.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Consequências da Reeleição
Ontem à(s) 12:21 pm por EVANGELISTA/RJ/MSN

» Monarquia ou Democracia?
Sex 18 Ago 2017, 11:52 am por thynno

» O que é idolatria?
Qui 17 Ago 2017, 8:30 pm por gusto

» EU APOIO O BOLSONARO, E VOCÊ ?
Qui 17 Ago 2017, 8:21 pm por gusto

» A Idolatria é o Cultos que os Cristãos Oferecem aos Demônios!
Qui 17 Ago 2017, 4:30 pm por thynno

» Liderança evangélica engole camelo...
Qua 16 Ago 2017, 1:36 pm por Antonio Soares

» No começo do Cristianismo, as visões sobre Jesus eram muito diferentes
Seg 14 Ago 2017, 1:49 pm por thynno

» a Crise mundial e o Apocalipse
Seg 14 Ago 2017, 1:10 pm por thynno

» Noticiário Escatológico
Dom 13 Ago 2017, 6:59 pm por Jarbas

Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10


JESUS REBELDE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

JESUS REBELDE

Mensagem por DANNILO STELIO em Ter 25 Fev 2014, 1:43 am

O escritor Reza Aslan lançou em 2013 o livro "Zealot: The Life and Times of Jesus of Nazareth" ("Zelote: a vida e tempos de Jesus de Nazaré", tradução livre, edição brasileira prevista para este ano).
     Na obra, Reza Aslan defende a controversa tese de que Jesus foi apenas o mais destacado de muitos outros revolucionários judeus, sem nada de messiânico, pacifista ou divino.
     Para apoiar sua tese, Reza Aslan simplesmente descarta passagens bíblicas como João 18:36 ("O meu reino não é deste mundo").  Ele se prende ao fato de que um dos discípulos de Jesus era um zelote (seita radical que buscava libertar a Palestina do domínio romano mediante luta armada mesclada com um messianismo deturpado).
     Reza Aslan defende, ainda, que pelo simples fato de ser um judeu, Jesus de Nazaré certamente buscaria a libertação de seu povo do domínio romano.
     E a célebre passagem "Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus" ? Bem, Reza Aslan entende que nesse momento Cristo quis dizer, nas entrelinhas, dar a César (ou seja, Roma) suas moedas, numa espécie de "fora, romanos".
     O episódio da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém (quando Cristo procurou cumprir a profecia de Zacarias 9:9), e a purificação do templo (quando Jesus confronta os mercadores e os sacerdotes) é interpretado como sendo uma demonstração de que Jesus queria se fazer rei material, insurgindo-se contra Roma. Para isso, Reza Aslan afirma que até então não existia entre os judeus a idéia de um Messias de um reino espiritual.
     Percebe-se aí que esse escritor partiu da premissa correta mas chegou à conclusão errada. Realmente, até então o Messias era entendido como soberano de um reino material, porém Jesus veio justamente quebrar esse paradigma, afirmando-se rei, mas não desta terra.
     Reza Aslan parece ignorar, ainda, ensinos de Jesus como este:
     "Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós". (Lucas 17.20-21)
     Em outra passagem, Aslan afirma que "a idéia de um Messias divino seria um anátema a tudo que o judaísmo representa". Claro que seria. Mas Jesus e seus discípulos não deixaram nunca de pregar isso.
     Aliás, eles foram perseguidos e martirizados justamente por afirmar isso.
     Aslan ignora ainda as seguintes declarações de fé do apóstolo Pedro, judeu "da gema":
     "E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo." (Mateus 16.16). A chamada CONFISSÃO DE PEDRO tem sido uma das bases do credo evangélico, por todos os séculos.
[b]     "para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, a quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém." 1ª Pedro 4.11-13. Aqui, Pedro deixa bem claro que Jesus é rei, acima de tudo e de todos.[/b]
     Ainda segundo ele, com a expansão do Cristianismo pelo Império, Jesus se torna uma figura quase pró-Roma, ao ensinar, por exemplo, dar a outra face para o soldado inimigo e caminhar duas milhas para ele, em vez de uma.
     Pelo jeito, esse escritor entendeu totalmente errado os ensinos sobre amor, fraternidade e tolerância deixados pelo Mestre da Galiléia.
     Diz, ainda, que Pôncio Pilatos torna-se quase um herói para o Cristianismo, de forma que a culpa pela morte de Jesus caísse sobre os judeus em vez dos romanos.
     Pilatos, herói ? Qual o cristão que, em sã consciência, iria pensar tão bem assim de Pilatos ?
     Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel" (Atos 4:27). Esta passagem bíblica mostra (corretamente) Pilatos como um dos que se levantaram contra Jesus de Nazaré, não como "herói".
     Sobram ataques até mesmo para o Apóstolo dos gentios. "Dois mil anos depois, o Jesus de Paulo soterrou completamente o Jesus da História. É uma vergonha", diz Reza Aslan. É o velho e repisado argumento de que o Apóstolo Paulo descaracterizou os ensinos de Jesus de Nazaré.
     Conclusão: Reza Aslan está simplesmente "chovendo no molhado", buscando os seus 15 minutos de fama com um personagem influente como Jesus.

DANNILO STELIO
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1639
Idade : 43
Localização : Macapá-AP-Brasil
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/02/2014

http://palavravivaefiel.blogspot.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum