O líder das igrejas protestantes calcula que dois milhões de fiéis votaram contra o Acordo de Paz