.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Quem está conectado
60 usuários online :: 1 usuário cadastrado, Nenhum Invisível e 59 Visitantes :: 2 Motores de busca

Christiano

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Deus está tocando no seio de Israel

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Deus está tocando no seio de Israel

Mensagem por Ed em Sex 20 Maio 2011, 6:30 pm

Os eventos de Israel têm uma significação bíblica muito poderosa. Esta nação escolhida por Deus continua, após 63 anos do seu renascimento, a viver em franca desobediência contra Deus. Esta desobediência deve ser castigada e já estamos no primeiro estágio dos acontecimentos, que devem culminar nos sete anos da Grande Tribulação, durante os quais os sinistros desígnios do Anticristo levarão Israel a clamar pelo seu Messias, em verdadeiro arrependimento de sua milenar desobediência.
       
Zacarias profetizou esse tempo de angústia, no qual Deus decreta o retorno do Seu povo à sua terra de origem: “Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém...” (Zacarias 12:10-11-a).
       
Graças a Deus, esse tempo de angústia não vai terminar em tristeza, mas em grande alegria, com o retorno do Messias: “Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi, e para os habitantes de Jerusalém, para purificação do pecado e da imundícia. E acontecerá naquele dia, diz o SENHOR dos Exércitos, que tirarei da terra os nomes dos ídolos, e deles não haverá mais memória; e também farei sair da terra os profetas e o espírito da impureza”.  (Zacarias 13:1-2).
              
 O Apóstolo Paulo documentou cuidadosamente as palavras de Zacarias para os santos do Novo Testamento. Jamais deveríamos pensar, nem sequer por um momento, que Deus tenha desistido de Israel. Não existe uma teologia mais falsa do que a do “Dominionismo”, a qual se volta contra a nação que trouxe o Salvador ao mundo. Através de Paulo, o Espírito Santo nos ensina: “Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades” (Romanos 11:25-26).  
          
É emocionante saber que existem três “Festas de Yaveh”, as quais, brevemente, talvez, Israel esteja celebrando. Somente os 144 mil judeus celebrarão a “Festa das Trombetas” e até mesmo esta companhia deixará de celebrar o momento glorioso do Arrebatamento. Eles serão salvos e selados no  primeiro dia da “Festa da Expiação”, a qual prefigura os sete anos da Grande Tribulação.
       
Glorioso será o momento em que todo o Israel se tornará o cumprimento da “Festa dos Tabernáculos”, uma celebração que deve perdurar 1.000 anos, junto com todos os santos que vão regressar à Terra na companhia do Senhor, nos ares.  As quatro primeiras festas já foram especificamente completadas no  período após a vida, morte e ressurreição de Cristo e no Dia de Pentecoste.
       
Vamos examinar o quadro bíblico das sete “Festas de Yaveh”. Tudo que Deus fez e revelou no Velho Testamento (VT) foi entregue como sombra e exemplo do Seu plano final da Redenção. Nada na Bíblia contradiz esta revelação - no VT e no Novo Testamento (NT). Todas as palavras e ações divinas representam o drama das coisas preordenadas e tudo isso pode ser chamado o “Drama da Redenção”. As sete festas principais formam o quadro profético de Jesus Cristo e da Redenção que Ele realizou. As festas de hoje são apenas uma amostra daquele cumprimento, festas que foram usadas a fim de que Israel recebesse o benefício do eterno plano de Deus Pai. Nosso Deus nunca usa efeitos dramáticos e quando o fez, as sete “Festas” transcenderam todas as obras-primas da existência  humana. Elas são emocionantes, tanto no desígnio como na mensagem. Cada uma delas apresenta um vislumbre da história da Redenção, com uma completa mensagem se encaixando de tal maneira no quadro final que seria impossível separá-las. De fato, as sete Festas reunidas formam o drama da Redenção, com o Reino Mundial de Cristo, quando a última cortina for levantada, para a “Festa dos Tabernáculos”.
       
As sete festas jamais deveriam ser chamadas “Festas de Israel” (ou “Festas dos Judeus”), mas “Festas de Yaveh”! Quando Jesus esteve na Terra, os judeus mudaram o nome de “Festa de Yaveh” para “Festa dos Judeus”. Em vez das sete “Festas da Revelação”, elas se tornaram “Festas do Povo”, desligando-se da Revelação.
       
Vejamos o que o apóstolo João disse sobre as festas, usando a terminologia judaica do seu tempo: “E estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos” (João 7:2). Não é de admirar que Isaías tenha previsto a queda espiritual do seu povo, quando escreveu: “Ai, nação pecadora, povo carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao SENHOR, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás” (Isaías 1:4).
       
O VT profetizou o plano de Deus. Aos escritores do NT, o Espírito Santo ordenou a revelação do que fora anunciado no VT. O VT foi o seu aio, possibilitando-os a entender tudo que Jesus Cristo havia representado e continua representando no Drama da Redenção humana. Deus preferiu ensiná-los através das sombras, tipos e eventos, de modo que os escritores do NT pudessem captar a profundidade de Suas maravilhosas palavras e ações, conforme Paulo nos ensina em Romanos 11:33: “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!” No Novo Testamento, temos uma passagem sobre a importância da Lei para os judeus: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus” (Mateus 5:17-20).
       
Muitas vezes, as palavras de Jesus foram mal interpretadas pela maneira como Ele se expressou e depois foram cumpridas. Ele explicou que não veio para anular a Lei, mas para cumpri-la. Ele veio esclarecer as sombras e não anular as profecias. Ele cumpriu toda a Lei para que pudéssemos viver na liberdade que Ele obteve para nós, conforme Paulo diz em Gálatas 5:1: “ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão”. [Não devemos nos submeter ao jugo de homens e organizações eclesiásticas, mas exclusivamente às palavras de Cristo, segundo constam na Bíblia Sagrada]. O apóstolo Paulo nos deixou uma bela dimensão desta verdade: “Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança”. (Romanos 15:4). Paulo se referia ao VT, a única Escritura que havia no seu tempo, pois o NT ainda estava em fase de formação, não tendo sido ainda canonizado oficialmente. [Mamie, não creio que houve uma "oficialização" do cânon. Creio que ele, por si, teve a conclusão com o Livro do Apocalipse] Toda a mensagem pregada na igreja primitiva era embasada na Lei, na Torah e nos escritos dos profetas judeus. O que Paulo diz sobre a Lei? “Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei”. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes”. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar”. (Gálatas 3:21-26).
[Hoje em dia, quando um pregador se apega exclusivamente ao VT, ele comprova ser um judaizante, amaldiçoado pelo apóstolo Paulo, conforme Gálatas 3:9-10. Um pastor “evangélico” que dirige uma sinagoga judaica, como temos um exemplo aqui em Teresópolis, (RJ), obviamente recebe a condenação de Paulo, conforme a passagem acima e ainda conforme Gálatas 1:6-9, pois está pregando “outro evangelho”].
       
“À lei e ao testemunho!” (Isaías 8:20). É inacreditável ver a rebeldia da igreja emergente contra os Dez Mandamentos. Quando começamos a entender que eles foram entregues como um aio para nos conduzir a Cristo, eles se tornam, aos nossos olhos, mais belos do que restritivos. Quem se rebela contra os mandamentos de Deus desconhece que eles simplesmente nos foram dados para nos afastar e proteger do mal. Jamais devemos abandonar os mandamentos divinos, no VT (Êxodo 20) e no NT, a fim de podermos crescer conforme o desejo do seu Doador, pois agora somos guiados pelo Espírito, o Qual nos dá condição de cumpri-los.     
       
As “Festas de Yaveh” foram lições objetivas, mostrando o efeito dramático das Leis e profecias divinas. Cada verdade da Lei e das profecias deveria ser mostrada nas festas, de modo que o povo judeu tivesse o testemunho do seu cumprimento, quando isso acontecesse. Infelizmente, os líderes judeus permitiram que essas festas se transformassem em rituais, esquecendo a revelação divina contida nas mesmas. Assim, eles rejeitaram o cumprimento das quatro primeiras festas, deixando de ver em Jesus Cristo o Cordeiro Pascal. Tudo que o cordeiro da Páscoa mostrou tipificava Cristo. Quando observamos Sua vida, morte e ressurreição, ficamos maravilhados com tamanha precisão. Os judeus falharam por causa do ritualismo, enquanto nós a entendemos através da Revelação.
         
Vejamos como Paulo se expressa, referindo-se às obrigações do VT: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo”.  (Colossenses 2:16-17).
       
Sob o jugo romano, os judeus continuaram livres para celebrar suas festas; contudo, elas não continham um valor espiritual, mas apenas um valor tradicional. Esquecer ou negar Jesus Cristo em favor de qualquer ritual ou tradição é retroceder às sombras do VT e à Lei de Moisés, as quais não têm valor algum para nos salvar. A igreja precisa estudar o valor das revelações concedidas através das “Festas de Yaveh” e observar quantas dessas revelações já foram cumpridas.
       
Os dois Testamentos se relacionam maravilhosamente, o NT está escondido no VT, enquanto o VT é revelado no NT. Muitos foram os santos do passado que suspiraram pelo Dia do Arrebatamento. Talvez nós, nesta geração, estejamos às vésperas deste maravilhoso acontecimento! Portanto, vivamos uma vida conforme os ensinos da Palavra de Deus, tentando entender o que o nosso Deus pode estar preste a realizar nos dias de hoje!
 
Joseph Chambers - “God is Stirring Israel ’s Nest”.
Tradução e adaptação de Mary Schultze, em 19/05/2011.


Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3162 dias de existência com 228916 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11001
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum