.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» O Jesus diferente do Espiritismo
Ontem à(s) 7:39 pm por David de Oliveira

» Renan é afastado da presidência do Senado após tornar-se réu por peculato
Ontem à(s) 6:53 pm por David de Oliveira

» Oportunidades de emprego
Ontem à(s) 3:55 pm por Christiano

» Noticiário Escatológico
Ontem à(s) 3:33 pm por Jarbas

» Absurdário Escatológico
Ontem à(s) 9:56 am por Ed

» Olá...
Sex 09 Dez 2016, 10:25 pm por Ed

» Qual a verdadeira intenção dos organizadores das manifestações?
Sex 09 Dez 2016, 7:40 pm por Lit San Ares

» Meditações da Bíblia
Sex 09 Dez 2016, 4:59 pm por Discipulah

» Só há um jeito do Lula perder a próxima eleição!
Sex 09 Dez 2016, 7:36 am por gusto

Quem está conectado
31 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 31 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Página 3 de 14 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 8 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Sex 21 Set 2012, 9:01 pm

Helo, rbarros,

Só para constar: os gregos não enterravam os seus mortos, Sarah.
Querido... eu não disse que enterravam, mas perguntei da ossada. É diferente. Até porque, Nabucodonosor não era grego. Marciao tb não. xauzinho

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Sex 21 Set 2012, 9:40 pm

Assim eu identifico na Sarah, os momentos de provocação (sem maldade) de ironia (achando-se melhor competitivamente) de deboche (desfazendo de mim, sem atingir a amizade) e também que está rindo por trás das palavras, (segura de si), e até quando está rindo, mas insegura do seu riso.
É... Alfredo é Alfredo! Não é à toa que vc disse ser o "revelador". rsrsrs]

Olha, querido, se vc for em um centro espírita... vão falar que vc tem o "dom" de ver bem além... vão dizer que vc é um médium!

:olh:

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Sex 21 Set 2012, 9:41 pm

Por exemplo: A sua frase anterior "Aonde você viu ela sorrindo? no avatar?" tem aí uma conotação de quem está desfazendo do que eu escrevi e até mesmo de mim. Um tanto debochado, um tantinho agressivo, como quem diz: deixa de ser metido a adivinho!... Nunca de uma pessoa curiosa, para saber realmente se eu vi ela sorrindo, ou querendo contestar: Como é que você sabe disso? Entendeu? Tudo isso sem arranhar a nossa amizade.
Ah, Alfredo, na boa... vc tá viajando.... eu ein!

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Sex 21 Set 2012, 9:48 pm

Mas vamos nos concentrar na minha réplica a ti.

hasta la vista!

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Dom 23 Set 2012, 3:36 pm

Olá Sarah. Que bom que você voltou por aqui. Querida, eu vou lá pro IRRELIGIOSOS responder isso com calma depois colo aqui.
Acontece que me atolei de coisas por fazer, inclusive um novo livro:
"Alfredo Bernacchi X os moleques do Yahoo Respostas" onde eu vou expor todos os podres daquele programa, tudo documentado. Ontem tirei 380 fotografias e estou editando álbuns, editando fotos e arquivando e publicando por aí. Também fiz muitas horas de vídeo na casa da minha irmã, pelo retorno da minha sobrinha do Canadá. precisa editar e separar fotos. nem peguei ainda...
então vamos fazer o nosso debate devagar. Mas Sarah! Se você ficar fazendo tréplica das postagens e eu quádripla, nunca terminaremos esse debate. Você está chegando aos mínimos detalhes de um fato de pouca importância. Fiz apenas uma pequena citação a respeito!... Então eu vou pra lá. Um beijão.

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Dom 23 Set 2012, 5:28 pm

Sarah - Já me perdi. Não si onde você postou a continuação desse debate. Acho que você errou o caminho. E eu mesmo já respondi fora do ligar. Mas aqui vai a minha resposta:
................................................


Permalink Responder até Lendárya ontem
"R – Você está fazendo deboche, fingindo-se de desentendida e ironizando a questão. Esse é o seu jogo? Muito chato isso...
Os ossos seriam mais uma evidência da sua existência. Faríamos um DNA dele outro da sua mãe, outro do Espírito Santo e poderíamos chegar á conclusão da sua existência.
Eu não disse em momento algum que ossos são as únicas fontes comprobatórias da existência de alguém, apesar de que muitas pessoas foram identificadas pela sua ossada, hoje."

R: Alfredo se vc continuar com sentimentalismo vai ser ruim para vc. Ao falar que “poderia fazer um DNA da mãe de Jesus e outro do Espirito Santo” vc não acha que isso é debochar da fé cristã, não? Onde vc encontraria os restos mortais de Maria para fazer um DNA? Onde vc encontraria o Espírito Santo para fazer DNA? Isso não é debochar? Menos, Alfredo, menos...

R -Concordo, mas é a mesma coisa que você está fazendo, ao me pedir para dizer aonde estão os ossos de um monte de gente aí, reparou? Vamos ser mais objetivos e menos irônicos para podermos fazer um debate produtivo. Ok?

Ainda estamos na parte 1... vamos falar especificamente sobre outros assuntos. Se continuar achando que tudo que falo é deboche vc vai ficar chateado à toa, pois muita água vai passar debaixo dessa ponte, querido.

R – E se você ficar fazendo tréplica, nunca vamos acabar isso.
1– você expõe o seu questionamento.
2 – eu explico ou justifico.
3 – se eu não te tiver nenhuma pergunta sobre isso, acabou! Fim de papo!

Daí pra frente vai ser perder tempo, porque eu não vou mudar a minha opinião, nem, você a sua.



E eu não estou dizendo que vc disse que os ossos são as únicas fontes comprobatórias. É vc que está dizendo isso.
O que eu disse é que vc fala isso como um de seus argumentos para negar a existência de Cristo. Sendo assim, a pergunta continua!

▶ Responder – É um subargumento. Um das centenas. Isso aí é sem importância. Há coisas mais contundentes. Muitas mais!...

Permalink Responder até Lendárya ontem
"R – Sei aonde estão os ossos dos meus familiares. Você está perdendo tempo com ironias, mas te aviso. Isso não vai te levar a nada. Os fatos é que fazem o peso da sua contestação e até agora eu não vi nada..."
R: Então vc não acredita que tais pessoas não existiram por não ter a ossada delas?
Pelo menos Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope vc pode falar, afinal vc os cita em seu livro.
Será que os corpos de Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope se estratificaram?

▶ Responder – Eu vivo de informações, porque estou em 2012. E quando analisamos informações para saber sua credibilidade, elas devem conter elementos históricos, fatos comprováveis ou depoimentos de historiadores sérios. Nenhum historiador se interessou pelos ossos de Marcion, nem Apolônio porque eles não disseram que ressuscitaram. A Partir do momento que a Bíblia refere-se a uma aberração dessas como tendo sido verdade, cabe imediatamente pedir provas do absurdo. Aonde estão as provas? Não tem? Então, sugerimos apresentar os ossos. Não tem... Se tivesse, seria uma prova a favor. Se não tem é mais uma evidência contra, pela falta de evidência. Os ossos de Marcion estão por aí e ninguém se interessa, porque ele era um cidadão normal e não disse que ressuscitou. A veracidade da vida de Marciom e Apolônio estão nos próprios sites dos cristãos... Será que não serve como prova? Ou eu preciso procurar os ossos do cara?
Desse jeito, nunca mais sairemos dos ossos!... Sou um cara ocupado. Se tiver que levar 6 meses discutindo sobre os ossos desses cidadãos, eu vou desistir!... Já te disse. Precisamos de mais objetividade.


Permalink Responder até Lendárya ontem
"Wikipédia
Muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta, como era exigido pelas escrituras: "[E levaram Jesus] ao topo do monte no qual a cidade fôra construída, para que o pudessem arremessar para baixo" (Lucas 4:29)"

R:Interessante, Alfredo. Essa mesma fonte citada por vc é a fonte que também afirma que havia gente habitando em Nazaré em 63 aC.
as nessa parte diz claramente: “muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta”.
Supor não é certeza. Eles não afirmam isso como se fosse fato.
Além do mais, a sua própria citação da Wikipédia está incompleta, pois o trecho todo esclarece:
“Muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta, como era exigido pelas escrituras: "[E levaram Jesus] ao topo do monte no qual a cidade fôra construída, para que o pudessem arremessar para baixo" (Lucas 4:29). O monte em questão, no entanto, o Nebi Sa'in, é muito íngreme para as antigas moradias.[19] Bagatti mostrou, no entanto, que esta área foi claramente usada para tumbas e trabalhos de agricultura nas Idades do Bronze e do Ferro,assim como na segunda metade da ocupação romana.”http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazar%C3%A9

R - Existir um cemitério de Nazaré, não obriga a ter uma cidade de Nazaré ao lado. Não conheço os métodos antigos nem a distância com que enterravam seus mortos. Se você se basear pelas pirâmides, garanto que era bem longe!...

É Alfredo...citar coisas pela metada dá nisso.

R- Citei nada pela metade. Você é que só entendeu a metade que te agradou.

Nessa mesma passagem diz que:
Havia sim, um monte em Nazaré, o Nebi Sa’in.
Apesar dele ser íngreme para as antigas moradias era usada para tumbas e trabalhos de agricultura.
Ou seja, pessoas circulavam ali. Tinha acesso a esse lugar.

R - "Viver por aí e ter acesso ao lugar", faz desse lugar uma cidade? Já virou uma cidade?

Outro ponto. O texto de Lucas diz claramente que levaram Jesus para o cume do monte... monte esse, Alfredo que era usado para tumbas e trabalhos de agricultura.

Porque vc “se esqueceu” desse “pequeno grande detalhe” e deixou de fora essas informações?

****************************************************************************************
"Parece que eu conheço a Bíblia melhor do que você... curioso isso... Vamos ver agora como é que fica a sua ironia... Já começou perdendo..."

R: Que bom que vc conhece Alfredo... só se “esqueceu” de citar a Wikipedia direitinho, omitiu o restante da informação. E pior, ao mesmo tempo que diz que a Bíblia não serve como fonte histórica, usa-a nesse momento como "fonte histórica" para afirmar que Nazaré não existiu.

▶ Responder: Está bem, Lendárya. Não consegui provar que Nazaré não existiu. Então Nazaré existiu. Jesus nasceu lá. Agora quero as suas provas disso. EU QUERO PROVAS. Primeiro, que Nazaré existiu. Vamos lá. Eu vou analisar as suas provas até debaixo da cama. Vamos empacar nisso aí, mesmo que leve um ano para chegarmos a uma conclusão. Estou aguardando. Suspenda todo o resto e vamos decidir isso primeiro. NAZARÉ EXISTIU OU NÃO EXISTIU? Eu vou examinar mil documentos escrever três livros sobre o assunto, mas só vamos em frente, após um dos dois dizer: Fulano, você tem razão.
Está fechado.
E depois vamos voltar aos ossos. Mais um ano até chegarmos à conclusão.
Nem um passo mais, antes de resolver esses micro detalhes.


Permalink Responder até Lendárya ontem
Essas perguntas que te fiz precisam ser respondidas criteriosamente para irmos para parte 2.
Bjs, querido
; )

E já respondi mas você quer mais detalhes. Então vamos lá.
Comece você com as provas de que Nazaré existiu. Eu quero PROVAS! Não argumentos pífios de pessoas suspeitas.


Permalink Responder até Lendárya ontem
Eu queria corrigir algumas postagens... mas o sistema não aceita!

R – Me mande uma mensagem corrigindo o trecho que eu valido. Bjs

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Dom 23 Set 2012, 5:40 pm

oliveira leite escreveu:No caso aqui Ademar
Alfredo não aceita a Biblia, nem como livro histórico
a conversa tem que ser pela natureza mesmo :chapeu:

Oliveira, meu amigo... Não sou somente eu quem não aceita a Bíblia como livro histórico!... O País inteiro não aceita! O mundo inteiro não aceita! O maior país cristão do mundo, o Brasil, não ensina a Bíblia nas escolas do governo. Não ensina criacionismo, nem as parafernálias existentes no Gênesis. E agora? Como é que fica? Vai me responder isso ou não?

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

A PARTIR DE AGORA, EU SÓ VOU RESPONDER OS SEUS QUESTIONAMENTOS NESSE TÓPICO

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Dom 23 Set 2012, 6:02 pm

Oi Sarah. O negócio é o seguinte: Você entrou no debate de uma forma desagradável. Já expliquei: Ironizando e debochando ou algo parecido. Se começarmos a trocar farpas, não vamos conseguir falar do mais importante.

Acho que isso já passou.

Agora falta resolver o detalhamento que você propõe. Se você quer contestar o livro, tudo bem, mas se você quer contestar (LONGAMENTE) cada frase do livro é outra coisa.
Então vamos ver... Por que estava pensando uma coisa e está saindo outra.
Você se pegou em minúsculos detalhes, como o caso de Nazaré, quando tem tantas coisas mais importantes para serem discutidas. Eu não tenho essa disponibilidade toda, mas jamais corri de um debate. Só que uma coisa é passar por auto os detalhes menos importantes priorizando os mais importantes. Outra coisa é parar naquele detalhe pouco importante e levar seis meses para se chegar a uma conclusão. Apesar de eu não ter tempo, vou deixar ao seu critério. Dedico a você os meus próximos seis anos. Pode usá-lo como achar melhor.
Se quiser voltamos ao início, mas uma coisa precisamos combinar. Assunto encerrado, não se discute mais, certo?

Assim, vamos voltar a Nazaré, se você quiser e começar “do começo”. E debater isso até a exaustão, até se chegar a conclusão de que Nazaré existiu ou não. E considerando que não existe ainda uma definição científica quanto a disso, poderemos morrer tentando.

Outra coisa: A PARTIR DE AGORA, EU SÓ VOU RESPONDER OS SEUS QUESTIONAMENTOS NESSE TÓPICO. Outros colegas ficarão para os demais tópicos existentes. É pra evitar desgaste e confusão de mensagens.

bjs.


Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:00 pm

Olá Alfredo, entendo a correria. Já postei lá no Irreligiosos o que coloquei aqui. Como eu disse no começo desse tópico aqui no Fórum Gospel Brasil, aqui é para o pessoal ter uma noção do que estou contestando. É só a nível de informação mesmo. Como lá no outro espaço temos a restrição, obviamente, é mais fácil ficar eu e vc conversando.

Mas Sarah! Se você ficar fazendo tréplica das postagens e eu quádripla, nunca terminaremos esse debate. Você está chegando aos mínimos detalhes de um fato de pouca importância. Fiz apenas uma pequena citação a respeito!... Então eu vou pra lá. Um beijão.
Fato de pouca importância?! Não Alfredo. A menos que vc julgue as declarações do seu livro sem importância...

Vc sabe muito bem onde estou chegando! Vc é um cara esperto. E não tente desviar o assunto que isso não vai funcionar não!

É vc que diz que Jesus não existiu e usa alguns argumentos bem curiosos... portanto, eles não vão passar batido não.

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:03 pm

Concordo, mas é a mesma coisa que você está fazendo, ao me pedir para dizer aonde estão os ossos de um monte de gente aí, reparou? Vamos ser mais objetivos e menos irônicos para podermos fazer um debate produtivo. Ok?
Opa... vc afirma que Jesus não existiu e um de seus argumentos é: “nem ossada dele tem, será que seu corpo se estratificou?”

Portanto, te devolvi a pergunta e citei algumas pessoas. Como não existe ossada delas, vc está numa “saia justa”. E vc entendeu muito bem onde cheguei.

Agora, Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope vc os cita em seu livro...

Se não existe a “ossada de Jesus” e “ por isso ele não existiu”, pelo mesmo argumento Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope não existiram, pois ninguém sabe onde está a ossada deles!

Isso é uma questão de lógica. Só que esse seu argumento se volta contra vc, pois vc não pode provar que Apolonio de Tiana e Marcião de Sinope existiram baseados em ossadas!

R – E se você ficar fazendo tréplica, nunca vamos acabar isso.
1– você expõe o seu questionamento.
2 – eu explico ou justifico.
3 – se eu não te tiver nenhuma pergunta sobre isso, acabou! Fim de papo!
Daí pra frente vai ser perder tempo, porque eu não vou mudar a minha opinião, nem, você a sua.
Claro que vou fazer tréplica sim! Esse não é um assunto qualquer. Só que... não vai passar batido não, Alfredo. Se vc acha que a existência de Nazaré e os detalhes sobre ela não são importantes, que vc não a citasse em seu livro. Repito, vc sabe muito bem onde cheguei.


Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:05 pm

Responder – É um subargumento. Um das centenas. Isso aí é sem importância. Há coisas mais contundentes. Muitas mais!...
Isso tem importância sim! Ou Jesus não existiu e um punhado de gente tambem não existiu, pois afinal de contas não existem a ossada delas, ou Jesus existiu e essas pessoas também. Inclusive, Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope!

Pra quem sabe ler um pingo é letra e não adianta vc tentar minimizar o assunto dizendo que não tem importância, pois isso não vai funcionar.

Agora, há coisas mais contundentes? Sim, concordo contigo... Haverá uma parte onde falarei especificamente sobre deuses salvadores, outra obre Apolônio de Tiana, outra sobre Chrestus, outra sobre Marcião de Sinope (umas das mais controversas, por sinal!).

Responder – Eu vivo de informações, porque estou em 2012. E quando analisamos informações para saber sua credibilidade, elas devem conter elementos históricos, fatos comprováveis ou depoimentos de historiadores sérios. Nenhum historiador se interessou pelos ossos de Marcion, nem Apolônio porque eles não disseram que ressuscitaram.
Primeiro, o que está em pauta não é a ressurreição de Cristo, mas sim a existência dele.

Segundo, a História reclama a ausência dos ossos de Jesus para falar que ele nunca existiu?

Terceiro, se Jesus não existiu por não ter ossada dele, pelo mesmo argumento Apolônio de Tiana e Marcião de Sinope não existiram.

Quarto, quanto a Apolônio, Filostrato não fez um relato sobre suas obras extraordinárias? Pois então... vc não diz que ele é mais histórico que Jesus? Onde está a ossada de Apolônio? Eis o ponto controverso, Alfredo...

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:07 pm

A Partir do momento que a Bíblia refere-se a uma aberração dessas como tendo sido verdade, cabe imediatamente pedir provas do absurdo. Aonde estão as provas? Não tem? Então, sugerimos apresentar os ossos. Não tem... Se tivesse, seria uma prova a favor. Se não tem é mais uma evidência contra, pela falta de evidência. Os ossos de Marcion estão por aí e ninguém se interessa, porque ele era um cidadão normal e não disse que ressuscitou.
Novamente, o que está em pauta é a existência dele e não a ressurreição. Vai ficar desviando o assunto?

Seu livro: “No entanto, a Bíblia está repleta de detalhes e até dos diálogos de Jesus com o povo e autoridades romanas, com todas as palavras ditas e as respostas dadas a ele. Como conseguiram isso, só por mágica mesmo, ou invenção. Morreu e o corpo sumiu. Estratificou-se. Por isso, nem ossos tem. Excelente desculpa para dar sumiço em quem não existiu.”(pag 3), grifo nosso

Agora se vc está tentando desviar o cerne da questão apontando para a questão da ressurreição, isso não vai dar certo, pois estou sendo bem específica e te peço, querido, para também se ater ao cerne da questão!

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:09 pm

A veracidade da vida de Marciom e Apolônio estão nos próprios sites dos cristãos... Será que não serve como prova? Ou eu preciso procurar os ossos do cara?
Contraditórias essas suas palavras Alfredo, nos mesmos sites cristãos que falam de Marciao e Apolônio também falam de Jesus Cristo!

Então vc acredita que Marcião e Apolônio existiram porque os sites cristão falam sobre eles?

Porém, quando os mesmos sites falam de Jesus, o que dizem não servem como prova?

Vc se baseia em sites cristãos para “provar” que Apolônio e Marcião existiram, mas desconsidera as mesmas fontes quando falam de Jesus! Nome para isso? Contradição, tendenciosidade.

Desse jeito, nunca mais sairemos dos ossos!... Sou um cara ocupado. Se tiver que levar 6 meses discutindo sobre os ossos desses cidadãos, eu vou desistir!... Já te disse. Precisamos de mais objetividade.
Essa sua estimativa está muito longa. Não precisaremos de tanto tempo assim. rsrs sei não...

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:12 pm

R - Existir um cemitério de Nazaré, não obriga a ter uma cidade de Nazaré ao lado. Não conheço os métodos antigos nem a distância com que enterravam seus mortos. Se você se basear pelas pirâmides, garanto que era bem longe!...
Alfredo... não estamos falando de pirâmides do Egito... eu fiz uma observação importante: vc deixou de citar a informação por completo, pegou apenas a parte que te interessou. Portanto, na boa, não tente desviar não...

R- Citei nada pela metade. Você é que só entendeu a metade que te agradou.
Então vc pode responder objetivamente o porquê que vc não citou o restante da informação?

“Muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta, como era exigido pelas escrituras: "[E levaram Jesus] ao topo do monte no qual a cidade fôra construída, para que o pudessem arremessar para baixo" (Lucas 4:29). O monte em questão, no entanto, o Nebi Sa'in, é muito íngreme para as antigas moradias.[19] Bagatti mostrou, no entanto, que esta área foi claramente usada para tumbas e trabalhos de agricultura nas Idades do Bronze e do Ferro,assim como na segunda metade da ocupação romana.”http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazar%C3%A9

Alfredo, a parte em vermelho é o que? Porque vc não a citou?

R - "Viver por aí e ter acesso ao lugar", faz desse lugar uma cidade? Já virou uma cidade?
Sim, faz sim,, pois é a Arqueologia diz que sim, citei James Strange e Chad Emmet, quais suas fontes documentais que podem derrubar as pesquisas deles? Quais?


Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:15 pm

Suspenda todo o resto e vamos decidir isso primeiro.
Negativo querido... vc quer suspender porque? Porque vc não consegue provar que existe a ossada de Apolônio de Tiana e Marcião?

Porque nenhum historiador usa esse tipo de argumento e vc viu que é contraditório afirmar que Jesus não existiu porque não tem ossada dele e ao mesmo tempo afirmar que Apolonio e Marciao existiram mesmo sem ter a ossada deles? Porque não consegue responder as perguntas que te fiz nas postagens anteriores?

É claro que vc vai querer desviar...

Mas quanto a Nazaré... as provas da sua existência estão no mesmo lugar de onde vc tirou a citação de Lucas 4.
James Strange e Chad Emmet são pesquisadores do assunto e afirmam que em 63 aC havia gente morando em Nazaré. Dá uma lida lá, Alfredo... mas dessa vez leia por completo. http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazar%C3%A9

Eu vou examinar mil documentos escrever três livros sobre o assunto, mas só vamos em frente, após um dos dois dizer: Fulano, você tem razão.
Não exagere, pois essa é uma tentativa de truncar o assunto. Nazaré existiu , as provas já citei, como tb mencionei o arqueólogo James Strange e Chad Emmet e suas pesquisas sérias sobre o tema. VEJA: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazar%C3%A9

É a sua palavra contra a deles, e como perguntei nas postagens anteriores, se vc tiver prova documental que derrube as pesquisas arqueológicas deles...td bem, mas se não tiver é melhor fazer uma revisão do seu livro e tirar Nazaré de seus comentários. Te será melhor!

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:18 pm

Está fechado.
E depois vamos voltar aos ossos. Mais um ano até chegarmos à conclusão.
Nem um passo mais, antes de resolver esses micro detalhes.
Tá pensando que nasci ontem, querido? Se vc quiser pular fora, que pule, mas me avise que assim vou postar toda a minha contestação no Irreligiosos e pedirei à moderação para trancar o tópico. E assim qdo vc tiver ânimo e disponibilidade, voltaremos ao assunto.

Os detalhes são ‘detalhes” quando é seu(sua) oponente que está discutindo criteriosamente uma determinada questão, mas quando é vc repetindo milhões de vezes certas coisas (como citarei em algumas Partes) é comentário completo? Por favor...

E já respondi mas você quer mais detalhes. Então vamos lá.
Comece você com as provas de que Nazaré existiu. Eu quero PROVAS! Não argumentos pífios de pessoas suspeitas.
Claro que não respondeu. mais abaixo vou postar as perguntas de forma mais sintética. Assim vc pode se organizar melhor.

Quanto a Nazaré, repito sim... mas antes, James Strange e Chad Emmet são pessoas suspeitas e o que eles escreveram são coisas pífias?

“a Princeton University Press publicou um livro do renomado arqueólogo Jack Finegam onde são mencionadas descobertas arqueológicas que provam a existência de Nazaré no período romano como um centro funenário e religioso em Kfar Hahoresh próximo cerca de 2 milhas da cidade.

O pesquisador Chad Emmet afirma que foram encontradas sepulturas e casas obre cavernas que datam em cerca de 63 a.C a 324 d.C) [Chad Fife Emmett. Beyond the Basilica:Christians and Muslims in Nazareth. [S.l.]: University of Chicago Press, 1995. p. 16. ISBN 0226207110]

O arqueólogo James Strange observouu que Nazaré tinha uma população de cerca de 480 pessoas, não era proeminente, não tinha destaque e por isso não teve menção em outros escritos antigos. Até mesmo Natanel diz: “Nazaré? Pode vir alguma coisa boa de lá?” (Jo 1.46)”. [E. Meyers & J. Strange, Archaeology, the Rabbis, & Early Christianity Nashville: Abingdon, 1981; Article “Nazareth” in the Anchor Bible Dictionary. New York: Doubleday, 1992.]

Foi encontrada em Nazaré em 1878 uma tabuleta datada em 50 d.C contendo a chamada “inscrição de Cesar” onde há pena de morte para violadores de sepulturas. Essa tabuleta está na Biblioteca Nacional de Paris.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazar%C3%A9

OBS.: Leia por completo a pesquisa.

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:21 pm

Outra coisa é parar naquele detalhe pouco importante e levar seis meses para se chegar a uma conclusão. Apesar de eu não ter tempo, vou deixar ao seu critério. Dedico a você os meus próximos seis anos.
Querido, na boa, não sei de onde vc está tirando esse tal de 6 meses. Não ficou muito clara para mim sua colocação. Vc dedicar a mim seus próximos 6 ANOS? Pra que isso, querido?

Se quiser voltamos ao início, mas uma coisa precisamos combinar. Assunto encerrado, não se discute mais, certo?
Sobre Nazaré não se discute mais, é isso que vc está dizendo? Não ficou clara essa frase.

Outra coisa... eu te perguntei coisas muito importantes... vc não vai responder?

O que estou vendo, Alfredo, é que vc por não querer se ater a detalhes, detalhes esses que te comprometem seriamente, vc está tentando cair fora. Por outro lado, vc tem mtos compromissos e eu entendo, pois tb tem hora que não posso assumir determinados compromissos devido ao fator tempo!

Como falei mais acima... se vc não quiser debater nesse momento, me avise e assim vou postar todas as minhas contestações e pedirei o trancamento do tópico lá. Em outro momento, voltaremos a falar no assunto.

Agora, existem coisas Alfredo, que são impossíveis passarem batidas. E elas serão discutidas detalhadamente sim. Inclusive nos assuntos mais “importantes”.

Abaixo vou colocar as perguntas que te fiz e que vc deixou de responder:

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:24 pm

1) Essa frase está dentro do seu vocabulário... é a sua fala sim, Alfredo! Isso não foi uma transcrição, não está entre aspas. Agora se estivesse entre aspas poderia dar a entender que fosse alguma citação de outra pessoa.

a- Portanto, querido, se não é transcrição é fala sua sim! Se não é fala sua então de qual livro vc tirou essa citação ?


********************************************************************************

2) Vc diz que tal lugar nunca existiu antes do século 1, mas ao mesmo tempo admite que “de fato o que lá existia era um cemitério”. Ou seja, vc está caindo em contradição com suas próprias palavras: “ah, Nazaré nunca existiu.... depois: “ah, o que tinha lá (lá onde? Nazaré) era um cemitério”.


********************************************************************************

3)
De que forma sua afirmação tem apoio na arqueologia de que as casas em Nazaré só foram construídas depois do século 1?

********************************************************************************
4) a- Então vc concorda que se havia 480 pesosas elas eram mortas e enterradas. Enterradas onde? No centro funenário encontrado pela arqueologia em Nazaré, não é mesmo? Vc está caindo em sucessivas contradições, Alfredo!

b- “As vivas vieram depois” . Como assim as vivas vieram depois? Vc esta´querendo dizer que vc concorda que “se havia cerca de 480 pessoas” eram mortas? Ou seja, pessoas mortas que já estavam enterradas em Nazaré, ou seja viveram lá? É isso que vc esta´dizendo?

c- Porém, em contra partida vc está querendo dizer que as pessoas vivas de Nazaré só existiram lá depois do primeiro século?

d- Qual arqueólogo afirma que antes do século 1 não existe habitante em Nazaré e que as sepulturas encontradas lá não eram de moradores locais?

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Discipulah em Dom 23 Set 2012, 10:29 pm

5) A - Flávio Josefo citou todas as cidades de Israel? Sim ou não?

b- Vc pode citar o livro de Josefo onde podemos confirmar que Josefo citou todas as cidades da sua região , mas deixou de citar apenas Nazaré?

******************************************************************************
6) Vc pode citar qual Enciclopédia é essa? Qual editora, página, ano? Tal deve ser bem antiga, antes das descobertas arqueológicas.

******************************************************************************
7) Várias localidades? Isso quer dizer que vc está dizendo que Philon não citou TODAS AS CIDADES, mas várias cidades. “Várias” não significa todas. E se ele não citou todas isso quer dizer que as cidades que Philon não citou não existiram, é isso ?

******************************************************************************

8) A- Interessante, e os escritos de Apolônio de Tiana são históricos para vc afirmar que ele realmente existiu? E os de Marcião? E os que Marciao escreveu?

b - Em todos os livros de História (usados em escolas) também falam de Marcião de Sinope e Apolônio de Tiana?


**********************************************************************************
9) Alfredo, vc fugiu à pergunta. Vc alega que Jesus não existiu porque “não sabemos quem foi o pai, a mãe, o avó, o tio e etc de Jesus”.

Te perguntei então:

a) Desde quando os historiadores afirmam que é preciso saber quem foram os familiares de uma pessoa para ela ser reconhecida como personalidade histórica?

b - Quais historiadores dizem isso?

***********************************************************************************
10) A- Quanto aos outros... seria interessante vc citar, mas já que não te interessa... td bem, mas vc acredita que eles existiram mesmo sem vc poder traçar todas as fases da vida deles? Sim ou não?

Discipulah
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1752
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/03/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Seg 24 Set 2012, 7:26 am

Bom... Como você quiser..... Vamos começar do Princípio.
Enquanto eu vou buscar as minhas fontes, você trás as provas de que Nazaré existiu, ok? Você contestou as minhas afirmações. Concordo que elas sejam satisfatórias para quem raciocina com isenção. Uma questão de lógica, mas você tem o direito de duvidar.
Também quero examinar as suas provas apresentadas. Vou desconsiderar TUDO daqui pra trás. Vale daqui pra frente> Pode copiar e colar o que você considerar válido do que escreveu antes.

Esse vai ser o nosso Ponto ZERO! 000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
Bjs

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por oliveira leite em Seg 24 Set 2012, 8:37 am

Alfredo Bernacchi escreveu:
oliveira leite escreveu:No caso aqui Ademar
Alfredo não aceita a Biblia, nem como livro histórico
a conversa tem que ser pela natureza mesmo :chapeu:

Oliveira, meu amigo... Não sou somente eu quem não aceita a Bíblia como livro histórico!... O País inteiro não aceita! O mundo inteiro não aceita! O maior país cristão do mundo, o Brasil, não ensina a Bíblia nas escolas do governo. Não ensina criacionismo, nem as parafernálias existentes no Gênesis. E agora? Como é que fica? Vai me responder isso ou não?

Não posso concordar com voce,,existem perguntas nos vestibulares sobre o povo hebreu,e em muitas escolas catolicas se fala da História de Jesus,,se nas escolas do governo não ensinam Biblia,
muito menos matematica, história e Geografia
o que ensinam nas escolas do governo? :risadinha:
abç

oliveira leite
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6552
Idade : 51
Localização : Natal RN
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/04/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Seg 24 Set 2012, 8:56 am


1) O Alfredo diz que Nazaré não existia no século 1. Depois fica em dúvida. Afirma que também não existia uma encosta para Jesus ser arremessado pelo barranco! (pag 2, 24)

Contestação: Pelo visto as suas pesquisas, Alfredo não foram suficientes para esclarecer-lhes as dúvidas, pois você confessa no final: “Então fica a dúvida: Existindo ou não, foi mencionada na Bíblia, como tantas outras que serviram de pano de fundo a essa mitologia. Nada de novo.”grifo nosso

Por que eu disse: fica a dúvida. Existindo ou não, ?
Eu referia-me a não haver escolas nessas cidades por onde Jesus, dizem que passou, “Não havia escolas nessas vilas: Jerusalém, Jericó, Betânia, Belém; Geraza, Cafarnaum, Gadara, Tiberíades, Betsaida, Corazim e Canaã, além de Nazaré que nem existia e regiões desconhecidas do Egito.
O importante da referência foi não haver escolas nesses lugares e citei mesmo regiões desconhecidas do Egito, que não interessou buscar os nomes, porque o raciocínio era generalizado: “Não havia escolas nessas vilas”. A inclusão de Nazaré foi um adendum racional, como seria de se esperar, mesmo que existisse, não havia escolas lá.
Reconheço entanto que eu afirmei que “Nazaré que nem existia”.
Porém não me obriguei a provar que Nazaré existia:
Na página 30 (ex 24) está escrito:
Então fica a dúvida: Existindo ou não, foi mencionada na Bíblia, como tantas outras que serviram de pano de fundo a essa mitologia. Nada de novo.
“Ainda assim, para sustentar as profecias do VT que dizia Jesus seria um nazareno, tiveram que inventar uma cidade de Nazaré e aí a coisa complicou, porque nenhuma cidade existia com esse nome. Precisaram fazer uma Nazaré às pressas, e hoje, já é uma imensa cidade. Agora encontraram ruínas nas imediações de Nazaré, que remontam ao 1º século. Considere-se, entretanto, duas coisas: A Nazaré real, pode ter sido construída no 2º século, quando perceberam a incoerência, e hoje, já são ruínas. Autores antigos, como Josefo, nunca mencionaram tal cidade. E lá não consta nenhuma encosta habitável, que justificasse a estória bíblica de arremessar Jesus pelo barranco. Como entender isso?
Evidente que eu tratei desse assunto como de segunda importância, porque a minha investigação foi superficial. Em virtude da minha honestidade, eu fiz a ressalva: “Fica a dúvida: Existindo ou não,”...
Isso quer dizer: Eu não estou afirmando categoricamente que Nazaré não existiu. Apenas demonstro porque acho que não existiu, em virtude da controvérsia que há sobre o Assunto: Não sou obrigado a demonstrar, com certeza, que Nazaré Não existiu e a colocação da minha dúvida traz a conotação de honestidade naquilo que eu escrevo. Além de que isso foi tratado como assunto secundário. Referia-me ao fato de profecias serem justificadas nas novas escrituras, porque quem escreveu fez isso por sua conta. Ou seja: Escreveu para justificar as profecias, mas quando se tratou de uma cidade, não teve como escrever simplesmente. Havia a necessidade de haver uma cidade com esse nome e assim, construíram uma. Existindo ou não, foi mencionada na Bíblia como tendo existido.
Cabe a você, Lendárya, provar que tal cidade existia antes do dos primeiros dias do Século I.
Você não aceitou as provas que eu apresentei:
a) Que Bíblia é essa, Alfredo que você andou lendo onde diz que Jesus ia ser arremessado pelo barranco, precisamente da cidade de Nazaré?

R - Nazaré: Uma criação romana.
" Nenhum vestigio na historia : a isto se resume uma suposta cidade chamada nazaré. Antropologos, historiadores, pesquisadores , manuscritos , em lugar algum há referência que teria existido uma cidade chamada nazaré. Mais que isto sabe-se hoje que tal cidade foi inventada em Roma com um intuito de esconder o significado do termo "nazareno", que era
uma denominação para a mais famosa seita judaica messianica de todos os tempos" .
Nazaré não é mencionada nos registros históricos ou textos bíblicos em tempo algum e não recebe nenhuma menção por nenhum historiador contemporâneo. Nazaré não é mencionada no Antigo Testamento, nem Talmud (o código de lei judaica), nem Apócrifos , não aparece em qualquer literatura rabínica e nunca ouve qualquer achado arqueológico de que teria existido tal cidade.
Nazaré não foi incluída na lista de localidades das tribos de Zebulon (Josué 19:10-16), que menciona doze cidades e seis aldeias, e Nazaré não está incluída entre as 45 cidades da Galiléia mencionadas por Flavio Josefo (37AD-100AD ), Philon de alexandria(judeu helenizado do século I) também lista várias localidades e nunca menciona "nazaré". O nome também não consta dentre as 63 cidades da Galiléia mencionadas no Talmude.
A primeira e unica referência a uma cidade chamada "Nazaré" consta no Novo Testamento(canone criado em Roma no século IV), onde aparece 29 vezes diferentes.
Sabemos entretanto que tal canone surgiu depois das "cartas" atribuidas aos "primeiros cristãos", em escritos atribuidos a paulo de tarso ele menciona o termo "jesus" 221 vezes mais nunca menciona qualquer cidade chamada
nazaré.
A situação é tão complicada que até a "Enciclopédia Biblica", uma obra escrita por teólogos, e talvez a maior obra de referência bíblica no idioma Inglês, assume: "Não podemos nos aventurar a afirmar categoricamente que havia uma cidade de Nazaré no tempo de Jesus."
Um tanto debochado, porque vocês sabe que tal fato não consta de nenhuma Bíblia, também recusou as fontes que eu apresentei.

Então vou aguardar as fontes que você vai apresentar dizendo que Nazaré existiu. Como o meu livro trata de História, as suas fontes têm por obrigação serem históricas. Nem Bíblia nem textos Bíblicos, nem de fanáticos religiosos servem. Têm que se históricos, ou nem perca o seu tempo:
O Antigo Testamento não menciona a cidade de nazaré.
As cartas de Paulo não mencionam Nazaré
O Talmud, não menciona 63 cidades, mas não Nazaré.
Flávio Josefo Menciona Jafa que fica a um Km afastado, mas Não menciona Nazaré.
Mas vou logo avisando:
O Arqueólogo Dr. James Strange, da Universidade do Sul da Flórida, que descreve Nazaré como um lugar pequeno, não tem credibilidade:
James Strange é professor de estudos religiosos e Diretor de Pós-Graduação. Ele serviu tanto como Presidente de Estudos da Religião (1990-93) e, como decano da Faculdade de Artes e Letras (1981-1989). Ele ganhou um B.A. em Filosofia pela Universidade de Rice, em 1959, um M.Div. de Yale Divinity School, em 1964, e um de doutorado. em Estudos do Novo Testamento da Universidade Drew, em 1970. Ele era Montgomery Fellow no W.F. Abright Instituto de Pesquisa Arqueológico em Jerusalém, em 1970-71 e companheiro NEH do mesmo Instituto em 1980.
Dr. Strange interesses de pesquisa estão em Arqueologia Bíblica, Estudos do Novo Testamento, origens cristãs e pós-bíblica judaísmo. Seus publicados em co-autoria livros incluem escavações antiga sinagoga em Khirbet Shema, Israel (1976), escavações em Meiron Antiga, Alta Galiléia, Israel (1981), e Arqueologia, os rabinos e Cristianismo Primitivo (1981), e escavações na antiga Sinagoga de Gush Halav (1990). Ele também revisto e editado H.T. Frank está Redescobrindo o Mundo Bíblico (19

Só falta ser um padre católico mentiroso. Esse cara, no mínimo, é Adventista!...

Vou aguardar as suas provas de que a Cidade de Nazaré existiu.
Bjs

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Seg 24 Set 2012, 11:16 am

Em compensação, vou encher você de referências sólidas e lógicas a respeito do assunto, e só vou sair daqui quando você escrever: "Alfredo, Você tem razão: Nazaré, não existia no tempo de Jesus".
Terminado esse texto eu viajo a Israel para pegar mais subsídios, porque possivelmente nesses você não vai acreditar, e só volto na semana que vem. Bjs


Wikipédia - Nazaré


Além da cidade de Nazaré não ser mencionada nos antigos documentos históricos, no Talmude, no Tanach Hebraico, nas Crônicas, nos manuscritos do

Mar morto e nas versões mais antigas do Velho Testamento.
A palavra “NAZARENO” é uma apropriação imprecisa da palavra NAZARITA, que significa uma pessoa que faz um voto de santidade e, assim, se

separava das massas. Pois é incontestável que a palavra “Nazaré” não se originou de algum povoado, mas sim, de uma organização mística religio$a,

referente a uma pequena seita messiânica que não professava o judaísmo tradicional.
Nenhum historiador ou geógrafo da Antiguidade menciona a cidade de Nazaré, justamente por isso. Nunca foi uma cidade.
E a cidade de Nazaré também não é mencionada pelos antigos documentos históricos, pelo Talmude, pelo Tanach Hebraico, pelas Crônicas, pelos

manuscritos do Mar morto, pelas versões antigas do “Velho Testamento”, pelos Evangelhos apócrifos ou pela literatura rabínica.
A cidade de Nazaré não foi incluída na lista de lugares colonizados pelas tribos de Zebulom ([Josué] 19:10-16), que menciona doze cidades e seis

aldeias.
Não faz parte das 45 cidades da Galiléia mencionadas por Josefo (37-100 d.C.).
E não se encontra entre as 63 cidades da Galiléia mencionadas no Talmude.
A explicação para que um lugar tão importante para o cristianismo, como a cidade de Nazaré não tenha sido mencionado pelos antigos historiadores.
Se deve ao fato de que, só depois que o Imperador Constantino adotar a crença cristã, foi necessário falsificar os Documentos que provariam que a

Cidade de Nazaré existiu.

Não!
Nazaré não existia quando Jesus nasceu.
Esse povoado passou a existir quando os nazarenos se estabeleceram numa região isolada da Galiléia, para fuzir das constantes perseguições.
Jesus era chamado de nazareno como título PEJORATIVO, por ter nascido de uma mãe que teve relações com um soldado romano.
Ele era um bastardo de José. (João 8:41).
Nazareno era um xingamento.
Pois eram uma tribo de poliamoristas, que viviam numa sociedade comunista onde ninguém era de ninguém e todo mundo era de todo mundo.
E segundo fontes, A atual Nazaré só passou a existir 15 anos após Jesus ter nascido, ou como dizem outras, só passou a exisitr depois de que Jesus foi

crucificado.

...................
Etimologia

ver também: Gennesaret (Ya-Nezareth)
Desde o tempo de Eusébio de Cesareia até o século XX especula-se que a etimologia de Nazaré deriva de netser, um "ramo" ou "broto", enquanto o

Evangelho de Felipe (apócrifo) deriva o nome de nazara, que significa "verdade".[3] Há ainda especulações e indícios bíblicos de que nazareno,

significando "da vila de Nazaré", era confundido com "nazireu", que significava um judeu "separado", que fez um voto de não tocar em cadáveres, não

cortar o cabelo e barba, e de não tocar em uvas nem em seus sub-produtos.
[editar]Geografia e população

Coordenadas: 32° 42' N 35º 18' E


Um bairro de Nazaré ao pôr-do-sol
A Nazaré moderna está sobre em um platô, a cerca de 350m acima do nível do mar, situada entre em meio aos montes de 1 600 pés que formam a

parte mais ao sul da cadeia de montanhas do Líbano.[4] Está a cerca de 25 km do Mar da Galileia e a cerca de 9 km a oeste do monte Tabor.
De acordo com o Escritório Central de Estatísticas de Israel, Nazaré tem uma população de aproximadamente 65 000 (em 2005). A imensa maioria de

seus residentes são cidadãos árabes de Israel, dos quais 31,3% são cristãos e 68,7% são muçulmanos.[5] Nazaré forma uma área metropolitana com

os conselhos locais de Yafa an-Naseriyye ao sul, Reineh, Mashhad e Kafr Kanna ao norte, Iksal e a cidade adjacente de Nazaré Illit ao leste e Elot ao

oeste. Juntas, elas formam a região metropolitana de Nazaré, que tem uma população de aproximadamente 185.000, dos quais mais de 145.000 são

árabes.[6]
[editar]História

[editar]História antiga e evidência arqueológica
A pesquisa arqueológica revelou um centro funerário e religioso em Kfar HaHoresh, a cerca de duas milhas de Nazaré, datado como tendo

aproximadamente 9 000 anos (correspondendo ao período que é conhecido como Neolítico pré-cerâmica B).[7] Os restos de 65 indivíduos foram

encontrados, enterrados sob imensas estruturas horizontais de pedra, algumas das quais chegam a 3 toneladas de gesso branco produzido no próprio

local. Caveiras humanas ornamentadas que foram descobertas no local levaram os arqueólogos a acreditar que Kfar HaHoresh foi um importante

centro de culto naquela era remota.[8]
Chad Emmet é autor de um estudo sociológico sobre a Nazaré moderna intitulado "Além da Basília: cristãos e muçulmanos em Nazaré". Este livro

tenta "compreender melhor como cristãos e muçulmanos conseguiram viver juntos por séculos em uma relativa paz, numa região conhecida por seus

conflitos étnicos e religiosos, e determinar até que ponto eles permaneceram segregados em bairros diferentes de acordo com suas religiões."[9]

Emmet afirma que as escavações arqueológicas na vizinhança das atuais Basílica da Anunciaão e Igreja de São José revelaram pedaços de cerâmica da

Idade do Bronze (2200 a 1500 a.C.) e artefatos, silos e moinhos da Idade do Ferro (1500 a 586 a.C.).[9] Entretanto, escavações conduzidas antes de

1931 na área venerada pelos franciscanos não revelou "nenhum traço de colonização romana ou grega" ali,[10] e, de acordo com estudos feitos entre

1955 e 1990, nenhuma evidência arqueológica dos períodos assírio, babilônio, persa, helênico ou do início do período romano foi encontrada.[11]

[12] Bagatti, o principal arqueólogo nos sítios venerados em Nazaré, desenterrou grandes quantidades de artefatos do final do período romano e do

período bizantino,[13] o que assegura a indiscutível presença humana ali do século II em diante.
Emmet também afirma que "casas e sepulturas feitas de pedra construídas sobre cavernas, naturais ou escavadas na rocha, também foram encontradas,

e que datariam da era romana (63 a.C. - 324 d.C.).""[14] No entanto, a afirmação costumeira de que os Nazarenos eram trogloditas (ou seja, viviam

em cavernas) é impossível, pois "as cavernas da Galileia são úmidas e molhadas de dezembro a maio, e só poderiam ser usadas durante o verão e o

outono."[15]
Finalmente, Emmet afirma que "Sob o espectro dos dados arqueológicos, especula-se que os primeiros habitantes de Nazaré possam ter sido os

cananeus, depois os israelitas e judeus da Galileia."[14] De fato, os habitantes da região na Idade do Bronze devem ter sido cananeus, mas a falta de

evidência arqueológica mostra que a presença israelita na bacia ainda não foi substanciada.
James Strange, um arqueólogo americano, ressalta que “Nazaré não é mencionada nas fontes antigas judaicas antes do século III. Isto provavelmente

reflete a sua falta de proeminência tanto na Galileia como na Judeia.”[16] Strange primeiro estimou a população de Nazaré na época de Cristo como

de “aproximadamente 1600 a 2000 pessoas”, e, numa publicação subsequente, em um máximo de 480 pessoas.[17]
Alguns historiadores sugeriram que a ausência de referências textuais a Nazaré no Velho Testamento e no Talmude, assim como nas obras de Josefo,

sugeririam que uma cidade chamada 'Nazaré' nem mesmo existia nos dias de Jesus.[18]
Muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta, como era exigido pelas escrituras: "[E levaram Jesus] ao topo do monte

no qual a cidade fôra construída, para que o pudessem arremessar para baixo" (Lucas 4:29). O monte em questão, no entanto, o Nebi Sa'in, é muito

íngreme para as antigas moradias.[19] Bagatti mostrou, no entanto, que esta área foi claramente usada para tumbas e trabalhos de agricultura nas

Idades do Bronze e do Ferro, assim como na segunda metade da ocupação romana.[20]
Na metade dos anos 90, um lojista chamado Elias Shama descobriu túneis sob sua loja, próxima ao Poço de Maria em Nazaré. Os túneis foram

identificados como sendo o hipocausto de uma terma. O sítio ao redor foi escavado nos anos de 1997 e 98 por Y. Alexandre, e os restos arqueológicos

expostos foram estabelecidos como datando dos períodos dos romanos, cruzados, mamelucos e otomanos.[21][22][23]
Uma tabuleta que está atualmente na Biblioteca Nacional de Paris, datada de 50 d.C., foi enviada de Nazaré para Paris em 1878. Ela contém uma

inscrição conhecida como a "Ordenança de César", que prescreve a pena de morte para aqueles que violarem tumbas e sepulturas. No entanto,

suspeita-se que esta inscrição tenha vindo de Nazaré de algum outro lugar (possivelmente Séforis). Bagatti escreve: “Não temos certeza de que ela foi

encontrada em Nazaré, ainda que ela veio de Nazaré para Paris. Em Nazaré viviam vários vendedores de antiguidades, que conseguiam material antigo

de diversos lugares.”[24] C. Kopp é mais definitivo: "Deve-se aceitar com certeza que a [Ordinância de César]... foi trazido ao mercado de Nazaré por

mercadores de fora."[25] Jack Finegan descreve outras provas arqueológicas relacionadas ao povoamento da região de Nazaré durante as Idades do

Bronze e do Ferro, e acrescenta que "Nazaré era um povoado fortemente judaico no período romano."[26] A questão crítica agora sob o ponto de vista

do debate acadêmico é de quando no período romano Nazaré veio a existir, ou seja, se os assentamentos lá começaram antes ou depois do ano 70 d.C.

(a Primeira Guerra Judaica]].[2



Alguns historiadores colocaram em dúvida a tradicional associação da cidade com a vida de Jesus, sugerindo que o que era originalmente um título,

Nazareno, acabou se transformando no nome de sua cidade natal. Alfred Loisy, por exemplo, em O Nascimento do Cristianismo, afirma que Iesous

Nazarene não significava "de Nazaré", mas sim que seu título era "Nazareno".
Além isso, existem indicações bíblicas de que Nazareno foi uma tradução imprecisa de Nazarita, uma pessoa que havia feito um voto de santidade e,

assim, se separava das massas. Mateus 2:23 afirma sobre Jesus, "E ele veio e morou numa cidade chamada Nazaré: para que se cumpra o que foi dito

pelos profetas, Ele será chamado de Nazareno." Como não existem menções anteriores a 'Nazareth' nas escrituras hebraicas, diversas Bíblias de

referência sugerem que a profecia citada neste versículo está se referindo ao versículo do Livro dos Juízes que descreve Sansão como um Nazarita.
Frank Zindler, editor da American Atheist Press, afirma que Nazaré não existia no século I[49] Seus argumentos incluem:
Nenhum "historiador ou geógrafo da Antiguidade menciona [Nazaré] antes do início do século IV."[50]
Nazaré não é mencionada no Velho Testamento, no Talmude, nem nos Evangelhos apócrifos ou na literatura rabínica.
Nazaré não foi incluída na lista de lugares colonizados pelas tribos de Zebulom ([Josué] 19:10-16), que menciona doze cidades e seis aldeias.
Nazaré não consta entre as 45 cidades da Galileia mencionadas por Josefo (37-100 d.C.).
Nazaré também não se encontra entre as 63 cidades da Galileia mencionadas no Talmude.
O ponto de vista de Zindler é historicamente plausível se Nazaré tiver vindo a existir na mesma época em que o os Evangelhos do Novo Testamento

estivessem sendo escritos e redigidos. A maioria dos estudiosos situa esta atividade literária entre as duas guerras judaicas (70-132 d.C.).

..................................



Página principal » Artigos » GEAE
A Realidade de Nazaré

Carlos Rodrigues

Caros Irmãos,

Muita Harmonia.

Gostava de obter esclarecimentos de alguém sobre o assunto que passo a pormenorizar:

No livro de H. Spencer Lewis "A Vida Mística de Jesus" da Biblioteca Rosa-cruz, Volume 1, Editora Renes, Rio de Janeiro, traduzido da 21. edição

norte-americana by A.M.O.R.C., podemos ler entre as paginas 45 a 51, que na época em que Jesus nasceu, não havia, em toda a Galiléia, nenhuma

cidade ou lugar com o nome de Nazaré! E acrescenta o autor que segundo varias pesquisas "Ao buscar um lugar na Galiléia que pudesse responder ao

nome de Nazaré, viram-se em grande dificuldade, já que, no Velho Testamento, não há local ou mapa que a mencione ao tempo de Cristo". Ainda

menciona que muito distante do mar da Galiléia, foi encontrada no século terceiro uma aldeia com o nome de en-Nasira, imediatamente rebatizada de

Nazaré, mas que não existem provas que legitimem o uso desse nome. en-Nasira não tinha qualquer sinagoga nem nenhuma edificação

suficientemente grande para Jesus pregar a uma multidão. Era apenas um lugarejo com uma fonte. Menciona o fato de talvez Jesus ser do grupo dos

Nazarenos e dai a confusão.

Allan Kardec em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", também faz referencia aos Nazarenos.

No livro de Jacques Duquesne - JESUS, distribuído em Portugal pelo Circulo de Leitores, na Introdução é mencionado este autor como um

intelectual católico. No capitulo 4 do livro sobre a infância de Jesus aparece: " Nazaré um lugarejo... e muitos se perguntaram se alguma vez existira,

a não ser na imaginação dos evangelistas. O que equivalia a levar bem longe as suspeitas. Na verdade, existia lá uma nascente...".

Na Internet podemos localizar um estudo de David Donnini com o titulo "il Problema Storico Della Cittá Di Nazareth" [Publicado a seguir]. Neste estudo também se

depreende que os tradutores antigos fizeram confusão com a expressão "Jesus o Nazareno" e inventaram a existência duma cidade chamada Nazaré, a

qual nunca existiu.

Na minha opinião, até aqui, tudo bem. Não pelo fato de provavelmente terem inventado a existência de Nazaré, que a doutrina de Jesus deixa de ser

um roteiro nas nossas vidas. O problema surge, com as obras Espíritas psicografadas que alimentam a confusão sobre estes pontos, em vez de nos

esclarecerem.

Trata-se do livro "Há 2000 anos". Romance do Espírito Emmanuel e psicografado por (nada menos que) Francisco Candido Xavier. Neste livro,

apesar de romance, a menção a cidade de Nazaré é constante: pág. 57 "... providenciar em Nazaré a aquisição de uma casa confortante.... E por falar em

Nazaré, já ouviste falar do seu profeta? ... Nazaré possui agora um profeta que vem realizando grandes coisas. Pg. 59: ...a voz do profeta de Nazaré

...Pg. 68: ...de Jerusalém a Nazaré, temos setenta milhas..., etc, etc, etc.

Sabemos que os Espíritos são seres humanos como nos, apenas desencarnados, com a mesma necessidade de aquisição de conhecimentos e falando

daquilo que sabem ou pensam saber. Mas logo Emmanuel !? Qualquer coisa aqui, parece não bater certo.

Já no livro - A Gênese - de Allan Kardec, no Capítulo 6, Uranografia Geral, extraído duma serie de comunicações na Sociedade Espírita de Paris, em

1862, assinadas pelo Espírito GALILEU, na pg. 121 (27 edição da F. E. B.) é mencionado que Marte não tem astros secundários; mais tarde

descobriu-se que tem dois - Fobos e Deimos.

Como entender que o Espírito Galileu tenha falado de tantas coisas ainda hoje complexas "Sois, Planetas, Cometas, Lua sempre com a mesma face

virada para a Terra, nebulosas estelares, desertos do espaço, sistemas binários de estrelas ou mais, astros longínquos que desconhecemos suas

características, gravidade universal, etc., etc. " e tenha errado numa coisa tão perto de nós !!?.

Este ponto deu argumentos para que a parapsicóloga católica do distrito de Braga, Luisa Albuquerque (salvo erro é este o seu nome) tenha atacado

num debate na televisão o representante do movimento Espírita português, presente no debate.

Se sobre estes pontos não obtemos de Espíritos Superiores informações fidedignas, que confiança podemos ter nas outras afirmações que nos deram

sobre a vida espiritual !?.

Estas questões apenas representam duvidas minhas, embora eu seja colaborador na Associação Paz e Amor de Viana do Castelo.

Agradecia opiniões de outros irmãos mais conhecedores a fim de aumentar meus conhecimentos e também transmitir a outros.

Muita Paz,

Carlos Rodrigues, Portugal

"IL PROBLEMA STORICO DELLA CITTÁ DI NAZARETH"
http://www.etanali.it/mar_morto/files/gamala.htm

Traduzido eletronicamente do italiano:

Ninguém está ciente da existência de um grande problema histórico a respeito da cidade de Nazaré, essencialmente baseado em dois pontos principais:

a - o fato de que as famosas palavras do Evangelho: "Jesus de Nazaré", que transformá-lo arbitrariamente em "Jesus de Nazaré" é derivada do grego IhsouV ou NazoraioV (Iesous ou Nazoraios), ou seja, aramaico e hebraico Nazorai Nozri , e que nenhuma dessas expressões não tem nenhuma relação com uma cidade chamada Nazaré, mas é um religioso ou sectário

b - o fato de que a análise de arqueológico, histórico, literário e geográfica dá origem a sérias dúvidas sobre a existência da cidade de Nazaré no tempo de Jesus

OBSERVE COMO ELAS SÃO EXPRESSAS EM MUITAS VOZES AUTORIZADAS:

1 - "Os apóstolos que foram antes de nós ter chamado assim: Jesus de Nazaré Cristo ...". Nazara "é a" Verdade "Portanto," Nazareno "é" Que a verdade "..."
(Evangelho de Filipe, n º 47 - texto gnóstico do segundo século depois de Cristo);



2 - "Nem é improvável que os primeiros cristãos eram chamados de Nazarenos, no sentido de nazireus, em vez do que da cidade de Nazaré, etimologia é difícil de acreditar e, provavelmente, substituído o primeiro quando a antiga origem dall'essenato começou a ser esquecido "
(Elia Benamozegh [Itália, 1823/1900, membro filósofo judeu do colégio rabínico de Livorno], os essênios e da cabala, 1979);



3 - "A mesma tradição fixou a casa da família de Jesus de Nazaré, a fim de explicar o apelido do nazireu, originalmente ligado ao nome de Jesus, e que era o nome de cristãos na literatura rabínica e nos países do Oriente nazireu. é certamente um nome de uma seita, sem relação com a cidade de Nazaré ... "
(Alfred Loisy [França, 1857/1940, um padre católico, professor de hebraico escritura e do Instituto Católico de Paris, em seguida, removido do cargo], La Naissance du Christianisme);



4 - "- Nome -? ... - Jeshua - disse o acusado rápida
- Você tem um apelido? -
- Hanozri -
- De onde você é? -
- A cidade de Gamala - disse o preso indicando com um movimento da cabeça lá, longe, à direita, em direção ao norte, havia uma cidade chamada Gamala.
- O sangue é você? -
- Eu não sei exatamente - pronto, respondeu o prisioneiro, - Não me lembro de meus pais. Eles me disseram que meu pai era sírio - ... "
(Mikhail Bulgakov, [1891-1940, escritor russo] O Mestre e Margarida, Einaudi, 1967);



5 - "A pequena cidade de mesmo nome [Nazaré], onde os peregrinos crédulos pode visitar a oficina de José, foi identificada como a cidade do Cristo apenas na Idade Média ..."
(Charles Guignebert [França, 1867/1939, Professor de História do Cristianismo na Universidade de Sorbonne, em Paris], Manuel d'Histoire Ancienne du Christianisme);



6 - "De fato, no que diz respeito a Nazaré, os historiadores não têm sido capazes de encontrar qualquer vestígio de uma cidade com esse nome até o século IV dC, de acordo com fontes judaicas, saia mesmo até o século IX Nos Evangelhos nunca encontramos a. 'Jesus de Nazaré expressão, mas só Jesus nazareno, às vezes também escrito Nazoreno ou Nazareno ... agora, nenhum desses nomes, como já tentou forçar a etimologia pode ser atribuída a um nome como Nazaré é ... por estes termos, que é derivado do nome da cidade de Nazaré, e não vice-versa "
(Ambrogio Donini [acadêmico, especializado em hebraico e siríaco na Universidade de Harvard, EUA, foi professor universitário na Itália], História Breve da Religião, 1959);



7 - "El-Nasirah é uma aldeia da Galiléia, localizado cerca de quatro metros de altura, em que a tradição cristã reconhece a antiga Nazaré, o local de nascimento de Jesus Segundo alguns estudiosos, no entanto, Nazaré - ou melhor Natzrath Notzereth - não nunca existiu eo nome do Nazareno que acompanha o nome de Jesus no Novo Testamento, absolutamente não indicar o seu país de origem ... "
(M. Craven, [o autor de numerosos ensaios sobre a história do cristianismo, traduzidos em muitas línguas e publicado na Itália e no exterior, e do editor de uma coleção de escritos apócrifos] A Vida de Jesus, 1974);



8 - "As Nazoraios formas, nazarenos, Nazaraeus nazarenas experimentar tudo o que os escribas sabia a origem eclesiástica da palavra e estavam bem cientes de que foi derivado de Nazaré ... O nome histórico e localização geográfica do local de nascimento de Cristo Gamala é ... esta é a casa do nazireu ... a montanha de Gamala é a "montanha" evangelista Lucas, a "montanha" de todos os Evangelhos, que falam sem parar, mesmo sem mencioná-lo ... "
(EBSzekely [teólogo húngaro que participou seus estudos no Vaticano], As Origens do Cristianismo essênios, EUA, 1980);



9 - "... Jesus de Nazaré não era Inúmeros testes são uma indicação de que Nazaré não existia nos tempos bíblicos E 'provável que a cidade tenha sido constituída antes do terceiro século.' Jesus de Nazaré ', como muitos estudiosos.. a Bíblia seria agora pronto para confirmar, é uma má tradução do original grego Jesus de Nazaré ... "
Baigent, Leigh, Lincoln [autores de vários livros sobre o cristianismo primitivo e os Manuscritos do Mar Morto, incluindo o best-seller internacional "The Dead Sea Scrolls Deception"], A herança messiânica, Tropea, Milão, 1996);



10 - "Foi o primeiro Matthew para gerar o mal-entendido que a expressão" Jesus, o nazareno "deve ter alguma relação com Nazaré, citando a profecia" será chamado Nazareno (Nazoraios) "que, no final de sua história da natividade ele associa com o passo "de se aposentar na Galiléia e foi morar numa cidade chamada Nazaré." Esta não pode ser a origem do termo, porque em grafias grega de Nazaré nazireu diferem substancialmente "
(RHEisenman [Professor de Religiões do Oriente Médio e Arqueologia e diretor do Instituto para o Estudo da judaico-cristãs Origens da Universidade da Califórnia - Los Angeles] Tiago, irmão de Jesus, Penguin Books, 1997);



11 - "Eu realmente acho que os cristãos não podem dizer que 'Jesus de Nazaré' a expressão significa" cidadão Jesus de Nazaré ", da mesma forma em que os« cidade de Leonardo da Vinci "significa a expressão" Leonardo da Vinci "O. Nazaré é a palavra hebraica para NZRT, que está atrasado e foi nomeado como Nazrat ou Nazeret vez "Iesous ou Nazoraios 'a forma grega, parece-me, deriva do aramaico raiz NZR Nazorai ... (sem T) ocorre na tradução aramaico de Isaías 26:2, onde "Emunim" a palavra (fé =) é derivado de 'emeth' a raiz (verdade), por isso é claro porque no Evangelho de Filipe, pode-se dizer que 'Nazareno' significa 'a verdade "..."
(Daniel E. Gershenson [professor arqueólogo e pesquisador do Departamento de Estudos Clássicos da Universidade de Tel-Aviv] e-mail de 1998/12/05 dirigida a David Donnini);



Como vimos, alguns dos mais proeminentes estudiosos de todo o mundo estão em pleno acordo em um ponto: a frase "Jesus de Nazaré", que traduz o grego "IhesouV ou NaoraioV" não tem nenhuma relação com o nome da cidade Nazaré, mas indica um. religiosas ou sectárias Mesmo Evangelho apócrifo de um segundo século, vimos na segunda citação, atribuída a esse termo é outro assunto.

E 'certamente uma descoberta sensacional, capaz por si só de minar toda a interpretação comum do Novo Testamento.

Onde está Nazaré? A cidade que milhões de peregrinos visitam hoje está localizado na Palestina superior, Galileia, a cerca de 30 milhas a partir das Lago Tiberíades, mais conhecido na tradição evangélica como o Mar da Galiléia ou Gennezareth Lake.

Como podemos investigar o problema? E porque o escritor russo Bulgakov me fez pensar que Jesus poderia ser Gamala, no Golan? E porque o mesmo argumento também é suportado pelo teólogo EBSzekely? Para chegar a uma resposta que temos para contar a história da descoberta de Gamala.

Durante a chamada Guerra dos Seis Dias (1967), o Estado de Israel de repente se moveu contra alguns estados árabes vizinhos, e, além de ocupar o Sinai, a Faixa de Gaza e na Cisjordânia, invadiram e ocuparam grande parte da região chamada de Golan, até então pertencente à Síria.

No curso das operações militares sobre as Colinas de Golã, alguém notou a presença das ruínas de um antigo assentamento humano em uma colina rodeada por encostas íngremes, localizadas a uma curta distância da costa extremo norte-oriental do Lago Kinneret ("lago de Genesaré" ou "Mar de Tiberíades "na linguagem do Evangelho). Imediatamente após o estado de guerra, as autoridades israelenses enviaram alguns arqueólogos para investigar a zona marcada, para esclarecer a natureza dos restos mortais.


Os restos da cidade de Gamala, após a escavação [Imagem Donnini]
O governo israelense, como atormentado por problemas políticos e certamente não em rosadas condições econômicas teve um caso forte, aos olhos de seu povo e do mundo inteiro, para justificar a ocupação do Golã como um ato legítimo de re-apropriação de um território que pertencia aos judeus de um direito natural e centro.

Foi por esta razão que, desde 1968, a área foi examinado por um Itzhaki Gal, que foi o primeiro a assumir que a localização poderia ser relatado que aldeia chamada Gamla, ou Gamala, que tinha perdido completamente pista Josefo, que descreveu com riqueza de detalhes, contando a história de uma trágica derrota dos judeus nas mãos de Vespasiano a mesma, durante a guerra que sangrando Palestina nos anos 66-70 dC


Em 1976, sob a orientação do arqueólogo Shmarya Gutman, começaram escavações sistemáticas que levaram a descobertas sensacionais, a primeira das quais foi, naturalmente, o reconhecimento de que essas permanece escondido na cidade de Gamla. Essa é a maneira Josefo, cerca de 19 séculos atrás, descreveu a aparência da aldeia em sua Guerra Judaica:

"... De um trechos de alta montanha na verdade um esporão íngreme que sobe em uma corcova no meio que diminui com a mesma inclinação da parte superior da frente e de trás, de modo a se parecer com o perfil de um camelo, e deste extrai o nome, mesmo que os moradores não atendem a grafia exata do nome. nas laterais e extremidades opostas e desfiladeiros intransponíveis está por trás de um pouco acessível ", onde é como andar na montanha ..."

Eu fui a este lugar em Julho de 1997, a fim de testar a hipótese de que eu já tinha sido capaz de desenvolver em cerca da cidadela, e eu se hospedaram no Gamla por dois dias, explorar a vila e seus arredores em todos os detalhe, e em seguida, passar um dia em terceiro Qasrim, 10 milhas ao norte, onde há um pequeno museu que abriga o material arqueológico encontrado em Gamla.

Você não pode dizer algumas palavras para descrever a beleza das Colinas de Golã, e no site de Gamla, em especial, onde os desertos das regiões vizinhas, a área do Mar Morto, Jordânia, Síria, dão lugar para as colinas brilhantes de flores cor de rosa, manchas de florestas, rios e cachoeiras ruidosas, sob o vôo espiral de abutres grandes que mergulho nos vales, antes de se recuperar com as asas abertas, na esteira das correntes ascendentes.

Como você já pode começar a suspeitar que Gamla, e Nazaré, é a cidade onde Cristo viveu, e mesmo de nascer?

Nazaré, que muitos peregrinos cristãos conhece bem, está localizado no oco entre algumas colinas da Galiléia. O país, que hoje está espalhado como fogo até chegar ao topo das colinas, já foi localizado na parte inferior, do lado de uma colina, e foi cercado por todos os lados as ondulações suaves das montanhas. Toda a Galiléia consiste em planícies ou colinas arredondadas, sem picos de subida ou declives íngremes. A tradição cristã foi localizado na aldeia de Cristo Jesus Maria e José, e, em seguida, na parte inferior de uma dessas colinas, exatamente na posição onde hoje se encontra a Basílica chamado da Anunciação.

Mas uma incrível quantidade de objeções parece se opor a este local, interrompendo a crença habitual cuja serenidade, ao invés de sobre a confiabilidade das evidências históricas apóia suas bases sobre a força do hábito e também no fato de que os argumentos que eu apresento neste estudo são sempre sido sistematicamente deserta.

Na verdade, a visitar Nazaré, é surpreendente que não há absolutamente algo que poderia ser considerado um testemunho original do país onde Jesus iria crescer isso em um país como Israel, assim exuberantemente rica em ruínas que só puxar um pontapé numa pedra a uma descoberta arqueológica. A arqueologia de Nazaré é quase de volta tudo no tempo de Cristo e, ao contrário de muitos outros sites Galilei (Cafarnaum, Corazim, Séforis, Iotapata), em que há pelo menos um edifício, uma parede, uma trincheira, uma sinagoga, Eu trouxe à evidência luz do tempo de Cristo, daí a presença de Jesus e sua família é contada apenas pelos nomes de hotéis, restaurantes, igrejas, e as palavras dos Evangelhos. Não há nenhum traço da sinagoga mencionado no Evangelho de Lucas, nem mesmo uma casa, um pedaço de parede, vestígios de estradas, moedas, fragmentos de cerâmica ... em suma, todas aquelas coisas normais que estão perto de antigos assentamentos e que poderiam testemunhar a aldeia de dois mil anos atrás. Os peregrinos que estão freqüentando igrejas modernas, no máximo, um bizantino poucos podem descansar de volta ao início do século V, talvez no final do trimestre.

"... Há muito poucos judeus é que remontam ao período do Segundo Templo, em Nazaré, apenas uns poucos cripta [cavidade túmulo] escavado na rocha, embora não possamos saber o que o nome do site em que o tempo ..."

(Danny Syon, Autoridade de Antiguidades de Israel, por e-mail endereçado a David Donnini, 19 de janeiro de 1998).

Mas onde está a pequena aldeia de Maria e José, com as ruas, a sinagoga e as casas? Possível que o tempo foi capaz de anular qualquer menor sinal de uma presença tão autoritária? No entanto, há os restos de outras aldeias, onde Jesus foi e fez algumas de suas obras: em Cafarnaum visto grandes casas, estradas e sinagogas, e depois há também Korazim e Bet Zayda, a norte, o Mar da Galiléia, Samaria no centro do país, Betânia, Belém e Jericó, para a Judéia, para dar apenas alguns exemplos. Como eu poderia livrar-se de todos os vestígios da vila de Nazaré?

O que é mais impressionante não é apenas a ausência completa de um achado arqueológico "Jesus de Nazaré", mas, ainda mais, a sua ausência completa e total no testemunho escrito de historiadores. Refiro-me ao fato de que nenhum historiador do período não foi chamado a aldeia, e fora da história do Evangelho, ele só aparece em escritos cristãos que datam de séculos anteriores mais tarde.

As duas principais fontes históricas testemunham a Palestina do tempo de Jesus são os escritos de Flávio Josefo e Filo de Alexandria. Especialmente o primeiro, que era comandante das forças judaicas na Galiléia próprio, na sua grande obra "A Guerra Judaica" e "Antiguidades Judaicas", ele minuciosamente descrito em todo o país, nomeando cada pequena cidade. Mas Nazaré não mencionar ninguém, embora apenas alguns passos da vila surgir outros centros, como Séforis e Iotapata, dos quais o historiador tem falado e que hoje se pode admirar os restos. Em suma, a Nazaré do tempo de Jesus é absolutamente “latitante” [irreal], tanto no sentido da evidência arqueológica do literário. Na prática, há.

Os fatos são duas possibilidades: ou Nazaré era uma pequena aldeia apenas de duas ou três casas que merecia o esquecimento por Josefo (mas ele não aparece na descrição do Evangelho, porque o Evangelho nos diz que Nazaré era o povo e habitações, oficinas, como o carpinteiro José, havia pelo menos uma sinagoga, ele não poderia ser um simples fazenda rural no campo), ou Nazaré, no tempo de Jesus, não existia e foi criada depois, com o desenvolvimento da doutrina cristã.

Na verdade os Evangelhos, quando se fala da cidade de Jesus, preferem usar expressões diferidos como "seu país" e incluiu a palavra em muito poucos casos:

1 - no Evangelho de Marcos (o mais antigo dos quatro evangelhos canônicos, que foi certamente utilizados como fonte para os autores de outros textos) o nome da cidade aparece apenas uma vez, abrindo com as palavras: ".. . Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galiléia e foi batizado no rio Jordão por João ... " (Mk I, 9), após o que o nome da cidade está completamente esquecido, nada impede-nos a pensar que, como em muitos outros casos, ele é tratado por uma simples interpolação dos escribas, realizada mais tarde;

2 - o Evangelho de João menciona a cidade em uma única ocasião, sempre no início e outra interpolação?

Não se permitem ser enganar os leitores com uma aparência simples: às vezes, o nome de Nazaré aparece nos Evangelhos, mas estes são os títulos dos parágrafos em que dividiu os relatos do Evangelho, de fato, os textos originais não tem divisão em parágrafos. E há títulos que podem ser lidos como se fossem parte integrante do livro. O fato é que os Evangelhos nunca usou a expressão Jesus de Nazaré, que sempre e só falar de Jesus, o Nazareno, e usar isso para o grego ou expressão IhsouV NazoraioV (Iesous ou Nazoraios). Agora, vimos que o nazireu palavra, como foi argumentado em voz alta por um grupo de acadêmicos de todo o mundo, não pode significar Nazaretano, ou seja, habitante de Nazaré. Não podemos deixar de notar que há também um antigo texto do Evangelho, a Igreja chama de apócrifos, que foi composta em língua semítica de uma seita judaico-cristã, um contemporâneo de Jesus, cujo nome é, na verdade, o Evangelho dos nazarenos (ou Nazoreans). Evangelho não significa que os cidadãos de Nazaré!

Temos o prazer de ver este texto? Infelizmente, não. Nós sabemos que só através de citações feitas por alguns dos Padres da Igreja, que o criticam duramente. Das palavras de Epifânio e Teodoreto só sabemos que os nazarenos tinha o "Evangelho segundo Mateus, absolutamente integral em hebraico ... como originalmente escrito," que eles rejeitam os ensinamentos de São Paulo, que "são os judeus que honram a Cristo como um direito humano ... ".

Acredite que os nazarenos eram os habitantes de Nazaré só gostaria de acreditar que os dominicanos são os habitantes de uma cidade chamada domingo! Na verdade, os Nazarenos eram os membros de uma seita religiosa cujo nome original é Nozrim em hebraico e aramaico Nazorai, talvez, mas certamente não com uma possível referência ao NZR expressão judaica, indicando um estado de pureza e santidade, que encontramos no Antigo Testamento sobre o voto de separação (os nazireus são aqueles que deixam seus cabelos cortados e aceitar alguns votos de pureza). Talvez se tivéssemos tido acesso ao Evangelho dos Nazarenos, nós não encontramos menção de uma cidade chamada Nazaré.

Além disso, o autor do Evangelho de Mateus para justificar o fato de que a família, o retorno do Egito, escolheu Nazaré como uma residência, cometeu um erro grave ao afirmar "... para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas "nazireu será chamado". " Mas não há nenhuma profecia bíblica, com referência a Jesus, diz que ele será chamado nazareno! Enquanto há outros, por exemplo, sobre Sansão, que se diz ser um Nazireu, que está a ser consagrada com os votos de Nazireato judeu ... não é certo que habitam em Nazaré!

Agora, se ligar todas as observações, 1 - arqueológicos, 2 - histórico, 3 - literária, nós acabamos de fazer, com o entendimento de que o título de "Nazareno" não significa "cidade de Nazaré," mas é um religioso ou sectário então percebemos que realmente temos várias razões para crer que a narrativa do Evangelho esconde algo muito interessante.

Mas isso não é tudo: estamos prestes a descobrir um outro motivo surpreendente, 4 - geograficamente, estar convencido de que os evangelistas ter escondido a verdadeira identidade da cidade de Cristo:

"... Eles lançaram-no fora da cidade, eo levaram até ao cume do monte sobre o qual a cidade estava construída, para que pudessem jogá-lo para baixo do penhasco ..." (Lucas IV, 29-30)

Examinando as narrativas do Evangelho, que descrevem o movimento de Jesus em relação à sua cidade, nós não temos informações precisas sobre a localização do mesmo, mas muitas vezes temos a impressão de que Nazaré não poderia estar onde está hoje: 36 km de estrada para o oeste do Lago Kinneret (Mar do chamado da Galiléia), cerca de 600 metros mais alto. Para percorrer essa distância ea diferença de altura, num momento em que as pessoas viajavam a pé ou de mula, certamente precisava de mais do que um dia, pelo menos para o retorno, que teve lugar em subida. Eu viajei muitas vezes que viagem de carro em qualquer direção, e como eu fiz eu imaginava um fazendeiro, um pastor, ou um plebeu, que se bebeu toda a subida, entre pequenas ruas de pedra, sob o sol escaldante, para um período de um ou dois dias (eu só estou falando sobre a viagem), porque eles foram concedidos uma ruptura no curso normal dos negócios, a fim de ir ouvir o pregador que costumava escolher um barco como um púlpito, perto da margem do lago. As pessoas poderiam desfrutar de três dias ou mais sem se cansar, longe de Nazaré?

Há canções, especialmente a partir do Evangelho de Mateus, onde parece que ele começou a partir da região da Galiléia (que é na margem do lago da Galiléia), realizar um cruzamento e chega em sua casa (ou seja, por outro lado, no Golã) e que aqui, na companhia de discípulos, retiros em busca de um lugar isolado "em um barco", enquanto a multidão decide segui-lo. Claro, uma cidade de mais de 30 km do lago e com uma queda vertical de 600 metros, localizado no meio do campo da Galiléia, a oeste do lago, é inconsistente com este curso dos acontecimentos.

Após o primeiro milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, depois do que ele "ordenou os discípulos a entrar no barco e precedê-lo do outro lado, enquanto ele despedia a multidão ...", "... realizada a viagem, pousou em Genesaré ", isto é, no lado ocidental, deixando claro que antes ele estava no lado leste. Mas a sua cidade, então, onde estava? Aqui ou ali?

O evangelista Marcos escreve coisas como esta:

"... Enquanto isso retirou do mar (Lago Kinneret) com os seus discípulos e uma grande multidão o seguiu ... subiu ao monte e chamou os que ele quis e eles entraram na casa com ele ... e uma grande multidão reunida em torno dele, a ponto de que eles não poderiam até mesmo levar comida ... então seus parentes ouviram isso, eles estabelecidas para tirá-lo ... sua mãe e seus irmãos vieram, e do lado de fora, mandaram chamá de novo ... ele começou a ensinar à beira-mar (da Galiléia). E reuniram em torno dele uma grande multidão ... "

Claro que, com isso, não é possível obter provas conclusivas, mas temos que admitir que para alguns detalhes da narrativa do Evangelho, que a cidade de Cristo parece ter características que não se encaixam muito bem com Nazaré nós sabemos:

1 - parece estar em uma montanha (na verdade, esta "montanha", que a nomeação Evangelho com certa insistência, havia casas, multidão, seus parentes e, portanto, não poderia ser simplesmente um lugar selvagem em que ele estava para se aposentar) ;

2 - parece estar nas imediações do lago (senão as pessoas não podiam viajar mais de 30 km, e uma queda vertical de 600 m, com tanta facilidade);

3 - parece ser, na costa oriental (Golan) e não sobre o oeste (Galiléia);

Agora, temos que reconhecer que estes são pouco mais do que indicações vagas, não é, até agora, a condição geográfica a que me referi anteriormente. Isso é muito mais substancial e importante e diz respeito à natureza da cidade, que, segundo os Evangelhos de Lucas e, em particular, deve estar em uma montanha perto de um precipício. Nos dias que passei no que eu podia ver, e fotografia, o aspecto geral: como já disse Nazaré está situado entre as colinas ea parte arredondada onde a tradição coloca a vila de Jesus está no fundo, no meio de um depressão entre encostas suaves. Como poderia Lucas escrever as seguintes palavras?

"... E, chegando a Nazaré, onde tinha crescido, e foi segundo o seu costume na sinagoga no sábado, e levantou-se para ler. Entregaram-lhe o livro do profeta Isaías, abriu o livro e encontrou a passagem em que está escrito" O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu e me enviou para anunciar a boa nova aos pobres, para proclamar a libertação aos cativos e vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, . e para proclamar um ano da graça do Senhor "Então, ele enrolou o livro, entregou-o de volta e sentou-se olhos de todos na sinagoga estavam fixos nele, ele começou a dizer: -.. Hoje se cumpriu esta Escritura que você tem ouviu com os ouvidos - ... Quando ouviram isso, todos na sinagoga se encheram de ira, levantou-se, dirigiu-o para fora da cidade, eo levaram até ao cume do monte sobre o qual a cidade estava construída, para que pudessem jogá-lo para baixo de cabeça. Mas, passando pelo meio deles, retirou-se ... "

Em Nazaré não há cume do monte, e muito menos qualquer precipício! Especialmente na área considerada a mais antiga, como diríamos hoje, em outras palavras, é mesmo ... "No buraco".


Precipício que fala o evangelista Lucas?
E se a sinagoga, como já disse, em Nazaré não há restos da sinagoga do tempo de Jesus.
Para dizer a verdade, não é uma cidade:

[SE...]

1 - está localizado na corcova de uma montanha;
2 - perto do lago de Tiberíades (8 km);
3 - na costa leste (Golan);
4 - tem os restos de uma sinagoga óbvio que o tempo de Cristo;
5 - está localizado a cinco minutos de um precipício horrível;
É Gamala!

David Donnini entre os restos do pecado

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Seg 24 Set 2012, 11:19 am

Aos meus amigos do gospel. Não usem esse espaço, por favor, para não atrapalhar o debate. Eu respondo em qualquer outro que existe aqui.
. positivinho
Deixem esse para a Sarah. obrigado.

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Alfredo Bernacchi em Sab 29 Set 2012, 7:41 pm

Sarah escreveu:
Agora, vou comentar sua postagem desses dias:

Alfredo: "Em virtude da minha honestidade, eu fiz a ressalva: “Fica a dúvida: Existindo ou não,”...
Isso quer dizer: Eu não estou afirmando categoricamente que Nazaré não existiu. Apenas demonstro porque acho que não existiu, em virtude da controvérsia que há sobre o Assunto: Não sou obrigado a demonstrar, com certeza, que Nazaré Não existiu e a colocação da minha dúvida traz a conotação de honestidade naquilo que eu escrevo."

Lendárya (Sarah): Então, vc agora já admite que teve dúvida! E porque vc disse que não foi citação sua? Porque vc disse que essa citação foi de pessoas que te contestavam? Pelo menos vc admite que "acha", não tem certeza. Agora sim!
A pergunta de número 1 foi respondida com a sua explicação de que realmente tem dúvida. Portanto, apesar da contradição ao falar que "a dúvida não é minha" e agora admitir que é sua sim, teve coragem para encontrar um ponto de equilíbrio.
Sinal de positivo pra vc!

▶ Responder - Oi Amiga. Espero que esteja tudo bem com você.
Não entendi bem qual é o seu objetivo nesse debate. Espero entender isso aos poucos, mas não vou me importar qual seja. Importa o meu objetivo, que é justificar as distorções que você faz a respeito do conteúdo do meu livro. Acredite, NADA vai passar em branco por aqui. Vamos discutir ponto por ponto, vírgula por vírgula, para que você não saia daqui dizendo que fez e aconteceu... rsrsrs... E ainda assim, vou deixar de escrever 2/3 do que deveria, para responder todas as suas distorções e ironias, porque seria uma enorme perda de tempo. Não tenho esse tempo, nem essa paciência.

Vamos ao disse me disse (no seu estilo): Nunca disse coisa diferente do que eu disse, porque eu não digo. EU ESCREVO. E eu escrevi: "Fica a dúvida: Existindo ou não"... - "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO"... – Isso foi o que eu escrevi. Não me interessa o que você entendeu. Interessa o que eu escrevi: "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO"...
Pra mim, isso significa que desde o começo, eu sugeri a dúvida, e mantive assim, porque não era importante, dentro do contexto do assunto, que era apenas dizer que as cidades onde dizem que Jesus passou eram vilas insignificantes e nem escolas tinham. Tanto faz se Nazaré existiu ou não, porque estava na Bíblia como uma cidade pobre onde só tinha analfabetos.
Eu não disse que não foi citação minha. Eu escrevi "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO"... Será que você consegue entender isso?
Eu nunca deixei de admitir que não tinha certeza, porque o assunto é muito controvertido e eu não me interessei em saber o certo, porque no caso (no contexto do assunto) não era importante saber se realmente existiu ou não. Eu apenas citei como mais uma cidade pobre sem estrutura onde só deveriam existir analfabetos
Nunca disse que não foi citação minha. Disse que eu não fui a Nazaré estudar o assunto, nem estive lá no início do primeiro século, assim eu não poderia ter citado isso por mim, mas que copiei de outras pessoas, assim como você faz. Quando eu digo que a dúvida não é minha, é um fato, porque eu não sou ninguém para levantar uma dúvida dessa monta. Eu nada sei sobre Nazaré. Apenas me baseio em informações que colho de terceiros. Assim como terceiros afirmam que Nazaré existiu, outros terceiros levantam dúvidas se existiu ou não. Eu apenas analiso tudo e chego à minha conclusão. Mas que na ocorrência daquele objetivo, que era dizer que as cidades por onde Jesus passou, segundo a Bíblia, eram vilas pequenas onde só tinham analfabetos. Então, eu não analisei e não cheguei a conclusão nenhuma, e para não dizerem que eu disse uma coisa que poderia não ser verdade, eu fiz a ressalva: "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO"...
Você escreveu: “Pelo menos vc admite que "acha", não tem certeza. Agora sim!” –
Isso é apenas uma provocação, uma distorção proposital de uma simples frase, como seu tivesse dito algo do qual me tenha arrependido. Eu nunca deixei de admitir que, apenas achava e não tinha certeza, tanto que escrevi: "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO"...
Portanto, não tem nada de “Agora sim!” – Porque nunca foi "antes não". Como eu não quis investigar a fundo a questão, porque não era importante no contexto, apenas deixei claro que não tinha certeza, e isso está lá no livro para quem quiser ler: "FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO”. Portanto, a sua distorção, não sei com qual finalidade, não vai funcionar. Não comigo, porque eu não vou deixar você à vontade para falar o que quiser porn aí, e dar a impressão aos leitores que você tenha qualquer razão. Não tem.

Quando você escreveu que eu escrevi:
"a dúvida não é minha" e agora admitir que é sua sim, teve coragem para encontrar um ponto de equilíbrio”.
Nunca me faltou coragem nenhuma, para nada, porque eu sempre fui muito corajoso e honesto, (verdadeiro). Continuo dizendo que eu não minto, que jamais você encontrará uma mentira minha. Tanto tenho coragem, que desde o início eu deixei bem claro: “FICA A DÚVIDA: EXISTINDO OU NÃO”. Não é preciso ter coragem para dizer a verdade. É só abrir a boca e falar. Nunca me arrependi de falar só a verdade, e aí está mais uma prova. Tudo o que eu faço é buscando o equilíbrio e não preciso de coragem para equilibrar nada. Não sou de extremos para um lado ou para outro. A Verdade é sempre a única, está na posição dela. Então, não escreva bobagens como se você fosse e acontecesse. Você gosta apenas do disse me disse, mas até aqui não apresentou nenhum argumento que não fosse jogo de palavras. Você não vai conseguir nada comigo, desse jeito. Eu vou botar o preto no branco.
Agora, que eu fui obrigado a pesquisar mais profundamente, vou ter que reescrever o texto no meu livro. AGORA NÃO HÁ MAIS DÚVIDA: NAZARÉ NÃO EXISTIU. E até que você admita isso, não vamos mudar de assunto. Vou responder todas as suas questões. Uma de cada vez. TODAS.
Quando eu, lá na página 1 escrevi:
"A dúvida referida não é a minha, mas dos que me contestam ou têm opinião diferente. Disse que Nazaré foi mencionada na Bíblia como as outras, mas não existiu".
Deixei claro que a dúvida não era minha, mas dos que me contestam, desde quando eu acho que Nazaré não existiu. Existem aqueles que me contestam e outros que têm opinião diferente, ou seja acham que Nazaré existiu. Quando eu disse que a dúvida não era a minha, você entendeu por sua conta, “que eu não tinha dúvidas”, mas isso foi um erro de interpretação sua. Disse que a dúvida era daqueles têm opinião diferente.
Repare bem: Eu não escrevi: “A dúvida referida não é minha”, mas escrevi: “A dúvida referira, não é a minha”, por conseguinte a dúvida é a dos outros, e não a minha. Se eu dissesse “...não é minha” estaria referindo-me à minha dúvida, mas quando eu digo “não é a minha”, é porque é a de outros. Estou claramente referindo-me que não é a minha, por conseguinte a de qualquer outro que não seja eu. Não tenho culpa de que, na sua afobação de me criticar, você não esteja lendo direito, ou não conheça interpretação de texto, ou não entenda português como devia.
Então vamos adiante: faça o favor:
1 - Reconheça que errou em tudo o que escreveu até esse ponto aqui, dessa nova fase da discussão.
2 – Reconheça que eu sempre tive dúvidas quanto a existência de Nazaré e que nunca antes, afirmei a sua inexistência.
3 – Reconheça que agora, eu estou dizendo clara e enfaticamente, que Nazaré não existiu. Que apesar disso, não posso afirmar categoricamente , porque não estava lá no Século I e apenas me baseio em palavras de terceiros.

..............
Alfredo: "Nenhum vestigio na historia : a isto se resume uma suposta cidade chamada nazaré. Antropologos, historiadores, pesquisadores , manuscritos , em lugar algum há referência que teria existido uma cidade chamada nazaré. Mais que isto sabe-se hoje que tal cidade foi inventada em Roma com um intuito de esconder o significado do termo "nazareno", que era uma denominação para a mais famosa seita judaica messianica de todos os tempos" .

Lendárya: Tal declaração é totalmente desencontrada, pois a mesma fonte que vc cita, Alfredo para provar que o "barranco" de Nazaré não existia, mostra que estudiosos fazem mençaõ de Nazaré como tendo pessoas circulando nela, enterrando seus mortos e o monte era usando para agricultura.
Tem um nome para isso: tendenciosidade!

▶ Responder

29/09 – Vejamos se é isso mesmo: Se a informação não estava boa, vamos colocar outras melhores. O importante é que você seja convencida.
Vamos voltar então, à fonte que eu citei como resposta:

http://technologiainformation.blogspot.com.br/2012/06/nazare-cidade...

Kals Eduardo é um estudioso Israelita, que muito já debateu comigo no fórum Imigrantes de Israel. Ele não á absolutamente um ateu, de maneira que a minha fonte de informação é boa (existem muitas outras)
E ele diz:
Nazaré: A cidade que a teologia romana inventou
Compilado e adaptado por: Yossef Chaim ben Ysrael

" Nenhum vestígio na historia : a isto se resume uma suposta cidade chamada Nazaré. Antropólogos, historiadores, pesquisadores , manuscritos , em lugar algum há referência que teria existido uma cidade chamada Nazaré. Mais que isto sabe-se hoje que tal cidade foi inventada em Roma com um intuito de esconder o significado do termo "nazareno", que era uma denominação para a mais famosa seita Ysraelita de todos os tempos" .

1- Sem vestígios

Nazaré não é mencionada nos registros históricos ou textos bíblicos em tempo algum e não recebe nenhuma menção por nenhum historiador contemporâneo. Nazaré não é mencionada no Antigo Testamento, nem nos Apócrifos , não aparece em qualquer literatura rabínica e nunca ouve qualquer achado arqueológico de que teria existido tal cidade.

Nazaré não foi incluída na lista de localidades das tribos de Zebulon (Josué 19:10-16), que menciona doze cidades e seis aldeias, e Nazaré não está incluída entre as 45 cidades da Galiléia mencionadas por Flavio Josefo (37AD-100AD ), Philon de Alexandria, também lista várias localidades e nunca menciona "Nazaré".
A primeira e única referência a uma cidade chamada "Nazaré" consta no Novo Testamento (cânone criado em Roma no século IV), onde aparece 29 vezes diferentes.

Sabemos entretanto que tal cânone surgiu depois das "cartas" atribuídas aos "primeiros cristãos", em escritos atribuídos a Paulo de tarso ele menciona o termo "jesus" 221 vezes mais nunca menciona qualquer cidade chamada Nazaré.

A situação é tão complicada que até a "Enciclopédia Bíblica", uma obra escrita por teólogos, e talvez a maior obra de referência bíblica no idioma Inglês, assume: "Não podemos nos aventurar a afirmar categoricamente que havia uma cidade de Nazaré no tempo de Jesus."

2- Não desistem

Certamente eles não desistem de suas argumentações: Hoje alguns grupos tentam desvirtuar afirmando que Nazaré era na verdade um "vilarejo" e por isto nunca foi mencionada em lugar algum. Porém um estudo aprofundado mostra que isto é apenas um Álibi.

Tentam também usar os "mil e um" trocadilhos que nos oferece a palavra "Nazaré", afirmando que pode ser isto, aquilo e aquilo outro e que por ser muito complexo é melhor ficarmos com a versão tradicional romana, a de que era uma cidade. Um argumento pífio para tentar nos convencer de algo que não existe.


3- Os Motivos

" Temos achado que este homem é uma peste, e promotor de sedições entre todos os Ysraelitas, por todo o mundo, e chefe da seita dos nazarenos; " [ Atos 24:5 ]

Estão ai acima.

Mesmo não sendo aceito por historiadores e pesquisadores em geral como "fonte histórica" , o livro "atos" nos afirma categoricamente que hoje quem chamamos de "Jesus" foi o líder de uma seita chamada nazarenos e isto tem implicações seríssimas. Mesmo nos evangelhos canonizados em Roma no século IV , Yeshua (Jesus) é chamado de "Nazareno", estão ai então os motivos para inventar tal cidade :

" E, saindo para o alpendre, foi ele visto por outra criada, a qual disse aos que ali estavam: Este também estava com Yeshua (Jesus), o Nazareno." [Mateus 26:71]

Mesmo na "famosa" aparição que "converteu" Paulo de tarso, Yeshua (Jesus) afirma :

" Perguntei: quem és tu, Senhor? Ao que me respondeu: Eu sou Yeshua (Jesus), o Nazareno, a quem tu persegues." [Atos 22:8]

Estranho que até em espírito Jesus queira sempre mencionar o nome da sua "cidade" junto de seu nome... (rsrsrsrs)

Na "guerra das traduções", alguns para tentar nos convencer da versão romana tentam nos apresentar o fictício termo "Yeshua (Jesus) de Nazaré" que obviamente não existe,o termo é "Yeshua, o nazareno".

Acréscimo do compilador

"Vale ressaltar que Yeshua não tinha feito um voto de nazireu, aja vista ele mesmo ter bebido vinho várias vezes (Lucas 7:34; João 2:7-10), mas era chamado assim por causa do sua barba crescida e seu cabelo crespo crescido."

4- O que é Nazaré então?

Uma vez comprovado que Nazaré (como cidade) nunca existiu nos "tempos bíblicos", sendo criada por teólogos romanos no século IV e autorizada pela ONU para a fé católica para o atual estado da palestina/Israel, chegou a hora de revelar um pouco da verdade.

Nazareno a qual Yeshua (Jesus) e outros são chamados não tem nada a ver com uma cidade (que nunca existiu), Nazareno é um termo usado dentro do povo ysraelita, para designar aqueles que fazem voto de nazireu. (Números 6:1-13)

Tudo começa com o voto "Nazir", o voto em que a pessoa passava a deixar o cabelo crescer, não ingerir vinho(e uva) e vivia uma vida monástica (voto que foi pego em parte pela igreja romana), Sansão e Samuel fizeram tal voto segundo o antigo-testamento. Nazir traduzido significa "consagrado", mais também como falei acima pode se gerar vários significados deste termo como "rebento" (no caso do Rei Davi) e dá para fazer vários trocadilhos com o termo.

Mais Nazir não é Nazareno, são dois termos diferentes. Nazarenos era os Essenes que faziam o voto Nazir , a junção disto formava a palavra "nazarene" ou "nazareno", popularmente eram chamados de essene nazarenes.O ultimo super lider deles foi um homem chamado Tiago que tinha o titulo de lider do grupo "Zedek"(o justo) o termo completo era "mestre da justiça" eram também chamados de "mestre", ficando conhecido por "Tiago o justo", o super líder do grupo que foi assassino brutalmente nos anos 60 do século I.


Que YAH vos faça vê, toda a verdade ocultada pelos homens ao longo dos seculos!

Yossef Chaim ben Ysrael


Se vocês derem atenção a essas leis e as cumprirem fielmente, o Adonay, nosso Elohim, manterá a sua aliança e continuará a amá-los, conforme prometeu aos nossos antepassados. Livro de (Devarim) Deteronômio
David Ben Ysrael
Email: comunidadeysraelita@gmail.com

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Esta é no entanto a fonte primeira que eu selecionei cujo link não gravei, mas que você retrucou. Praticamente idêntica à anterior, visto que todas vêm de uma única verdade: A inexistência de tal cidade no início do Século I

Nazaré: Uma criação romana.
" Nenhum vestigio na historia : a isto se resume uma suposta cidade chamada nazaré. Antropologos, historiadores, pesquisadores , manuscritos , em lugar algum há referência que teria existido uma cidade chamada nazaré. Mais que isto sabe-se hoje que tal cidade foi inventada em Roma com um intuito de esconder o significado do termo "nazareno", que era uma denominação para a mais famosa seita judaica messianica de todos os tempos" .
Nazaré não é mencionada nos registros históricos ou textos bíblicos em tempo algum e não recebe nenhuma menção por nenhum historiador contemporâneo. Nazaré não é mencionada no Antigo Testamento, nem Talmud (o código de lei judaica), nem Apócrifos , não aparece em qualquer literatura rabínica e nunca ouve qualquer achado arqueológico de que teria existido tal cidade.
Nazaré não foi incluída na lista de localidades das tribos de Zebulon (Josué 19:10-16), que menciona doze cidades e seis aldeias, e Nazaré não está incluída entre as 45 cidades da Galiléia mencionadas por Flavio Josefo (37AD-100AD ), Philon de alexandria(judeu helenizado do século I) também lista várias localidades e nunca menciona "nazaré". O nome também não consta dentre as 63 cidades da Galiléia mencionadas no Talmude.
A primeira e unica referência a uma cidade chamada "Nazaré" consta no Novo Testamento(canone criado em Roma no século IV), onde aparece 29 vezes diferentes.
Sabemos entretanto que tal canone surgiu depois das "cartas" atribuidas aos "primeiros cristãos", em escritos atribuidos a paulo de tarso ele menciona o termo "jesus" 221 vezes mais nunca menciona qualquer cidade chamada
nazaré.
A situação é tão complicada que até a "Enciclopédia Biblica", uma obra escrita por teólogos, e talvez a maior obra de referência bíblica no idioma Inglês, assume: "Não podemos nos aventurar a afirmar categoricamente que havia uma cidade de Nazaré no tempo de Jesus."

R - É chato lidar com as suas ironias. Seria bom evitar esse tom debochado e fanfarronices antes da hora, porque a sua casa pode cair... Você podia me respeitar mais, no mínimo tratar o assunto com mais dignidade.
conhecida como personalidade histórica?

E esse outro texto, da Wikpédia, em que você baseou sua contestação:

Wikipédia
Muitos autores supõem que a antiga Nazaré foi construída em uma encosta, como era exigido pelas escrituras: "[E levaram Jesus] ao topo do monte no qual a cidade fôra construída, para que o pudessem arremessar para baixo" (Lucas 4:29)

Ora, as informações da Wikipédia, assim como todas na internet, depende muito de quem a escreve. No caso a Wiki está fazendo referências à Bíblia. Pra mim, não é uma fonte extremamente segura e não vale como exemplo exclusivo. Talvez eu a tenha mencionado por equívoco, porque nunca investiguei sobre esse fato com profundidade~, já disse isso, pois tinha dúvidas e anotei essas dúvidas no meu livro.
Leio coisas em 10 anos de informações. Gravo na memória aquelas que se auto testificam, seja pela quantidade, pela racionalidade e pela procedência. Se elas podem ser provadas ou não, ou tudo junto.

Essa aqui é uma informação de fácil comprovação:

"Nazaré não é mencionada nos registros históricos ou textos bíblicos em tempo algum e não recebe nenhuma menção por nenhum historiador contemporâneo. Nazaré não é mencionada no Antigo Testamento, nem Talmud (o código de lei judaica), nem Apócrifos , não aparece em qualquer literatura rabínica e nunca ouve qualquer achado arqueológico de que teria existido tal cidade.
Nazaré não foi incluída na lista de localidades das tribos de Zebulon (Josué 19:10-16), que menciona doze cidades e seis aldeias, e Nazaré não está incluída entre as 45 cidades da Galiléia mencionadas por Flavio Josefo (37AD-100AD ), Philon de alexandria(judeu helenizado do século I) também lista várias localidades e nunca menciona "nazaré". O nome também não consta dentre as 63 cidades da Galiléia mencionadas no Talmude.
A primeira e única referência a uma cidade chamada "Nazaré" consta no Novo Testamento (cânone criado em Roma no século IV), onde aparece 29 vezes diferentes.
Sabemos entretanto que tal cânone surgiu depois das "cartas" atribuídas aos "primeiros cristãos", em escritos atribuídos a Paulo de tarso ele menciona o termo "jesus" 221 vezes mais nunca menciona qualquer cidade chamada Nazaré.
São informações que não deixam dúvidas. Então, tem a minha credibilidade e eu a repasso.

Entretanto, eu citei esta fonte e você em vez de buscar a informação, preferiu duvidar deixando o trabalho pra mim. ((A situação é tão complicada que até a "Enciclopédia Bíblica", uma obra escrita por teólogos, e talvez a maior obra de referência bíblica no idioma Inglês, assume: "Não podemos nos aventurar a afirmar categoricamente que havia uma cidade de Nazaré no tempo de Jesus.")).
Textualmente: É difícil dizer com certeza que destaque Nazaré tinha [havia] no primeiro século.
Assim eu estou buscando a fonte: Está aí...
http://bibliotecabiblica.blogspot.com.br/2009/09/nazare-onde-jesus-...
O que diz a tradução?
"Em certa ocasião, o povo de Nazaré tentou lançar Jesus da “beirada do monte em que se situava a sua cidade”. (Luc. 4:29) Isto não quer dizer que Nazaré ficava logo junto à borda ou beirada, mas que estava situada num morro com uma beirada escarpada da qual queriam lançar Jesus. Esta tem sido muitas vezes identificada com uma escarpa rochosa de uns 12 metros de altura ao sudoeste da cidade.

O DESTAQUE DE NAZARÉ

É difícil dizer com certeza que destaque Nazaré tinha [havia] no primeiro século. O conceito mais comum dos comentaristas é que Nazaré era mais uma aldeia retirada, insignificante. A principal declaração bíblica para apoiar este conceito é o que Natanael disse quando soube que Jesus vinha de lá: “Pode sair algo bom de Nazaré?” (João 1:46) Isto tem sido tomado como significando que Nazaré era menosprezada até mesmo pelo povo da Galiléia. (João 21:2) Além disso, alguns afirmam que Nazaré não se encontrava diretamente nas rotas comerciais daquela região. Não foi mencionada por Josefo, embora ele mencionasse a vizinha Jafia como a maior aldeia fortificada da Galiléia, dando a idéia de que Nazaré fora eclipsada pela sua vizinha.

Portanto, nem a Enciclopédia Bíblica, uma fonte teóloga, estritamente cristã, não garante que a cidade de Nazaré existia no 1º século. E você quer garantir? Pra quem? Pra mim???!!!...
Você me faz perder tempo com inutilidades, porque quando eu repasso uma informação é por que ela já se instalou na minha mente pelas qualidades que contém. Mas se esse á o seu jogo, vamos jogar! Contanto que você perca, tanto faz o que vamos jogar. Eu só queria dizer que Nazaré era um vila sem expressão, como as outras, onde só deveria haver analfabetos. e nem dei certeza de existir ou não, porque isso não interessava no momento. Mas você resolveu desmerecer o texto do meu livro... Isso não pode acontecer...
Eu sei que amanhã, já não lembrarei mais nada disso, mas uma coisa vai ficar gravado na minha mente: Que a cidade de Nazaré não existia no primeiro século. Eu tinha dúvidas, mas graças a sua impertinência, e teimosia, hoje tenho certeza e já vou retificar o meu livro: Nazaré não existia no primeiro século.
Só resta você agora, aceitar a derrota e tentar recuperar num novo tema, porque se havia alguma coisa lá, NÃO ERA UMA CIDADE, NEM UMA VILA AO MENOS. Além do que Nazaré do VT , não significava uma cidade.
Quer partir para os ossos? E só confessar a sua derrota no tema Cidade de Nazaré.
Se quiser enrolar mais um pouco, não tem problema. Eu estarei aqui.
beijão

Alfredo Bernacchi
¹
¹

Número de Mensagens : 454
Idade : 75
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 05/05/2012

http://alfredobernacchifalandofrancamente.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 7:53 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 14 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 8 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum