.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
51 usuários online :: 4 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 47 Visitantes :: 2 Motores de busca

Arcolino Neto, David de Oliveira, Khwey, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

A auto-suficiência enganosa da Igreja

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por Randfal em Dom 15 Abr 2012, 4:20 pm

Shalom para todos!

“…não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.” (Romanos 11:18).

Quem verdadeiramente se preocupa com o Reino de D’us e procura se firmar na Verdade, já percebeu que a igreja evangélica, na sua grande maioria, está em crise.
Ela tem crescido em número de membros e de denominações, mas está falida espiritualmente e no empenho de anunciar o Evangelho do Reino.
São muitos os programas na TV, no rádio, muitas cruzadas, shows, manifestações, etc. Muitos líderes são reconhecidos como verdadeiros “homens de Deus”, vendem inúmeros materiais, realizam diversos congressos, palestras, gigantescas aglomerações de “fé e milagres”, se candidatam na política, etc.
Muitos são os que vêem estas coisas e acreditam que esta igreja está “de vento em popa”, agradando cada vez mais a D’us, pois milhares estão sendo salvos.
Quanto à salvação, não podemos julgar, afinal, ela é pela fé no Messias, mediante a Graça do Eterno, e Ele é quem sonda os corações.

Mas cabe uma pergunta: estas coisas que se realizam em nome de Yeshua (Jesus), são em prol do Reino de D’us?
O fato de pessoas serem salvas neste “sistema” justifica o modo com que eles prejudicam a fé delas em viverem para o estabelecimento deste Reino? Isto realmente tem agradado ao Eterno?
Eles estão no caminho certo?
Eles visam o crescimento do Reino?

Atos 14:22 diz: "...confirmando o ânimo dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar (fazer parte) no Reino de D’us.”

O que questionamos hoje é o que nos faz entender que ela está em crise:
Há uma dedicação ao Reino de D’us ou ao “sistema” governado pelas denominações?
Um crescimento deste Reino ou dos “impérios” denominacionais?
Um engrandecimento do Grande Rei Yeshua, o Messias, ou o de nomes de líderes e pastores?
Um alcance de vidas para o Reino ou para as denominações?
De seguidores para o Messias ou para os “homens de Deus”?
Há um ensino para uma vida segundo os parâmetros do Criador (Torah=Lei de D’us), ou segundo as teologias denominacionais, tradicionais e históricas?
Uma esperança ainda para esta vida, ou para o Reino Vindouro com o Messias?
Uma busca em agradar a D’us em qualquer situação, ou a si mesmo para mudar de situação?
Um empenho para ter muitas coisas ou para ser uma Nova Criatura?
Uma vida para D’us, em como agradá-Lo e glorificá-Lo, ou para a denominação, ou para o pastor, ou para si mesmo?
Uma busca para ser mais santo que os outros ou para se aproximar mais do Eterno e se afastar mais do pecado?

As questões são muitas e as respostas também.
Mas afinal, o que nos interessa?
O que buscamos? A quem devemos servir?
Para quem devemos viver?

Para aqueles que sabem da situação da igreja, pode existir uma pergunta que não se cala, uma dúvida que pode colocar em dúvida a própria fé:
POR QUE A IGREJA EVANGÉLICA, NA SUA MAIORIA, ESTÁ ASSIM?
Aí, aparecem respostas para todos os gostos:
“A igreja é feita por homens e mulheres, e não por anjos.”;
“Não existe igreja visível que seja perfeita, apenas Yeshua (Jesus) conhece a Sua Noiva.”;
“A igreja, os pastores e as denominações não salvam ninguém.”;
“Não devemos olhar para o homem, mas devemos olhar para Jesus.”;
“Ouça tudo e retenha o que é bom.”;
“A vida de cada um está oculta em Cristo.”;
“Cada um dará contas de si mesmo a Deus.”
“A vinda de Jesus está próxima!”;
“O amor está se esfriando.”

Estas e tantas outras justificativas são apresentadas para encobrirem tudo o que está acontecendo hoje no mundo evangélico.
E o pior, não ajudam a esclarecer os reais motivos desta infeliz decadência.
Existe uma característica nesta igreja que é bem relevante e nos mostra a oportunidade de anunciarmos um dos reais e principais motivos que levaram este seguimento ao estado deplorável no qual se encontra:
A AUTO-SUFICIÊNCIA = ESTADO QUE SE BASTA A SI MESMA; INDEPENDENTE.
Mas como assim? Ela depende de D’us!
Se entendermos assim, até os corpos celestes dependem de D’us, os animais, os vegetais, tudo existe e permanece pela dependência do Eterno, pois Ele é Soberano.
A igreja evangélica, em sua maioria, sabe que ela é dependente de D’us, mas tem agido e se manifestado como se não dependesse Dele.
O Eterno tem permitido suas investidas, mas se ela realmente tentasse viver na real e total dependência Dele, cremos que as coisas estariam melhores.
Mas como a igreja evangélica não está na real dependência de D’us?

A resposta é muito clara:
DESPREZANDO AS COISAS QUE O ETERNO JAMAIS DESPREZOU!
Se existem coisas que para D’us são importantes e fundamentais para a Igreja do Messias, e esta que se diz igreja Dele tem menosprezado tais coisas, é como se ela NÃO PRECISASSE DELAS!
Afinal, ela pode caminhar com suas próprias pernas, seus próprios concílios, ensinos, teologias, argumentos, fatos históricos, experiências pessoais, etc.
E agindo assim, entende-se que esta igreja não depende de D’us como realmente deveria. Ela se tornou auto-suficiente, “dona do seu próprio nariz”, e anda “para onde este nariz aponta”.
E que coisas importantes e fundamentais seriam estas para a Igreja?
Entendemos que primeiramente ela deveria reconhecer a sua real condição de “fora do Caminho”, isto é, longe dos propósitos do Eterno em Seu Reino.
Acontecendo isto, haverá uma necessidade de buscar o que é certo, iniciando assim uma dependência real de D’us. E o que seria certo para que esta igreja tomasse o rumo certo é adotar, com sabedoria, as coisas importantes e fundamentais.
E onde estas coisas estão? E que tipo de coisas são estas?
O rabino Sha’ul (apóstolo Paulo) escrevendo aos Romanos, nos esclarece bem a real posição que a igreja deveria reconhecer.
Ele direciona suas palavras no capítulo 11 do livro para os gentios crentes em Yeshua, advertindo-os que é um erro extremamente prejudicial tentar se tornar auto-suficiente para o Reino de D’us, prosseguir com seus próprios argumentos, seus próprios conceitos:
“Está bem! Pela sua incredulidade foram quebrados (parte dos judeus), e tu (gentio) estás em pé pela fé; então, não te ensoberbeças, mas teme.
Porque, se Elohim não poupou os ramos naturais, teme que te não poupe a ti também.
Considera, pois, a bondade e a severidade de Elohim: para com os que caíram, severidade; mas, para contigo, a benignidade de Elohim, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira, também tu serás cortado.”
(Romanos 11:20-22).
Por que eles, os gentios, se vangloriavam? Por que eles estavam correndo o risco de serem “cortados”?
Se o rabino Sha’ul os adverte mencionando o chamado irrevogável de Israel e do povo judeu, se dirigindo a eles como “enxertados em lugar deles (judeus) e feito participante da raiz e da seiva da oliveira” (verso 17b), e também “não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti” (verso 18b), conclui-se que a atitude daqueles gentios era a de tentarem se desconectar das raízes judaicas.
O rabino Sha’ul é bem claro quando afirma que esta raiz os sustentava, os mantinha ligados às promessas e ao chamado do Eterno para Israel mediante a fé no Messias de Israel.
Muitos costumam interpretar equivocadamente, dizendo que esta oliveira seria Yeshua, mas no contexto original ela é o Israel eleito, o primogênito de D’us.
A “raiz” seriam os “DONS E A VOCAÇÃO (CHAMADO) DE D’US”, OS QUAIS “SÃO SEM ARREPENDIMENTO” (IRREVOGÁVEIS), e a “seiva” seriam todas as coisas que o Eterno estabeleceu para Israel, a fim de torná-los luz para as nações.

Outro texto esclarecedor do rabino Sha’ul está na carta aos Efésios:
“Portanto, lembrai-vos de que vós, noutro tempo, éreis gentios na carne e chamados incircuncisão pelos que, na carne, se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que, naquele tempo, estáveis sem Messias , separados da comunidade de Israel e estranhos aos concertos da promessa, não tendo esperança e sem Elohim no mundo.
Mas, agora, em Messias Yeshua, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Messias chegastes perto.”
(Efésios 2:11-13).
Antes os gentios estavam longe da comunidade judaica, isto é, não participavam e não praticavam as coisas que o Eterno jamais desprezou e que os judeus verdadeiramente crentes em Yeshua participavam e praticavam, afinal, foi o próprio D’us quem estabeleceu.
E o Seu Filho, Yeshua, jamais revogou ou aboliu estas coisas na Nova Aliança.
No Concílio de Jerusalém descrito em Atos 15, não ficou decidido que os judeus crentes abandonassem tais coisas.
Também no livro de Atos lemos:
“E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zelosos da lei.
E já acerca de ti foram informados de que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apartarem-se de Moisés, dizendo que não devem circuncidar os filhos, nem andar segundo o costume da lei.
Que faremos, pois? Em todo o caso é necessário que a multidão se ajunte; porque terão ouvido que já és vindo.
Faze, pois, isto que te dizemos: temos quatro varões que fizeram voto.
Toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles os gastos para que rapem a cabeça, e todos ficarão sabendo que nada há daquilo de que foram informados acerca de ti, mas que também tu mesmo (Sha’ul) andas guardando a lei.
Todavia, quanto aos que crêem dos gentios, já nós havemos escrito e achado por bem que nada disto observem; mas que só se guardem do que se sacrifica aos ídolos, e do sangue, e do sufocado, e da prostituição.”
(Atos 21:20-25).
Depois no capítulo 24, verso 14, o rabino Sha’ul declara ao ouvintes que o acusavam diante do governador Félix dizendo: “Mas confesso-te que, conforme aquele Caminho, a que chamam seita, assim sirvo ao Elohim de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na Lei e nos Profetas.”

Yeshua fez também uma declaração muito importante para uma mulher samaritana, descrita no Evangelho de João, capítulo 4:
“Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus.” Isto é, as demais nações alcançariam a salvação que foi prometida aos judeus, crendo no Messias de Israel, servindo ao D’us de Israel, obedecendo ás Leis dadas a Israel e esperando o Reino Vindouro, quando Yeshua reinará em Jerusalém terrestre.
Outro erro grave é afirmar que a Nova Aliança no sangue do Messias foi feita para a igreja. Desprezam a profecia dita por Jeremias no capítulo 33 do seu livro:
“Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei um concerto novo com a casa de Israel e com a casa de Judá.” (verso 31).
E qual seria a finalidade desta Nova Aliança? Salvar o homem e levá-lo para o Céu? No verso 33 ele diz: “Mas este é o concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz ADONAI: porei a minha lei no seu interior e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Elohim, e eles serão o meu povo.”

Yeshua afirmou na Ceia de Páscoa, antes de ser preso: “porque isto é o Meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados.”
Pedro afirmou em Atos 5:31: “Elohim, com a sua destra, o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e remissão dos pecados.”
O sangue do Messias é o elemento para selar esta Nova Aliança predita por Jeremias, para remir os pecados e trazer de volta para D’us, não somente os judeus, mas todos os que aceitarem o testemunho de Yeshua.

Esta igreja sabe realmente qual o seu principal propósito nesta terra?
Na verdade, muitos ainda nem imaginam o que seja este propósito: trazer o Reino de D’us para a humanidade. Pregar a Salvação, cumprir e ensinar a Torah, resistir ao mundo e a satanás, fazem parte deste propósito.
Se somos salvos, que vivamos como tais, separados das contaminações.
No Reino de D’us, Yeshua é o Rei, e se existe um Rei, existem AS LEIS deste Reino.
Estas Leis, o próprio Rei as cumpriu da forma correta e JAMAIS AS ABOLIU, pois o Seu Reino é caracterizado por estas Leis – A TORAH PLENIFICADA E APERFEIÇOADA PELO REI.
Por que existe um desprezo desta igreja em relação aos judeus?
Por que esta igreja não tem o costume de orar por Jerusalém?
Por que esta igreja interpreta que toda a forma de lei descrita na Nova Aliança diz respeito a Torah?
Por que esta igreja insiste em afirmar que ela substituiu a Israel?
Por que esta igreja insiste em afirmar que os judeus ainda permanecem na incredulidade?
Por que esta igreja insiste em afirmar que a Torah foi abolida por Yeshua?
Porque ela se tornou AUTO-SUFICIENTE.
Se ensinam que esta Lei foi abolida, que esta igreja substituiu a Israel, que agora estão firmados na ‘fé protestante’, que o Reino de D’us ainda virá, com certeza não estamos vivendo como ‘povo escolhido de D’us’.
A Eleição nos traz RESPONSABILIDADES, OBRIGAÇÕES, MANIFESTAÇÕES VISÍVEIS DE FÉ, UM COMPORTAMENTO QUE CONDIZ COM ESTA ELEIÇÃO, TANTO PARA ISRAEL, QUANTO PARA A IGREJA!
Somos povo escolhido de D’us, ou povo escolhido da ‘denominação’? Ou povo escolhido da ‘Reforma’? Ou povo escolhido ‘dos pais da igreja’, tanto os de Roma quanto os do ‘Protestantismo’?
Esta igreja que também se diz ‘cristã’, não por causa do Messias, mas por causa de uma religião chamada ‘cristianismo’, não por causa do autêntico cristianismo de Yeshua, mas por causa das decisões dos concílios romanos, esta mesma igreja ainda não sabe quem é, nem por que está aqui, tornando-se oficialmente independente de Israel e do povo judeu, descaracterizando até mesmo o Messias.
Ela perdeu sua identidade, suas características, sua postura, sua realidade espiritual, sua sã doutrina, sua herança, suas promessas, enfim, a maior parte de todas as coisas que o Eterno, Pai do Nosso Senhor e Salvador Yeshua Ha Machiah desejou que esta igreja alcançasse, cumprindo os reais propósitos Dele aqui na Terra, quase tudo foi lançado fora.
Quando esta religião chamada de cristianismo foi criada, teve como base a exclusão de tudo aquilo que pertence a um povo no qual o Messias é o Caminho que nos aproxima, na condição de gentios, não somente de D’us, mas também deste povo a quem foram estabelecidas a identidade, as características, a postura, a realidade espiritual, a sã doutrina, a herança, as promessas, não por rabinos, nem por mestres, nem por dogmas ou doutrinas humanas, nem pela Reforma, nem pelos concílios romanos, mas PELO PRÓPRIO D’US – ESTE POVO É ISRAEL.

É por isto que esta igreja vive um engano, uma fé fragmentada e desprovida do que está arraigado, que veio por uma semente plantada nesta terra pelo próprio D’us criando raízes profundas e se tornando uma oliveira frutífera chamada Israel.
Árvore frondosa que recebeu novos ramos que foram enxertados por causa da incredulidade de muitos, como que diz “Mas, pela sua queda, veio a salvação aos gentios, para os incitar à emulação.” (Romanos 11:11b).
Sendo assim, ela se encontra na condição que está: vazia de D’us, apesar Dele agir nesse meio por Seu amor e Sua misericórdia.
Cremos que a Igreja de Yeshua como Congregação, tem uma necessidade urgente de uma Restauração genuína, aos moldes da Igreja dos Apóstolos no 1° século, que era enxertada em Israel, formada por judeus e gentios crentes.
Esta comunidade que tinha uma identidade judaica baseada nas Escrituras e na pessoa do Messias, sempre celebrou as Festas de Israel, judeus e gentios unidos por Yeshua (1 Coríntios 5:8; Colossenses 2:16).
E por que hoje a igreja ainda celebra uma festa de origem pagã, a festa do natal?
Por que ainda permitem a aquisição de árvores natalinas e de todos os enfeites, quando a origem destes é idólatra e pagã?
Por que insistem em comemorar o nascimento do Messias nos 25 de dezembro, quando esta data nunca foi natalícia de Yeshua, mas o dia de um deus do paganismo?
Por que insistem em consagrar o domingo, afirmando que este é o “Dia do Senhor”?
Estas e outras coisas mais foram sincretizadas pelo cristianismo romano, tendo continuidade nos meios cristãos, inclusive evangélicos.
Não é a intenção do Movimento de Restauração da Igreja do Messias transformar os gentios em ‘judeus’, ou ‘judaizar’ a Igreja e as denominações.
O que nos interessa são as verdades que foram subtraídas e substituídas por decisões humanas, sem nenhuma inspiração divina, que motivou esta lástima que estamos vivendo hoje, uma igreja que se arrasta diante de D’us.

NÃO HÁ IGREJA, NÃO HÁ CONGREGAÇÃO, NÃO HÁ KEHILAT VERDADEIRA COMO SENDO O CORPO DO MESSIAS, SEM ISRAEL!

Observem alguns dos nomes de denominações evangélicas:

ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA FIEL ATÉ DEBAIXO D’ÁGUA
IGREJA EVANGÉLICA A ÚLTIMA TROMBETA SOARÁ
IGREJA EVANGÉLICA ABOMINAÇÃO À VIDA TORTA
IGREJA EVANGÉLICA ADÃO É O HOMEM
COMUNIDADE DO CORAÇÃO RECICLADO
IGREJA EVANGÉLICA DO MONTE DE ORAÇÃO
IGREJA EVANGÉLICA DOS HINOS MARAVILHOSOS
CONGREGAÇÃO ANTI-BLASFÊMIAS
IGREJA EVANGÉLICA FACHO DE LUZ
IGREJA EVANGÉLICA FLORZINHA DE JESUS
CONGREGAÇÃO PASSO PARA O FUTURO
IGREJA EVANGÉLICA LUZ NO ESCURO
IGREJA DA CRUZ ERGUIDA PARA O BEM DAS ALMAS
IGREJA EVANGÉLICA MISSÃO CELESTIAL PENTECOSTAL
CRUZADA DE EMOÇÕES
IGREJA EVANGÉLICA O SENHOR VEM NO FIM
CRUZADA DO PODER PLENO E MISTERIOSO
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL A ÚLTIMA EMBARCAÇÃO PARA CRISTO
CRUZADA EVANGÉLICA DO MINISTÉRIO DE JEOVÁ DEUS DO FOGO
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL CEIO EU NA BÍBLIA
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL CUSPE DE CRISTO
IGREJA “A” DE AMOR
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL DA BÊNÇÃO ININTERRUPTA
IGREJA “EU SOU A PORTA”
IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL LABAREDA DE FOGO
IGREJA A FÉ DE GIDEÃO
IGREJA EVANGÉLICA SUBIMOS COM JESUS
IGREJA ACEITA A JESUS
IGREJA EXPLOSÃO DA FÉ
IGREJA FILHO DO VARÃO
IGREJA AUTOMOTIVA DO FOGO SAGRADO
IGREJA MENINA DOS OLHOS DE DEUS
IGREJA BARCO DA SALVAÇÃO
IGREJA NA PEDRA
IGREJA BATISTA A PAZ DO SENHOR E ANTI-GLOBO
IGREJA OLIMPÍADA BÍBLICA
IGREJA BATISTA DA POMBA SACRIFICADA
IGREJA PALMA DA MÃO DE CRISTO
IGREJA BATISTA INCÊNDIO DE BÊNÇÃOS
IGREJA BATISTA Ô GLÓRIA!
IGREJA PENTECOSTAL DO FOGO AZUL
IGREJA BATISTA PONTE PARA O CÉU
IGREJA PENTECOSTAL JESUS NASCEU EM BELÉM
IGREJA C.R.B. (Cortina Repleta de Bênçãos)
IGREJA PENTECOSTAL JESUS VEM, VOCÊ FICA
IGREJA CAVERNA DE ADULÃO
IGREJA PENTECOSTAL PLANETA CRISTO
IGREJA CHAVE DO ÉDEN
IGREJA CRISTO É SHOW
IGREJA POÇO DE JACÓ
IGREJA DA ÁGUA ABENÇOADA
IGREJA DA BÊNÇÃO MUNDIAL FOGO DE PODER
IGREJA SOCORRISTA EVANGÉLICA
IGREJA DA ORAÇÃO EFICIENTE
IGREJA DA POMBA BRANCA
IGREJA TRYBO CÓSMIKA
IGREJA DEKANTHALABASSI
IGREJA DO MANTO BRANCO
IGREJA DO TRANCE DIVINO
IGREJA DOS HABITANTES DE DABIR
IGREJA E.T.Q.B. (Eu Também Quero a Bênção), etc.

Por estes nomes podemos entender que há uma grande ‘confusão’ de identidade.
A igreja se convergiu a todos os gostos, com a justificativa de que assim o Evangelho está alcançando a muitos.
Com certeza D’us está salvando, libertando e curando vidas em muitas denominações, não importa o nome, porque Ele é amor.
Porém, com esta enorme diversidade de denominações e teologias, sobram espaço para proselitismos, concorrências, disputas, acusações, comércios e tantas outras coisas prejudiciais, existindo divisões políticas e eclesiásticas em prol das denominações e dos ministérios pastorais.
Yeshua estabeleceu a Congregação na Nova Aliança para que ela vivesse em UNIDADE:
“Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que, pela Sua Palavra, hão de crer em mim; PARA QUE TODOS SEJAM UM, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu, em Ti;
QUE TAMBÉM ELES SEJAM UM EM NÓS, para que o mundo creia que Tu me enviaste.
E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, PARA QUE SEJAM UM, como Nós somos um.
Eu neles, e Tu em mim, PARA QUE ELES SEJAM PERFEITOS EM UNIDADE, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim e que tens amado a eles como Me tens amado a mim.”
(João 17:20-23).
Ratificou estas palavras o rabino Sha’ul: “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz:
há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
um só Elohim e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos.”
(Efésios 4:1-6).

Nós vemos isto hoje? Yeshua está satisfeito com o que Ele vê?
Cremos que não.
Porque a Sua Igreja deveria ser muito mais do que ela é, fazer muito mais do que já faz, crescer muito melhor e mais do que tem crescido.
Ela deveria impactar muito mais, testemunhar muito mais, ser uma luz que realmente chama a atenção do mundo.
Muitas pessoas aconselham: “congregue onde você se sinta bem”. Então significa que as denominações trabalham mais para agradar às pessoas do que a D’us?
O rabino Sha’ul escreveu:
“Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
E há diversidade de ministérios, mas Adonai é o mesmo.
E há diversidade de operações, mas é o mesmo Elohim que opera tudo em todos.
Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil.” (1 Coríntios 12:4-7);
“Agora, pois, há muitos membros, mas um corpo.”
(1 Coríntios 12:20).
Se a igreja estivesse conectada na mesma raiz, ela estaria mais estruturada na Verdade, mais alicerçada nos propósitos do Eterno, mais compromissada com o Reino Vindouro, mais fortalecida para enfrentar as crises existenciais do homem como a “anomia” (ausência de Torah), as doenças emocionais, os problemas econômicos, ambientais, etc.
No tempo do fim, ela estaria mais preparada para o grande encontro com Yeshua nos ares.

Muitos ensinam que o Evangelho é a “solução para o mundo”! O Evangelho, que no original significa “boas novas”, citado também no Tanach (Antigo Testamento), é a porta de entrada para o Reino de D’us, através Daquele que é a própria Porta, o próprio Evangelho em pessoa = YESHUA, O MESSIAS DE ISRAEL.
Muitos são os que entram por ela, são abençoados, libertos, mas quando aparece a porta estreita que conduz á Vida, que é a obediência aos Mandamentos pela fé, esta poucos a encontram.
YESHUA, A PORTA = muitos a encontram e muitos entram por ela: “Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E, em teu nome, não expulsamos demônios? E, em teu nome, não fizemos muitas maravilhas?”
YESHUA, A TORAH VIVA = poucos a encontram, a conhecem e vivem por ela: “E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que NÃO TENS TORAH.”
YESHUA, O SALVADOR = muitos O recebem e querem ser salvos;
YESHUA, O REI = poucos O recebem, pois não O reconhecem desta forma.
YESHUA, O FILHO DE ELOHIM = muitos crêem e querem se tornar filhos de Elohim também;
YESHUA, O JUDEU = poucos O conhecem assim, pois os Seus irmãos são conhecidos como “os rejeitados”;
YESHUA, O CRISTO = este afinal é o Fundador do Cristianismo, e muitos querem se tornar cristãos;
YESHUA, O MESSIAS DE ISRAEL = poucos sabem sobre isto, pois ignoram a salvação do povo judeu.
Mas cremos que esta triste realidade vai mudar, pois quanto mais esta igreja mergulha na sua própria auto-suficiência enganosa e sofre com isto, milhares de irmãos e irmãs já reconhecem e reconhecerão a extrema necessidade de se voltar às veredas antigas, ao princípio de tudo.
E se a Congregação começou com nossos irmãos e irmãs judeus, tendo o judeu Yeshua como o Cabeça, ela também começou a ser restaurada por outros muitos irmãos e irmãs judeus em todo o mundo, pois esta é a vontade de Elohim.

Randfal
SUSPENSO

Número de Mensagens : 166
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por oliveira leite em Seg 16 Abr 2012, 1:02 pm

Fora de contexto :risadinha:

Muitos ensinam que o Evangelho é a “solução para o mundo”! O Evangelho, que no original significa “boas novas”, citado também no Tanach (Antigo Testamento), é a porta de entrada para o Reino de D’us, através Daquele que é a própria Porta, o próprio Evangelho em pessoa = YESHUA, O MESSIAS DE ISRAEL.

Jesus mandou pregar o evangelho a toda a criatura

O evangelho é o velho testamento? hummm hummm hummm

oliveira leite
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6552
Idade : 51
Localização : Natal RN
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/04/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por Randfal em Ter 24 Abr 2012, 6:46 pm

Shalom para todos!

http://www.ensinandodesiao.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=221&Itemid=28

xauzinho

Randfal
SUSPENSO

Número de Mensagens : 166
flag : Brasil
Data de inscrição : 01/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por oliveira leite em Sex 27 Abr 2012, 9:26 pm

Vá com DeusCuidado quando for descer desse telhado.


Última edição por oliveira leite em Sex 27 Abr 2012, 9:54 pm, editado 1 vez(es)

oliveira leite
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6552
Idade : 51
Localização : Natal RN
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/04/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por oliveira leite em Sex 27 Abr 2012, 9:43 pm

A auto suficiência da Igreja não é enganosa, pois a Igreja de Jesus é alimentada pelo proprio Jesus
Aqueles que acham que a auto suficiencia da Igreja é enganosa
chama implicidamente Cristo de engano
sendo assim esse tópico foi criando em desarmonia com o evangelho e equivocado em sua essencia, dai gerar tanta polemica
pois a Igreja de jesus não é denominacional e é santa e vai morar nos céus.

oliveira leite
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6552
Idade : 51
Localização : Natal RN
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/04/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A auto-suficiência enganosa da Igreja

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 10:04 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum