trabalhista, havendo uma migração do trabalhador para outra. “O empregado deixará a sua atividade-fim, bancário ou metalúrgico, por exemplo, para se tornar empregado de uma empresa terceirizada especializada naquela atividade. Certamente, o trabalhador perderá benefícios antigos e poderá ganhar novos na outra categoria”, diz.

Centrais sindicais marcam protesto contra PL 4.330

As principais centrais sindicais do país vão fazer paralisações e protestos no próximo dia 15 contra a aprovação do Projeto de Lei 4.330, que regulamenta a terceirização. Além de orientar os sindicatos de base para que cruzem os braços contra o texto, as entidades também promoverão atividades diante de federações das indústrias locais.

Em nota, a Central Única dos Trabalhadores (CUT)) informou que “o texto não melhora as condições dos cerca de 12,7 milhões de terceirizados (26,8% do mercado de trabalho) e ainda amplia a possibilidade de estender esse modelo para a atividade-fim, a principal da empresa, o que é proibido no Brasil. Para a central, “fragmenta também a representação sindical e legaliza a diferença de tratamento e direitos entre contratados diretos e terceirizados”.
Já o presidente da CTB, Adilson Araújo, ressalta que ao institucionalizar o trabalho precário, o projeto leva a economia do país a um colapso.
Aprovação do projeto pode gerar mais empregos
Consultora de Recursos Humanos, Débora Regina Salvadori Canela, 35 anos, diz acreditar que com a aprovação do PL 4.330 mais empregos serão gerados. Ela cita a profissão do professor de dança como exemplo: “Em período de férias dos professores de dança, a empresa tem dificuldades para encontrar substitutos, se tivermos a opção de terceirizar esse cargo, facilitaria bastante.”
Diretor da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria, Silvinei Toffanin afirma que a aprovação do projeto apenas ratifica o que já existe no país. “A terceirização já existe de fato e, agora, apenas foi regulamentada. A garantia dos direitos trabalhistas continuará. É importante frisar que as relações de trabalham mudaram no país há muito tempo, como a terceirização, banco de horas e home office”, acrescenta Toffanin.
Frases
“O empresariado apoia esse projeto porque contratará vulneráveis”, CHICO ALENCAR, deputado Psol-RJ
“Agora, a terceirização será igual à especialização”, PAULO SKAF, presidente da FIESP
“Vão transformar 33 milhões de empregados em terceirizados”, ALESSANDRO MOLON, deputado PT-RJ
“A empresa prestadora pode ser mais sólida do que a contratante”, LEONARDO PICCIANI deputado PMDB-RJ
“Como vamos mexer com a lei sem dialogar com os sindicatos?” JOSÉ GUIMARÃES deputado PT-CE

fonte
http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2015-04-09/camara-aprova-base-da-lei-que-libera-a-terceirizacao.html

EVANGELISTA/RJ/MSN
administrador
administrador

Número de Mensagens : 6001
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Projeto de Lei 4330/2004: legaliza a privatização total

Mensagem por Ed em Sex 10 Abr 2015, 8:45 am

Até que enfim...


Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3158 dias de existência com 228866 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11001
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Projeto de Lei 4330/2004: legaliza a privatização total

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 12:52 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum