.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Palavras são palavras, nada mais do que palavras. Será?
Hoje à(s) 7:37 pm por Eterna

» Livre arbítrio, auto idolatria
Hoje à(s) 4:17 pm por Justo

» Noticiário Escatológico
Hoje à(s) 2:38 pm por Jarbas

» Mulher de piloto do voo da Chapecoense pede desculpas: "Ele não é bandido"
Hoje à(s) 2:08 pm por gusto

» Onde congregar?
Hoje à(s) 1:39 pm por gusto

» A religião e o ateísmo - tópico oficial
Hoje à(s) 12:50 pm por gusto

» Um conselho aos debatedores de internet
Hoje à(s) 10:23 am por gusto

» A Verdadeira Liberdade
Hoje à(s) 10:02 am por gusto

» Frases
Hoje à(s) 9:54 am por gusto

Quem está conectado
60 usuários online :: 2 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 58 Visitantes :: 2 Motores de busca

Eterna, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

As “Más Novas” da ICAR

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

As “Más Novas” da ICAR

Mensagem por Ed em Ter 16 Out 2012, 5:51 am


I – A ICAR USURPA A TRINDADE

O papa se apropria, indebitamente, do lugar e dos nomes que pertencem exclusivamente a Deus (Vaticano II, “Lumen Gentium”, Vol. III).
1. Deus Pai - O papa afirma ser o “Santo Padre”, título exclusivo de Deus Pai. Em João 17:11, lemos: “E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós”.
2. Deus Filho – O papa afirma ser o líder da Igreja, quando somente Jesus Cristo merece esse título. Em Colossenses 1:8, lemos:
“Ele (Jesus Cristo) é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência”.
Em Efésios 5:23, lemos: Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo”.
3. Deus Espírito Santo – O papa afirma ser o “Vigário de Cristo”, ofício exclusivo do Espírito Santo.
Em João 14:26, lemos: Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”.
O papa sempre tem usurpado os títulos divinos. O catecismo católico diz que o papa é “o árbitro do mundo, o supremo juiz no céu e na terra, julgando sobre todos e não sendo julgado por ninguém, sendo o próprio Deus na terra”.
Como vemos, a TRINDADE DIVINA tem sido usurpada pela ICAR e sua hierarquia.

II - A INTERMEDIAÇÃO DE CRISTO É USURPADA

A Bíblia declara, na 1 Timóteo 2:5-6: Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo”. Contudo, a ICAR afirma que
1. As missas que ela celebra podem repetir o sacrifício de Cristo na cruz e transformar o pão e o vinho no corpo, sangue, alma e divindade de Cristo. Ela diz que a Eucaristia perpetua o sacrifício na cruz (Eucharisticum Mysterium, Entro. C). Ela afirma ainda que no sacrifício da missa o Senhor Jesus Cristo é imolado. (Ibid, C). Vamos ver o que diz a Bíblia. Cristo gritou na cruz: “Está consumado” (João 19:30). Em Hebreus 9:25-26, lemos: Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio; de outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo”.
Em Hebreus 10:12, lemos: “Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus...”
2. A ICAR elevou Maria ao ofício de Mediadora, negando a 1 Timóteo 2:5, onde Paulo ensina: “Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus Homem”.
O papa JP2 declarou que “Em Maria efetua-se a reconciliação com Deus com a humanidade” (“On Reconciliation and Penante”, St. Paul Editos, p.139).
Nenhum cristão deve aceitar o “Culto à Bendita Virgem” (Vatican II, Lúmen Gentium, VIII, p. 66). Isso é idolatria e um insulto à Pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo.
Como vemos, a intermediação de Cristo é usurpada pela ICAR.

III – A AUTORIDADE DA BÍBLIA É USURPADA

1. A ICAR tem estabelecido as falsas reivindicações de que somente ela tem preservado a Palavra de Deus, sendo, portanto, a mantenedora da verdade bíblica. Entretanto, a sua rejeição à Bíblia, como exclusiva regra de fé e prática, tem sido confirmada através de muitas adições feitas às Sagradas Escrituras. ]Para não mencionarmos as perseguições que ela tem feito à Bíblia durante mais de 15 séculos]. O mandamento e admoestação de Deus é que nada seja acrescentado à Sua Palavra.
Vamos ler algumas passagens que dizem isso.
a) Deuteronômio 4:2: Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando.”
b) Deuteronômio 12:32: Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás”.
c) Provérbios 30:6: “Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso”.
Jeremias 23:28: O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? diz o SENHOR”.
d). Apocalipse 22:18: “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”.

2. A ICAR acrescentou à Bíblia os livros apócrifos. Esses livros jamais foram reconhecidos pelo Cânon dos Judeus (Romanos 3:2). Todos foram rejeitados pelos pais da igreja e, obviamente, não são inspirados. O autor do livro 2 Macabeus, no verso 15:3, até se desculpa das imperfeições do mesmo. Um deles até parece induzir ao suicídio. ]Imaginem o Espírito Santo, que é Deus, pedindo desculpas ao homem ou induzindo-o a cometer suicídio!] Esses livros não constam do Cânon das Sagradas Escrituras e, mesmo assim, foram acrescentados ao Cânon da ICAR, a fim de completar a sua bíblia fraudulenta.
3. A ICAR também acrescenta à Bíblia as tradições apostólicas e eclesiásticas. A tradição oral, transformada em centenas de livros de tradição escrita, não é confiável, conforme se pode ler em João 21:22-23: Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu. Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?”
4. A ICAR também ensina que a interpretação da Escritura Sagrada deve ter o “consenso unânime dos pais.” Contudo, os pais jamais foram unânimes na interpretação da mesma, contradizendo-se uns aos outros, jamais estando de acordo. De fato, por incrível que pareça, Gregório (o Grande), Bispo de Roma, declarou que o Bispo de Roma que afirmasse ser o bispo universal (papa) seria o precursor do Anticristo. (Registo Epist. 1-b.v.11.Ind. Is e os. 33 et Binet Domisitos).
Cristo nos admoestou a respeito da tradição, declarando em Mateus 15:3,6 e 9: “... Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? ... E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus... Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”.
A ICAR se apresenta, então, como uma confessa mentirosa, tornando-se, desse modo, alvo da condenação do Deus Todo Poderoso, por acrescentar, deliberadamente, tradições humanas às Sagradas Escrituras, que são a VERDADE (João 17:17).
No final do século 19, a ICAR ainda iria acrescentar à Escritura Sagrada a Infalibilidade Papal.
Tudo isso nos mostra que a autoridade da Bíblia tem sido usurpada pela ICAR.

IV. REMISSÃO DE PECADOS

O papa JP2 declarou: “Seria tolice e presunção... afirmar que se recebe o perdão fora do sacramento da penitência” (“On Reconciliation & Penance”, p. 15). Além, disso, ele insistiu em que a confissão auricular com o sacerdote católico ”se constitui na única maneira ordinária através da qual o fiel, consciente de grave pecado, pode se reconciliar com Deus”. (Ibid, mesma página).
Contudo, a Bíblia nos ensina que o único meio para a verdadeira remissão de pecados é totalmente diferente daquele indicado pelos papas e pelos padres, através de penitências e absolvições dadas pelos mesmos. Vamos ler Esdras 11:11: “Agora, pois, fazei confissão ao senhor Deus de vossos pais...” Em Mateus 11:28, Jesus fala: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”.
Como vemos, o Senhor Jesus Cristo jamais colocou qualquer padre ou papa entre Ele e o pecador.
Portanto, a remissão dos pecados é também usurpada pela ICAR.

V - GARANTIA DE SALVAÇÃO USURPADA

A ICAR amaldiçoou o meio de salvação ensinado na Bíblia, com esta doutrina: “Se qualquer pessoa disser que é pela justiça do próprio Cristo que ela é formalmente justificada, que seja anátema.” (Concílio de Trento, Secção 6, Cânon 10).
Os pecados devem ser expiados. Isso deve ser feito na terra, através de tristezas, sofrimentos e provações nesta vida e, acima de tudo, através da morte. De outro modo, a expiação deve ser feita na outra vida, através do fogo e dos sofrimentos nos castigos purgatórios”. (Indulgentium Doctrina, I).
Desse modo, a ICAR remove toda a segurança que um pecador possa ter em matéria de salvação eterna. Contudo, a Bíblia nos mostra um quadro bem diferente, no qual “o mais vil pecador//, que verdadeiramente crê//, recebe imediatamente// o perdão de JC”.
Na 1 Coríntios 1:30, lemos: “Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.
Em Romanos 5:18, lemos: “Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida”.
Podemos ser salvos, aqui e agora, recebendo total garantia de fé na certeza da vida eterna. Não precisamos de sacerdote algum – a não ser Cristo, (Hebreus 4:15). Nem de sacrifício algum - a não ser o de Cristo (1 João 1:7). E muito menos de mediador algum - a não ser Cristo (1 Timóteo 2:5).
As “más novas” da ICAR nos garantem o purgatório - um lugar fictício. As “boas novas” de Cristo nos garantem o paraíso, através da simples fé em Seu sacrifício vicário na cruz. Estas são, de fato, BOAS NOVAS. Lembremo-nos do que Pedro (que segundo invenção da ICAR foi o seu “Primeiro Papa”) falou em Atos 4:12: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”.
Atenção, portanto: A ICAR não é uma igreja cristã e a garantia da salvação é mais uma verdade por ela usurpada.

Mary Schultze, 28/12/02/Outubro 2012
Informações colhidas no site EIPS.


Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3156 dias de existência com 228813 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11000
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As “Más Novas” da ICAR

Mensagem por Ed em Ter 16 Out 2012, 5:52 am

I – A ICAR USURPA A TRINDADE

O papa se apropria, indebitamente, do lugar e dos nomes que pertencem exclusivamente a Deus (Vaticano II, “Lumen Gentium”, Vol. III).
1. Deus Pai - O papa afirma ser o “Santo Padre”, título exclusivo de Deus Pai. Em João 17:11, lemos: “E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós”.
2. Deus Filho – O papa afirma ser o líder da Igreja, quando somente Jesus Cristo merece esse título. Em Colossenses 1:8, lemos:
“Ele (Jesus Cristo) é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência”.
Em Efésios 5:23, lemos: “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo”.
3. Deus Espírito Santo – O papa afirma ser o “Vigário de Cristo”, ofício exclusivo do Espírito Santo.
Em João 14:26, lemos: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”.
O papa sempre tem usurpado os títulos divinos. O catecismo católico diz que o papa é “o árbitro do mundo, o supremo juiz no céu e na terra, julgando sobre todos e não sendo julgado por ninguém, sendo o próprio Deus na terra”.
Como vemos, a TRINDADE DIVINA tem sido usurpada pela ICAR e sua hierarquia.

II - A INTERMEDIAÇÃO DE CRISTO É USURPADA

A Bíblia declara, na 1 Timóteo 2:5-6: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo”. Contudo, a ICAR afirma que
1. As missas que ela celebra podem repetir o sacrifício de Cristo na cruz e transformar o pão e o vinho no corpo, sangue, alma e divindade de Cristo. Ela diz que a Eucaristia perpetua o sacrifício na cruz (Eucharisticum Mysterium, Entro. C). Ela afirma ainda que no sacrifício da missa o Senhor Jesus Cristo é imolado. (Ibid, C). Vamos ver o que diz a Bíblia. Cristo gritou na cruz: “Está consumado” (João 19:30). Em Hebreus 9:25-26, lemos: “Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio; de outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo”.
Em Hebreus 10:12, lemos: “Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus...”
2. A ICAR elevou Maria ao ofício de Mediadora, negando a 1 Timóteo 2:5, onde Paulo ensina: “Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus Homem”.
O papa JP2 declarou que “Em Maria efetua-se a reconciliação com Deus com a humanidade” (“On Reconciliation and Penante”, St. Paul Editos, p.139).
Nenhum cristão deve aceitar o “Culto à Bendita Virgem” (Vatican II, Lúmen Gentium, VIII, p. 66). Isso é idolatria e um insulto à Pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo.
Como vemos, a intermediação de Cristo é usurpada pela ICAR.

III – A AUTORIDADE DA BÍBLIA É USURPADA

1. A ICAR tem estabelecido as falsas reivindicações de que somente ela tem preservado a Palavra de Deus, sendo, portanto, a mantenedora da verdade bíblica. Entretanto, a sua rejeição à Bíblia, como exclusiva regra de fé e prática, tem sido confirmada através de muitas adições feitas às Sagradas Escrituras. [Para não mencionarmos as perseguições que ela tem feito à Bíblia durante mais de 15 séculos]. O mandamento e admoestação de Deus é que nada seja acrescentado à Sua Palavra.
Vamos ler algumas passagens que dizem isso.
a) Deuteronômio 4:2: “Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando.”
b) Deuteronômio 12:32: “Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás”.
c) Provérbios 30:6: “Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso”.
Jeremias 23:28: “O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? diz o SENHOR”.
d). Apocalipse 22:18: “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”.

2. A ICAR acrescentou à Bíblia os livros apócrifos. Esses livros jamais foram reconhecidos pelo Cânon dos Judeus (Romanos 3:2). Todos foram rejeitados pelos pais da igreja e, obviamente, não são inspirados. O autor do livro 2 Macabeus, no verso 15:3, até se desculpa das imperfeições do mesmo. Um deles até parece induzir ao suicídio. [Imaginem o Espírito Santo, que é Deus, pedindo desculpas ao homem ou induzindo-o a cometer suicídio!] Esses livros não constam do Cânon das Sagradas Escrituras e, mesmo assim, foram acrescentados ao Cânon da ICAR, a fim de completar a sua bíblia fraudulenta.
3. A ICAR também acrescenta à Bíblia as tradições apostólicas e eclesiásticas. A tradição oral, transformada em centenas de livros de tradição escrita, não é confiável, conforme se pode ler em João 21:22-23: ”Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu. Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?”
4. A ICAR também ensina que a interpretação da Escritura Sagrada deve ter o “consenso unânime dos pais.” Contudo, os pais jamais foram unânimes na interpretação da mesma, contradizendo-se uns aos outros, jamais estando de acordo. De fato, por incrível que pareça, Gregório (o Grande), Bispo de Roma, declarou que o Bispo de Roma que afirmasse ser o bispo universal (papa) seria o precursor do Anticristo. (Registo Epist. 1-b.v.11.Ind. Is e os. 33 et Binet Domisitos).
Cristo nos admoestou a respeito da tradição, declarando em Mateus 15:3,6 e 9: “... Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? ... E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus... Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”.
A ICAR se apresenta, então, como uma confessa mentirosa, tornando-se, desse modo, alvo da condenação do Deus Todo Poderoso, por acrescentar, deliberadamente, tradições humanas às Sagradas Escrituras, que são a VERDADE (João 17:17).
No final do século 19, a ICAR ainda iria acrescentar à Escritura Sagrada a Infalibilidade Papal.
Tudo isso nos mostra que a autoridade da Bíblia tem sido usurpada pela ICAR.

IV. REMISSÃO DE PECADOS

O papa JP2 declarou: “Seria tolice e presunção... afirmar que se recebe o perdão fora do sacramento da penitência” (“On Reconciliation & Penance”, p. 15). Além, disso, ele insistiu em que a confissão auricular com o sacerdote católico ”se constitui na única maneira ordinária através da qual o fiel, consciente de grave pecado, pode se reconciliar com Deus”. (Ibid, mesma página).
Contudo, a Bíblia nos ensina que o único meio para a verdadeira remissão de pecados é totalmente diferente daquele indicado pelos papas e pelos padres, através de penitências e absolvições dadas pelos mesmos. Vamos ler Esdras 11:11: “Agora, pois, fazei confissão ao senhor Deus de vossos pais...” Em Mateus 11:28, Jesus fala: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”.
Como vemos, o Senhor Jesus Cristo jamais colocou qualquer padre ou papa entre Ele e o pecador.
Portanto, a remissão dos pecados é também usurpada pela ICAR.

V - GARANTIA DE SALVAÇÃO USURPADA

A ICAR amaldiçoou o meio de salvação ensinado na Bíblia, com esta doutrina: “Se qualquer pessoa disser que é pela justiça do próprio Cristo que ela é formalmente justificada, que seja anátema.” (Concílio de Trento, Secção 6, Cânon 10).
“Os pecados devem ser expiados. Isso deve ser feito na terra, através de tristezas, sofrimentos e provações nesta vida e, acima de tudo, através da morte. De outro modo, a expiação deve ser feita na outra vida, através do fogo e dos sofrimentos nos castigos purgatórios”. (Indulgentium Doctrina, I).
Desse modo, a ICAR remove toda a segurança que um pecador possa ter em matéria de salvação eterna. Contudo, a Bíblia nos mostra um quadro bem diferente, no qual “o mais vil pecador//, que verdadeiramente crê//, recebe imediatamente// o perdão de JC”.
Na 1 Coríntios 1:30, lemos: “Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.
Em Romanos 5:18, lemos: “Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida”.
Podemos ser salvos, aqui e agora, recebendo total garantia de fé na certeza da vida eterna. Não precisamos de sacerdote algum – a não ser Cristo, (Hebreus 4:15). Nem de sacrifício algum - a não ser o de Cristo (1 João 1:7). E muito menos de mediador algum - a não ser Cristo (1 Timóteo 2:5).
As “más novas” da ICAR nos garantem o purgatório - um lugar fictício. As “boas novas” de Cristo nos garantem o paraíso, através da simples fé em Seu sacrifício vicário na cruz. Estas são, de fato, BOAS NOVAS. Lembremo-nos do que Pedro (que segundo invenção da ICAR foi o seu “Primeiro Papa”) falou em Atos 4:12: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”.
Atenção, portanto: A ICAR não é uma igreja cristã e a garantia da salvação é mais uma verdade por ela usurpada.

Mary Schultze, 28/12/02/Outubro 2012
Informações colhidas no site EIPS.


Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3156 dias de existência com 228813 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11000
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As “Más Novas” da ICAR

Mensagem por FernandesCatholic em Dom 17 Nov 2013, 4:59 pm

Nem Lutero pensava deste jeito.Isso que eu chamo de ódio religioso disfarçado de moralidade cristã.

FernandesCatholic
Barro
Barro

Número de Mensagens : 5
flag : Brasil
Data de inscrição : 11/11/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As “Más Novas” da ICAR

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 7:50 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum