.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
33 usuários online :: 1 usuário cadastrado, Nenhum Invisível e 32 Visitantes :: 2 Motores de busca

Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em 2011-12-19, 14:49
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Livre Pensador em 2011-02-07, 07:34

João Paulo Rodrigues Pereira


O homem é um ser caracterizado por grandes capacidades intelectuais e práticas, mas, em sua finitude, é concomitantemente um ser frágil que se encontra em meio a grandes forças externas, como a natureza e a sociedade, e forças internas, como os instintos e as paixões. Por causa de sua fragilidade, inquieta-se com o sentido de sua existência e sempre se pergunta qual o sentido de seu nascimento, de sua morte, da angústia, do medo, do sofrimento e do desespero. Diante disso, busca algo que lhe traga esperança, algo que lhe dê segurança e sentido para a vida, encontrando assim respostas na aceitação de um ser superior a ele, um ser perfeito e eterno, que é “Deus”.

Porém Deus não é um ser material, tangível, do qual facilmente se constate a existência. Por isso, sua existência foi e é uma questão muito discutida, principalmente no âmbito da filosofia. Vários filósofos escreveram sobre este tema e tentaram argumentar sobre a existência de Deus. Assim, será tratado neste artigo, especificamente, a perspectiva de Voltaire.

Voltaire (1694-1778) foi um filósofo francês iluminista considerado “deísta”1 (embora o próprio Voltaire use o termo teísmo para designar sua concepção de Deus). Acredita que Deus se manifesta ao homem não pela revelação histórica como a tradição judaico-cristã, mas através da razão, de modo que, negar a existência de Deus seria um absurdo, pois segundo ele: “Deus existe como a coisa mais verossímil que os homens podem pensar e a proposição contrária como uma das mais absurdas” (VOLTAIRE, 1978b, p.68).

No entanto, o filósofo em questão tem uma visão cética em relação à metafísica, pois a razão humana não é capaz de conhecer a natureza divina e a realidade transcendente. Ao contrário da presunção da antiga metafísica, que se gabava de tudo conhecer, Voltaire evita o conhecimento que supera o limite da natureza humana, porque segundo ele: “a verdadeira filosofia consiste em saber deter-se no ponto exato e nunca continuar sem um guia seguro” (ROVIGHI, 1999, p.355). Isto é, não existe um guia seguro para a metafísica, justamente por causa da insuficiência da razão em relação à realidade supra-sensível. .

Contudo, Voltaire acreditava numa certa ordem inerente à natureza. Uma prova desta ordem inerente é o fim com que cada coisa se relaciona, pois este fim comprova que existe uma função para cada coisa no universo, conforme se segue: “Não há arranjo sem objeto, nem efeito sem causa; logo tudo é igualmente o resultado, o produto de uma causa final; logo, é tão verdadeiro dizer que os narizes foram feitos para trazer lunetas, como é verdadeiro dizer que as orelhas foram formadas para ouvir os sons e os olhos para receberem a luz”. (VOLTAIRE, 1978a, p.191).

Deste modo, a partir da ordem inerente da natureza, Voltaire deduz duas provas da existência de Deus, as quais segundo ele resumiriam todas as outras provas e também todos os outros escritos sobre esta questão. Sendo assim, o primeiro argumento a ser considerado é exatamente esta ordem do universo, mas não só ela, como também o fim com que cada coisa se relaciona:

Quando vejo um relógio cujo ponteiro marca as horas, disso concluo que um ser inteligente montou as engrenagens desta máquina para que o ponteiro marque as horas. Assim quando considero as engrenagens do corpo humano, concluo que um ser inteligente montou os órgãos para serem recebidos e nutridos por nove meses na matriz: que os olhos nos são dados para ver, às mãos para segurar, e assim por diante. (VOLTAIRE, 1978b, p.63).

Por esse motivo, para Voltaire, como para Newton, Deus é o grande engenheiro ou mecânico que idealizou, criou e regulou o sistema do mundo (REALE, 2005, p.257), ou seja, se existe uma ordem no universo é porque alguém ordenou, e o relógio é uma prova inegável da existência do relojoeiro, assim como o mundo é uma prova evidente da existência de um Criador Supremo que é Deus. “Se Deus não existisse seria preciso inventá-lo, porém a natureza proclama a sua existência”. (REALE, 2005, p.257).

O segundo argumento a ser considerado é mais metafísico, partindo assim, do pressuposto da necessidade da existência de um Ser que exista necessariamente e seja eterno, pois se existe uma coisa ou existe eternamente ou foi criado por um Ser eterno que existe por si mesmo.

Existo, portanto alguma coisa existe. Se algo existe, existiu desde toda eternidade, pois aquilo que é, ou é por si mesmo ou recebeu seu ser de outro. Se é por si mesmo, é necessariamente, sempre foi necessariamente e é Deus. Se recebeu o ser de outro, e este seu ser de um terceiro, aquele de quem este último recebeu seu ser deve ser necessariamente Deus, pois não podeis conceber um ser que dê o ser a um outro se não tiver o poder de criar. (VOLTAIRE, 1978b, p.64)

Neste argumento a existência de Deus é provada pelo fato de ter que existir um Ser que exista necessariamente por si mesmo. Pois se existe algo, existe necessariamente por si mesmo desde toda eternidade ou seu ser deriva de um outro ser que existe desde toda eternidade sendo o seu ser a origem de todos os outros seres. Logo, este ser necessário que existe por si mesmo é Deus. E por fim, basta agora examinar, segundo a reflexão de Voltaire, se o mundo material é este Ser necessário que existe por si mesmo e que é a origem dos outros seres que não são necessários.

Se este mundo material existisse por si mesmo de modo absolutamente necessário, seria contraditório pensar que a mínima parte dela poderia ser diferente de como é, pois, se o seu ser neste momento é absolutamente necessário, isso é suficiente para excluir qualquer outra maneira de ser. Ora está fora de dúvida que esta mesa sobre a qual escrevo, esta pena de que me sirvo, não foram sempre aquilo que são; estes pensamentos que traço sobre esta folha um momento antes nem sequer existiam, e não existem de modo necessário. Ora, se cada parte não existe com absoluta necessidade, é impossível que o todo exista por si mesmo. Eu produzo movimento; portanto um movimento antes não existia; portanto, não é essencial a matéria; portanto ela o recebe de outro; portanto, há um Deus que o comunica a ela. (REALE, ,2005 p.73.)

Desta forma, se a matéria existisse como uma necessidade absoluta, todas as partes dela deveriam existir necessariamente. Porém, as partes não existem necessariamente, pois uma mesa nem sempre foi uma mesa e uma caneta nem sempre foi uma caneta. Sendo assim, se as partes não existem necessariamente, o todo também não existe necessariamente. Logo, a matéria não existe necessariamente e não é Deus. Pois como se percebeu, Deus é um ser que existe necessariamente por si mesmo.

Portanto, fica claro no pensamento de Voltaire que Deus se revela aos homens por meio de sua razão, no entanto esta mesma razão não é capaz de conhecer a realidade transcendente. E a existência de Deus é algo inegável, pois a natureza proclama sua existência, ou seja, as provas de sua existência são tiradas da ordem inerente que existe na natureza e esta ordem se dá pelo fim com que cada coisa se relaciona no universo.



Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes. 2000.

REALE, Giovanni. História da Filosofia: de Spinoza a Kant. São Paulo: Paulus, 2005.

ROVIGHI, Sofia Vanni. História da Filosofia Moderna: da revolução científica a Hegel. São Paulo: Loyola, 1999.

VOLTAIRE. Dicionário Filosófico. 2. ed. São Paulo: Abril cultural, 1978a. (Os Pensadores)

VOLTAIRE. Tratado de Metafísica. 2. ed. São Paulo: Abril cultural, 1978b. (Os Pensadores)



fonte: http://pensamentoextemporaneo.wordpress.com/2010/05/29/a-existencia-de-deus-na-perspectiva-de-voltaire/

Livre Pensador
Quartzo
Quartzo

Número de Mensagens : 92
flag : Brasil
Data de inscrição : 23/06/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por famado em 2011-02-07, 12:10

Para poupar os posts dos ateístas deste fórum, vou postar algo no lugar deles:


A Dialética Ateísta

13 - Alguns ateístas (uma boa quantidade) consideram que a filosofia não é ciência e é comparável às e desprezível como as religiões;


famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por famado em 2011-02-07, 12:12

De minha parte, até que gostei da lógica de Voltaire, quando diz que tem que haver pelo menos um causador sem causa. Parece-me óbvio, mas...

A Dialética Atéista

52– Não é possível a nenhum de nós crentes, com a força dos argumentos, convencer um ateísta a respeito das razões do cristianismo. Só Deus pode fazê-lo.

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Donatello em 2011-02-07, 18:16

Voltaire é meu pensador predileto a despeito da sua posição quanto à existência de deus ou não. O Tratado sobre a Tolerância é um texto que um bocado de gente aqui precisa ler antes de morrer (ou pior: antes de matar alguém).

O Argumento do Relojoeiro (ou qualquer nome que se dê ao argumento que apela para a necessidade de um criador inteligente para este universo tão complexo e suas tão complexas formas de vida partindo do princípio geral que coisas complexas como relógio e colméias e teias de aranha e casas de joão-de-barro precisam de criadores inteligentes e especializados para surgirem) é de longe o menos ruim dos argumentos pró-teístas (embora ainda seja muito fraco, caindo logo num looping ou num paradoxo).

É o único dos clássicos argumentos pró-teístas que se aproxima de um raciocínio de fato, muito diferente dos puerís argumentos ontológicos de Anselmo, Agostinho e Tomás ou dos ridículos "deus existe porque eu o sinto no meu coração" ou "deus existe porque sem ele minha vida não teria sentido" do dia-a-dia.


"[b]Björk é uma deusa com uns 2% de DNA humano (é verdade)"

Tendes dúvida? Comproves, ó incrédulo: http://www.youtube.com/watch?v=G-SDIZhnqTo[/b]

Donatello
Safira
Safira

Número de Mensagens : 101
flag : Argentina
Data de inscrição : 15/01/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Donatello em 2011-02-07, 18:37

famado escreveu:Para poupar os posts dos ateístas deste fórum, vou postar algo no lugar deles:


A Dialética Ateísta

13 - Alguns ateístas (uma boa quantidade) consideram que a filosofia não é ciência e é comparável às e desprezível como as religiões;

Só se você estiver se referindo à filosofia do "filósofo" Olavo de Carvalho.

De todas as suas bullshits dos últimos 10 dias esta foi a mais bullshitesca (o que é um feito: dada a absurda produção diária de groselhas na plantação de asneiras do Famado, a maior groselha colhida no periodo de dez dias é algo para ser admirado).

Mas nem que você revire a internet de cabeça pra baixo você vai encontrar uma citação de um ateu que coloque o pensamento de Sartre, Hume, Schoppenheur, Voltaire, Nietzsche, Foucault, Camus, Hegel no mesmo nível do "pensamento" de Ted Haggard, Benny Hinn, Bispo Crivela, Padre Marcelo, Paulo Coelho ou Cardeal Ratzinger.* No way. Para os ateus filosofia é um campo absolutamente válido da atividade intelectual humana e não tem, geralmente, nada a ver com o "pensamento" religioso.

*A não ser que você apele de novo para suas extrapolações interpretativas.

Donatello
Safira
Safira

Número de Mensagens : 101
flag : Argentina
Data de inscrição : 15/01/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por famado em 2011-02-08, 10:53



A Dialética Atéista

52– Não é possível a nenhum de nós crentes, com a força dos argumentos, convencer um ateísta a respeito das razões do cristianismo. Só Deus pode fazê-lo.

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por famado em 2011-02-08, 11:13

Um forista ateu escreveu:
...... porque cada mente tem uma lógica diferente. Toda filosofia é sofista. É a maior de todas as desgraças ......

Faça uma busca no CC que vc acha os ateístas que acham que a filosofia é desprezível.


Última edição por famado em 2011-02-09, 08:17, editado 2 vez(es)

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Cal em 2011-02-08, 12:20

Famado, existe uma enorme diferença entre desprezível e em processo de desvalorização, comparada com a importância e influência de séculos atrás a filosofia moderna é apenas uma sombra daquilo que já foi.

Hoje muitos dizem que a filosofia moderna está restrita a interpretação da linguagem e releitura de clássicos.


A verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade.

Cal
Moderador Agnóstico
Moderador Agnóstico

Número de Mensagens : 2788
Idade : 41
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por famado em 2011-02-08, 13:28

Eu acho engraçado como alguns se comportam. Eu estou há meses defendendo que a poligamia, o adultério consentido, o incesto consentido e o bestialismo são questão de foro íntimo tanto quanto o homossexualismo e que, quem defende um deveria defender os outros, pois os mesmos argumentos são cabíveis para todos estes casos. Daí nenhum ateu concorda comigo. Mas chega o Donatello e diz que eu sou mentiroso e que ninguém nunca disse o que eu disse que vcs disseram.

Agora, eu estou dizendo que há ateus que acham que a filosofia é desprezível como as religiões. Daí vem o Donatello e fala mais um monte de ad hominens pra provar que nenhum ateísta pensa como eu descrevi. Vá lá então no CC e no FR, faça uma busca e veja o que muitos ateístas falam a respeito da filosofia.

É por isso que eu digo:



A Dialética Ateísta

47 – Os ateístas são pré-dispostos a não crer. São a favor do contra, relativamente ao que vem dos teístas, especialmente de cristãos evangélicos. Assim, mesmo diante de fatos evidentes, eles não crerão. Contudo, não admitem que agem desta forma. Costumam dizer que esperam avidamente por evidências que nunca chegam e que, quando chegarem, crerão;


Última edição por famado em 2011-02-09, 08:15, editado 1 vez(es)

famado
Sirius
Sirius

Número de Mensagens : 3373
Idade : 48
flag : Brasil
Data de inscrição : 26/02/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Marilyn Manson em 2011-02-09, 07:41

famado escreveu:Eu acho engraçado como alguns se comportam. Eu estou há meses defendendo que a poligamia, o adultério consentido, o incesto consentido e o bestialismo são questão de foro íntimo tanto quanto o homossexualismo e que, quem defende um deveria defender os outros, pois os mesmos argumentos são cabíveis para todos estes casos. Daí nenhum ateu concorda comigo. Mas chega o Donatello e diz que eu sou mentiroso e que ninguém nunca disse o que eu disse que vcs disseram.

Agora, eu estou dizendo que há ateus que acham que a filosofia é desprezível como as religiões. Daí vem o Donatello e fala mais um monte de ad hominens pra provar que nenhum ateísta pensa como eu descrevi. Vá lá então no CC e no FR, faça uma busca e veja o que muitos ateístas falam a respeito da filosofia.

É por isso que eu digo:



A Dialética Ateísta

47 – Os ateístas são pré-dispostos a não crer. São a favor do contra, relativamente ao que vem dos teístas, especialmente de cristãos evangélicos. Assim, mesmo diante de fatos evidentes, eles não crerão. Contudo, não admitem que agem desta forma. Costumam dizer que esperam avidamente por evidências que nunca chegam e que, quando chegarem, crerão;

Só existe uma diferença irmão Famado, pra se concordar com certas "barbaridades imorais" é necessário seguir algum deus que diga que isso foi normal a dada altura, mas agora é "feio, muito feio".
Eu nasci na década de 80 e sinto muito se isso fere a sua "lógica", mas desde que sou "neném" a poligamia, o adultério consentido, o incesto consentido e o bestialismo já eram coisas "feiosonas" mesmo....
basta usar o bom senso, mas pedir bom senso a um "evangélico" é pedir demais, eu sei.... :chapeu:

Marilyn Manson
¹
¹

Número de Mensagens : 304
Idade : 30
flag : Brasil
Data de inscrição : 29/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A existência de Deus na perspectiva de Voltaire

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 04:33


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum