.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Já existíamos antes de nascermos
Hoje à(s) 5:37 pm por Eterna

» Um conselho aos debatedores de internet
Hoje à(s) 4:18 pm por Eterna

» Eleição, a dor e a loucura do incrédulo.
Hoje à(s) 4:03 pm por Eterna

» Qual a verdadeira intenção dos organizadores das manifestações?
Hoje à(s) 3:33 pm por Cartman

» Noticiário Escatológico
Hoje à(s) 12:15 pm por Jarbas

»  Endurecimeto do Faraó
Hoje à(s) 4:14 am por Lit San Ares

» Livre arbítrio, auto idolatria
Hoje à(s) 3:39 am por Lit San Ares

» PREDESTINAÇÃO DE DEUS
Ontem à(s) 10:10 pm por gusto

» Onde congregar?
Ontem à(s) 10:01 pm por gusto

Quem está conectado
64 usuários online :: 3 usuários cadastrados, 1 Invisível e 60 Visitantes :: 1 Motor de busca

irmão, Khwey, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Um desabafo sincero.

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Seg 12 Mar 2012, 10:03 am

Edigar Torres escreveu:
famado escreveu:No outro dia, saiu no O Globo que os evangélicos são os que mais doam dinheiro dentre todas as religiões.
É o que eu vejo, se porém, você usa como base para decidir suas ações o que eu negritei no seu quote, então te proponho a rever seus conceitos.

A Globo e a IURD tem entre si uma chateação longa e profunda. cutucadinha

E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por famado em Seg 12 Mar 2012, 10:32 am

O Edigar Torres deve ser pastor do IURD. Ele tem que crer no produto que vende.

Meu caro Edigar, se este é o seu caso. Peça perdão a Deus, arrume um emprego de verdade e vá viver uma vida digna.

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por famado em Seg 12 Mar 2012, 10:42 am

eramos escreveu:
Edigar Torres escreveu:
famado escreveu:No outro dia, saiu no O Globo que os evangélicos são os que mais doam dinheiro dentre todas as religiões.
É o que eu vejo, se porém, você usa como base para decidir suas ações o que eu negritei no seu quote, então te proponho a rever seus conceitos.

A Globo e a IURD tem entre si uma chateação longa e profunda. cutucadinha
De fato, mas a reportagem falava dos evangélicos em geral. Rapaz, e isso é verdade. A minha igreja presta alguns serviços sociais. Só que ela paga os profissionais. Ela paga psicólogas, professores de música, especialistas em tratamento de adictos, uma fonoaudióloga... para prestar serviços à população. Só que todos são evangélicos. Eu acho que todos deveriam prestar serviço de graça. Mas não. Todos querem o seu salário. Eles dão os seus dízimos, quando era mais interessante que se dispusessem a ajudar os aflitos gratuitamente. Nós evangélicos estamos trilhando o caminho da ganância financeira. Nós doamos dinheiro aos pastores esperando que recebamos uma contrapartida de Deus. Gostamos de citar o VT para nos dar apoio moral em nossa empreitada mesquinha e materialista. Somos maus e nos disfarçamos de bonzinhos. No nosso meio estão os mais fofoqueiros do trabalho, os mais gananciosos, os mais preguiçosos, os mais espertalhões, os mais velhacos, os piores educadores (boa parte dos bandidos são filhos de mãe crente), os mais caloteiros. Somos maus e estamos fazendo inveja ao diabo. Somos tão maus quanto a igreja inquisitora da idade média. Nos escondemos através da justificação pela fé para nos omitirmos de fazer o bem. Sem contar que somos reprimidos sexualmente.

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por silvamelo em Ter 13 Mar 2012, 12:28 am

famado escreveu:De fato, mas a reportagem falava dos evangélicos em geral. Rapaz, e isso é verdade. A minha igreja presta alguns serviços sociais. Só que ela paga os profissionais. Ela paga psicólogas, professores de música, especialistas em tratamento de adictos, uma fonoaudióloga... para prestar serviços à população. Só que todos são evangélicos. Eu acho que todos deveriam prestar serviço de graça. Mas não. Todos querem o seu salário. Eles dão os seus dízimos, quando era mais interessante que se dispusessem a ajudar os aflitos gratuitamente. Nós evangélicos estamos trilhando o caminho da ganância financeira. Nós doamos dinheiro aos pastores esperando que recebamos uma contrapartida de Deus. Gostamos de citar o VT para nos dar apoio moral em nossa empreitada mesquinha e materialista. Somos maus e nos disfarçamos de bonzinhos. No nosso meio estão os mais fofoqueiros do trabalho, os mais gananciosos, os mais preguiçosos, os mais espertalhões, os mais velhacos, os piores educadores (boa parte dos bandidos são filhos de mãe crente), os mais caloteiros. Somos maus e estamos fazendo inveja ao diabo. Somos tão maus quanto a igreja inquisitora da idade média. Nos escondemos através da justificação pela fé para nos omitirmos de fazer o bem. Sem contar que somos reprimidos sexualmente.
De fato... concordo com você em quase tudo o que disse... Só acho que você exagerou ao comparar com a inquisição.

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Ter 13 Mar 2012, 8:11 am

...além de sermos um bando de pidoes.
Pede, pede, pede...
Para alguns, nāo existe motivos para orar, se não tiver uma lista de pedidos.
Acabou o assunto.
Se meu filho e eu mantivermos um relacionamento na base de conceder desejos, ainda sim que necessários, dispenso este tipo de "amor" .

E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Ter 13 Mar 2012, 6:16 pm

famado escreveu:A minha igreja presta alguns serviços sociais. Só que ela paga os profissionais. Ela paga psicólogas, professores de música, especialistas em tratamento de adictos, uma fonoaudióloga... para prestar serviços à população. Só que todos são evangélicos. Eu acho que todos deveriam prestar serviço de graça. Mas não. Todos querem o seu salário. Eles dão os seus dízimos, quando era mais interessante que se dispusessem a ajudar os aflitos gratuitamente.
Tem que pagar e direito...as testemunhas da igreja faltaram com a verdade.:risadinha:


Justiça condena Igreja Mundial a indenizar missionária que trabalhava na igreja sem registro

Um processo que corria na justiça do trabalho movido por Ana Paula Carneiro Nidech contra a Igreja Mundial foi decidido em favor da trabalhadora, que provou ter tido relação de trabalho com a igreja, na qual trabalhava sem nenhum tipo de registro.

Nidech chefiava e realizava atendimentos no escritório da Igreja Mundial e teve seu vínculo empregatício com a igreja neopentecostal, liderada por Valdemiro Santiago, reconhecido novamente pela Justiça carioca. A igreja havia entrado com recurso alegando que Nidech prestava serviços voluntários, como “obreira” e “missionária” à instituição religiosa.

Em detrimento do recurso apresentado pela igreja, a 10ª Turma do TRT-1(Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região) manteve a determinação do pagamento das verbas trabalhistas referentes às atividades de abril de 2007 a dezembro de 2008.

De acordo com o site Ultima Instância, a relatora do recurso ordinário, desembargadora Rosana Salim Villela Travesedo, afirmou que Igreja reconheceu ter se beneficiado da mão-de-obra da trabalhadora até julho de 2008, sem, contudo, provar que os serviços eram voluntários.

Uma das evidências usadas para a decisão da justiça foi o depoimento prestado por um pastor da instituição, que confirma que Ana Paula Nidech chefiava o setor onde trabalhava e exercia funções de atendente no escritório da igreja, usufruindo de rápido intervalo para almoço. A desembargadora se baseou nessa prova testemunhal para comprovar a presença dos requisitos de vínculo empregatício.

A relatora do caso ressaltou ainda que as testemunhas apresentadas pela igreja faltaram com a verdade, conforme concluiu o juiz, pois afirmaram que a Igreja efetuava a anotação da carteira de trabalho e efetivava recolhimentos previdenciários

Colaboração Gospelmais.


E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por WhatWeCameHereFor em Qua 14 Mar 2012, 11:52 am

Alguém aqui já ouviu falar sobre a bíblia do cético? A alguns meses atrás eu dei uma lida em boa parte do site e tive que concordar com a maioria das coisas.
Algumas coisas são um pouco forçadas, mas realmente muito do que está lá tem sentido.
O que acham?

WhatWeCameHereFor
Barro
Barro

Número de Mensagens : 2
flag : Brasil
Data de inscrição : 07/03/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Edigar Torres em Qua 14 Mar 2012, 3:10 pm

famado escreveu:
eramos escreveu:
Edigar Torres escreveu:
famado escreveu:No outro dia, saiu no O Globo que os evangélicos são os que mais doam dinheiro dentre todas as religiões.
É o que eu vejo, se porém, você usa como base para decidir suas ações o que eu negritei no seu quote, então te proponho a rever seus conceitos.

A Globo e a IURD tem entre si uma chateação longa e profunda. cutucadinha
De fato, mas a reportagem falava dos evangélicos em geral. Rapaz, e isso é verdade. A minha igreja presta alguns serviços sociais. Só que ela paga os profissionais. Ela paga psicólogas, professores de música, especialistas em tratamento de adictos, uma fonoaudióloga... para prestar serviços à população. Só que todos são evangélicos. Eu acho que todos deveriam prestar serviço de graça. Mas não. Todos querem o seu salário. Eles dão os seus dízimos, quando era mais interessante que se dispusessem a ajudar os aflitos gratuitamente. Nós evangélicos estamos trilhando o caminho da ganância financeira. Nós doamos dinheiro aos pastores esperando que recebamos uma contrapartida de Deus. Gostamos de citar o VT para nos dar apoio moral em nossa empreitada mesquinha e materialista. Somos maus e nos disfarçamos de bonzinhos. No nosso meio estão os mais fofoqueiros do trabalho, os mais gananciosos, os mais preguiçosos, os mais espertalhões, os mais velhacos, os piores educadores (boa parte dos bandidos são filhos de mãe crente), os mais caloteiros. Somos maus e estamos fazendo inveja ao diabo. Somos tão maus quanto a igreja inquisitora da idade média. Nos escondemos através da justificação pela fé para nos omitirmos de fazer o bem. Sem contar que somos reprimidos sexualmente.

Não existe pecado nenhum em trabalhar remuneradamente. Como você espera que um professor de música ou um psicólogo, que trabalhe em tempo integral, sustente sua família e a si mesmo, sem um salário??? Ofereço-lhe a seguinte leitura:

O dinheiro macula tudo?

Retiremos da frase a seguir toda a piedade cívica que lhe foi inseminada em nossa era politicamente correta e vejamos o que há de errado com ela:
"Todos nós devemos oferecer voluntariamente parte do nosso tempo a causas caritativas, devolvendo à sociedade nossas fortunas por meio de um trabalho amoroso".

Não podemos argumentar contra a instrução apresentada e nem contra o sentimento por trás dela. Não há nada de errado com a entrega e com o sacrifício. O problema está na escolha da linguagem. Ela contém uma palavra e três frases cujo uso comum pode ser altamente enganoso, induzindo a vários tipos de erro.

Voluntário

Spoiler:
A palavra "voluntário" é utilizada para descrever uma pessoa que faz coisas pelo bem de outras, e todos nós conhecemos o propósito do termo. Falamos sobre voluntarismo o tempo todo. Vários países possuem hoje aquilo que é chamado de setor voluntário, também chamado de Terceiro Setor, o qual supostamente se refere a organizações sem fins lucrativos e que possuem empregos não remunerados. Porém, pensemos no significado literal de voluntário: trata-se do ato de se fazer uma escolha consciente e não coagida, e agir de acordo com a opção escolhida. O oposto seria ser forçado a fazer algo. Assim, prisioneiros são forçados a dormir sobre capachos e pessoas no exército são forçadas a marchar de um lado para outro. Já você e eu podemos voluntariamente optar por dormir sobre um capacho ou marchar de um lado para outro.

É verdade que as pessoas que dedicam seu tempo a servir sopas aos pobres não são forçadas a estarem lá. Porém, de que maneira a introdução de dinheiro, salários e lucros altera de modo geral a natureza da escolha? Por acaso os supervisores assalariados de abrigos para os sem-teto são menos voluntários do que outras pessoas? De modo algum. Eles optaram por uma escolha consciente, que é a de servir aos pobres, assim como "voluntários" não pagos também fizeram a escolha consciente de estarem ali. Todos eles são livres para ir fazer qualquer outra coisa.

Expandamos este raciocínio agora para o setor comercial, que busca o lucro. Nenhuma pessoa que trabalha no varejo ou com softwares ou em qualquer outra indústria em uma economia livre está sendo forçada a fazer alguma coisa. Todas elas estão ali por escolha voluntária, resultado de terem avaliado uma variedade de opções e de terem escolhido uma opção em detrimento de todas as outras opções possíveis (as oportunidades renunciadas representam aquilo que pode ser chamado de "custo" daquela escolha).

O médico que ministra remédios, o advogado que escreve um documento jurídico, o vendedor que vende um terno para você, o balconista que opera o caixa — todos estes são voluntários. O bancário é um voluntário. A introdução do dinheiro nas trocas (e todas as ações, caritativas ou lucrativas, são trocas) não altera nada a respeito da natureza da ação. Ela não faz com que algo deixe de ser voluntário e passe a ser forçado.

E isto não é apenas uma disputa terminológica. Há um significado ideológico em se atribuir o termo "voluntário" à descrição de atividades não remunerativas. Tal atitude evidencia um preconceito contra a economia monetária, como se as trocas guiadas pelo dinheiro e pelo lucro representassem um objetivo corrompido e maculado, ao passo que a remoção do dinheiro torna uma ação pura e além de qualquer reprovação. É claro que tal raciocínio está completamente equivocado.

Já passou da hora de desmistificarmos a função do dinheiro na sociedade. Em uma economia de escambo, bens e serviços são trocados diretamente uns pelos outros. Isto funcionava bem apenas para economias totalmente primitivas. Tão logo surgiram arranjos um pouco mais complexos, o escambo chegou ao seu limite. Você não pode trocar uma vaca por um ovo, ou uma fábrica de automóveis por um chapéu, pois estes bens não são divisíveis. Você precisa da existência de algo chamado dinheiro para permitir estas trocas. O dinheiro funciona como um substituto que permite com que trocas diretas sejam realizadas por meios indiretos. Em vez de trocar sua vaca por um ovo, você pode agora apenas trocar parte do produto de sua vaca (leite) por dinheiro e, então, o dinheiro pela quantidade de ovos desejada. O dinheiro é um mero substituto para bens e serviços que serão transacionados mais tarde.

O dinheiro também possui a vital função de permitir o cálculo econômico, de modo que você possa saber de antemão se as transações serão lucrativas (produtivas e não destrutivas) ou se gerarão prejuízos (não produtivas e destrutivas). Logo, a instituição do dinheiro não é inerentemente corrupta ou maculada; ela é extremamente útil e necessária, e surge meramente em resposta ao desejo que as pessoas têm de cooperar entre si.

Devolver à sociedade

Spoiler:
"Devolver à sociedade" é uma frase utilizada para implorar àquelas pessoas que obtiveram sucesso em seus empreendimentos legítimos para que doem seu tempo, talento e riqueza a algumas causas fora da sua área de atuação. Não há problemas com o pedido de servir aos outros, mas há um enorme problema com o termo "devolver". Ele sugere que as pessoas que têm dinheiro tomaram alguma coisa de outras pessoas. Embora isso seja verdade para pessoas que trabalham no setor público, é curioso notar que não se vê pedidos lacrimosos para que estas devolvam à sociedade o que tomaram. Tais pedidos aparentemente se aplicam apenas a empreendedores que trabalham no genuíno setor voluntário da economia, que é o setor privado. E o fato de um empreendedor privado ter obtido sucesso em seu empreendimento indica precisamente que sua riqueza foi obtida não pelo confisco dos bens alheios, mas sim pelo fato de ele ter sabido cooperar com consumidores que voluntariamente adquiriram seus bens e serviços.

Vejamos como isto funciona: quando você precisa de leite e está com pressa, você corre para a padaria ou para a loja de conveniência mais próxima e pega uma embalagem longa-vida. Você a leva até o caixa e o atendente diz quanto você deve pagar. Neste momento, há um cálculo sendo feito. O atendente determina que ele (mais especificamente, seu patrão) prefere seus $2,50 ao leite. Você, por outro lado, determinou que prefere o leite aos $2,50 que estão sendo pedidos em troca. Ato contínuo, vocês dois fazem a transação e voilà — ambos estão em melhor situação em consequência deste ato.

Você prestou um serviço àquele estabelecimento, e aquele estabelecimento prestou um serviço a você. O estabelecimento ficou mais rico em termos de dinheiro e você ficou mais rico em termos de bens. O que cada um dos lados deve ao outro após esta troca? Absolutamente nada. O que a justiça exige? Que eles mantenham este acordo comercial, e nada mais. O leite não pode estar azedo. Caso você tenha pagado com cheque, ele tem de ter fundos. Nada mais é requerido. Agora, se o atendente estiver doente e precisando de ajuda, ou se o consumidor é pobre e precisa de abrigo, isto é outra questão. Porém, o que está sendo pedido neste caso é algo completamente isolado e sem nenhuma conexão com os resultados da transação econômica.

Expandindo esta lógica um pouco mais, podemos ver que ela se aplica a todas as pessoas que ganham dinheiro, mesmo àquelas que ganham muito dinheiro (de forma honesta e voluntária, é claro). Mesmo um indivíduo extremamente rico, e desde que sua riqueza tenha advindo de trocas mutuamente benéficas, não tem de "devolver" nada à sociedade, pois ele não retirou nada dela. Com efeito, o inverso é que é totalmente verdadeiro: empreendimentos dão à sociedade. Empreendedores correm enormes riscos e se aventuram em investimentos incertos precisamente por estarem com o objetivo de servir aos outros. Sua riqueza é apenas um sinal de que eles alcançaram seus objetivos.

Trabalho amoroso

Spoiler:
A frase "trabalho amoroso" é utilizada como um eufemismo para trabalhar sem receber. É uma frase apropriada caso seu significado esteja restrito apenas àquelas pessoas que amam tanto o seu trabalho que estão dispostas a efetuá-lo mesmo sem nenhuma remuneração. Mas a frase, erroneamente, também carrega a implicação de que, se você está sendo pago, então não é um trabalho feito por amor e com amor.

Certamente, empregados bem sucedidos são majoritariamente aqueles que adoram seu trabalho. Que eles recebam salários em troca de seus serviços prestados é apenas um sinal do valor que o proprietário da empresa atribui ao seu trabalho. Ambos estão cooperando para suas satisfações mútuas, algo que pode perfeitamente ser classificado como uma forma de demonstrar amor. Sendo assim, todo trabalho em um livre mercado é um trabalho amoroso. Ambos os lados estão dando e recebendo.

Outra maneira infeliz de se empregar esta frase é inferindo que, se você se recusar a trabalhar voluntariamente, sem salários, então você não está demonstrando amor. É um fato inegável que o uso do tempo significa o uso do mais valioso recurso que possuímos. Se um trabalhador abre mão de um dia de trabalho e seu salário é descontado por isso, ele pode estar abdicando de uma quantia considerável de sua renda. Esta perda de renda é o seu custo; é o que ele paga para fazer um "trabalho amoroso". Portanto, ele não está apenas abrindo mão de sua renda: de certa forma, ele está contribuindo com aquilo que de outra forma seria sua renda para a causa que ele está servindo. E se este dinheiro fosse originalmente para comprar alimentos ou remédios para seus filhos? Neste caso, fazer um "trabalho amoroso" acabou se revelando um ato de crueldade.

Tal raciocínio é válido até mesmo para o mais rico dos empreendedores. E se ficar trabalhando — até mesmo ganhando dinheiro — for a melhor forma de servir à comunidade? E se o indivíduo for um farmacêutico ou um médico ou um gerenciador de website que está ajudando a fornecer informações vitais sobre saúde ou qualquer outro assunto essencial? Trabalhar em troca de salários representa uma contribuição tão grande para a sociedade quanto qualquer tipo de trabalho voluntário. E se um indivíduo é o responsável pelo bem-estar de milhares de empregados? Não seria um ato de amor ele permanecer neste trabalho assalariado?

Não há motivo algum para se afirmar que só há amor quando o indivíduo doa seu tempo sem nenhum pagamento em troca. Você pode pagar ou ser pago e ainda assim demonstrar amor.

Novamente, isso tudo não é apenas uma questão semântica. Trata-se de uma abordagem das suposições que muitas pessoas fazem sobre questões econômicas e que afetam a ética. As pessoas frequentemente aceitam sem questionar a ideia de que o "vínculo ao dinheiro" é incompatível com uma vida ascética e limpa. Porém, só é possível ter uma compreensão realmente clara a respeito deste assunto se entendermos que o dinheiro é meramente uma instituição instrumental que serve à causa da cooperação humana, gerando melhorias e benfeitorias.

Sim, devemos fazer trabalhos voluntários para causas caritativas, e fornecer à sociedade nosso trabalho amoroso. Só que isso não necessariamente significa servir sopa em abrigos para sem-tetos. Ao contrário, pode significar receber uma polpuda renda como corretor imobiliário ou como investidor em empreendimentos imobiliários. Quando finalmente entendermos que a economia de mercado não apenas não é incompatível com a justiça social, como na realidade ela é uma genuína forma de se fazer a justiça social no mundo real, passaremos a ter mais cuidado com a linguagem que utilizamos.

Fonte: Blog Misses BR


IURD, o lugar onde a Fé traz resultados positivos práticos na vida das pessoas!!!

Edigar Torres
Safira
Safira

Número de Mensagens : 181
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/09/2011

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000882963091

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por famado em Qua 14 Mar 2012, 3:51 pm

Meu caro Edigar, temos uma dívida com a sociedade que está sendo paga pelos espíritas e católicos em suas empreitadas de caridade. Somos apenas discurso. Nenhuma religião ou seita pede tanto dinheiro como as nossas igrejas e ninguém promete que Deus retribuirá. Só nós. O cristianismo evangélico no Brasil é sinônimo de lucro para a maioria daqueles que o pregam de púlpito.

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Edigar Torres em Qua 14 Mar 2012, 4:00 pm

famado escreveu:Meu caro Edigar, temos uma dívida com a sociedade que está sendo paga pelos espíritas e católicos em suas empreitadas de caridade. Somos apenas discurso. Nenhuma religião ou seita pede tanto dinheiro como as nossas igrejas e ninguém promete que Deus retribuirá. Só nós. O cristianismo evangélico no Brasil é sinônimo de lucro para a maioria daqueles que o pregam de púlpito.

Como assim sendo paga por espíritas e católicos??? Uma pessoa que trabalha 6 dias por semana, remuneradamente, e que tem seus rendimentos confiscados em quase 50%, em impostos, pelo governo, para serem gastos em obras sociais, é menos digna que um espírita, que herdou boas condições financeiras de seus pais, e por isso estudou medicina, não precisa de dinheiro e atende de graça em seu consultório?

De que dívida para com a sociedade você está falando?

Caridade (Prestação de serviços gratuitos ou doação de bens para pobres) é algo extremamente prejudicial para a economia e para a sociedade em geral.

Claro que refiro à "Caridade" segundo os conceitos desvirtuados que temos atualmente, e não exatamente aos ensinamentos de Jesus sobre como devemos proceder para com o próximo.


IURD, o lugar onde a Fé traz resultados positivos práticos na vida das pessoas!!!

Edigar Torres
Safira
Safira

Número de Mensagens : 181
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/09/2011

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000882963091

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Qua 14 Mar 2012, 5:14 pm

Edigar Torres escreveu:Uma pessoa que trabalha 6 dias por semana, remuneradamente, e que tem seus rendimentos confiscados em quase 50%, em impostos, pelo governo, para serem gastos em obras sociais...
Se dependesse dos Edires e Valdomiros os descontos no holerith aumentariam no mínimo mais 10% diretamente para os seus cofres. :risadinha:
...e nem duvido que isso já aconteça.

Além de que, nestes 50% que você afirmou, boa parte é IRPF e INSS, muito pouco revertidos para fins sociais.
E mais, neste confisco, ainda que toda a renda fosse revertida na totalidade para fins sociais, não teríamos exercido de forma alguma a semente do amor ao próximo e a generosidade, pois isso não se faz de maneira compulsória.

Edigar Torres escreveu:Caridade (Prestação de serviços gratuitos ou doação de bens para pobres) é algo extremamente prejudicial para a economia e para a sociedade em geral.
Com todo respeito, não entendi como posso prejudicar extremamente a economia, entregando algumas roupas aos necessitados.

Sds.

E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

logo perfil legal

Mensagem por Guilherme em Qua 14 Mar 2012, 10:11 pm

Nada haver com o debate, mas gostei muito da imagem "evolucao" da pessoa chegando ate a Cruz.

..onde tem uma camiseta com esse logo?

Sera que tem?

Valeu G

Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por famado em Qui 15 Mar 2012, 7:00 am

Edigar Torres escreveu:
famado escreveu:Meu caro Edigar, temos uma dívida com a sociedade que está sendo paga pelos espíritas e católicos em suas empreitadas de caridade. Somos apenas discurso. Nenhuma religião ou seita pede tanto dinheiro como as nossas igrejas e ninguém promete que Deus retribuirá. Só nós. O cristianismo evangélico no Brasil é sinônimo de lucro para a maioria daqueles que o pregam de púlpito.

Como assim sendo paga por espíritas e católicos??? Uma pessoa que trabalha 6 dias por semana, remuneradamente, e que tem seus rendimentos confiscados em quase 50%, em impostos, pelo governo, para serem gastos em obras sociais, é menos digna que um espírita, que herdou boas condições financeiras de seus pais, e por isso estudou medicina, não precisa de dinheiro e atende de graça em seu consultório?

De que dívida para com a sociedade você está falando?
Aquela que está sendo paga por aquele grupo de voluntários que sai nas madrugadas alimentando os mendigos, que doa parte de seu tempo nos orfanatos e asilos e que gasta parte do seu dinheiro pagando o colégio de uma criança pobre e coisas parecidas com estas.

Caridade (Prestação de serviços gratuitos ou doação de bens para pobres) é algo extremamente prejudicial para a economia e para a sociedade em geral.
Certamente que doar o dinheiro para o pastor ter uma vida boa não seria extremamente salutar para a economia e a sociedade em geral

Claro que refiro à "Caridade" segundo os conceitos desvirtuados que temos atualmente, e não exatamente aos ensinamentos de Jesus sobre como devemos proceder para com o próximo.
Não fale mais de Jesus para ninguém a não ser que seja através de atos de amor verdadeiro ao próximo, que certamente não englobam encher o saco dos outros com proselitismo hipócrita.


Última edição por famado em Qui 15 Mar 2012, 10:05 am, editado 1 vez(es)

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Edigar Torres em Qui 15 Mar 2012, 9:05 am

eramos escreveu:
Com todo respeito, não entendi como posso prejudicar extremamente a economia, entregando algumas roupas aos necessitados.

Sds.

Acho que encontramos a raiz do problema. Você carece de conhecimentos sobre economia. Recomendo o excelente Blog Mises BR:

mises.org.br


IURD, o lugar onde a Fé traz resultados positivos práticos na vida das pessoas!!!

Edigar Torres
Safira
Safira

Número de Mensagens : 181
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/09/2011

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000882963091

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Qui 15 Mar 2012, 10:18 am

Edigar Torres escreveu:
eramos escreveu:Com todo respeito, não entendi como posso prejudicar extremamente a economia, entregando algumas roupas aos necessitados.
Sds.
Acho que encontramos a raiz do problema. Você carece de conhecimentos sobre economia. Recomendo o excelente Blog Mises BR:
mises.org.br
Dei uma olha na sua dica; tem alguns artigos interessantes, mas não encontrei nenhuma projeção de PIB, IGPM, ICC, não fala nada do IBOVESPA, commodities, preço do café no mercado futuro, alumínio, LTN, CDI...
Muito pouco provável, prá não dizer impossível, que os diretores da cúpula financeira da Record utilizarão este site para tomar decisões que mudarão os rumos da empresa.

Tem alguns sites bons que lhe dão/darão noções e ferramentas econômicas:

  • http://www.americaeconomia.com.br/
  • http://epocanegocios.globo.com/
  • http://www.valor.com.br/
  • http://economia.uol.com.br/
  • http://www.itau.com.br/itaubba-pt/pesquisa-economica/analises-economicas/projecoes/

Tem muitos outros...
Mas te falo uma coisa com toda certeza, Jesus não trouxe ao mundo novos paradigmas econômicos.

Jesus não estava nem um pouco preocupado com o PIB de Israel ou mesmo o índice de Confiança do consumidor da época.

Mas veja:

Lucas 10:
30 Em resposta, disse Jesus: "Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto.
31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado.
32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado.
33 Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele.
34 Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele.
35 No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e lhe disse: 'Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver'.
36 "Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?"
37 "Aquele que teve misericórdia dele", respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: "Vá e faça o mesmo".


...muitas poucas igrejam pregam a generosidade, a caridade, o perdão, a tolerância...no tocante à caridade, muitas dizem que assumem parte deste papel (às vezes por conveniência além de que muitas recebem ajuda $$$ dos governos para manter escolas ou asilos, por exemplo) impedindo assim que esta semente seja plantada em nós.

Ademais, não irei mais discutir sobre economia neste tópico, fique à vontade para abrir um assim que julgar oportuno.
Sds.


Última edição por eramos em Qui 15 Mar 2012, 10:43 am, editado 1 vez(es)

E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por E.Ramos em Qui 15 Mar 2012, 10:22 am

Guilherme escreveu:Nada haver com o debate, mas gostei muito da imagem "evolucao" da pessoa chegando ate a Cruz.
..onde tem uma camiseta com esse logo?
Sera que tem?
Valeu G
Camiseta eu desconheço, mas se quiser, lhe envio a imagem em jpeg por mp...de repente alguém na net deve fazer a "impressão" na camiseta.
Sds.

E.Ramos
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 1193
Localização : São Paulo
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/06/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Edigar Torres em Qui 15 Mar 2012, 10:33 am

eramos escreveu:
Dei uma olha na sua dica; tem alguns artigos interessantes, mas não encontrei nenhuma projeção de PIB, IGPM, ICC, não fala nada do IBOVESPA, commodities, preço do café no mercado futuro, alumínio, LTN, CDI...

Amigo, o site que eu indiquei não se propõe a ensinar ninguém a ganhar dinheiro. Trata-se de estudos econômicos, como por exemplo, o porque dos impostos serem um câncer para a sociedade.



IURD, o lugar onde a Fé traz resultados positivos práticos na vida das pessoas!!!

Edigar Torres
Safira
Safira

Número de Mensagens : 181
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/09/2011

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000882963091

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por famado em Qui 15 Mar 2012, 1:36 pm

Tem algum estudo sobre o fluxo de capitais que escoa do bolso dos pobres despreparados e ingênuos em direção aos bolsos dos pastores que vivem das contribuições de tais infelizes?

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Edigar Torres em Qui 15 Mar 2012, 4:16 pm

famado escreveu:Tem algum estudo sobre o fluxo de capitais que escoa do bolso dos pobres despreparados e ingênuos em direção aos bolsos dos pastores que vivem das contribuições de tais infelizes?

Só resta orar por você.


IURD, o lugar onde a Fé traz resultados positivos práticos na vida das pessoas!!!

Edigar Torres
Safira
Safira

Número de Mensagens : 181
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/09/2011

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000882963091

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por oliveira leite em Qui 15 Mar 2012, 5:49 pm

Famado não contribua irmão
mas se sua preocupação é com os outros, ou seja com o dinheiro dos outros
não entendo
muitos estão gastando como querem
prostituição, bebidas, dizimos, jogos, o dinheiro é deles
e não me venha dizer que eles foram enganados por um homem de :chapeu:
e ai irmão proteja o seu e deixe o circo pegar fogo
ou então fique combatendo mesmo
orarei por voce por outra coisa , não por essa
pois isso não é pecado

oliveira leite
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6552
Idade : 51
Localização : Natal RN
flag : Brasil
Data de inscrição : 28/04/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Um desabafo sincero.

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 8:25 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum