.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Noticiário Escatológico
Hoje à(s) 1:33 pm por Jarbas

» Pr Paulo Brasil - Nota triste de falecimento
Hoje à(s) 8:23 am por Ed

» Já existíamos antes de nascermos
Ontem à(s) 5:37 pm por Eterna

» Um conselho aos debatedores de internet
Ontem à(s) 4:18 pm por Eterna

» Eleição, a dor e a loucura do incrédulo.
Ontem à(s) 4:03 pm por Eterna

» Qual a verdadeira intenção dos organizadores das manifestações?
Ontem à(s) 3:33 pm por Cartman

»  Endurecimeto do Faraó
Ontem à(s) 4:14 am por Lit San Ares

» Livre arbítrio, auto idolatria
Ontem à(s) 3:39 am por Lit San Ares

» PREDESTINAÇÃO DE DEUS
Sab 03 Dez 2016, 10:10 pm por gusto

Quem está conectado
79 usuários online :: 2 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 77 Visitantes :: 2 Motores de busca

Khwey, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

2012, o advento do Anticristo?

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por silvamelo em Dom 08 Ago 2010, 2:22 am

A grande cobertura

Segundo o Dr. Jones Floyd Nolen, o Seder Olam dá a cronologia de 52/53-anos para a história persa.

1. Dario o Medo reinou 1 ano - 3389

3390 A.M. (374-373 a.C.)

• Babilônia foi conquistada (o Seder Olam

(374 a.C. datam em que, em vez de 538 a.C.)

• Daniel foi colocado na jaula dos leões.

2. Ciro reinou 3 anos - 3390-3392 A.M.

(373-371 a.C.)

• Os judeus regressaram a Jerusalém.

• O segundo templo começou a construção.

3. Artaxerxes (Cambyses) reinou 1 / 2 anos

-- 3393 A.M. (370 a.C.)

• Templo construção foi interrompido.

4. Assuero reinou 14 anos - 3393-3407

A.M. (370-356 a.C.)

• Ester foi escolhida Rainha

• Ester e Dario dão suporte para os persas

5. Dario o reino persa 35 anos - 3407 --

3442 A.M. (356-321 a.C.)

• Templo construção retomada - 3408 A.M.

(355 a.C.)

• Segundo Templo foi dedicado - 3412 A.M.

(351 a.C.)

• Esdras chegou a Jerusalém - 3413 A.M. (350

(a.C.)

• Neemias chegou a Jerusalém - 3426 A.M.

(337 a.C.)

• Dario foi derrotado por Alexadre o Grande - 3442

A.M. (321 a.C.)

Em vez de treze reis Medo / Persa sobre um período de 207 anos, o Seder Olam listas só cinco reis ao longo de um período de 53 anos.

A conta real dos reis Medo-Persa.

Uma verdadeira conta histórica traz treze monarcas Medos / Persa ao invés de somente cinco reis. Vou ser tão breve quanto possível, mas para uma leitura integral, consultar o Bispo James Ussher's em Os Anais do Mundo, páginas 117-234:

1. Dario o Medo (ou Ciáxares) reinou 1 ano (538-537 AC) e depois o trono foi para seu genro, Ciro.

2. Ciro ascendeu ao trono Medo / Persa, em 537 AC, como um dote para casar com a filha de Dario, mas ele tinha sido feito general do exército Medo / Persa uns trinta anos antes. No primeiro ano de seu reinado, Ciro enviou Zorobabel a Jerusalém com mais de 40.000 judeus para reconstruir o reino e o Templo (Neeemias 7). Ciro reinou durante sete anos e morreu em batalha em 529 AC.

3. Artaxerxes (Cambyses), filho de Ciro, Até o momento, assumimos que este colocou no trono Medo / Persa, em 529 AC Ele governou durante sete anos, era mentalmente instável, casado com duas de suas irmãs, matou seu irmão, conquistou Egito e, em seguida, ficou louco. Ele voltou a Pérsia e morreu de um acidente com sua espada, em 522 AC Este ano, Magus o sétimo Magi, tentou conquistar o reino, mas foi derrubado por Dario, filho de Cambises, em 521 aC.

4. Dario (também chamado de Artaxerxes a Grande e Assuero) começou seu reinado, em 521 AC Naquele ano, ele enviou espiões para mapear a costa da Grécia e planejar a primeira invasão. Em 518 AC, ele divorciou de Vesti e se casou com Ester, a rainha. Em 485 AC, ele declarou que o seu filho, Xerez, seria o próximo rei, e deixou invadir a Grécia. Mas ele morreu mais tarde naquele ano, depois de ter reinado por 36 anos.

5. Subiu ao trono persa, Xerxes em 485 AC Após cinco anos para preparar uma batalha contra a Grécia, usou 1.700,000 soldados, 80.000 cavalos, além de camelos, e charretes. Ele tinha 1.200 navios guerra, centenas navios de carga (cerca de trinta a remo e outras com cinqüenta a remo, e outras pequenas embarcações para o transporte de cavalos, acrescentando-se a um total de 3.000 navios. Na medida em que marchavam contra a Grécia, eram conscritos mais soldados, a fim de que ele invadisse Atenas, em 480 AC, com mais de 5 milhões de homens. Os gregos nunca esqueceram tal invasão persa. Levou mais de um século para que a Grécia se preparasse para a vingança, e o Alexandre o Grande foi o que procedeu. Em 474 AC, no décimo segundo ano do seu reinado, fez o seu filho Xerxes, Artaxerxes, que depois de nove anos de vida, morreu em 425 aC.

6. Artaxerxes (filho de Xerxes), aos 75 anos de idade quando seu pai foi chamado Dario. Em 474 a.C., ele foi feito Vice-Rei, no décimo segundo ano de seu pai Xerxes. No entanto, este marcou o primeiro ano do reinado de Artaxerxes. Em seu 20o ano (455 AC), ele enviou Neemias para reconstruir Jerusalém (Neemias 2). Artaxerxes e sua esposa, Damaspia, ambos morreram no mesmo dia, em 425 AC, deixando o trono para seu filho, Xerxes.

7. Xerxes (filho de Artaxerxes) reinou um ano (425 AC). Quando ele foi considerado "exuberante bêbado” em um dia de festa, ele foi morto em sua cama, enquanto dormia. Seu irmão, Secundianus, nascido de Aloguna, uma mulher da Babilônia, o assassinou com a ajuda de um eunuco.

8. Secundianus (segundo filho de Artaxerxes) por ter morto o seu irmão, Xerxes, assumiu o trono em 424 AC O seu exército o detestava por ter assassinado o seu próprio irmão. Ele também conspirou para matar Ochus, seu outro irmão, mas foi morto também.

9. Ochus (terceiro filho de Artaxerxes) Secundianus o atraiu para uma reunião e fazer um tratado. Em 423 A.C., Ochus o capturou e o executou por ter assassinado a Xerxes. Ochus tomou o nome Dario e reinou por 19 anos. Ele morreu em 404 a.C., deixando o trono para seu filho, Arsicas. Ele deu o seu outro filho, Ciro, que governou ao longo da costa das províncias Ionia e Lidia, em todo o Mar Egeu, leste da Grécia.

10. Arsicas (filho de Ochus / Dario) subiu ao trono persa, em 404 AC, e mudou seu nome para Artaxerxes. Ele capturou e colocou na cadeia o seu irmão, Ciro, com correntes de ouro, por respeito a seus direitos, e ele pensou em execução, mas o deixou regressar ao seu reino. Artaxerxes tinha um filho, Arsames, com uma concubina, a quem ele amava muito. Em 361 a.C., Ochus o tinha assassinado, e quando Artaxerxes ouviu o fato, ele morreu de desgosto. Ochus ocultou a morte de seu pai durante dez meses, enquanto ele enviou cartas em todas as províncias do pai com o seu nome e seu selo, dizendo-lhes para aceitar Ochus como o seu rei. Depois de todos eles reconheceram como o seu rei, ele anunciou a morte de seu pai e comandou um luto público e feito por ele mesmo.

11. Ochus assumiu o nome de seu pai, Artaxerxes / Ochus, em 361 AC, ele imediatamente mandou matar todos os seus parentes a fim de eliminar qualquer concorrência para o seu trono. Depois ele reinou 23 anos, e foi envenenado por Bagoas, seu chefe eunuco. Bagoas era um egípcio e o matou por vingança pela morte de um touro, considerado um deus no Egito. Bagoas cortou o corpo do rei em pedaços e fez dele comida para gatos. Tal como o homem mais poderoso no reino, Bagoas fez Arses, o filho mais novo do rei, o próximo rei da Pérsia, e depois executou todos os seus irmãos.

12. Arses foi dado a subir ao trono em 338 AC, mas o jovem rei não tinha ninguém para ajudá-lo, por isso, teve que confiar em Bagoas para governar o reino. Ele se autodenominou, Dario, e secretamente planejou para se vingar de Bagoas. Em 336 AC, no terceiro ano do seu reinado, Bagoas descobriu que Arses estava tramando uma vingança contra ele. Ele tinha o rei e a todos os seus filhos mortos. Depois Bagoas colocou o filho de Arsames com o nome de Dario como o novo rei. Arsames era o irmão de Artaxerxes.

13. Dario reivindicou a coroa de parentes próximos, em 336 AC Este foi o monarca persa que foi derrotado por Alexandre o Grande em 331 a.C.

Ao todo, treze monarcas Medo / Persa reinou durante um período de 207 anos. A grande questão é: "Por que Yose ben Halafta deixou de fora os 154 anos da monarquia persa? "Rabino Simon Schwab admitiu o problema, na página 188 do seu livro, Cronologia comparativa judaica:

"Ele deveria ter tido algum motivo possível e desconhecido - tinha coberto até certo período histórico e propositadamente eliminou e reprimiu todos os registros históricos e de outro material inerentes às mesmas. Em caso afirmativo, quais poderiam ter sido as razões para tal procedimento? Nada menos que poderia ter se perguntado… aqueles "santos" homens da verdade resolveram tentar esconder completamente fora de nossos anais um período de… anos, e para corrigir todos os dados e tabelas históricas, a tal fabricação subseqüente e cronológica, que poderia escapar da atenção e ser notado por inúmeras gerações, mais só conhecido por alguns privilegiados e que estavam na obrigação de manter este segredo entre si."

Schwab e outros passaram a sugerir que eles poderiam ter falsificado as datas, a fim de confundir qualquer um que poderia tentar utilizar as profecias de Daniel, para prever o tempo da vinda do próximo Messias.

A verdade é que… algum tempo entre 135-160 dC, Yose ben Halafta, aluno do Rabino Akiva, e admirador de Bar Kokhbah, mudou o calendário, para que as setenta semanas de Daniel apontassem para Bar Kokhbah como o Messias esperado, ao invés de Jesus de Nazaré. Ele assim fazendo, afastou deliberadamente gerações inteiras de judeus de Yeshua de Nazaré, que era e é o verdadeiro Messias!

O Calendário Juliano.

Durante o longo da história ouve uma agenda para mudar o calendário "romano" e fazer com que os cálculos se tornassem difíceis de entender. Em 46 a.C., o astrônomo grego, Sosigenes, convenceu Júlio César para reformar o calendário romano em uma forma mais exeqüível. Nessa altura, Julio também mudou o número de dias do mês para atingir 365 dias em um ano a fim de coincidir com as estações, embora mais tarde Julio César acrescentou mais 90 dias para o ano de 46 AC, entre novembro e fevereiro (Vardi 1991, p. 238). Isso deu um ano, com um total de 445 dias, e foi chamado de "o último ano da confusão". O primeiro ano Juliano começou com o dia 1 º de janeiro, no ano quadragésimo sexto - 46o. - antes do nascimento de Cristo. Em 526 d.C. este ano ficou conhecido como 46 a.C.

Na distribuição dos dias através de vários meses, Júlio César aprovou um regime mais simples do que aquela que nós temos agora. Ele tinha ordenado que o primeiro, terceiro, quinto, sétimo, nono e décimo primeiro mês, ou seja, janeiro, março, maio, julho, Setembro e novembro, cada um devia ter trinta e um dias, e os outros meses trinta, exceto fevereiro, que em comum devia ter apenas vinte e nove dias, mas cada quatro anos, trinta dias. Essa ordem foi interrompida em 8 AC, uma gratificação da vaidade de Augusto, dando o mês que tem o seu nome como muitos dias, como julho, que tinha sido re-nomeado depois como Júlio César 44 a.C. Um dia foi tomado a partir de fevereiro e dado ao mês de agosto, tendo em vista que três meses de trinta e um dias não poderia vir juntos, setembro e novembro foram reduzidos para trinta dias, e trinta e um dias dado a outubro e dezembro.

Um dia suplementar, que ocorreu a cada quarto anos, foi dado a fevereiro, sendo o mês mais curto, e foi inserido no calendário entre o 24o e o 25o dia. No calendário moderno o dia intercalado é ainda adicionado a fevereiro, e não, no entanto, entre o 24o e 25o, mas com o 29o dia.

O calendário Juliano consiste de três ciclos de 365 dias no ano seguidos de 366 dias do ano bissexto. Cerca de 9 a.C., verificou-se que os sacerdotes computavam o calendário aonde havia sido acrescentando no ano bissexto a cada três anos em vez dos de quatro, decretado por César (Vardi 1991, p. 239). Como resultados desse erro não foram adicionados mais anos bissextos até 4 d.C. Foram anos bissextos, por conseguinte os anos: 45 AC, 42 aC, 39 aC, 36 aC, 33 aC, 30 aC, 27 aC, 24 aC, 21 aC, 18 aC, 15 aC, 12 aC, 9 aC, d.C 4, 8 d.C, 12 d.C, e cada quarto ano, depois.

Em 525 dC, Dionísio Exiguus propôs o sistema de Anno Domini, que (depois que ela foi aprovada pelo Venerável Bede, o pai da História Inglesa - c.672-735) através da disseminação gradual no mundo cristão ocidental. Os anos foram enumerados a partir do suposta data do nascimento de Jesus em 25 de março, embora este logo fosse mudado para o Natal e, em seguida, voltou para o dia de seu nascimento no mês de marco na Grã-Bretanha, e do mesmo ano começou a ser nomeado na Páscoa, na França. Dionísio Exiguus (Dennis o pequeno, significando modesto - the Little, Meaning Humble) (c.470-540) foi um monge nascido no 6o. século em Cítia Menor, no que é agora Dobruja, Romênia.

O calendário gregoriano.

O calendário gregoriano (aprovada em 4 de outubro de 1582) é hoje universalmente utilizado para fins civis, e foi o calendário Juliano seu antecessor no mundo ocidental.

Os dois calendários têm idêntico nome do mês e os nomes e número de dias de cada mês, e diferem apenas no aparecimento dos anos bissextos. O Calendário Juliano tem um ano bissexto a cada quatro anos, enquanto o calendário Gregoriano tem um ano bissexto a cada quatro anos, exceto nos anos não exatamente divisíveis por 400. A passagem do calendário Juliano para o calendário Gregoriano ocorreu em Outubro de 1582, de acordo com o regime instituído pelo P. Gregório XIII. Especificamente, para datas em, ou antes, de 4 de outubro de 1582, o calendário Juliano é utilizado; para datas em ou após 15 de outubro de 1582, o calendário Gregoriano é usado.

Assim, há um hiato de dez dias nas datas do calendário, mas nenhuma descontinuidade nas datas Juliana ou dias da semana: 4 de outubro de 1582 (Juliano) foi uma quinta-feira, e de 15 de outubro de 1582 (gregoriano) foi uma sexta-feira.

A omissão de dez dias de calendário datas foi necessária em virtude do erro astronômico construído ao longo do uso do calendário Juliano por muitos séculos de sua utilização, devido o demasiado e freqüentes anos bissextos.

O calendário Juliano introduzido um erro de um dia cada 128 anos. Assim, cada 128 anos, o ano tropical foi deslocado um dia para trás no que diz respeito ao calendário. Além disso, o método de cálculo das datas para a Páscoa foi imprecisa e precisava ser refinado.

Para remediar esta situação, foram necessárias duas etapas: em primeiro lugar, o calendário Juliano teve de ser substituída por algo mais adequado; e em segundo lugar, o dia extra que o calendário Juliano tinha que ser inserido e teve de ser abandonado.

A solução para o primeiro problema foi o calendário Gregoriano. A solução para o segundo problema dependia do fato de que se sentiu que a 21 de março foi o bom dia para equinócio vernal (21 de março, porque era a data para o equinócio vernal durante o Concílio de Nicéia, em 325 d.C).

Por conseguinte, o calendário gregoriano foi calibrado para fazer o dia 21 de março cair no equinócio vernal. Até 1582, havia o equinócio vernal movido de cerca de dez dias para trás. Portanto, dez dias foram descontinuados. A passagem para o sistema do calendário gregoriano ocorreu apenas em países católicos romanos. No entanto, a adoção do calendário Gregoriano no resto do mundo avançou lentamente. Por exemplo, para a Inglaterra e suas colônias, a mudança não ocorreu até setembro de 1752.

O "Ciclo Juliano"

Joseph Justus Scaliger (1540-1609) foi um historiador francês, italiano que ficou interessado em conciliar a cronologia das datas em documentos históricos. Uma vez que muitos calendários estavam em uso em todo o mundo, o que criou um problema qual melhor seria para o uso. Para resolver esta situação, Scaliger inventou a sua própria época e datas a contagem dias. Ele começou com o 1 º de janeiro de 4.713 AC, uma vez que foi quando ocorreu o ciclo solar de 28 anos (quando os dias da semana e os dias do mês de coincidem novamente com o calendário Juliano), o Ciclo metônico de 19 anos (porque 19 anos solar é aproximadamente igual há 235 meses lunar) e o romano indicou 15 anos (decretado pelo Imperador Constantino) onde todos coincidem. Não foi registrada a história tão antiga como 4.713 aC, conhecido como dia Scaliger, de forma que ele tinha a vantagem de evitar datas negativas. Joseph Justus foi o pai de Júlio César Scaliger, que poderia ser o por quê ele o chamou de "Ciclo - Juliano". Astrônomos adotaram o ciclo Juliano para evitar ter de se lembrar de: "30 dias, em setembro…" e para evitar o hiato dia 10/11, no calendário gregoriano.

Conclusão.

Os autores Seder Olam do segundo século pode ter iniciado a sua cronologia com boas intenções, mas seu trabalho se tornou uma cobertura desonesta das setenta semanas de Daniel, e das sessenta e nove semanas de anos, dos quais levariam até Jesus como o Messias de Israel. Para encurtar o período da monarquia persa de 207 anos para apenas 53 anos foram além da simples ignorância. Aqueles homens estavam determinados a ensinar que Jesus Cristo não seria seriamente considerado como o seu Messias.

Bar Kokhbah certamente se fez o messias dos pobres. Os líderes de Israel permitiram que os rabinos reconhecessem este como o messias, mas que permitiu a dispersão de toda a população judaica para se levados como escravos no mundo? A messianidade de Bar Kokhbah's deveria ter sido seriamente questionada Se, depois que ele foi aceito, ele foi impotente para evitar a diáspora.

Por outro lado, é preciso lembrar que Jesus foi rejeitado. Israel apelou para a liderança para a Sua crucificação. Se o tribunal do Sinédrio de Israel tivesse aceitado a Jesus como seu Messias, Ele teria, sem dúvida, ter sido obrigado a cumprir a promessa de D'us sobre o seu Reino.

Penso que algum dia em breve, os judeus implorarão a Jesus para voltar. E quando eles o fizerem, Ele certamente os atenderá!

Síntese:

Para isto encurtaram uma parte do período de anos dos treze reis da monarquia persa que foi de 207 anos para apenas o período de cinco reis em 53 anos, que vai além do simples ignorância. Aqueles homens estavam determinados para mudar a história e que Jesus Cristo não fosse considerado como o Messias de Israel.

Eles cortaram 154 anos do império Medo Persa.Cortaram 60 anos no período de vida do Pai de Abraão (Terá) , cortaram + 5 anos, E 17 anos, dando um total de 236 cortados.

236 anos que faltam.

(2008a.C) ou 5768 Era Comum - 6.000 anos = faltam 232 anos para 6.000 anos depois de Adão pelo calendário judaico.

Porem se eles cortaram 236 anos, fica:

236-232=4 anos

Talvez faltam somente 4 anos para o ano 6.000, ou o sexto dia, se formos basear no correto calendário Judaico, sem os cortes!

2008 + 4 anos = 2012 , neste ano de 2012 fecha possivelmente 6.000 anos após Adão e o restante dos anos até 2015, e portanto um provável últimos 3 anos e meio da grande tribulação já as portas!

Você está preparado para encontrar com o Grande Juiz?

No dia que chamamos hoje, Ele é o nosso Senhor e Salvador e a porta da salvação da graça de D`us está aberta também para ti, mais um dia esta porta se fechará.

Não perca tempo portanto, entregue hoje mesmo a sua vida nas mãos de Jesus Cristo em oração e peça para que Ele seja o seu único e suficiente Senhor e Salvador de sua vida, pois se VOCÊ não tomar esta decisão, talvez será muito tarde e pode cair no perigo de passar a eternidade longe de D'us!

Fonte: http://apologiajudaica.blogspot.com/2008/08/os-232-anos-perdidos-do-calendrio.html

Esses períodos de tempo foram especificados
para que Daniel pudesse “conhecer e discernir” o cumprimento
de tempo envolvido, assim como tinha discernido o
cumprimento de tempo na profecia de Jeremias (9:2).
Errado! Se fosse apenas para Daniel discernir, isto seria como os "sete trovões" do apocalipse, não uma explanação detalhada. A profecia foi deixada a todos nós para que pudéssemos compreender o sentido, conforme disse o anjo: "o saber se multiplicará"...

As supostas imprecisões do calendario judaico sao um esquema utilizado pelos dispensacionalistas para darem a volta a questao,e defenderem numa posição que tem uma base hermeneutica fraquissima e sempre se apoiou mais em teorias de conspiraçao e em fatos extra-biblicos,para alem de que se originou em "visoes"de uma seita herética!
Sem querer ofender, heresia é exatamente o que vem à minha cabeça, quando leio alguma tese que argumenta que não haverá reinado do anticristo nem arrebatamento, já que lemos isso claramente na Bíblia...

Sempre que o cristão encontra uma doutrina que não foi ensinada por alguém de qualquer ramo da igreja de Cristo durante os dezoito séculos passados, ele deveria ter muita suspeita de tal ensino.

Bem, foi ensinado no primeiro século! A prova disso é que está tudo registrado no N.T.!!!

O ensino de um arrebatamento secreto pré-tribulacional é uma doutrina que
nunca existiu antes de 1830.
O arrebatamento acontecerá:

"Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor" (1Ts 4.17).

E será num piscar de Olhos:

"Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados" (1Co 15.52).

Segundo a Bíblia, será instantaneamente! ...secretamente?! Não usaria esta palavra...

3. Após as sete semanas e as sessenta e duas semanas, que implicariam um tempo durante a septuagésima semana, o
Messias é “cortado”. Isto é, ele sofre a pena de morte.
4. Num ponto (não especificado) após o corte do Messias, a cidade e o santuário são destruídos. A destruição de Jerusalém (v.26-27) no ano 70 d.C. foi uma conseqüência da rejeição e crucificação de Cristo. Daniel não diz que isso ocorre dentro da septuagésima semana.
"E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador."

Eis o problema dessa tese: Se os sete anos se cumpriram durante o ministério de Jesus, então onde está o anticristo fazendo as suas alinaças nesse mesmo período? E a ira de Deus que será derramada sobre ele, conforme está referido aqui e em Apocalipse?

deixemos que nossas consciencias cativas à PALAVRA DE DEUS julguem os fatos.
Exato... portanto, reflita em Só mais uma informaçãozinha que faz toda a diferença:

"E ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, o qual levantou ao céu a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente que isso seria para um tempo, tempos e metade do tempo, e quando tiverem acabado de espalhar o poder do povo santo, todas estas coisas serão cumpridas" (Dn 12.7).

O anjo jurou que essas coisas todas só se cumpririam quando os judeus voltassem para a sua terra! Isso só aconteceu em 1948!! O contrário de 70 DC, quando eles começaram a ser espalhados!!!

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por Fish em Seg 09 Ago 2010, 12:54 pm

eleito_17 escreveu:silvamelo,

nao sei se foi voce que postou,mas essa historia do numero 11,antes de ser crente havia lido uma materia sobre isso e foi numa revista sobre ocultismo..me parece extra-biblico,mais nada..mas podemos debater daniel 7 se voce quiser..ponto a ponto.

o restante,respondi noutro topico

graça e paz



Claro que é extra-bíblico man, assim como a fórmula para converter nomes em números, conhecida como Gematria, pois a Bíblia não ensina ocultismo. A Bíblia fala que o décimo primeiro chifre será o Anticristo, o que portanto dá a entender que o número 11 está fortemente associado a Besta. Como os ocultistas amam o 11 e o aplicam em quase todas as suas operações, e o Anticristo será versado em "enigmas", ciências ocultas, espera-se que eles sigam uma certa lógica baseada em números, particularmente do número 11.


eleito_17 escreveu:Quer dizer que você pode propor que a Besta era Nero porque a soma do nome dele da 666, mas eu não posso relacionar o número 11 com o Anticristo porque tô fantasiando demais?/quote]

Fish,

Compreenda que ninguém está aqui para "propor" o que for..e creio que é aí que o dispensacionalismo falha..nos estamos aqui tentando buscar a verdade biblica,(eu pelo menos estou). E a verdade biblica é que existe ´(ou no meu ver,existiu)uma só besta.Já postei diversos artigos sobre a identidade da besta e do anti-cristo..tornarei a fazê-lo com todo o gosto,se o irmão assim quiser Wink a besta=Nero Cesar não foi eu quem disse..na verdade, as expressoes temporais do apocalipse de joao (como ja referido, "brevemente" "está próximo" "nesta geração") apontam para o seu surgimento durante aqueles dias e todos os pais da Igreja interpretavam a passagem de Daniel 7 e de Apocalipse como sendo a figura simbólica de Nero ou de algum outro Imperador Romano.Os reformadores ,através dos quais nasceram todas as igrejas protestantes, igualmente.Sempre foi considerada a posição ortodoxa..mas não me apoio nisto,apoio-me no fato de que os sinais referidos sobre a besta,segundo a Biblia apontam para nero..lembre-se do que sofreram as primeiras comunidades cristãs nos primeiros tempos e especialmente durante os 7 anos de reinado do terrivel imperador..e ,na minha ótica,apocalipse faria todo sentido ter sido escrito como uma espécie de "carta"de Deus para encorajar os cristãos perseguidos.O criptograma de Nero=666,segundo o abecedario hebraico,era comum circular no primeiro seculo,nao se encontrando apenas no apocalipse mas noutros documentos da epoca..acrescento 666 ou 616 que no contexto seria exatamente igual..era uma especie de "código" através do qual se fazia menção ao nome do terrivel tirano(por razoes obvias).


Bom, até que achei interessante o seu raciocínio sobre as 70 Semanas de Daniel, entretanto, isso não me convence de que Nero fosse a Besta, isso não faz sentido. O Anticristo definitivo pedirá que as pessoas usem a sua marca na fronte ou na mão, não lembro de Nero ter feito algo parecido, muito menos de algum Falso Profeta no tempo dele. Creio que essa marca será posta em uma espécie de chip, o qual as pessoas pertencentes a Nova Religião Global serão obrigadas a usar, quem não o tiver será excluido socialmente, pois este chip substituirá RGs, CPFs e cartões de crédito, ninguém poderá comprar ou vender sem ele, e é justamente neste chip que estará a marca da Besta.

E que marca é esta? Bom, muito já foi dito, mas particularmente eu creio que será a "Estrela de Davi", o símbolo da bandeira do novo Estado de Israel, justamente o país que o aceitará como o seu Messias.



E por que a Estrela de Davi? Por que ela é o hexagrama, também conhecido como Selo de Salomão, a diferença é que, enquanto a Estrela de Davi é formada pela sobreposição de dois triângulos, sendo a forma menos satânica deste, o Selo de Salomão é formado pelo entrelaçamento desses dois triângulos, o triângulo voltado para baixo(água, passividade, feminino, yin) e o triângulo voltado para cima(fogo, ativo, masculino, yang), formando assim o símbolo mais sombrio e maligno da Magia Negra, o símbolo de Lúcifer. Embora chamem o hexagrama de a "Estrela de Davi", não há nenhum indício bíblico de que o grande rei de Israel o tenha usado, ou melhor não há nenhum indício de que alguma vez ele tenha sido usado no Antigo Testamento como símbolo do povo judeu. Muito pelo contrário.

“Oferecestes-me vós sacrifícios e oblações no deserto por quarenta anos, ó casa de Israel?
Antes levastes a tenda de vosso Moloque, e a estátua das vossas imagens, a estrela do vosso deus, que fizestes para vós mesmos.”
(Amós 5:25-26).

“a estrela do vosso deus”?

O Selo de Salomão tem esse nome, porque era o principal símbolo cravado no anel do rei Salomão. Salomão tinha um poderoso anel mágico, com o qual controlava a monarquia invisível de demônios. Esses demônios eram torturados e forçados a servir o rei Salomão. Salomão catalogou 72 espíritos malignos em um livro conhecido como Goécia(Ars Goetia), um livro que contem descrições de rituais da mais maligna Magia Negra imaginável, na verdade, a reputação da Goécia é tão ruim, que eu nunca tive a coragem de ler mais do que 2 páginas desse livro. A edição revisada inglesa da Goécia foi publicada em 1904, pelo ocultista Aleister Crowley(1875- 1947), ex-membro da Ordem da Alvorada Dourada(Golden Down) e fundador da Ordem da Estrela de Prata(Astrum Argentum), Crowley era um satanista auto declarado e se auto intitulava “A Besta 666” . Crowley também criou um sistema híbrido de Magia Negra que está em voga hoje, um sistema conhecido por “Thelema”, que influenciou diversos movimentos de Nova Era e bandas de rocky.

Por fim , conta-se que Salomão lacrou esses espíritos em uma espécie de urna, selada com inscrições mágicas, esse é o famoso "tesouro" que os Templários encontraram debaixo das câmaras secretas em baixo do Antigo Templo de Salomão, durante a Primeira Cruzada, a mando do Priorado de Sião, uma facção ocultista judaica que provavelmente sabia desse tesouro e que precisava de um braço militar forte o suficiente para recuperá-lo, os Templários, e tira-lo da Cidade Santa, Jerusalém, que estava até então sob controle mulçumano.

O hexagrama também é o símbolo usado na Maçonaria do Arco Real, aliás, o próprio símbolo clássico da Maçonaria, formado por um compasso e um esquadro entrelaçados, é uma simplificação do hexagrama, em que o “G” dentro dessa estrutura é, obviamente, a abreviação para “God”.
Como a Maçonaria está associando o deus dela a uma simplificação do hexagrama, que é o símbolo mais maligno da feitiçaria, fica claro que o deus da Maçonaria não é, e nem pode ser, o Deus da Bíblia, o Pai de Jesus. O hexagrama é um símbolo de Lúcifer, veja: se você pegar qualquer uma das seis pontas do hexagrama, qualquer uma, e a partir dela começar a tirar os lados dos triângulos que aparecem no sentido horário até dar uma volta completa na estrela terá 6 lados. Voltando ao ponto inicial e contando os lados dos triângulos, dessa vez no sentido anti-horário, terá mais 6 lados. Agora o que sobrou da figura? O hexágono interno, que tem 6 lados, tire-o e o que acontecerá? Você terá decomposto o hexagrama em três 6, o 666, o número da Besta, do Anticristo, que é o número do Sol, e de todos os deuses solares, e do messias pagão solar, o Anticristo, a Besta, pois o 666 é o número formado pelo "quadrado mágico"(kamea) do Sol, Tipheret na Cabala.

O real símbolo de Deus para Israel é o Menorah, o famoso candelabro com 7 braços, e não a Estrela de Davi com suas 6 pontas, o hexagrama é um símbolo que a elite de sionistas deu para Israel.



"O Menorá era o símbolo mais importante do Templo depois da Arca da Aliança. A imagem do Menorá bíblico é o símbolo do moderno Estado de Israel." ("Israel seeks return of Temple artifacts", 16 de janeiro de 2004)
"Um dos símbolos mais antigos da fé judaica é o Menorá, um candelabro de sete hastes usado no Templo." ("Jewish Symbols: The Menorah", Doing Judaism)
"O Menorá é o símbolo oficial da nação judaica." ("The history of the menorah", Jewish-Art.org)


Como a marca da Besta será o hexagrama, que nada mais é do que um 666 em forma geométrica, é provável que esta marca funcione como uma espécie de círculo mágico à distância, submetendo todos os que usarem este chip ao controle total da Besta: físico, econômico, político, militar e espiritual.

Assim sendo, axo extremamente improvável que Nero tenha sido o Anticristo definitivo, a Besta. No mais, se você realmente estiver certo, e até que eu espero um pouco que esteja, nada acontecerá em 2012, e o ano passará como todos os outros, e os céticos, mais uma vez, criticarão os espiritualistas por mais um alarme falso de fim de mundo, e seguiremos as nossas vidas normalmente...

Fish
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 470
flag : Brasil
Data de inscrição : 13/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qui 12 Ago 2010, 8:29 am

silva melo,

6. Artaxerxes (filho de Xerxes), aos 75 anos de idade quando seu pai foi chamado Dario. Em 474 a.C., ele foi feito Vice-Rei, no décimo segundo ano de seu pai Xerxes. No entanto, este marcou o primeiro ano do reinado de Artaxerxes. Em seu 20o ano (455 AC), ele enviou Neemias para reconstruir Jerusalém (Neemias 2). Artaxerxes e sua esposa, Damaspia, ambos morreram no mesmo dia, em 425 AC, deixando o trono para seu filho, Xerxes.

Você mesmo postou que a data do decreto 455 AC...era disto que se tratava o debate.o artigo parece interessante mas para o contexto do debate pareceu um tanto longo..eu próprio não li tudo.O importante está na data do decreto:seu artigo mesmo fala em 455 aC...o resto vou analisar ponto a ponto.



As supostas imprecisões do calendario judaico sao um esquema utilizado pelos dispensacionalistas para darem a volta a questao,e defenderem numa posição que tem uma base hermeneutica fraquissima e sempre se apoiou mais em teorias de conspiraçao e em fatos extra-biblicos,para alem de que se originou em "visoes"de uma seita herética!

Sem querer ofender, heresia é exatamente o que vem à minha cabeça, quando leio alguma tese que argumenta que não haverá reinado do anticristo nem arrebatamento, já que lemos isso claramente na Bíblia...

Vou lhe pedir uma coisa:não distorça!Em parte alguma mencionei que o arrebatamento não existe..nem tente levar por aí. As "visões" que deram origem ao dispensacionalismo ensinam um arrebatamente pos tribulacional secreto!É a isso que me oponho!Não ao arrebatamento ensinado na Bíblia!Quanto ao reinado do anti-cristo,uma pergunta:onde menciona "anti-cristo"no apocalipse ou em daniel ou nos evangelhos?Não existe!Analise 1 jo 4.1-6 com calma e veja que o anti-cristo da Biblia não era uma pessoa fisica muito menos futura!Era o espirito que se opunha a Cristo e que se manifestava em falsos profetas e em heresias como negar a vinda de Jesus Cristo em carne.Se voxê quiser conetar a tribulação com alguma personagem será a besta, não o "anti-cristo"!


1Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.
2Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;

3E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.

4Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.

5Do mundo são, por isso falam do mundo, e o mundo os ouve.

6Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro.

apoc 13

4 E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?

5E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses.-tribulação

6E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.

7E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.

8 E adoraram-na(quem?o anti-cristo?não!a besta!) todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qui 12 Ago 2010, 9:42 am

(continua...)


3. Após as sete semanas e as sessenta e duas semanas, que implicariam um tempo durante a septuagésima semana, o
Messias é “cortado”. Isto é, ele sofre a pena de morte.
4. Num ponto (não especificado) após o corte do Messias, a cidade e o santuário são destruídos. A destruição de Jerusalém (v.26-27) no ano 70 d.C. foi uma conseqüência da rejeição e crucificação de Cristo. Daniel não diz que isso ocorre dentro da septuagésima semana.
"E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador."

Eis o problema dessa tese: Se os sete anos se cumpriram durante o ministério de Jesus, então onde está o anticristo fazendo as suas alinaças nesse mesmo período? E a ira de Deus que será derramada sobre ele, conforme está referido aqui e em Apocalipse?

Volto a dizer:anti-cristo não se encontra em apocalipse!e não se pode dizer que besta é o anti-cristo porque não é!Sobre o seu argumento,quem falou que ali está falando do anti-cristo?Darby??Na verdade,a passagem fala sobre Cristo,o Ungido de Deus!Outro fato a ter em conta é a importância de Tito,general romano, e seu exército no cumprimento da profecia.Deus usou Tito como elemento punitivo como fazia no AT com os assírios,por exemplo(ver o povo do principe,vers 26 “e o povo do príncipe(Tito e o exército romano), que há de vir, destruirá a cidade e o santuário(70 dC). O seu fim será como uma inundação: Até o fim haverá guerra, e estão determinadas desolações” (v.26).


Lucas narra o episódio em que Jesus “vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! Se tu conhecesses, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isso está encoberto aos teus olhos. Dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados. Derrubar-te-ão, a ti e a teus filhos que dentro de ti estiverem. Não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste o tempo da tua visitação” (Lc.19:41-44).

Logo em seguida, o anjo diz: “Ele confirmará uma aliança com muitos por uma semana, mas na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de cereais”(v.27). De quem o anjo estava falando, agora ? Alguns entendem que a pessoa em foco aqui é o tal príncipe, ou o império que ele representa. Os que acreditam que a 70a. semana ainda virá, crêem que se trata do Anticristo. Nós, porém, temos razões fortes para crer que esta passagem fale do Ungido, e não do príncipe que destruiria Jerusalém. E que razões seriam estas? Primeiro, no texto em hebraico, o sujeito está oculto. Portanto, ambas as posições parecem plausíveis do ponto de vista lingüístico. Tanto o Ungido, quando o príncipe que virá se encaixam perfeitamente. Porém, do ponto de vista teológico, temos que admitir que é o Ungido o sujeito oculto desta passagem. E por quê?
Primeiro: Em Mateus 26:28 encontramos Jesus na última ceia apresentando o cálice que representava o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos. Isso se encaixa perfeitamente na passagem de Daniel. A aliança ali mencionada é a Nova Aliança feita no sangue de Cristo. Essa aliança foi feita na 70a semana de Daniel. Os muitos mencionados nessa passagem são os eleitos de todas as eras. No meio dessa semana ( a 70a., é claro ), Cristo fez cessar o sacrifício. O escritor de Hebreus ressalta que Cristo “havendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus”. Portanto, “já não resta mais sacrifício pelos pecados” (Hb.10:12, 26b).

Diante destas afirmações, concluímos que não foi Tito(ou o anti-cristo,se quiser), o general romano, quem fez cessar o sacrifício. Foi Cristo, o Santo dos Santos, que invalidou pelo o Seu sangue todos os demais sacrifícios. Ainda que, depois de Sua morte, os sacrifícios continuassem a ser oferecidos, eles já não possuíam valor algum diante de Deus (Hb.9:9-10).


Foi devido à rejeição do Messias por parte dos judeus que a destruição veio sobre Jerusalém e seu templo. Por isso, na seqüência do versículo lemos: “E sobre a asa das abominações virá o assolador, até a destruição determinada, a qual será derramada sobre o assolador” (v.27b).
O assolador nesta passagem corresponde a Roma, que foi a responsável pela destruição total de Jerusalém e seu santuário. Na última parte do versículo, lemos que Deus também determinara a destruição do assolador. No final das contas, tanto a Jerusalém apóstata, quanto o Império Romano haveriam de ser destruídos. Cerca de cinco séculos depois de haver destruído Jerusalém (476 d.C.), Roma foi invadida e saqueada pelos bárbaros, caindo assim a porção ocidental do Império Romano.

Encadeamento lógico.


Exato... portanto, reflita em Só mais uma informaçãozinha que faz toda a diferença:

"E ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, o qual levantou ao céu a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente que isso seria para um tempo, tempos e metade do tempo, e quando tiverem acabado de espalhar o poder do povo santo, todas estas coisas serão cumpridas" (Dn 12.7).

O anjo jurou que essas coisas todas só se cumpririam quando os judeus voltassem para a sua terra! Isso só aconteceu em 1948!! O contrário de 70 DC, quando eles começaram a ser espalhados!!!


Ninguém nega que haja muitas profecias de restauração; quer dizer, muitas profecias sobre o retorno dos judeus para a sua terra e o seu restabelecimento como uma nação (por exemplo, Deuteronômio 30.1-10; 1 Reis 8.46-52; Jeremias 18.5-10; 29.12-14; Ezequiel 36.33; Oséias 11.10). Porém, até que ponto estas profecias pertencem à restauração literal dos judeus como uma nação, foi cumprida quando (em fases) os judeus voltaram de seu cativeiro Babilônico-Assírio, e foram restabelecidos em sua própria terra. Tudo isso aconteceu há muito tempo, muito antes que Jesus nascesse.

Este ponto é tão fácil de se entender que é estranho que muitas pessoas não vêem isto. Você pode estar certo de que quando os profetas do Antigo Testamento profetizaram que os judeus seráim lançados em seu cativeiro, o seu retorno para sua própria terra, e o seu restabelecimento como uma nação, eles estavam falando depois sobre uma bem próxima libertação de seu cativeiro Babilônico-Assírio, e não uma volta para casa, procedente de uma dispersão, mais de dois mil anos depois! As profecias do Antigo Testamento devem ser estudadas do ponto de vista do Antigo Testamento e de seu fundo histórico.

No entanto, o contexto de daniel 12 remete-nos para o periodo da grande tribulaçao:

1 Nesse tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo, e haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, será salvo o teu povo, todo aquele que for achado inscrito no livro.(apoca 13.8,17.8,Mateus 24:21, Marcos 13:19 ).veja a tradução NVI do texto:

daniel 12.7 - O homem vestido de linho, que estava acima das águas do rio, ergueu para o céu a mão direita e a mão esquerda, e eu o ouvi jurar por aquele que vive para sempre, dizendo: "Haverá um tempo, tempos e meio tempo. Quando o poder do povo santo for finalmente quebrado, todas essas coisas se cumprirão".A Bíblia onde você leu "espalhar" foi a versão ACF,mas a palavra ali significa literalmente destruir,despojar o poder do povo santo.Remete-nos para a grande tribulação e o fim do poder do sistema judaico (rm 10.4,gal3.10,hb7.11,8.13)



E quando tiverem acabado de despedaçar o poder do povo santo, cumprir-se-ão todas estas coisas-AA

E, quando se acabar a destruição do poder do povo santo, estas coisas todas se cumprirão-RA

e quando tiverem acabado de destruir o poder do povo santo, todas estas cousas serão cumpridas.-DO

e quando tiverem acabado de destruir o poder do povo santo, todas essas coisas serão cumpridas.-RC

Eu ouvi o homem vestido de linho, que estava por cima das águas do rio, quando levantou ao céu a sua mão direita e a mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente, que isso seria para um tempo, e tempos, e metade dum tempo; quando tiverem acabado de despedaçar o poder do povo santo, cumprir-se-ão todas estas coisas-TB

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qui 12 Ago 2010, 9:51 am

Fish,
Bom, até que achei interessante o seu raciocínio sobre as 70 Semanas de Daniel, entretanto, isso não me convence de que Nero fosse a Besta, isso não faz sentido. O Anticristo definitivo pedirá que as pessoas usem a sua marca na fronte ou na mão, não lembro de Nero ter feito algo parecido, muito menos de algum Falso Profeta no tempo dele. Creio que essa marca será posta em uma espécie de chip, o qual as pessoas pertencentes a Nova Religião Global serão obrigadas a usar, quem não o tiver será excluido socialmente, pois este chip substituirá RGs, CPFs e cartões de crédito, ninguém poderá comprar ou vender sem ele, e é justamente neste chip que estará a marca da Besta.

Sobre a marca da besta:

João diz que pessoas de todos os seguimentos sociais deveriam ter tal marca, se quisessem continuar desfrutando da liberdade de comprar e vender. É bem provável que o pano de fundo aqui seja o “charagma” imperial. Deissmann, em seus “Bibles Studies”, afirma que os papiros dos primeiros séculos nos fornecem evidências de que os documentos comerciais oficiais tinham de ter o nome e a imagem do imperador estampados. Tal prática era conhecida como “charagma”, que é a palavra encontrada no texto, traduzida em nosso idioma por “marca”, ou “sinal”. Há um precedente histórico interessante registrado em Macabeus 3:29. Ali é relatado que Ptolomeu Filadelfo compeliu alguns judeus alexandrinos a receberem a marca do deus Dionísio, para identificá-los como sendo seus devotos. Não era incomum que alguns religiosos se deixassem marcar com símbolos ou nomes da divindade de sua devoção. Creio que João toma tal prática pagã como analogia do poder exercido pelas bestas nas esferas econômica, social, e sobretudo, religiosa. Assim como os cristãos fiéis a Cristo teriam a “marca” de Deus em suas frontes, em contrapartida, os adoradores da besta teriam também a sua marca. Talvez haja aqui um trocadilho proposital. João pode estar falando, ao mesmo tempo, das sanções econômicas do Império para com aqueles que não prestassem culto ao imperador, e daqueles que, conscientemente se subordinaram ao poder da Roma Imperial. Por exemplo, quando João fala da marca na mão direita ou na testa que deveriam ser exibidas pelos que fossem leais ao poder imperial, talvez tivesse em mente a prática judaica de usar os “tephillin” ou “filactérios”[3], na mão e na testa. Jesus denunciou os escribas e fariseus, dizendo que tudo quanto faziam era “a fim de serem vistos pelos homens”. E para chamarem mais a atenção de todos, eles alargavam os seus filactérios, e encompridavam as franjas das suas vestes (Mt.23:5).

Outra possível interpretação é que o “sinal” da besta, contendo a sua imagem era a moeda corrente naqueles dias, que trazia a efígie do imperador. Sem ela, nada poderia ser comprado ou vendido. Um ditado que circulava entre os rabinos dizia: “Sempre que corre o dinheiro de qualquer rei, esse rei é Senhor”.[4] As moedas circulantes da época, além da imagem de César, traziam a frase “César é o Senhor”. Tal inscrição era um insulto aos cristãos do primeiro século. Mesmo os sacerdotes reconheciam que tais moedas insultavam a Deus, e por isso, não poderiam ser usadas na compra de animais para o sacrifício no Templo. Daí a presença de cambistas no Templo, para trocar as moedas romanas por moedas judaicas. Josefo conta que o lucro obtido nesse comércio era imenso, e que essa prática era comum. Muitos cambistas se aproveitavam da ignorância das pessoas para ludibriá-las, cobrando-lhes mais do que o justo. Foi por isso que Jesus expulsou-os do Templo. A reação de Jesus foi um protesto contra o espírito ganancioso daqueles que monopolizavam tal prática.
Ainda que não se prostrassem diante de uma imagem do imperador romano, os judeus estavam, por assim dizer, prestando culto a Mamon. [5] O problema não era fazer uso da moeda corrente do império, mas deixar-se dominar pelo desejo obcecado de possuí-la. Como já disse alguém, o dinheiro é um ótimo servo, mas um péssimo senhor. E, conforme Jesus assegurou, “ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas (Mamon)” (Mt.6:24). Os judeus preferiram dedicar-se ao lucro, e abrir mão de sua posição como nação escolhida por Deus.
Quando os cristãos vendiam suas propriedades, e depositavam o dinheiro aos pés dos apóstolos para que fosse repartido entre todos, estavam dando testemunho de que Mamon já não era o seu senhor (At.4:34). Eles sabiam que onde estivesse o seu tesouro, ali estaria o seu coração (Mt.6:21).
É claro que os cristãos faziam uso das moedas romanas, porém, jamais se devotaram ao lucro, como os judeus. Eles as possuíam, mas não eram possuídos por elas. A relação da igreja com o dinheiro era pautada nos princípios ensinados por Jesus e Seus santos apóstolos. Paulo, por exemplo, diz: “Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”(1 Co.6:12b). Baseados nesse princípio, Paulo diz que os cristãos deveriam ser desapegados de tudo o que pertencesse a este mundo. “Os que compram”, diz ele, devem agir “como se nada possuíssem; os que usam deste mundo, como se dele não abusassem. Pois a aparência deste mundo passa” (7:30b-31).
Paulo alertou a Timóteo para que tomasse cuidado com aqueles que achavam que a piedade cristã era “fonte de lucro”. “De fato”, explica o apóstolo, “é grande fonte de lucro com o contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e nada podemos levar dele; tendo, porém, sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Mas os que querem ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores (...) Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos” (1 Tm.6:6-10, 17). Que disparate entre esta passagem e o evangelho de prosperidade que é pregado hoje em muitas igrejas!
A onda de consumismo que varre a sociedade é uma verdadeira bestialização do ser humano. Os valores estão sendo invertidos, de forma que, as pessoas estão aprendendo a amar as coisas, e usar o seu semelhante.
Trazer na bolsa algumas moedas com a efígie do imperador não era o mesmo que ter o sinal da besta. O problema era quando a pessoa era marcada pela ambição material, e fazia do dinheiro o grande alvo de sua existência.
Tal dilema era encarado com tamanha seriedade pela igreja primitiva que, quando Ananias e Safira foram capazes de mentir ao Espírito Santo para poupar parte daquilo que fora amealhado com a venda de um propriedade, o juízo de Deus caiu sobre eles, e expiraram diante dos apóstolos (At.5). Não era a Deus que eles serviam, mas a Mamon. Eles não tinham o selo de Deus, e sim a “marca da besta”. Somente os que tivessem o selo de Deus em suas vidas poderiam falar como Paulo: “Mas o que para mim era lucro, considerei-o perda por causa de Cristo”(Fp.3:7).

O Número da Besta

"Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é 666” (Ap.13:18). O homem em questão é, indubitavelmente, Nero. O cálculo é feito a partir do valor das letras gregas, “Neron Kesar”, transliteradas do hebraico, de acordo com o valor das letras hebraicas; o que dá o total de 666. Segundo R.H. Charles, isso se dá pelo fato de João escrever em grego, enquanto pensa em hebraico.[6] Achados arqueológicos comprovam que Nero era conhecido pelo valor numérico do seu nome (666). Quando o nome Nero César é passado para o hebraico, temos Neron Kesar ( nrwn qsr: não há vogais no hebraico ). Basta, então, fazer o cálculo de acordo com o valor numérico de cada letra.

n = 50r = 200w = 6n = 50q = 100s = 60r = 200Total = 666

Como se não bastassem as evidências, vale dizer que todos os escritores cristãos primitivos que falaram sobre o Apocalipse, começando por Irineu, conectavam a besta do Apocalipse com Nero ou algum outro imperador romano.
Há ainda uma curiosa variação do número 666. Alguns manuscritos trazem em seu lugar o número 616. Isso se dá por causa da forma latina para Neron Kesar, que é Nero Caesar (nrw qsr) , sem a letra “n”, que tem o valor número de 616, comprovando assim a identidade da besta apocalíptica.
Devemos compreender que Nero foi a porta de entrada oficial de Satanás no Império Romano. Embora acreditemos que ele já agisse ali desde a sua fundação. Porém, a partir de Nero, Roma seria o instrumento oficial do diabo para perseguir os santos (os filhos da mulher). Portanto, a besta do Apocalipse é tanto Nero, quanto o Império como um todo, incluindo os imperadores que o sucederam.

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qui 12 Ago 2010, 9:58 am

Sobre o microchip:

http://www.monergismo.com/textos/dispensacionalismo/microchip-marca-besta_Demar.pdf

"Devemos pensar biblicamente sem ter sempre que pensar profeticamente"

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por silvamelo em Qui 12 Ago 2010, 12:51 pm

Você mesmo postou que a data do decreto 455 AC...era disto que se tratava o debate.o artigo parece interessante mas para o contexto do debate pareceu um tanto longo..eu próprio não li tudo.O importante está na data do decreto:seu artigo mesmo fala em 455 aC...o resto vou analisar ponto a ponto.
O importatnte para a profecia é a data para o levantamento da muralha, conforme a parte do post que você ignorou...

Os que acreditam que a 70a. semana ainda virá, crêem que se trata do Anticristo. Nós, porém, temos razões fortes para crer que esta passagem fale do Ungido, e não do príncipe que destruiria Jerusalém.
O assolador nesta passagem corresponde a Roma, que foi a responsável pela destruição total de Jerusalém e seu santuário. Na última parte do versículo, lemos que Deus também determinara a destruição do assolador. No final das contas, tanto a Jerusalém apóstata, quanto o Império Romano haveriam de ser destruídos. Cerca de cinco séculos depois de haver destruído Jerusalém (476 d.C.), Roma foi invadida e saqueada pelos bárbaros, caindo assim a porção ocidental do Império Romano.
"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação" (2 Pe 1.20).

Quanto ao reinado do anti-cristo,uma pergunta:onde menciona "anti-cristo"no apocalipse ou em daniel ou nos evangelhos?Não existe!

Apocalipse:

"a besta que viste, era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição. E aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida desde a fundação do mundo, se admirarão, vendo a besta que era e não é, mas aparecerá." (Ap 17.8).

"E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição" (Ap 17.11).


Daniel:

"Os dez chifres correspondem a dez reis que se levantarão daquele mesmo reino; e, depois deles, se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis" (Dn 7.24).

Evangelho:

"Já não falarei muito convosco, porque aí vem o príncipe do mundo; e ele nada tem em mim" (Jo 14.30).

Epístolas:

"Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição" (1Ts 2.3).

"Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora" (1Jo 2.18).

Uma pergunta: precisa estar escrito o nome "anticristo" para saber que se está falando da mesma pessoa?

Se voxê quiser conetar a tribulação com alguma personagem será a besta, não o "anti-cristo"!
A simbologia da "besta" se refere a um reino e também a uma pessoa, conforme o informa o próprio autor, explicando a simbologia...

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Sex 13 Ago 2010, 1:10 pm

O importatnte para a profecia é a data para o levantamento da muralha, conforme a parte do post que você ignorou...
Levatamento da muralha de jerusalém,certo?Foi antes do decreto?

"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação" (2 Pe 1.20).
Não percebi porque postou isto!Pareceu totalmente descabido!!Porque é de particular intrepretaçao??


Apocalipse:

"a besta que viste, era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição. E aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida desde a fundação do mundo, se admirarão, vendo a besta que era e não é, mas aparecerá." (Ap 17.8).

"E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição" (Ap 17.11).

Daniel:

"Os dez chifres correspondem a dez reis que se levantarão daquele mesmo reino; e, depois deles, se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis" (Dn 7.24).

Evangelho:

"Já não falarei muito convosco, porque aí vem o príncipe do mundo; e ele nada tem em mim" (Jo 14.30).

Epístolas:

"Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição" (1Ts 2.3).

Se eu disser que a expressao "anticristo"nao se encontra nestes versos estou a ser ironico ou dizer o que esta a vista de toda a gente?
JOAO 14:26-31



Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.

Eu vo-lo disse agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim;

Mas é para que o mundo saiba que eu amo o Pai, e que faço como o Pai me mandou. Levantai-vos, vamo-nos daqui.

Jesus estava falando com os seus discipulos sobre a sua morte.Quando ele diz o "principe deste mundo",este termo na Biblia refere-se a satanas (ef2.2,6.12,jo 16.11).Jesus estaria dizendo por outras palavras que estava proxima a hora das trevas,da sua crucificaçao.Nao tem conexao com o famoso "anticristo"pois nem é uma passagem escatologica ou que fale da segunda vinda..


Sim,os termos nem têm nada a ver.João estava sobre aqueles que negavam que Jesus era o Cristo (1 jo2.22),chamando-os de anticristo.No vers 18, diz que "agora(neste tempo,presente) muitos se tem feito anticristos pelo que conhecemos que esta é a ultima hora".Muitos..
Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. 2 Jo 1.7-Veja entraram no mundo..teriamos de considerar que o anticristo ja existiria nos dias de joão o que deita por terra todo o ensino dispensacionalista sobre o anticristo.Não?Veja abaixo:


E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.
1 João 4:3

Resumindo, o anticristo é o espirito de tudo aquilo que é contrário a Cristo,negando-o enquanto Filho de Deus,que já operava nos dias de João e que continua a operar hoje em dia.joão referia-se às pessoas que possuiam esse espirito como "anticristos".


[A simbologia da "besta" se refere a um reino e também a uma pessoa, conforme o informa o próprio autor, explicando a simbologia...
Sim..uma pessoa.Era o sentido que queria dar a expressão.Também coneto a um reino,neste caso ao Império Romano.

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por silvamelo em Sex 13 Ago 2010, 3:19 pm

Levatamento da muralha de jerusalém,certo?Foi antes do decreto?
Releia o post onde eu quotei o estudo. A data é 445 AC...

http://gospelbrasil.topicboard.net/escatologia-f17/2012-o-advento-do-anticristo-t3659-15.htm#73775

Não percebi porque postou isto!Pareceu totalmente descabido!!Porque e de particular intrepretaçao??
você lembra quando o Famado falou para você que uma profecia pode se repetir numa escala global? É exatamente isso! As profecias não estão restritas a um evento particular...

Veja um exemplo:

A abominação da desolação:

Em Daniel 11.31:
"E braços serão colocados sobre ele, que profanarão o santuário e a fortaleza, e tirarão o sacrifício contínuo, estabelecendo abominação desoladora."

Esta profecia se cumpriu, quando Antioco IV colocou uma estátua de Zeus no templo de Jerusalém em 167 AC.

Em Mt 24.15:
"Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda."

Note que a abominação da desolação que Jesus esta falando aqui é a invasão e destruição do Templo pelo General Tito em 70 DC. Mas como pode estar falando dela se ele se refere a profecia já cumprida de Daniel? "QUEM LÊ, INTENDA"!

Em 2Ts 2.4:
"O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus."

Note que a abominação da desolação aqui já se comporta de uma maneira diferente. Não há registro nenhum que o general Tito tenha se assentado no templo, com o intuito de ser adorado... Na verdade, os soldados romanos ficaram indignados com a visão grotesca que se depararam ao invadir a cidade. A única atitude que tiveram foi atear fogo em tudo e demolir toda aquela construção para apagar a memória... Conforme Josefo:

"Cesar ordenou que toda a cidade e o templo fossem arrasados..."

O apóstolo Paulo claramente está falando aqui de uma outra investida, que ainda não aconteceu... Esta situação se dará quando o anticristo quebrar o pacto com Israel e se assentar no santuário, exigindo culto.

eleito_17 escreveu:
Se eu disser que a expressao "anticristo"nao se encontra nestes versos estou a ser ironico ou dizer o que esta a vista de toda a gente?
JOAO 14:26-31



Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.

Eu vo-lo disse agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim;

Mas é para que o mundo saiba que eu amo o Pai, e que faço como o Pai me mandou. Levantai-vos, vamo-nos daqui.

Jesus estava falando com os seus discipulos sobre a sua morte.Quando ele diz o "principe deste mundo",este termo na Biblia refere-se a satanas (ef2.2,6.12,jo 16.11).Jesus estaria dizendo por outras palavras que estava proxima a hora das trevas,da sua crucificaçao.Nao tem conexao com o famoso "anticristo"pois nem é uma passagem escatologica ou que fale da segunda vinda..


Sim,os termos nem têm nada a ver.João estava sobre aqueles que negavam que Jesus era o Cristo (1 jo2.22),chamando-os de anticristo.No vers 18, diz que "agora(neste tempo,presente) muitos se tem feito anticristos pelo que conhecemos que esta é a ultima hora".Muitos..
Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. 2 Jo 1.7-Veja entraram no mundo..teriamos de considerar que o anticristo ja existiria nos dias de joão o que deita por terra todo o ensino dispensacionalista sobre o anticristo.Não?Veja abaixo:


E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.
1 João 4:3

Resumindo, o anticristo é o espirito de tudo aquilo que é contrário a Cristo,negando-o enquanto Filho de Deus,que já operava nos dias de João e que continua a operar hoje em dia.joão referia-se às pessoas que possuiam esse espirito como "anticristos".


[A simbologia da "besta" se refere a um reino e também a uma pessoa, conforme o informa o próprio autor, explicando a simbologia...
Sim..uma pessoa.Era o sentido que queria dar a expressão.Também coneto a um reino,neste caso ao Império Romano.
Você só pode ter chegado a tais conclusões baseado unicamente em interpretações e nada mais... Você defende o grupo daqueles que interpretam assim, já eu defendo a interpretação mais tradicional... Logo saberemos quem está errado, porque já estamos no final da geração do estado de Israel...

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por silvamelo em Ter 17 Ago 2010, 2:10 am

você lembra quando o Famado falou para você que uma profecia pode se repetir numa escala global? É exatamente isso! As profecias não estão restritas a um evento particular...
Errata: quem falou isso na verdade foi o DiegoC:

http://gospelbrasil.topicboard.net/escatologia-f17/o-mundo-pos-milenista-t2140-45.htm#74671[quote]

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qua 18 Ago 2010, 4:25 pm

Você só pode ter chegado a tais conclusões baseado unicamente em interpretações e nada mais... Você defende o grupo daqueles que interpretam assim, já eu defendo a interpretação mais tradicional... Logo saberemos quem está errado, porque já estamos no final da geração do estado de Israel...
Olhe cansei.Pensei que vc era diferente mas vc não quer debater,nem está minimamente interessado em mudar mesmo que esteja errado,portanto isto nunca irá produzir mais nada.Vc se apoia em sensacionalismo e no jornal mais do que na Escritura.Mas compreendo:hoje em dia não tem interesse anunciar a Grande Tribulação como algo passado.Ao fim e ao cabo,as mensagens pregadas são tão pobres espiritualmente que se não existirem esses artificios para atemorizar o povo,as igrejas acabam vazias.Quem nao tem medo e receio de uma batalha que vai destruir 2/3 da humanidade?ou quem se acha poderoso para enfrentar o "reino do anticristo"?Então as pessoas,mesmo ouvindo muitos "venenos espirituais"mantém-se na igreja por temor a Deus.É um exemplo..a prosperidade mal ensinada é outro exemplo.Por isso eq a igreja não impacta o mundo!Com tanta mentira,manipulãção,etc..como eq vamos acrdtar que o mundo vê na igreja um porto seguro?nao vê!dsde que surgiu o dispensacionalismo,o pentecostalismo e outros "ismos" a apostasia dentro da igreja aumentou exponencialmente..no Brasil são 16.000.000 de desviados,em Portugal chegam aos 500 mil,num pais tão pequeno...coincidência?talvez não.Vem Jesus,sim,vem avivar a tua obra e voltar a derramar zelo pela legitima Verdade,capaz de mudar o mundo,curar e transformar!
Mas "o grupo daqueles que intrepretam assim" sempre foi a posição dominante,até aparecer Darby em 1830,seu "tradicional"baseando-se em "profecias"de uma adolescente membra de uma seita.A sua posição "tradicional(??)",tem causado as piores abominações teológicas que há memória.E defender uma posição só porque "a maioria segue"também não me parece correto.Quem ama a doutrina defende-a até ao fim,nem que para isso tenha que brigar com Deus contra o mundo inteiro.Vc defende o quê?Nao sao intrepretações?Ah não espere..são "visões"carregadas de espiritualidade que nem mesmo a Bíblia tem autoridade para corroborar.É a teologia hoje em dia:desde que seja rápido e que venda,tudo bem.Para terminar,minha posição "nova e recente",explicita nas confissões de fé que são somente as confissões da igrejas que deram origem ao protestantismo e ás igrejas onde vcê congrega com a sua familia.Eu cá fico,acreditando no poder de Deus para transformar este mundo através da Sua Palavra (a Sã Doutrina e não o Evangelho "fast-food")e fazendo o meu melhor para construir um mundo melhor para a minha e as gerações que me seguirem.Se Jesus vier entretanto,amén..mas se Ele não "vier em Dezembro",aconselho-o a considerar tudo o que postei sob pena de se frustrar novamente:


http://escatologia-hoje.blogspot.com/2009/10/pos-milenismo-um-resumo_21.html

Veja: confissões de fé de websminster,savoy e londrina (séc.XVI E XVII)

Tenho dito,

Simplesmente mais um crente Reformado,no amor de Cristo...


Soli Deo Gloria!


Última edição por eleito_17 em Qua 18 Ago 2010, 5:09 pm, editado 1 vez(es)

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por eleito_17 em Qua 18 Ago 2010, 5:03 pm

Em Daniel 11.31:
"E braços serão colocados sobre ele, que profanarão o santuário e a fortaleza, e tirarão o sacrifício contínuo, estabelecendo abominação desoladora."
Que tal ler os versos anteriores??Seria muito boa ideia Wink este texto não é conetado com a abominação desoladora:

NTLH,DANIEL 11:28-31:

28Depois, o rei da Síria voltará para o seu país, levando todas as riquezas que tiver conseguido na guerra. Planejará acabar com a religião do povo de Israel e fará contra eles o que quiser. Depois, voltará para o seu país.

29—Quando chegar o tempo certo, ele marchará de novo com os seus soldados contra o Egito, mas desta vez não vencerá, como venceu na primeira vez.

30Soldados virão do oeste em navios e o atacarão. Desesperado, ele desistirá da luta e, cheio de fúria, atacará novamente o povo de Israel, fazendo com eles o que quiser. Desta vez, ele seguirá o conselho dos judeus que abandonaram a sua religião.

31Os seus soldados profanarão o Templo, acabarão com os sacrifícios diários e colocarão no Templo “o grande terror”.

Apesar de não ser muito adepto da versão NTLH,aqui vê-se claramente que a profecia se refere ao rei da Síria.Se vc ler todo o capítulo,fala de uma guerra entre o reino do norte e o reino do sul,para além da destruição do império medo-persa pelo rei da Grécia.Desta destruição,o reino foi divido em quatro e daí resultou a guerra entre o reino do norte e o reino do sul.O versículo 31 fala de soldados provalvemente sírios que atacariam o templo,profanando-o.


Em 2Ts 2.4:
"O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus."

Aqui não é Tito.É Roma e seu representante máximo,o Imperador.Fatos históricos comprovam que o Imperador romano exigia adoração como se fosse um "deus",sob pena de morte a quem não o fizesse.Daí um dos motivos da perseguição levada a cabo contra os cristãos:Estes afirmavam que só Jesus era o Único Senhor a quem se deveria prestar culto.

eleito_17
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 346
flag : Portugal
Data de inscrição : 02/08/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por silvamelo em Sex 20 Ago 2010, 3:45 pm

eleito_17 escreveu:Você só pode ter chegado a tais conclusões baseado unicamente em interpretações e nada mais... Você defende o grupo daqueles que interpretam assim, já eu defendo a interpretação mais tradicional... Logo saberemos quem está errado, porque já estamos no final da geração do estado de Israel...
Olhe cansei.Pensei que vc era diferente mas vc não quer debater,nem está minimamente interessado em mudar mesmo que esteja errado,portanto isto nunca irá produzir mais nada.Vc se apoia em sensacionalismo e no jornal mais do que na Escritura.Mas compreendo:hoje em dia não tem interesse anunciar a Grande Tribulação como algo passado.Ao fim e ao cabo,as mensagens pregadas são tão pobres espiritualmente que se não existirem esses artificios para atemorizar o povo,as igrejas acabam vazias.Quem nao tem medo e receio de uma batalha que vai destruir 2/3 da humanidade?ou quem se acha poderoso para enfrentar o "reino do anticristo"?Então as pessoas,mesmo ouvindo muitos "venenos espirituais"mantém-se na igreja por temor a Deus.É um exemplo..a prosperidade mal ensinada é outro exemplo.Por isso eq a igreja não impacta o mundo!Com tanta mentira,manipulãção,etc..como eq vamos acrdtar que o mundo vê na igreja um porto seguro?nao vê!dsde que surgiu o dispensacionalismo,o pentecostalismo e outros "ismos" a apostasia dentro da igreja aumentou exponencialmente..no Brasil são 16.000.000 de desviados,em Portugal chegam aos 500 mil,num pais tão pequeno...coincidência?talvez não.Vem Jesus,sim,vem avivar a tua obra e voltar a derramar zelo pela legitima Verdade,capaz de mudar o mundo,curar e transformar!
Mas "o grupo daqueles que intrepretam assim" sempre foi a posição dominante,até aparecer Darby em 1830,seu "tradicional"baseando-se em "profecias"de uma adolescente membra de uma seita.A sua posição "tradicional(??)",tem causado as piores abominações teológicas que há memória.E defender uma posição só porque "a maioria segue"também não me parece correto.Quem ama a doutrina defende-a até ao fim,nem que para isso tenha que brigar com Deus contra o mundo inteiro.Vc defende o quê?Nao sao intrepretações?Ah não espere..são "visões"carregadas de espiritualidade que nem mesmo a Bíblia tem autoridade para corroborar.É a teologia hoje em dia:desde que seja rápido e que venda,tudo bem.Para terminar,minha posição "nova e recente",explicita nas confissões de fé que são somente as confissões da igrejas que deram origem ao protestantismo e ás igrejas onde vcê congrega com a sua familia.Eu cá fico,acreditando no poder de Deus para transformar este mundo através da Sua Palavra (a Sã Doutrina e não o Evangelho "fast-food")e fazendo o meu melhor para construir um mundo melhor para a minha e as gerações que me seguirem.Se Jesus vier entretanto,amén..mas se Ele não "vier em Dezembro",aconselho-o a considerar tudo o que postei sob pena de se frustrar novamente:


http://escatologia-hoje.blogspot.com/2009/10/pos-milenismo-um-resumo_21.html

Veja: confissões de fé de websminster,savoy e londrina (séc.XVI E XVII)

Tenho dito,

Simplesmente mais um crente Reformado,no amor de Cristo...


Soli Deo Gloria!
Ver pessoas defendendo teorias bizarras como esta, me dão mais força para acreditar com mais firmeza que Jesus está realmente às portas! Quanto a você, espero que esteja vivendo ná prática o cristianismo, porque isso é que fará a diferença para quem vai se encontrar com Jesus nas núvens... se é que você acredita que isso se dará... Só peço a Deus que, ao se confirmar todas as espectativas, esta sua cegueira seja curada, para que você não caia na condenação eterna de receber a marca da besta...

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Interroga??o Re: 2012, o advento do Anticristo?

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 2:33 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum