Benefício é reivindicado pelo Tribunal de Justiça