.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10


Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Página 1 de 14 1, 2, 3 ... 7 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Dom 29 Jan 2012, 12:40 pm




Vingança de membro pode ser justificada?
Um membro da IURD de Portugal destruiu a Igreja depois de cconstatar que os mais de 100 mil Euros que deu ao pastor não se multiplicariam como ele tinha prometido depois de da-los como oferta.




http://www.anoticiagospel.com.br/2011/12/exfiel-troco-na-iurd/


Última edição por EVANGELISTA/RJ/MSN em Qui 07 Fev 2013, 4:45 pm, editado 1 vez(es)
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Dom 29 Jan 2012, 1:00 pm

Olha, longe de querer defender esses vagabundos "pedir-mais cedenses", Há culpabilidades também nesses otários que se deixam influenciar pelo lucro fácil, sem trabalhos e esforços. Resultado: caem nessas armadilhas infantis de: conto do vigário, fogueira (das) antas, tabus da prosperidade, crendices de exigir de Deus algum benefício pessoal e milhares de novidade que aumentam a cada dia.


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por JEDU em Dom 29 Jan 2012, 2:09 pm

David de Oliveira escreveu:Olha, longe de querer defender esses vagabundos "pedir-mais cedenses", Há culpabilidades também nesses otários que se deixam influenciar pelo lucro fácil, sem trabalhos e esforços. Resultado: caem nessas armadilhas infantis de: conto do vigário, fogueira (das) antas, tabus da prosperidade, crendices de exigir de Deus algum benefício pessoal e milhares de novidade que aumentam a cada dia.

Ai tontos como esses, viram ateus e puxam outras pessoas tb.
avatar
JEDU
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1174
Idade : 45
Localização : são paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/05/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Dom 29 Jan 2012, 3:18 pm

JEDU escreveu:
David de Oliveira escreveu:Olha, longe de querer defender esses vagabundos "pedir-mais cedenses", Há culpabilidades também nesses otários que se deixam influenciar pelo lucro fácil, sem trabalhos e esforços. Resultado: caem nessas armadilhas infantis de: conto do vigário, fogueira (das) antas, tabus da prosperidade, crendices de exigir de Deus algum benefício pessoal e milhares de novidade que aumentam a cada dia.

Ai tontos como esses, viram ateus e puxam outras pessoas tb.

Aí Jedu, há vários tipos de ateus em se tratando de ensinamentos. Há muitos crentes fundamentados em palhas e areias e estão dormindo o sono profundo da hipnose, mas se esperneiam e rodopiam dizendo-se "crentes".
Há várias modalidades de crentes. Eu não sou um desses crentes absolutos e graças a Deus limito-me a acreditar somente naquilo que devo acreditar.
Enquanto estiver em condições de limitar as minhas crenças, é sinal de que não estou hipnotizado.


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por I74M4R em Dom 29 Jan 2012, 3:21 pm

Na terra, não chamem a ninguém Pai, pois um só é o Pai de vocês, aquele que está no céu (Mt 23,8-9)

Se as pessoas entendecem isso não ficariam servindo a homens e suas doutrinas cada vez mais podres......

O nosso salvador é o Grande Pastor das Ovelhas.........

O que aprendemos na denominação é ser fiel a homens e obedecer suas doutrinas...

Congregar é se reunir com a igreja "CORPO" isso pode ser feito em varios lugares como o propio salvador se reunia....
Instituição religiosa ja e outra coisa totalmente ao avesso do que o Salvador nos estabeleceu....ele não morreu numa cruz para fundar uma religião ou uma denominação....
Mas pra unir o Corpo em uma so cabeça que é "CRISTO".....
A ordem é Ide e Pregai......e não Vinde e escutai.....

Sai dela povo meu !!!!



Eu particulamente não frequento templo nenhum ...não fasso parte de nenhum aprisco...ou Denominação....
Mas faço parte do CORPO DE CRISTO ....
Pois separados ou juntos estamos ligados pelo o cabeça que é CRISTO

avatar
I74M4R
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 432
Idade : 28
Localização : Vitoria-ES
flag : Brasil
Data de inscrição : 10/08/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:37 pm


Igreja Maranata: dízimo desviado em fraude milionária
Mais de R$ 20 milhões teriam ido parar no bolso de pastores
04/02/2012 - 16h41 - Atualizado em 04/02/2012 - 16h41

A Gazeta

Vilmara Fernandes e Letícia cardoso

Um esquema de corrupção para desviar recursos provenientes do recolhimento do dízimo foi montado na cúpula da Igreja Cristã Maranata, com o envolvimento de pastores, diáconos e até fornecedores. A ação, identificada em uma investigação da própria instituição, foi parar na Justiça. Nela, aparece o nome do vice-presidente, Antônio Ângelo Pereira dos Santos. Estimativas iniciais da igreja indicam que o rombo é de, no mínimo, R$ 21 milhões. Mas a ação protocolada na Justiça pede o ressarcimento de R$ 2,1 milhões.



A Igreja Cristã Maranata é uma das que mais crescem no país. Acima, foto do templo na Praia da Costa

A diretoria da Maranata diz que a situação é grave e que já adotou as providências contra as irregularidades que vinham sendo praticadas (veja na pág. 6). Uma delas foi afastar três pastores e um diácono das funções administrativas e religiosas.

O caso está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual. Em nota, o MP adiantou que os documentos exigem melhor apuração, mas apontam para várias irregularidades e crimes. Diz ainda que, se aproveitando da isenção de tributos que as igrejas possuem e da boa-fé dos fiéis, pastores estariam usando bens da igreja em benefício próprio. A lista de prováveis crimes praticados inclui desvio de recursos para o exterior, criação de empresa irregular, contrabando, fraudes ao Fisco e ao sistema financeiro.

Derrame



O pastor Antônio Ângelo e o contador Leonardo Alvarenga, vice-presidente e o contador da instituição, respectivamente, são acusados de desvio

Cerca de 5 mil templos no Brasil são administrados pelo presbitério da igreja, em Vila Velha, que concentra o dízimo doado no país. O dinheiro foi desviado desse caixa único. A igreja não informa quanto arrecada, mas sabe-se que é a segunda em número de evangélicos no Estado e uma das que mais crescem no país.

O golpe era viabilizado por notas fiscais frias, que permitiam a retirada de valores do caixa da igreja. Segundo documentos obtidos por A GAZETA, as notas eram emitidas por fornecedores do Presbitério da Maranata. Há indícios de que empresas foram criadas – em nome de laranjas – somente para essa finalidade.

O dinheiro desviado era destinado a um grupo de pastores. Além do nome do vice-presidente, as investigações chegaram ao do contador da Maranata, Leonardo Meirelles de Alvarenga. Eles foram denunciados na ação judicial aberta pela igreja. Há indícios de participação de mais pastores e funcionários. Nas apurações, envolvidos afirmaram que o dinheiro serviria para "ajudar irmãos no exterior".

As informações fazem parte de investigação interna da igreja, que orientou uma auditoria externa, cuja análise preliminar confirma as irregularidades. "Elementos obtidos (...) são contundentes quanto à ocorrência de fraudes e desvios perpetrados pelo vice-presidente e o contador", diz trecho do relatório da auditoria citado na ação judicial.

Parte dos recursos desviados era usada na compra de carros e imóveis e no pagamento de contas pessoais. "Por várias vezes fui orientado a depositar valores na conta do Antônio Ângelo para pagamento de cartão de crédito, prestação de veículos, condomínios, compras de equipamentos", diz um funcionário ouvido na investigação.

Outra parte dos recursos era investida na compra de dólares, diz um empresário no mesmo relatório: "O valor era depositado nas contas das minhas empresas. No mesmo dia, eu comprava os dólares e os entregava no presbitério". Os dólares eram levados para o exterior nas malas de fiéis.

Destruição

Para evitar que a prática dos crimes fosse descoberta, funcionários foram orientados a destruir cópias de recibos. "Fui orientado pelo Antônio Ângelo e pelo Leonardo a destruir todos os documentos, recibos e depósitos que não passavam pelo caixa central do presbitério para não cair em nenhum tipo de fiscalização", relata um funcionário da igreja.

Há informações de que computadores foram formatados para que os rastros dos desvios fossem destruídos. "Os HDs foram corrompidos. Programas de envio de relatórios fiscais por internet (Receitas Federal e Estadual) foram apagados", consta num dos documentos. Outro problema detectado são atrasos na contabilidade da igreja há pelo menos quatro anos.


“Um montante muito elevado, chegando a cerca de R$ 500 mil mensais nos últimos 30 meses e R$ 6 milhões em 2010”, relatório da Igreja Maranata sobre os desvios


Produtos entravam no país sem impostos

Um dos braços da corrupção encontrada na direção da Igreja Maranata diz respeito à compra irregular de equipamentos eletrônicos. O material se destinava à montagem de um sistema de videoconferência para interligar os templos no Brasil e no exterior.

Boa parte do material foi trazida ao país de forma irregular, segundo declarações que constam na investigação interna feita pela igreja e em documentos obtidos com exclusividade por A GAZETA.
Os depoimentos revelam que os equipamentos eram comprados fora do país e trazidos clandestinamente na mala dos fiéis. Em algumas ocasiões, os produtos vinham de Miami (EUA) para o Brasil. Em outras, eram comprados no Paraguai, levados para Curitiba, Paraná, e, em seguida, trazidos para Vitória.
Vários documentos mostram o reflexo dessa movimentação no caixa do Presbitério da Maranata – responsável pela administração de todos os templos no Brasil –, que autorizava o pagamento dos fornecedores. Em seguida, os valores eram depositados nas contas correntes de quem fazia as compras.


Dinheiro

Em seu depoimento, o vice-presidente afastado do cargo, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, diz que uma proposta inicial apresentada à igreja para montar o sistema de videoconferência estava orçada em R$ 24 milhões, o que levou à desistência do projeto. “O próprio Presbitério resolveu montar o sistema, que ficou em cerca de R$ 3 milhões”, afirmou.


Segundo informações da Anatel – agência responsável pelas telecomunicações no país –, a Maranata possui concessão de duas estações de transmissão e uma unidade móvel. Com esse equipamento, consegue transmitir seus cultos para todos os cantos do Brasil, além de países do Leste Europeu, África, Europa e América.


Toda essa transação comercial, assim como o esquema de desvios, foi denunciada ao Ministério Público Estadual, que já está investigando o caso. A mesma denúncia foi encaminhada à Anatel, à Polícia Federal e às Receitas Federal e Estadual.


Duas outras denúncias chegaram ao Ministério Público Federal, que agora examina se tem competência para investigar o assunto ou se repassa o material para os promotores estaduais.


Ação

A ação ajuizada pela Maranata contra o vice-presidente e o contador Leonardo Alvarenga, cujas investigações da própria igreja e a auditoria por ela contratada apontam como sendo autores dos desvios, está nas mãos do juiz Robson Albanez, da 8ª Vara Cível de Vitória. O magistrado é um dos denunciados na Operação Naufrágio, que apura venda de sentenças no Poder Judiciário.
O documento foi protocolado dia 20 de janeiro, uma sexta-feira, e na segunda-feira o juiz, atendendo a um pedido da própria Maranata, decretou segredo de Justiça na tramitação do processo.


Racha

A insatisfação com o esquema de corrupção identificado na Igreja Maranata tem sido assunto frequente em blogs e redes sociais desde o fim do ano passado. Vários membros da igreja – muitos deles de forma anônima – começaram a divulgar sua insatisfação com a situação.


Parte dos relatórios de investigação da própria Maranata chegou a vazar na internet, o que levou a igreja a divulgar informativos oficiais em suas unidades sobre as providências que estavam sendo adotadas.


A medida, no entanto, não foi suficiente para um grupo de fiéis e pastores que, insatisfeito, deixou a instituição. A justificativa apontada é que, diante das denúncias, os cultos estavam perdendo o seu sentido espiritual.


A afirmação é de Leonardo Lamego Schuler, ex-maranata e advogado do grupo que apresentou denúncias em vários órgãos pedindo investigação. “Nós nos sentimos constrangidos e insatisfeitos com a falta de informações sobre o que se passava dentro da igreja”, assinalou.


Ele critica ainda as providências já adotadas pela Maranata. Schuler assinala que elas foram tardias e sem transparência. “É um mero paliativo. Há algo maior do que o que se aponta no processo.” Ele e dezenas de outros fiéis já fundaram uma nova igreja na Enseada do Suá, em Vitória. A nova denominação leva o nome de Igreja Cristã Louvai.

Desfalque
R$ 21 milhões - Estima-se que esse seja o valor retirado da igreja de forma irregular.



“É difícil viver em uma igreja que parecia séria e descobrir que nela acontecia algo de tamanha gravidade”, Leonardo Schuler, advogado

Trechos da ação

“A igreja pagou um total de R$ 941 mil em notas fiscais que não correspondem a mercadorias efetivamente entregues”


“Relatório elaborado culmina com o prejuízo financeiro para os cofres da igreja equivalente a
R$ 2,1 milhões”


“A senha do contador Leonardo Meirelles lhe dava amplos poderes, alguns dos quais extrapolavam os limites das atividades próprias de contador”

“Verifica-se que documentos emitidos pela empresa do contador Leonardo Meirelles, assim como os registros da contabilidade, foram fraudulentos”

Depois do questionamento, a expulsão

“Fui usado como mula. No ano passado, foram três viagens”
X, 28 anos, frequentava a igreja desde pequeno

“Fui um dos muitos fiéis que transportaram os equipamentos do projeto de videoconferência dos Estados Unidos para o Brasil. Fui usado como mula. Só no ano passado, foram três viagens. Trazia-os em minha bagagem, escondidos no meio das roupas. Nunca foram descobertos pela Alfândega. Após ganhar a confiança dos pastores, fui convidado pelo vice-presidente, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, no final do ano passado, para uma outra viagem. Só que desta vez deveria levar
US$ 10 mil, valor máximo permitido para entrada nos Estados Unidos, e entregar a um outro pastor. Nesse dia, percebi que algo estava errado e o questionei sobre a legalidade das ações do Presbitério. Não aceitei levar os dólares e fui comunicado de que seria expulso de todos os trabalhos dentro da igreja.”

"A situação é muito grave”, diz advogado


"Asituação é grave, muito grave.” A avaliação foi feita por Sérgio Carlos de Souza, advogado da Igreja Cristã Maranata – onde também atua como pastor – ao se referir ao esquema de corrupção montado na cúpula da instituição. Ao mesmo tempo, se diz tranquilo por ter a certeza de que todas as providências estão sendo adotadas para preservar a igreja e ressarcir os prejuízos ocasionados pelo desvio.
Souza relatou que, em setembro passado, a igreja recebeu denúncias de que irregularidades estavam sendo cometidas na administração do Presbitério, em Vila Velha. “Imediatamente, por ordem do presidente, Gedelti Gueiros, foi criada uma comissão para investigar as denúncias.”


“R$ 2,1 milhões é o valor estabelecido até agora como dano. Se houver novas provas, outras medidas serão adotadas”, Sérgio Carlos de Souza, advogado da Maranata

Afastamento

Foi essa comissão que identificou que, no mínimo, estava ocorrendo uma gestão muito ruim das finanças da Maranata, relata o advogado. Foi a mesma equipe que sugeriu o afastamento de três pastores – um deles o vice-presidente, Antônio Ângelo Pereira dos Santos – e do diácono que também ocupava a função de contador da igreja, Leonardo Meirelles de Alvarenga.


Após ouvir empresários que prestavam serviços para o Presbitério, pastores e até funcionários, a comissão de investigação apontou a necessidade da contratação de uma auditoria externa. “Somente parte do trabalho foi concluída”, acrescenta Sérgio.


Com base nesse relatório preliminar, a igreja protocolou na Justiça uma ação pedindo o ressarcimento de danos, no valor de R$ 2,1 milhões. O advogado adiantou que, surgindo novas provas, a instituição não se furtará em adotar novas medidas judiciais.


Além das funções administrativas, Antônio Ângelo e Leonardo também foram afastados definitivamente das funções que exerciam na igreja como pastor e diácono, respectivamente. “Eles podem frequentar os cultos por serem cerimônias públicas”, explicou o advogado da igreja.


Isenção
Sérgio garante que o presidente da Maranata não teve nenhum envolvimento com o esquema de corrupção. E mais: ele só tomou conhecimento da situação ao receber as denúncias. “O presidente cuida exclusivamente da orientação doutrinária e da parte espiritual. Existem pessoas para cuidar dos outros setores”, afirmou.


O advogado disse, ainda, que todos os fiéis foram comunicados das medidas que estão sendo adotadas por intermédio de uma circular divulgada nas igrejas.


A igreja garante ainda que desconhece qualquer irregularidade na compra dos equipamentos destinados ao sistema de videoconferência. “Novena e cinco por cento do material foi comprado no Brasil. Só equipamentos dos estúdios foram trazidos do exterior”, pontuou Sérgio. Ele acrescenta que a direção da Maranata solicitou à Receita Federal e ao Ministério Público Estadual que investigassem todas as denúncias.


Acusados

O vice-presidente Antônio Ângelo e o contador Leonardo foram procurados por A GAZETA e decidiram não falar sobre o assunto. Leonardo disse, em nota, que só vai se manifestar na Justiça. Já Antônio Ângelo afirma que quem tem que responder por ele é a igreja e não quis informar o nome do seu advogado.




http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1107003-igreja-maranata-dizimo-desviado-em-fraude-milionaria.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:45 pm


Pastor usou 'visão' para justificar desvio
Dinheiro foi usado para a compra de equipamentos eletrônicos
05/02/2012 - 17h58 - Atualizado em 05/02/2012 - 17h58

NotíciaEnviar por e-mail Letícia Cardoso e Vilmara Fernandes

Para os maranatas, a visão é um momento espiritual especial. Funciona como uma manifestação divina. Uma revelação. Surpreendemente, documentos colhidos nas apurações sobre os devios de recursos provenientes da Igreja Maranata estabelecem uma ligação entre esse lado espiritual e outro, bem mais material. Notas de compra do lote de documentos investigados trazem a anotação de “visão”, indicando que a transação foi aprovada por conta de um momento espiritual especial.

Isso ocorre, por exemplo, com uma nota de compra de equipamentos eletrônicos para a igreja. A anotação está em um dos recibos investigados por fazerem parte de um esquema de corrupção para desviar recursos provenientes do recolhimento do dízimo, montado na cúpula da instituição.

A edição de A GAZETA de ontem revelou ainda o envolvimento de pastores, diáconos e até fornecedores no esquema. O desvio foi identificado em uma investigação da própria igreja e foi parar na Justiça> UM dos nomes citados é o do vice-presidente da instituição, Antônio Ângelo Pereira dos Santos.

Pelas estimativas iniciais da própria Maranata, o rombo pode chegar a R$ 21 milhões. Mas a ação já protocolada na Justiça pede o ressarcimento de R$ 2,1 milhões.

A compra que teve o auxílio de uma “visão” foi para adquirir 300 projetores pelo valor de R$ 330 mil. Parte desse total foi adiantada ao fornecedor.

Para o advogado da Maranata, Sérgio Carlos de Souza, essa pode ser mais uma situação que faz parte do conjunto de irregularidades que foram praticadas contra a instituição. “Deus não mostra caminhos para fazer algo errado. Para acobertar um procedimento ilícito, a pessoa conta qualquer tipo de história”, pontua.

Ele assinala ainda que apesar da gravidade dos fatos – referindo-se aos desvios –, a Igreja Maranata está tranquila por ter a certeza de que todas as providências estão sendo adotadas para preservar a instituição e ressarcir os prejuízos ocasionados pelo desvio.

Afastamento

A forma como as denúncias vêm sendo apuradas pela Maranata acabou causando insatisfação em um grupo de fiéis, que decidiu abandonar a igreja. O grupo também protocolou denúncias em vários órgãos, pedindo que o caso seja investigado.

“As pessoas passaram a assistir a um culto frio que outrora não era, em que se procura defender mais ideais institucionais”, argumenta Leonardo Lamego Schuler, advogado do grupo dissidente. A “visão” faz parte do rito espiritual da igreja. A compra que teve o auxílio dessa experiência foi para adquirir 300 projetores pelo valor de R$ 330 mil. Parte desse total foi adiantada ao fornecedor.

Presença
706 mil fiéis
É o número de membros da Igreja Maranata no Brasil. Em 2000, segundo o Censo do IBGE, eram 98.640.

2.378 pastores
Atuam nos 4.709 templos espalhados por todo o Brasil. No Espírito Santo são 838, para 1.669 igrejas.

Indignação nas redes sociais

A indignação dos fiéis da Igreja Maranata ganhou a internet e as redes sociais. Centenas de comentários foram registrados no Facebook, em comunidades no Orkut, além de blogs.

Os que se decepcionaram com o esquema de corrupção montado na cúpula da igreja manifestavam suas insatisfações e críticas. “Pelo visto, a liderança da Maranata perdeu a crença em Deus”, diz um post do Orkut.

Em paralelo, são rebatidos pelos que ainda permanecem na igreja e defendem suas crenças. “Para desespero da maioria, mesmo com os últimos acontecimentos, a Igreja Maranata continuará existindo e talvez até cresça mais com a saída de alguns pastores”, pontua outro post do Orkut.

Nova igreja

Entre os blogs, um dos mais ativos é o Cavaleiro Veloz. O autor – que pede para não ser identificado – foi membro da igreja na época de sua fundação. Chegou a ser pastor até ser expulso, “por revelação”, como afirma, em 1987.

Desde então vinha escrevendo artigos em várias comunidades no Orkut até que, em 2009, resolveu criar o blog. Nele faz questão de divulgar todas as informações sobre as irregularidades cometidas na Maranata, bem como críticas as ações que a igreja adota.

No mesmo espaço, fiéis que já abandonaram a Maranata comecaram a trocar informações e a perguntar aos líderes dos dissidentes que já fundaram uma nova igreja – a Louvai – sobre a criação de filiais em outros municípios da Grande Vitória.

Nas redes

“Os 3 principais envolvidos não falam, não apresentam nem provas nem defesa. Em quem confiar?”

"Pelo visto a liderança da Igreja Cristã Maranata perdeu a crença em Deus. Homens incrédulos”

“Esses que roubaram e enganaram,para eles ja esta decretado o Juízo,a menos que se arrependam!”


http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1107549-pastor-usou-visao-para-justificar-desvio.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:47 pm



Julio Viana foi flagrado com equipamentos sem nota fiscal
06/02/2012 - 22h58 - Atualizado em 06/02/2012 - 22h58

A Gazeta
NotíciaEnviar por e-mail Letícia Cardoso
lcardoso@redegazeta.com.br

Vilmara Fernandes
vfernandes@redegazeta.com.br

A pessoa que intermediava a compra de equipamentos de videoconferência para a Igreja Cristã Maranata foi presa em janeiro de 2010 pela Polícia Federal. O autônomo Julio Cesar Viana foi flagrado transportando rádios e projetores estrangeiros sem nota fiscal, dentro da mala. Foi detido pelos agentes federais quando desembarcou no Aeroporto de Vitória.

O material que estava com o autônomo e foi apreendido pela polícia – 19 projetores e dois rádios – é semelhante ao usado nos equipamentos de videoconferência da igreja. Na hora da prisão, Julio alegou que o material seria revendido na Grande Vitória e que teria comprado em Curitiba, Paraná, por R$ 20 mil.

A explicação não convenceu o Ministério Público Federal, que o denunciou. "Não é crível (...) que um vendedor autônomo de pisos de madeira despenderia o montante de R$ 20 mil com a compra de equipamentos eletroeletrônicos com a finalidade de revendê-los em outro Estado, sem ao menos ter um destinatário certo", diz o texto da denúncia.

O nome de Viana aparece na descrição de documentos de caixa da Maranata, com saída de recursos depositados na conta corrente dele ou de seus parentes. O dinheiro era destinado à compra de equipamentos ou de passagens aéreas.

Um desses documentos é o adiantamento de R$ 70 mil para compra de 300 projetores do sistema de videoconferência. A transação foi aprovada por intermédio de uma "visão", que para os maranatas têm um significado especial por ser uma manifestação divina.

Segundo relatos presentes na investigação feita pela igreja, parte dos equipamentos era comprada no Paraguai e levada a Curitiba. De lá, seguiam para Vitória. A capital do Paraná é a terra natal de Viana e era de lá que ele vinha ao ser detido em Vitória.

Por nota, a Maranata informou que já havia recebido informações sobre esse tipo de irregularidade praticada por ex-membros, afastados pela direção. A igreja fez um requerimento à Receita Federal para que apure as possíveis irregularidades cometidas por essas pessoas. O advogado de Viana – Stênio Sant’Anna Sales – preferiu não se manifestar sobre o assunto e não informou o telefone do cliente.

Surpresa, decepção e revolta entre fiéis

Surpresa, decepção, tristeza, revolta. Esses foram alguns dos sentimentos dos fiéis da Maranata no último fim de semana. Muitos souberam da fraude milionária praticada por membros da diretoria por intermédio de amigos ou familiares. "Fiquei muito decepcionada após ler a matéria no jornal", relata a aposentada E., 60 anos.

Ela frequenta a Maranata desde os 17 anos. Lá casou e educou seus filhos. Afirma que há idosos da igreja que choram ao falar sobre o assunto. "É difícil descobrir que isso está acontecendo dentro da nossa igreja", assinala.

Na avaliação dela, daqui para frente os fiéis terão que ficar mais atentos. "Temos que ser mais prudentes, não confiar tanto. É o que a Bíblia orienta", pondera E.

A aposentada avalia que o presidente da igreja, Gedelti Gueiros, teria que ter acompanhado mais as finanças da Maranata. "A igreja cresceu, ele viaja muito e entregou tudo na mão de uma pessoa que não era de confiança", opina ela.

Entenda o caso

Fraude milionária
Um esquema de corrupção foi montado na cúpula da Maranata com a participação pastores, diáconos e fornecedores para desviar recursos do dízimo doado pelos fiéis

Rombo
Estimativas iniciais apontam para um rombo de pelo menos R$ 21 milhões. A Maranata recorreu à Justiça para pedir o ressarcimento de R$ 2,1 milhões

Acusados
Na Justiça, a igreja aponta como cabeças da fraude o seu vice-presidente, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, e o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga, também diácono. Os dois foram afastados – assim como outros dois pastores – das funções administrativas e religiosas

Golpe
O golpe era viabilizado por notas fiscais frias, que permitiam a retirada de valores do caixa da igreja. Há indícios de que até empresas foram criadas em nome de laranjas. Os envolvidos alegavam que o dinheiro serviria para “ajudar irmãos no exterior”

Uso
Parte dos recursos desviados era usada na compra de carros e imóveis e no pagamento de contas pessoais. Outra parte era investida na compra de dólares, que eram enviados para o exterior na mala dos fiéis

Irregular
O dinheiro da igreja também foi usado para comprar – fora do país, de forma irregular – equipamentos para videoconferência no valor de R$ 3 milhões

Sem rastros
Funcionários teriam sido orientados a destruir recibos e a formatar computadores

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1108194-envolvido-em-compras-foi-preso-pela-federal.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:49 pm



R$ 1,8 milhão doados à igreja
Valor foi repassado à Maranata por deputados estaduais

Vilmara Fernandes e Letícia Cardoso

Um total de 1,8 milhão de recursos públicos foi destinado por deputados estaduais para a fundação da Igreja Cristã Maranata. Entre os parlamentares que destinaram os recursos para a fundação Ademar Passos de Barros - no período de 2005 a 2011 - estão Elcio Álvares, Aparecida Denadai, Geovani Silva e Jurandy Loureiro. Os três primeiros são fiéis da igreja; e o último, amigo pessoal do presidente da instituição, Gedelti Victalino Gueiros.

Os valores foram entregues para compra de ambulâncias, subvenções sociais, apoio a entidades filantrópicas, compras de equipamentos e até para melhorias no atendimento. Quem mais fez doações no período foi Elcio (R$ 860 mil), seguido de Aparecida (R$ 450 mil), de Geovani (R$ 410 mil) e, por último, Jurandy (R$ 80 mil).

A fundação leva o nome do primeiro presidente da Maranata, Manoel dos Passos Barros, sogro do atual líder da igreja, Gedelti. Hoje é administrada por Nilson Ladeira. O administrador anterior era Antônio Tarcísio Correa de Mello, cujo nome aparece em um dos muitos documentos relativos ao esquema de fraude montado por membros da instituição.

Crédito

O documento - um comprovante de crédito em conta corrente - teria sido feito por uma parente de José Gomes Filho. De acordo com ele, o valor refere-se ao pagamento de um empréstimo que conseguiu com Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o vice-presidente afastado pela igreja e apontado como cabeça do esquema de desvios. "Fui orientado por Antônio Ângelo a depositar na conta de Tarcísio como pagamento de parte de um lote em Domingos Martins", diz José Gomes, no mesmo documento.

Também participava da diretoria da fundação o coronel reformado da Polícia Militar Renato Duguay Siqueira. Ele foi um dos militares que comandaram a "rebelião de coronéis contra o ex-secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, após a publicação do livro "Espírito Santo". A obra relata a participação de militares, incluindo coronéis, na morte do juiz Alexandre Martins Filho.

Desvio

O desvio de recursos na Maranata contava com a participação de pastores, diáconos e até fonecedores, segundo investigações da igreja. Estimativas iniciais apontam para um rombo de R$ 21 milhões. A igreja recorreu à Justiça, pedindo ressarcimento de R$ 2,1 milhões. Além do vice-presidente, o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga foi afastado.

A Maranata, por meio de sua assessoria, informou que Tarcísio e Duguay não atuam na fundação há um ano e que as transações que envolvem ao nome deles são particulares.

Ex-deputado não se arrepende de ter apoiado doações

O deputado Élcio Alvares (DEM), a ex-deputada Aparecida Denadai (PDT) e os ex-deputados Geovani Silva e Jurandy Loureiro (PSC) foram procurados por A GAZETA para comentar sobre as emendas parlamentares que apresentaram na Assembleia Legislativa a favor de repasses financeiros do Estado para a Fundação Manoel Carlos de Barros. Somente o ex-deputado Geovani Silva atendeu às ligações.

Ele afirmou que não se arrepende de ter apoiado a doação de recursos à fundação, coordenada pela Igreja Maranata. "Se a igreja está com problemas isso não significa que as emendas também estão. Não há nenhum problema e prova alguma que diga o contrário. Não fiz nada errado", defende-se Geovani Silva.

Prevenção

Ao todo, entre 2005 e 2011, foram mais de R$ 1,8 milhão destinados para ações sociais. Segundo o ex-deputado Geovani Silva, parte dessa verba, aprovada pela Assembleia Legislativa, foi destinada a programas de prevenção ao câncer de pele. "Visitei os espaços ajudados pela fundação e vi para onde parte do dinheiro foi. Entre os locais está o Cacon (Centro de Alta Complexidade em Oncologia)", disse.

O ex-deputado frisou que acredita na palavra do presidente da Igreja Maranata, Gedelti Gueiros. "Por ele, boto a minha mão no fogo", frisou Geovani Silva. Ele, o deputado Elcio Álvares e a ex-deputada Aparecida Denadai são membros da igreja. O ex-deputado Jurandy Loureiro é amigo de Gueiros. (Maurílio Mendonça)

Presidente da Maranata não comparece à delegacia e novo advogado assume o caso

O depoimento do presidente da igreja Maranata, Gedelti Victalino Gueiros, à Delegacia de Defraudações e Falsificações, em Vitória, foi adiado. Ele foi intimado a comparecer no local às 10 horas desta quinta-feira (09), mas o advogado que assumiu a defesa da igreja referente ao inquérito criminal, Homero Mafra, pediu prazo ao delegado Gilson Gomes para analisar o caso.

Nesta sexta-feira (10) o delegado deve se reunir com o advogado. Ainda não há nova data para o depoimento do representante da igreja. Gueiros deve prestar informações sobre um esquema de desvio de dinheiro na igreja.

O inquérito policial foi aberto há três dias, segundo o delegado, com base em reportagens publicadas sobre o assunto. "E já conta com três volumes", assinalou Gomes, na tarde de ontem, acrescentando que tem recebido diversas denúncias e informações de fiéis. A polícia também recebeu um ofício do juiz da 8ª Vara Cível, Robson Albanez, solicitando que investigasse o caso.

Albanez - denunciado pela Operação Naufrágio por venda de sentenças - decretou, a pedido da Maranata, segredo de Justiça na tramitação do processo. Até o fim da noite de ontem, não estava confirmada a ida de Gedelti à delegacia.

Pastor omitiu bens em sua declaração de imposto

O nome de Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o homem que ocupava a vice-presidência da Igreja Cristã Maranata, aparece em documentos de compras de imóveis que não foram declarados ao Imposto de Renda. Ele foi afastado de suas funções - administrativas e religiosas - após ter sido acusado de montar um esquema de desvio de recursos do dízimo.

Um desses imóveis é um apartamento localizado em Valparaíso, na Serra, comprado em 2007. No mesmo município, há outro imóvel em um condomínio fechado que ainda não foi declarado ao Fisco.

No mesmo município e das mesmas construtores, outro membro da igreja comprou imóveis bem semelhantes, que juntos totalizam mais de R$ 600 mil. Essa pessoa - que em 2009 declarou ser solteira e ter como profissão "pavimentador" - passou para Antônio uma procuração com amplos poderes. Há indícios de que essa pessoa seria um dos laranjas do vice-presidente afastado, apontado como o responsável pelo desvio de recursos do dízimo.

Em casa

Há documentos que mostram a movimentação financeira de Antônio Ângelo e que revelam que ele vendeu à própria igreja uma área em Serra-Sede. Documentos mostram, ainda, que Antônio Ângelo atuava nas empresas que prestavam serviço para o Presbitério de Vila Velha. Uma delas é uma empresa de serviços elétricos que o contratou como consultor. Pelo serviço "extra", praticado em 15 horas semanais, recebia R$ 12 mil por mês.

Há ainda dezenas de cheques e transferências para contas correntes, todas nominais, que foram creditadas na conta de Antônio Ângelo por diversas empresas. Todas prestaram depoimento na investigação feita pela Maranata, revelando que, do faturamento que obtiveram, até 70% eram destinados a Antônio Ângelo.

defesa

O advogado José Luiz Oliveira de Abreu - que defende Antônio Ângelo e o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga, também acusado pelos desvios - diz que todo o material obtido pela investigação da igreja não tem relevância e que boa parte dos documentos são anônimos. Acrescenta que seus clientes não tiveram o direito de se defender junto à igreja e que só podem ser considerados culpados após julgamento.

Preocupação com malha fina nos EUA

Uma troca de e-mails entre pastores revela que a remessa de dólares para o exterior chamou a atenção do Banco Central dos Estados Unidos. O comunicado foi feito pelo pastor americano Ben Kennedy a Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o pastor que ocupava a vice-presidência da Maranata e que foi afastado após ser apontado como o cabeça do esquema desvio de recursos.

Todo mês, Kennedy enviava a Antônio um relato sobre as remessas de recursos destinados ao Leste Europeu. Em março de 2011, relatou ter recebido um telefonema do representante do Banco Central norte-americano.

"A impressão que tive foi de que estamos em alguma malha fina da auditoria do governo americano, que sempre procura indícios de lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo", diz Kennedy, em seu e-mail. E orienta: "Talvez seja interessante considerar fazer estas transferências pela Europa".

A Maranata informou que desconhece irregularidades nesse sentido. Caso tenha ocorrido, terá sido mais uma atitude irregular do antigo gestor. Diz que mantém seu compromisso de apurar as denúncias e exigir, pelos meios legais, a punição dos responsáveis e o ressarcimento do que lhe foi subtraído.




Pastor teve bagagem retida ao trazer equipamentos para igreja

Em maio de 2009, o pastor Paulo Roberto de Souza teve sua bagagem retida pela Alfândega no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. O motivo era a presença de 14 equipamentos eletrônicos - destinados a transmissão de imagem e som - em sua mala, sem comprovação fiscal.

O material, segundo o laudo de retenção da alfândega, destinava-se "ao uso de uma igreja". Há indícios de que os equipamentos seriam destinados ao sistema de videoconferência que a Maranata montou. Segundo relatos que constam da investigação feita pela própria igreja, parte desse material era comprada nos Estados Unidos e trazida na mala de fiéis.

Ordem

Por meio da assessoria da Maranata, Souza - que atua nos Estados Unidos - informou que "trouxe os equipamentos a mando do Antônio Ângelo Pereira dos Santos", se referindo ao vice-presidente afastado.

O laudo da Alfândega não chegou a ser encaminhado à Polícia Federal, o que inviabilizou a abertura de um inquérito, segundo a própria PF.
Em agosto de 2009, foi detonada uma operação da PF chamada de "Duty Free", que resultou na prisão do auditor José Augusto Fregonazzi e de seu irmão, João Luiz, que chefiava a Alfândega de Vitória. Ambos, membros da Maranata, foram acusados de comandar uma organização que facilitava a vida de empresas sonegadoras.

Outro fiel da igreja, Julio Cesar Viana, também foi detido pela PF com equipamentos eletrônicos. Ele é investigado pelo Ministério Público Federal.


http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1111561-r-1-8-milhao-doados-a-igreja.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:51 pm



Igreja contratou sobrinho de presidente
Firma de sonorização recebeu R$ 23,7 milhões em seis anos
09/02/2012 - 22h57 - Atualizado em 09/02/2012 - 22h57

A Gazeta
NotíciaEnviar por e-mail Vilmara Fernandes
vfernandes@redegazeta.com.br

Letícia Cardoso
lcardoso@redegazeta.com.br

Uma das empresas contratadas pela Igreja Cristã Maranata pertence ao sobrinho do presidente da instituição, Gedelti Gueiros. O dono da Work Sistemas e Equipamentos, responsável pela sonorização dos templos, é Hélvio Freitas Gueiros. Pelos serviços prestados nos últimos seis anos a microempresa recebeu R$ 23,7 milhões, o que dá uma média de quase R$ 4 milhões ao ano.

Por meio de nota, a Maranata informou que "Gedelti Gueiros não tem qualquer tipo de ingerência na gestão administrativa da instituição". A contratação de fornecedores para construção e aparelhamento da igreja, acrescenta a nota, segue o critério de cotação de preços.

Diversos fornecedores prestaram depoimento na investigação feita pela própria igreja. Nela, não há relatos dos proprietários da Work – Hélvio Gueiros e Sandra Pretti Gueiros.


foto: Gabriel Lordêllo

Foi a comissão responsável por essa investigação que apontou a existência de um esquema de corrupção na cúpula da igreja. Membros desviavam recursos provenientes do recolhimento do dízimo. Segundo a apuração interna, o esquema de fraudes contava com a participação do vice-presidente, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, e do contador Leonardo Meirelles de Alvarenga, ambos já afastados de suas funções administrativas e religiosas.
Estimativas iniciais apontam que o rombo pode chegar a R$ 21 milhões. A igreja já ingressou com uma ação na Justiça para solicitar a ressarcimento de R$ 2,1 milhões.

Documentos obtidos por A GAZETA mostram que, entre as empresas cujos proprietários foram ouvidos pela comissão que fez a investigação da igreja, todas têm faturamento bem inferior ao da Work Sistemas e Equipamentos. A maior delas recebeu no mesmo período – entre os anos de 2005 e 2011 – R$ 4 milhões.

Resposta

Os proprietários da Work Sistemas e Equipamentos, Sandra Pretti Gueiros e Hélvio Freitas Gueiros, não retornaram às ligações da reportagem. Sandra Gueiros chegou a atender ao telefone, mas, ao saber que se tratava de A GAZETA, pediu para que retornasse dez minutos após. A reportagem retornou, mas até o fechamento desta edição não conseguiu mais contato com ela.

foto: Divulgação

Gedelti Gueiros não foi depor ontem na polícia

"Ele está abalado", diz novo advogado

Um novo advogado assumiu ontem a defesa da Igreja Cristã Maranata. Homero Mafra – que ocupa a presidência da Ordem dos Advogados (OAB) no Estado – vai cuidar dos processos criminais da igreja.

O fato foi comunicado na manhã de ontem, no horário em que o presidente da igreja, Gedelti Gueiros, deveria prestar seu depoimento na Delegacia de Defraudações. Por telefone, Mafra comunicou ao delegado Gilson Gomes que Gedelti não poderia atender à intimação recebida na quarta-feira.

O argumento foi de que Mafra havia sido convidado a assumir o caso no dia anterior e não teve tempo de analisar todas as informações. "Por isso solicitei ao delegado um prazo maior", afirmou o advogado.

De acordo com Mafra, foi uma boa oportunidade para evitar que Gedelti tivesse que comparecer a mais de um depoimento.

"É um senhor de 80 anos e que está muito abalado com a situação", falou. O advogado adiantou também que uma das questões que precisarão ser analisadas diz respeito a um conflito de atribuições na investigação. "O trabalho está sendo feito pelo Ministério Público Estadual e pela polícia. É preciso se definir quem vai ficar com o caso", disse.

O delegado informou que se reúne hoje com Mafra e adiantou que espera que o presidente da Maranata compareça para depor. "Ele terá que ratificar o que estamos apurando."

Na avaliação dele, a igreja não deve ter motivos para manter em segredo dados relativos à apuração. "O grande pecado deles é tentar manter isso no âmbito interno. Já não é possível mais", destacou.

Ausência repercute na internet

O não comparecimento do presidente da Maranata, Gedelti Gueiros, à polícia repercutiu na internet e redes sociais. Os comentários mais frequentes foram nas comunidades virtuais que tratam dos desvios ocorridos na igreja. "Quem não deve não teme e não precisa criar estratégias", relatava um post do Orkut. "Contratou o melhor criminalista do Estado. A situação deve estar complicada", relata outro post no Orkut.


Igreja, fundação e acusados têm o mesmo advogado

A Igreja Cristã Maranata, a sua fundação – Manoel de Passos Barros –, o vice-presidente e o contador que ela afastou têm em comum o mesmo advogado. De acordo com o site do Tribunal de Justiça do Estado, José Luiz Oliveira de Abreu faz a defesa de Antonio Ângelo Pereira dos Santos, de Leonardo Meirelles de Alvarenga, além da igreja e da fundação, em alguns processos.

Antônio Ângelo e Leonardo são apontados pela igreja como os cabeças do esquema de corrupção que desviou recursos do dízimo doados por fiéis. Os dois são citados numa ação judicial movida pela Maranata e que tramita na 8ª Vara Cível de Vitória.

José Luiz também faz a defesa de Leonardo em uma outra ação que tramita na Serra e garante já ter atuado em favor de Antônio Ângelo em outros processos.

Nome

O nome de José Luiz aparece ainda como advogado da Maranata em processos que tramitam em Vitória e em Vila Velha. O nome dele também consta no processo da fundação pertencente à igreja que tramita na Serra.

José Luiz confirma que já advogou para igreja e para fundação, mas renunciou há quatro meses. O motivo foi a necessidade de fazer a defesa de seus dois clientes – Antônio Ângelo e Leonardo –, que foram acusados de desvio pela igreja.

Ele acrescenta que deixou de prestar serviços para a Maranata logo que as informações sobre a fraude dentro da instituição começaram a circular entre os membros. “Fica incompatível fazer os dois serviços”, disse ele, ao se referir à defesa da igreja e dos acusados.

José Luiz garante ainda que não advogou em muitos processos da Maranata. “Somente em alguns, repassados a mim por um outro advogado da igreja”, assinalou.

Já a Maranata, por meio de nota, afirma que José Luiz “foi contratado pela gestão anterior para tratar de questões pontuais”. A nota informa que novos profissionais já estão sendo designados para assumir os processos que estavam com José Luiz.




Os membros afastados

Antônio Ângelo Pereira dos Santos
- Vice-presidente e pastor afastado da Maranata
- Acusado de liderar o esquema de desvio de dízimo

Leonardo Meirelles de Alvarenga
- Diácono e contador da Maranata, também foi afastado das duas funções
- Possui duas empresas que também são alvo de ações da Maranata


“Fui humilhado e perseguido”
Paulo Macedo Fernandes, 48 anos
Empresário e ex-pastor da Maranata de Santo André, São Paulo

“Após 18 anos na Igreja Cristã Maranata, recebi a herança dos excluídos: fui humilhado, perseguido, desprezado e abandonado. Tudo aconteceu logo após a morte de minha esposa, vítima de um câncer que a fez sofrer durante dois anos. No desespero e solidão – uma vez que nenhum pastor, diácono ou mesmo fiel me visitou durante o período de luto –, acabei conhecendo uma pessoa na internet. Com essa mulher, que hoje é minha esposa, desabafei minhas dores. Colegas pastores tiveram acesso ao meu diálogo na internet, e, mesmo sendo viúvo, fui condenado. O sistema que eles adotam é tão perverso que até os seus amigos ficam constrangidos em manter a amizade. Da noite para o dia, perdi todas as minhas referências. Até mesmo quando sofri um acidente e fiquei meses na cadeira de rodas, fui menosprezado. Há um ano decidi abandonar a Maranata de Santo André, em São Paulo, e renasci. Hoje posso dizer que muitas pessoas continuam sendo enganadas e iludidas por essa igreja, como aconteceu comigo. Atualmente, sou pastor de um pequeno grupo e prego a liberdade religiosa, sem a
necessidade de templos. E sou feliz.”



http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1115768-igreja-contratou-sobrinho-de-presidente.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por EVANGELISTA/RJ/MSN em Seg 13 Fev 2012, 4:54 pm



Maranata pagou R$ 941 mil em materiais nunca entregues
Papelaria teria fornecido notas fiscais para justificar dinheiro desviado de instituição
10/02/2012 - 21h49 - Atualizado em 10/02/2012 - 21h49

A Gazeta
NotíciaEnviar por e-mail Letícia Cardoso
lcardoso@redegazeta.com.br

Vilmara Fernandes
vfernandes@redegazeta.com.br

Uma pequena papelaria localizada em São Torquato, Vila Velha, foi uma das empresas que forneceram notas frias para o desvio de recursos do dízimo doado por fiéis. O esquema foi montado na cúpula da Igreja Cristã Maranata com o envolvimento de pastores, fornecedores e diáconos. A JE Scabelo – cujo nome fantasia é Papelaria União – vendeu à igreja R$ 941 mil em materiais que nunca foram entregues.

A afirmação está no texto da ação movida pela Maranata, que corre em segredo de Justiça na 8ª Vara Cível de Vitória. "Nos exames que fizemos dos livros de entradas de 2009 e 2010, não se verifica a entrada dos produtos. Podemos concluir tratar-se de notas fiscais fraudulentas", diz um trecho da ação.

Pequena

O estabelecimento é descrito pela igreja como uma pequena papelaria. Ela está ainda na lista das empresas que teriam fornecido as notas fiscais frias que viabilizaram o desvio, fato apontado pela auditoria externa que apura o tamanho do rombo e também pela investigação que a própria Maranata realizou.

Uma das pessoas que prestaram depoimento na investigação da igreja foi Elionay Lopes Scabelo, filho do dono da papelaria, José Eloy Scabelo. Ele diz que as notas fiscais eram emitidas a pedido de Antônio Ângelo Pereira dos Santos, vice-presidente afastado da igreja. O argumento era de ajudar aos "irmãos" no exterior e custear viagens a outros países.

Elionay afirmou ainda que o valor das notas que foram emitidas era determinado pelo próprio Antônio Ângelo. E mais: era ao vice-presidente que o dinheiro era entregue, deduzido o valor referente aos impostos. "Garanto que isso ocorreu no máximo umas seis vezes", afirmou o filho.

Estimativas iniciais indicam que o rombo causado pelos desvios pode superar os R$ 21 milhões. A igreja já solicitou o ressarcimento de R$ 2,1 milhões. Além de Antônio Ângelo, também foi apontado como cabeça do esquema o contador e diácono Leonardo Meirelles de Alvarenga



Resposta

Procurado na tarde de ontem, o proprietário da papelaria, José Eloy, se irritou e disse que não falaria sobre o assunto.

Já a Maranata, por intermédio de sua assessoria, informou que os relatórios parciais da auditoria externa indicam que a Papelaria JE Scabelo – conhecida como Papelaria União – nunca forneceu material para a igreja.

Verba federal para fundação

Além de recursos públicos estaduais, a Maranata também recebeu verbas públicas federais. Juntas elas totalizam R$ 2,1 milhões. O deputado federal Carlos Manato (PDT), também utilizou a cota de emendas parlamentares, de 2008, para doar R$ 300 mil à Fundação Manoel dos Passos Barros, que pertence à Maranata. Ele é membro da igreja.

Na quinta-feira, A GAZETA informou que parlamentares estaduais haviam doado R$ 1,8 milhão à fundação, entre 2005 e 2011.

Manato afirma que o dinheiro serviu para atender a um programa de tratamento de câncer. Em 2006, o parlamentar chegou a indicar a destinação de
R$ 250 mil, que acabou não sendo autorizada pelo Ministério da Saúde porque a fundação não apresentou a documentação necessária.

Nesta semana, Manato utilizou a tribuna da Câmara dos Deputados para defender a igreja. "Não podemos nos deixar contaminar por três ou quatro pessoas que cometeram delitos. A igreja teve uma atitude exemplar e já tomou todas as providências", disse.

Igreja discorda de títulos de matérias publicadas na quinta e na sexta-feira

A Igreja Cristã Maranata enviou nota à redação de A GAZETA para manifestar sua discordância em relação às manchetes publicadas na quinta-feira ("Assembleia deu quase R$ 2 milhões à Maranata") e na sexta-feira ("Líder da Maranata contratou sobrinho por R$ 23 milhões").

Diz a igreja: "Os recursos oriundos de emendas de deputados estaduais foram destinados à Fundação Passos Barros e não à Igreja Cristã Maranata. Tal prática é legal e legítima e beneficia inúmeras instituições que realizam trabalhos sociais em todo o Espírito Santo".

A nota diz, ainda, que a atuação e constituição jurídica da Fundação, "apesar de ter sido criada dentro da igreja e receber recursos da mesma", é completamente independente, sendo obrigada a prestar contas, como todas as fundações, ao Ministério Público.

Quanto à manchete de sexta-feira, a igreja diz que o presidente da denominação não assina contratos com fornecedores e nunca determinou a contratação de qualquer tipo de serviço ou empresa.

"A contratação de serviços se dá através de pesquisa de mercado e tomada de preços, obedecendo o critério de menor custo/benefício", diz a nota.


http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1117080-maranata-pagou-r-941-mil-em-materiais-nunca-entregues.html
avatar
EVANGELISTA/RJ/MSN
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6133
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/04/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Seg 13 Fev 2012, 7:18 pm

Dinheiro e dízimo não rimam com Evangelho de Jesus. Uma congregação não pode funcionar como uma Empresa. O mal do Homem é querer misturar as coisas. Quando se estabelece hierarquias entre os homens dentro de uma instituição, aí começa a ganância pelo poder, pela influência e pelo dinheiro. Cada qual quer ter mais regalias que o outro.
Para começar, nunca poderia existir nem de longe a associação do dízimo do VT com o "dízimo maquinado" de hoje. Estava evidente que esses caras iriam dar o golpe! Esse esquema de dízimos é muito lucrativo! Vejam as outras instituições! É dinheiro vivo, sem despesas e sem gastos. Quando se gasta uma mixaria com um ou outro irmão necessitado, o alarde é descomunalmente maior do que representa a arrecadação geral.
Numa Empresa que arrecada muito mais do que gasta, a tesouraria desperta cobiça em quem a administra. Isso é quase normal para o ser humano comum sem ética.
Ao invés de destinar o dinheiro em obras de benefícios como fazia a Igreja primitiva, a instituição acaba perdendo para os espertalhões do poder interno. Olhem, isso não é um mal somente da Igreja Cristã Maranata não! Há corrupção em todas as instituições religiosas humanas.


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por I74M4R em Seg 13 Fev 2012, 7:51 pm

Templo é dinheiro....
Essa é a verdade....
Por isso que tanto se defente que precisamos de um templo pra adorar, cultuar, e principalmente ser fiel no DIZIMO...

avatar
I74M4R
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 432
Idade : 28
Localização : Vitoria-ES
flag : Brasil
Data de inscrição : 10/08/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por Rafael Mori Neiva em Ter 14 Fev 2012, 1:19 pm

Bom as pessoas dizimam e ofertam porque são abençoadas, tanto financeiramente, como espiritualmente.
Se não fossem pode ter certeza que não dariam os devidos tributos.

O que acho mais interessante é que o dizimo é proporcional ao salário da pessoa, porém uma pessoa acha perfeitamente normal pagar 1000 reais numa faculdade, e uma pessoa mais rica pagar a mesma quantidade pelo mesmo ensino.
O sistema de Deus é melhor sem dúvida e em si geraria menos miséria, se não tivessemos picaretas no nosso meio, mas ainda sim Deus abençoa da mesma forma os ofertantes, a obra de Deus continua avançando..
avatar
Rafael Mori Neiva
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 745
Idade : 31
flag : Brasil
Data de inscrição : 18/08/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por E.Ramos em Ter 14 Fev 2012, 1:54 pm

...tem uma parte que nunca ouvi sendo pregada no momento em que pedem contribuições:

Mateus 5:
23 "Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você,
24 deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.


Jesus ressalta que os relacionamentos são mais importantes que a oferta.
Entendendo que a palavra "irmão" seja de forma abrangente.

Se a pessoa dá uma oferta de amor esperando receber algo em troca, logo essa relação não é de amor, mas sim comercial.

Em tempo;dízimo já é outra história.
avatar
E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por Rafael Mori Neiva em Ter 14 Fev 2012, 1:58 pm

Verdade, e também não costumo ouvir de quem dar todas sua riquezas herdará 100 ou 10 vezes mais aqui na terra e nos céus a vida eterna.
Como pastor ja tem fama de picareta, imagina o caos que seria nas igrejas e no meio evangélico. Huahuhuahua.
Versiculo está incompleto, se quiserem arrumar fiquem a vontade.
avatar
Rafael Mori Neiva
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 745
Idade : 31
flag : Brasil
Data de inscrição : 18/08/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Qua 15 Fev 2012, 1:25 pm

Querem bagunçar a vida de uma congregação? Comece a dar dinheiro para ela.
Todos os males começarão a partir daí.
Invente dízimos, ofertas, carnês, campanhas, e tudo o mais para arrecadar mais ainda!
Essa é a receita do Diabo!


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por E.Ramos em Qua 15 Fev 2012, 1:39 pm

David de Oliveira escreveu:Querem bagunçar a vida de uma congregação? Comece a dar dinheiro para ela.
Todos os males começarão a partir daí.
Invente dízimos, ofertas, carnês, campanhas, e tudo o mais para arrecadar mais ainda!
Essa é a receita do Diabo!
Concordo com você.

Mas como poderia ser feito sem a circulação do sifrãozinho sifrãozinho sifrãozinho com relação às despesas?

Veja bem, é só uma opinião.
Eu mesmo, não sei responder.

Em tempo:Transparências nas contas?
avatar
E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Qua 15 Fev 2012, 4:48 pm

eramos escreveu:
David de Oliveira escreveu:Querem bagunçar a vida de uma congregação? Comece a dar dinheiro para ela.
Todos os males começarão a partir daí.
Invente dízimos, ofertas, carnês, campanhas, e tudo o mais para arrecadar mais ainda!
Essa é a receita do Diabo!
Concordo com você.

Mas como poderia ser feito sem a circulação do sifrãozinho sifrãozinho sifrãozinho com relação às despesas?

Veja bem, é só uma opinião.
Eu mesmo, não sei responder.

Em tempo:Transparências nas contas?

Eu tenho uma receita para acabar com as depesas. Acabando com as despesas, não se precisa mexer com dinheiro e ninguém precisará pagar nenhuma dívida para com Deus. Ninguém passará a sacolinha, ninguém cobrará dízimos e ofertas, ninguém terá de pagar carnês, e contribuições de nada!
Não se paga ninguém para nada! Ninguém receberá salários por qualquer serviços que se faça, envolvendo a congregação e assim os ensinos de Paulo serão seguidos.
Alguém vai lembrar que os programas de rádio e TV's "custam caro"; então quero informar que esses programas não serão "da congregação", mas estarão nas mãos de quem tem muito dinheiro e contribuirão para mantê-los.
A Igreja é a congregação e congregação é ajuntamento e reunião. Existe muitos crentes que têm muita vontade de contribuir financeiramente de alguma forma para a propagação do evangelho, então estes, devem formar uma associação mantenedora de programas.












Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por E.Ramos em Qua 15 Fev 2012, 5:05 pm

David de Oliveira escreveu:
eramos escreveu:
David de Oliveira escreveu:Querem bagunçar a vida de uma congregação? Comece a dar dinheiro para ela.
Todos os males começarão a partir daí.
Invente dízimos, ofertas, carnês, campanhas, e tudo o mais para arrecadar mais ainda!
Essa é a receita do Diabo!
Concordo com você.

Mas como poderia ser feito sem a circulação do sifrãozinho sifrãozinho sifrãozinho com relação às despesas?

Veja bem, é só uma opinião.
Eu mesmo, não sei responder.

Em tempo:Transparências nas contas?

Eu tenho uma receita para acabar com as depesas. Acabando com as despesas, não se precisa mexer com dinheiro e ninguém precisará pagar nenhuma dívida para com Deus. Ninguém passará a sacolinha, ninguém cobrará dízimos e ofertas, ninguém terá de pagar carnês, e contribuições de nada!
Não se paga ninguém para nada! Ninguém receberá salários por qualquer serviços que se faça, envolvendo a congregação e assim os ensinos de Paulo serão seguidos.
Estou com você em tudo isso.

Qual a receita para acabar com as despesas?

Não estou brincando.

Estou pretendendo iniciar um trabalho de evangelismo com um grupo de amigos, tenho minha renda através de meu trabalho, que não irei largar; não irei depender da obra, mas como seria?

...é uma opinião dentre tantas, não irei replicar...
avatar
E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Dom 19 Fev 2012, 11:19 am

Rafael Mori Neiva escreveu:Bom as pessoas dizimam e ofertam porque são abençoadas, tanto financeiramente, como espiritualmente.
Se não fossem pode ter certeza que não dariam os devidos tributos.

O que acho mais interessante é que o dizimo é proporcional ao salário da pessoa, porém uma pessoa acha perfeitamente normal pagar 1000 reais numa faculdade, e uma pessoa mais rica pagar a mesma quantidade pelo mesmo ensino.
O sistema de Deus é melhor sem dúvida e em si geraria menos miséria, se não tivessemos picaretas no nosso meio, mas ainda sim Deus abençoa da mesma forma os ofertantes, a obra de Deus continua avançando..


Esse é o mapa do tesouro dos espertalhões!
Despertar na consciência dos desavisados essa necessidade de “pagar à instituição religiosa, as bênçãos recebidas de Deus”.
Existe uma infinidade de “razões” para arrancar o dinheiro desses acéfalos e estes, por preguiça e negligência acham mais fácil confiar cegamente no charlatão. Pagou o charlatão, tá pago! ai, caramba!


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por Amigo em Seg 20 Fev 2012, 2:35 pm

Só acho que os números em real aqui expostos são números exorbitastes... Sendo assim, tenho minhas dúvidas em relação ao dinheiro desviado. Pode ter havido desvio de dinheiro, mas não foi essa soma toda não.

Esses desvios em "órgãos religiosos" são comuns, não devia pois são esses que deveriam ser sineta para nós. Que pena.

Mas por outro lado fico pensando , " se acontece essas coisas na igreja Maranata" por causa de uma visão deturpada (dando-lhe direitos divinos de cometer erros como esse) que é uma boa igreja doutrinária. Imaginem vocês o que não acontece nas igrejas que ensinam as pessoas a serem egocentricas e invejosas e sempre quererem mais? Afinal, somos filhos do Rei, dizem eles.


A paz

-------

http://gospelbrasil.topicboard.net/viewtopic.forum?t=6160

-------

http://gospelbrasil.topicboard.net/viewtopic.forum?t=6214


Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador do Céu e da terra.

Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu; está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.
avatar
Amigo
Safira
Safira

Número de Mensagens : 179
Idade : 47
Localização : Rio Claro-São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 06/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Os templos das igrejas estão cheios até ás portas!- parte II

Mensagem por David de Oliveira em Seg 20 Fev 2012, 2:50 pm

Amigo escreveu:Só acho que os números em real aqui expostos são números exorbitastes... Sendo assim, tenho minhas dúvidas em relação ao dinheiro desviado. Pode ter havido desvio de dinheiro, mas não foi essa soma toda não.

Esses desvios em "órgãos religiosos" são comuns, não devia pois são esses que deveriam ser sineta para nós. Que pena.

Mas por outro lado fico pensando , " se acontece essas coisas na igreja Maranata" por causa de uma visão deturpada (dando-lhe direitos divinos de cometer erros como esse) que é uma boa igreja doutrinária. Imaginem vocês o que não acontece nas igrejas que ensinam as pessoas a serem egocentricas e invejosas e sempre quererem mais? Afinal, somos filhos do Rei, dizem eles.


A paz


Por mais que pareça paradoxal, não estabeleça analogias entre instituições religiosas e ética comercial. É triste quando se chega à conclusão de que tudo é como um caminhão cheio de japoneses e o que difere é o grau de ousadias do arrancar dinheiro, mas esse erro independe da intensidade.


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por Cristina em Seg 20 Fev 2012, 6:06 pm

O dízimo e as ofertas servem para o sustento de pastores, manutenção da igreja e para o envio e sustento dos missionários para evangelizarem o mundo. Minha família sempre foi dizimista fiel e Deus nunca nos deixou faltar nada. Infelizmente alguns pastores ou irmãos diáconos mal intencionados desviam esse dinheiro para coisas que desagradam a Deus e darão conta a Ele do que estão fazendo.
avatar
Cristina
Quartzo
Quartzo

Número de Mensagens : 25
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por David de Oliveira em Seg 20 Fev 2012, 7:31 pm

Cristina escreveu:O dízimo e as ofertas servem para o sustento de pastores, manutenção da igreja e para o envio e sustento dos missionários para evangelizarem o mundo. Minha família sempre foi dizimista fiel e Deus nunca nos deixou faltar nada. Infelizmente alguns pastores ou irmãos diáconos mal intencionados desviam esse dinheiro para coisas que desagradam a Deus e darão conta a Ele do que estão fazendo.

Eu também por muito tempo pensava que era abençoado só porque perpetuava uma lei mosaica, a do dízimo, mas descobri que não podemos importar essa lei (e nem outra) do Velho Testamento para o Novo Testamento, nem tampouco copiar aquele dízimo de Abraão, cujos bens não eram dele e mesmo se fosse dele, (não era), não há nenhuma instrução de doações de dízimos antes da Lei de Moisés.
Igreja ou congregação não é Instituição, Empresa ou organização religiosa, mas reunião, ajuntamento de crentes cujo fim não pode passar disso e nem é necessário.
Que eu saiba só há notícias de arrecadações financeiras para ajudas dos irmãos necessitados na Igreja primitiva. Toda essa parafernália de dízimos, ofertas, carnês, cheques e outros meios para a máquina administrativa organizacional é invencionice e não tem base bíblica.
Para ser abençoado por Deus não há nenhuma condição ou obrigações financeiras de “devolução de dízimos” ou outro nome que queira dar, envolvendo dinheiro para a organização.
Não quero dizer que somos proibidos de ajudar o necessitado quando somos compelidos, mas sem os convencimentos de ninguém. Há tanta gente (irmãos de igreja mesmo), passando necessidade! A orientação é dar sem fazer alarde, ou seja, a mão esquerda não deve saber o que a direita faz. Alguém quer pagar ou devolver a bênção de Deus? Façam isso! Só tem um probleminha... Ninguém deve saber...


Lula tem 25%, Marina 15% e Aécio 11%, aponta pesquisa Datafolha ...

avatar
David de Oliveira
Arcturus
Arcturus

Número de Mensagens : 8465
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os templos das igrejas estão cheios até ás portas! - parte II

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 14 1, 2, 3 ... 7 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum