.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
29 usuários online :: 1 usuário cadastrado, Nenhum Invisível e 28 Visitantes :: 2 Motores de busca

Jarbas

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Regras de interpretação da bíblia

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Seg 05 Jul 2010, 9:37 pm

Khwey escreveu:O texto refere-se a moradas eternas, portanto ele não trata das coisas deste mundo, uma vez que Jesus estava, na verdade, ensinando sobre coisas ocultas de Deus a serem reveladas ao povo somente por parábolas
"E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos".

"Riquezas de injustiça" só pedem referir-se as riquezas desse mundo, meu caro...

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Jarbas em Seg 05 Jul 2010, 9:48 pm

...

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:


Gostei muito dessa parte aqui... Essa parábola é para os nossos dias!



"Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem."  (Lucas 21 : 36)

"Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados;"  (II Pedro 2 : 9)


"PERECE o justo, e não há quem considere isso em seu coração, e os homens compassivos são recolhidos, sem que alguém considere que o justo é levado antes do mal."  (Isaías 57 : 1)


"O temor do SENHOR é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio."
  (Provérbios 8 : 13)

Jarbas
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 15309
Localização : Goiânia - Go
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Seg 05 Jul 2010, 10:54 pm

silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:O texto refere-se a moradas eternas, portanto ele não trata das coisas deste mundo, uma vez que Jesus estava, na verdade, ensinando sobre coisas ocultas de Deus a serem reveladas ao povo somente por parábolas
"E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos".

"Riquezas de injustiça" só pedem referir-se as riquezas desse mundo, meu caro...
Mas tabernáculos eternos certamente não são coisas deste mundo!
Meu barato!

Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos???


Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 12:06 am

Khwey escreveu:
silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:O texto refere-se a moradas eternas, portanto ele não trata das coisas deste mundo, uma vez que Jesus estava, na verdade, ensinando sobre coisas ocultas de Deus a serem reveladas ao povo somente por parábolas
"E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos".

"Riquezas de injustiça" só pedem referir-se as riquezas desse mundo, meu caro...
Mas tabernáculos eternos certamente não são coisas deste mundo!
Meu barato!

Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos???

Medita na parábola do "rico e do Lázaro" (Lc 16.20-23), que você vai compreender... O rico se banqueteava esbanjando as riquezas desse mundo, sem fazer caso nenhum do mendigo, que se contentaria até com as migalhas que caiam da sua mesa. Mas, morrendo os dois, o mendigo foi consolado na eternidade, enquanto que o rico sofreu o tormento eterno... A nossa administração dos bens terrenos refletirá na eternidade!

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 12:11 am

Jarbas escreveu:...

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:


Gostei muito dessa parte aqui... Essa parábola é para os nossos dias!

Muitas das parábolas de Jesus são para os nossos dias, haja visto que elas estão muitas vezes associadas à grande tribulação.

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Jarbas em Ter 06 Jul 2010, 12:13 am

silvamelo escreveu:
Jarbas escreveu:...

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:


Gostei muito dessa parte aqui... Essa parábola é para os nossos dias!

Muitas das parábolas de Jesus são para os nossos dias, haja visto que elas estão muitas vezes associadas à grande tribulação.

Para mim são todas...



"Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem."  (Lucas 21 : 36)

"Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados;"  (II Pedro 2 : 9)


"PERECE o justo, e não há quem considere isso em seu coração, e os homens compassivos são recolhidos, sem que alguém considere que o justo é levado antes do mal."  (Isaías 57 : 1)


"O temor do SENHOR é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio."
  (Provérbios 8 : 13)

Jarbas
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 15309
Localização : Goiânia - Go
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Ter 06 Jul 2010, 12:42 am

silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:
silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:O texto refere-se a moradas eternas, portanto ele não trata das coisas deste mundo, uma vez que Jesus estava, na verdade, ensinando sobre coisas ocultas de Deus a serem reveladas ao povo somente por parábolas
"E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos".

"Riquezas de injustiça" só pedem referir-se as riquezas desse mundo, meu caro...
Mas tabernáculos eternos certamente não são coisas deste mundo!
Meu barato!

Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos???

Medita na parábola do "rico e do Lázaro" (Lc 16.20-23), que você vai compreender... O rico se banqueteava esbanjando as riquezas desse mundo, sem fazer caso nenhum do mendigo, que se contentaria até com as migalhas que caiam da sua mesa. Mas, morrendo os dois, o mendigo foi consolado na eternidade, enquanto que o rico sofreu o tormento eterno... A nossa administração dos bens terrenos refletirá na eternidade!
o Hades não será eterno, assim como o seio de Abraão onde estão os justos também não será.

A parábola em questão não é esta e a pergunta é direta:


Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos, ou "para todo o sempre", para que seja possível ter amigos lá por causa desta riqueza???

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 12:55 am

Khwey escreveu:
silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:
silvamelo escreveu:
Khwey escreveu:O texto refere-se a moradas eternas, portanto ele não trata das coisas deste mundo, uma vez que Jesus estava, na verdade, ensinando sobre coisas ocultas de Deus a serem reveladas ao povo somente por parábolas
"E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos".

"Riquezas de injustiça" só pedem referir-se as riquezas desse mundo, meu caro...
Mas tabernáculos eternos certamente não são coisas deste mundo!
Meu barato!

Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos???

Medita na parábola do "rico e do Lázaro" (Lc 16.20-23), que você vai compreender... O rico se banqueteava esbanjando as riquezas desse mundo, sem fazer caso nenhum do mendigo, que se contentaria até com as migalhas que caiam da sua mesa. Mas, morrendo os dois, o mendigo foi consolado na eternidade, enquanto que o rico sofreu o tormento eterno... A nossa administração dos bens terrenos refletirá na eternidade!
o Hades não será eterno, assim como o seio de Abraão onde estão os justos também não será.

A parábola em questão não é esta e a pergunta é direta:


Qual seria a relação entre as riquezas deste mundo com os tabernáculos eternos, ou "para todo o sempre", para que seja possível ter amigos lá por causa desta riqueza???
"E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me" (Mc 10.21).

Amigo, tem tantas referências sobre isso... Não sei porque você gosta tanto de polemizar... Não creio que seja falta de conhecimento bíblico... O que será???

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 1:00 am

Jarbas escreveu:
silvamelo escreveu:
Jarbas escreveu:...

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:


Gostei muito dessa parte aqui... Essa parábola é para os nossos dias!

Muitas das parábolas de Jesus são para os nossos dias, haja visto que elas estão muitas vezes associadas à grande tribulação.

Para mim são todas...
:risadinha: Tem algumas que são específicas para certos assuntos... positivinho

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Ter 06 Jul 2010, 1:09 am

silvamelo escreveu:
"E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me" (Mc 10.21).

Amigo, tem tantas referências sobre isso... Não sei porque você gosta tanto de polemizar... Não creio que seja falta de conhecimento bíblico... O que será???
Amigo, as riquezas a que refere-se aquela parábola são riquezas mesmo, do tipo dinheiro, ouro, etc...
E, ilícitas!



Eu sei o que hei de fazer, para que, quando
for desapossado da mordomia, me recebam
em suas casas.
(Luc 16:4)

E louvou aquele senhor o injusto mordomo
por haver procedido prudentemente, porque
os filhos deste mundo são mais prudentes
na sua geração do que os filhos da luz.

E eu vos digo: Granjeai amigos com as
riquezas da injustiça; para que, quando
estas vos faltarem, vos recebam eles nos
tabernáculos eternos.
(Lucas 16:8,9)

Oh céus!!!

Qual seria a relação entre as riquezas ilícitas deste mundo com os tabernáculos eternos, ou "para todo o sempre", para que seja possível um injusto ter amigos lá por causa desta riqueza???

Será que agora vai???

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 1:42 am

Khwey escreveu:
silvamelo escreveu:
"E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me" (Mc 10.21).

Amigo, tem tantas referências sobre isso... Não sei porque você gosta tanto de polemizar... Não creio que seja falta de conhecimento bíblico... O que será???
Amigo, as riquezas a que refere-se aquela parábola são riquezas mesmo, do tipo dinheiro, ouro, etc...
E, ilícitas!



Eu sei o que hei de fazer, para que, quando
for desapossado da mordomia, me recebam
em suas casas.
(Luc 16:4)

E louvou aquele senhor o injusto mordomo
por haver procedido prudentemente, porque
os filhos deste mundo são mais prudentes
na sua geração do que os filhos da luz.

E eu vos digo: Granjeai amigos com as
riquezas da injustiça; para que, quando
estas vos faltarem, vos recebam eles nos
tabernáculos eternos.
(Lucas 16:8,9)

Oh céus!!!

Qual seria a relação entre as riquezas ilícitas deste mundo com os tabernáculos eternos, ou "para todo o sempre", para que seja possível um injusto ter amigos lá por causa desta riqueza???

Será que agora vai???
Jarbas escreveu:Parei por aqui, vc deu seu entendimento sobre a passagem da Bíblia e eu dei o meu, cada um leia e peça entendimento ao Senhor para que Ele o desvie do erro...
O Jarbas tem razão! Eu não vou ficar prolongando mais esse assunto com você... Sou sempre aberto ao diálogo e ao debate, desde que isso prossiga dentro do limite do razoável, mas com você não é assim...Já adquiri experiência suficiente nesse fórum para saber como isso termina... O irmão quis saber da interpretação dos participantes do fórum; eu também dei a minha. Se não satisfaz ao seu entendimento, amém!

"Cada um leia e peça entendimento ao Senhor para que Ele o desvie do erro..."


silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Ter 06 Jul 2010, 2:07 am

Isto aqui é um debate.
Todos tem o direito de fazer perguntas, ninguém é
obrigado a responder, e responde quem é capaz de debater como se deve.

Aqui vale repetir uma boa colocação de um participante:



Josoco escreveu:Será que não estamos entendo o texto ou não estamos aceitando o texto?

Acontece muito isso. Quando um texto não é aceito se faz muitos arrodeios para impor uma idéia ao texto.
Acertou na mosca!

Josoco escreveu:Também até agora não consegui compreender o texto, só coloco estas questões para iluminar nosso entendimento e também para se ver como é difícil se entender o que se lê.
E parabéns pela sinceridade!

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 2:35 am

"...e responde quem é capaz de debater como se deve."

Estou esperando isso de você!!! Ponha em prática o que você acabou de escrever, que certamente a dinâmica do debate aqui nesse fórum será outra!!!

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Josoco em Ter 06 Jul 2010, 9:09 am

silvamelo escreveu:
Josoco escreveu:Para se compreender bom é ler o texto todo:

Lc 16:1 E DIZIA também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.
Lc 16:2 E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.
Lc 16:3 E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
Lc 16:4 Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas.
Lc 16:5 E, chamando a si cada um dos devedores do seu SENHOR, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?
Lc 16:6 E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta.
Lc 16:7 Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta.
Lc 16:8 E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.
Lc 16:9 E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.
Lc 16:10 Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.
Lc 16:11 Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?
Lc 16:12 E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?
Lc 16:13 Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:

O homem rico é o Senhor.
O mordomo representa os líderes cristãos dos nossos dias.
Os devedores são os fieis da igreja.
As riquezas ilícitas, representam o dinheiro arrecadado nas igrejas de forma ilícita e abusiva, como dízimos e ofertas além das condições dos fieis.
O haver sido acusado, significa que, com a multiplicação do conhecimento em nosso tempo, essas artimanhas estão chegando ao conhecimento de todos.
O perder a mordomia, quer dizer que eles também estão percebendo que a doutrina da prosperidade que eles ensinam está fora da verdade bíblica. Portanto, estão cientes que vão perder o seu talento (Mt 25.14-30).
O granjear amigos, significa que eles vão tentar remediar esta situação diminuindo o fardo pesado que colocaram nas costas do povo, na esperança de se retratar.
O elogio do Senhor significa que Deus lhes aprovou a atitude e permitiu que adentrassem os tabernáculos eternos, desde que fossem permitidos pelos devedores que são os futuros moradores desses tabernáculos.



Eu gostei dessa, porém não é o sentido verdadeiro ainda, é uma aplicação das escrituras para os dias de hoje muito útil para exortar, para ser aplicado no campo da ética. Valeu este ponto de vista.

Josoco
Banido

Número de Mensagens : 1930
Idade : 63
Localização : Brasil
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Ter 06 Jul 2010, 9:19 am

silvamelo escreveu:"...e responde quem é capaz de debater como se deve."

Estou
esperando isso de você!!! Ponha em prática o que você acabou de
escrever, que certamente a dinâmica do debate aqui nesse fórum será
outra!!!
Eu já pus em prática, mas acontece que nem todos lêem, ou ignoram, ou não entendem mesmo!

E aí tentam a todo custo dar outro sentido ao impossível!

Esta parábola não tem nada a ver com a retratação de alguém para que Deus e amigos permita-lhe a entrada no reino dos céus!

Absolutamente nada!!!


A única coisa evidenciada no texto foi a prudência em se dar bem no futuro, e o exemplo dado foi o de uma pessoa materialista, demonstrando que estas pessoas do mundo estão sendo mais prudentes do que as pessoas espirituais quanto ao futuro do que elas crêem.

Por que será que isto que está sendo discutido foi proferido em parábolas???
Por que será???



A propósito, eu gostaria de saber se existe alguma parábola que não é para os dias de hoje???

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Ter 06 Jul 2010, 12:22 pm

A única coisa evidenciada no texto foi a prudência em se dar bem no futuro, e o exemplo dado foi o de uma pessoa materialista, demonstrando que estas pessoas do mundo estão sendo mais prudentes do que as pessoas espirituais quanto ao futuro do que elas crêem.
Embora esta não seja a "única coisa evidenciada no texto", sua conclusão em parte está correta.

Por que será que isto que está sendo discutido foi proferido em parábolas???
Por que será??? oh my

Porque será que o seu sarcasmo evidencia a sua falta de habilidade para o debate???
Por que será??? oh my

Porque será que você vive chorando no ombro dos ateus, por que os irmãos não têm mais paciência de seguir debatendo contigo, sendo que até os ateus estão perdendo a paciência???
Por que será??? oh my

Amigo, cresça! Seja humilde e procure debater com seriedade, respeitando as pessoas. Com certeza todos também vão lhe respeitar e lhe dar maior credibilidade. Procure também se expressar melhor, pois seus posts são por vezes muito confusos...

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Josoco em Ter 06 Jul 2010, 8:55 pm

Para se compreender bom é ler o texto todo:

A questão aqui não é de lógica mas psicológica. Um dos problemas que se enfrenta ao interpretar certos trechos da bíblia é exatamente este. Não aceitar o texto. Vou dar meu entendimento do todo do texto para poder chegar a questão proposta.

Lc 16:1 E DIZIA também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.

Alguém acusou o mordomo ao Senhor. O senhor nesta parábola não é Cristo, mas um representante de um patrão desonesto que explora seus empregados e o mordomo representa as pessoas do mundo, ou como diz o Senhor, filhos deste mundo

Lc 16:2 E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.

O senhor demitiu o mordomo diante das acusações feitas.

Lc 16:3 E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
Lc 16:4 Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas.
Lc 16:5 E, chamando a si cada um dos devedores do seu SENHOR, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?
Lc 16:6 E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta.
Lc 16:7 Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta.

O mordomo sabendo que sendo demitido iria passar por grandes apuros pois já era velho, tinha vergonha de mendigar, então diante de um problema real, tomou a decisão para poder sobrevier mesmo sendo desempregado.

Lc 16:8 E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente.

O Senhor não ficou irado ou ofendido com o que fez o mordomo, pelo contrário, ficou observando e vendo ser o mordomo uma pessoa esperta que diante de um perigo real, tomou uma descisão para sobreviver, sem se preocupar com ética, ou falsos escrúpulos.

Lc 16:8 Porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.

O ser humano é um fim em si mesmo, não é um meio para se chegar a um fim. As coisas são meios, o ser humano é um fim. O fim justifica os meios? Em uns casos sim, em outros não. Para umas pessoas não, para outras sim, para outras ainda depende da situação, poderá sim os fins justificar os meios. Para os filhos da luz não nunca.


Lc 16:9 E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.

Então o Senhor recomendou aos seus discípulos fazerem o mesmo em situações difíceis onde sua vida ou a de seus amigos está em perigo. Se uma pessoa é injusta com você deve usar a lei da reciprocidade com ela. Depois no fim você poderá ser perdoado e ir para os tabernáculos eternos, se si arrepender de tudo.

Lc 16:10 Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.

Quem faz a um faz a todos

Lc 16:11 Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?

Se Deus representa o Senhor nessa parábola, ele está acusando a se mesmo de obter riquezas através da injustiça. Portanto o senhor desta parábola não, pode representar Deus, mas representa um patrão injusto. Então aqui a questão é: ladrão roubando ladrão.

Lc 16:12 E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?

Quem não se ama não amará ninguém nunca.

Lc 16:13 Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Quem não é por mim é contra mim.


Como disse a questão não é de falta de entendimento do texto, mas de não aceitar o texto. Então fica fazendo arrodeio e forçando para dar uma interpretação que não está no texto.

Josoco
Banido

Número de Mensagens : 1930
Idade : 63
Localização : Brasil
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Ter 06 Jul 2010, 10:58 pm

Josoco escreveu:
Então o Senhor recomendou aos seus discípulos fazerem o mesmo em situações difíceis onde sua vida ou a de seus amigos está em perigo. Se uma pessoa é injusta com você deve usar a lei da reciprocidade com ela. Depois no fim você poderá ser perdoado e ir para os tabernáculos eternos, se si arrepender de tudo.
Aí foram acrescentadas muitas palavras que podem mudar o sentido da mensagem. Creio que isto viola a regra de interpretação bíblica.

Jesus trouxe um exemplo de pessoa injusta, um filho deste mundo, que fez amigos com riquezas ilícitas para usufruto próprio, apenas por interesse em seu bem estar.

Com base neste exato exemplo,
o qual não trouxe nada a respeito de arrependimento e perdão, e muito menos as palavras de Jesus após a parábola, de maneira nenhuma Jesus poderia estar aconselhando a mesma coisa para seus discípulos.

Isto porque
Jesus não falava para seus discípulos, mas para uma multidão!

Falou tanto para justos quanto para injustos, pois para seus discípulos escolhidos ele falava em particular interpretando todas as parábolas.


Nenhum justo dependerá da recepção de algum amigo que foi obtido desta forma, ou mesmo de qualquer outra, para ter direito a uma morada eterna, porque ter direito a permanecer no reino de Deus não depende da aceitação de amigos.

O que precisa ser observado nesta questão é que Deus preparou moradas eternas não somente para justos, mas também para os injustos.

Estes injustos, a semelhança do mordomo, são os que precisam se preocupar em como serão recebidos nelas, se caso permanecerem prudentes com as coisas do mundo, optando pelo exemplo dado.

Ou seja, depender de fazer amigos com coisas ilícitas para garantir o bem estar no futuro, futuro este que a grande maioria de "mordomos" certamente não crê que seja algo eterno, espiritual, pois eles são filhos deste mundo e por isto de acordo com o entendimento deles, aqui, neste mundo, a vida termina para eles.

Penso que ao falar em parábolas à multidão,
Jesus quis ensinar que, apesar dos filhos deste mundo não crerem, também existem tabernáculos eternos preparados para eles, onde, para serem bem recebidos, certamente eles deverão contar somente com a oferta dos amigos que eles conquistaram neste mundo, e ninguém mais.

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Qui 08 Jul 2010, 8:29 am

Josoco escreveu:
silvamelo escreveu:
Josoco escreveu:Para se compreender bom é ler o texto todo:

Lc 16:1 E DIZIA também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.
Lc 16:2 E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.
Lc 16:3 E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
Lc 16:4 Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas.
Lc 16:5 E, chamando a si cada um dos devedores do seu SENHOR, disse ao ínimo, também é injusto no muito.
Lc 16:11 Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?
Lc 16:12 E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?
Lc 16:13 Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Eu também fiquei durante muito tempo buscando a compreensão dessa parábola, mas recentemente o Senhor me deu o entendimento... Essa parábola é para os nossos dias! Vamos a interpretação:

O homem rico é o Senhor.
O mordomo representa os líderes cristãos dos nossos dias.
Os devedores são os fieis da igreja.
As riquezas ilícitas, representam o dinheiro arrecadado nas igrejas de forma ilícita e abusiva, como dízimos e ofertas além das condições dos fieis.
O haver sido acusado, significa que, com a multiplicação do conhecimento em nosso tempo, essas artimanhas estão chegando ao conhecimento de todos.
O perder a mordomia, quer dizer que eles também estão percebendo que a doutrina da prosperidade que eles ensinam está fora da verdade bíblica. Portanto, estão cientes que vão perder o seu talento (Mt 25.14-30).
O granjear amigos, significa que eles vão tentar remediar esta situação diminuindo o fardo pesado que colocaram nas costas do povo, na esperança de se retratar.
O elogio do Senhor significa que Deus lhes aprovou a atitude e permitiu que adentrassem os tabernáculos eternos, desde que fossem permitidos pelos devedores que são os futuros moradores desses tabernáculos.



Eu gostei dessa, porém não é o sentido verdadeiro ainda, é uma aplicação das escrituras para os dias de hoje muito útil para exortar, para ser aplicado no campo da ética. Valeu este ponto de vista.

"E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me" (Lc 18.22).

A passagem acima nos ajuda a compreender bem alguns aspectos da parábola em questão:

1) Deus criou tanto ricos quanto pobres, portanto todos são devedores de Deus.

2) Deus não vai usufruir dessas riquezas, por isso determina que todos os que tenham riquesas acumuladas repartam com os desfavorecidos.

3) A forma como os bens terrenos são administrados, reflete na eternidade.

4) Uma pessoa que entra na igreja e despõe dos seus bens para ajudar na obra, entendeu esses pontos, por isso contribui. E fica claro que os credores da parábola são os fiéis que tinham riquesas acumuladas e estavam prontas a cumprir com a sua obrigação.

5) No versículo acima constatamos que aquele que compartilha dos bens terrenos adquire tesouros nos céus, logo esses são os que possuem os tabernáculos eternos.

6) O mordomo infiel é a pessoa designada na terra para administrar os bens terrenos, isto é, fazer valer com que os pobres possam receber a sua parte na terra. Mas o mordomo defraudava os bens, ou seja, usava seu posto para viver confortavelmente e não fazia aquela parte chegar a quem necessitava. Logo, foi delatado e viu que perderia seu posto.

7) Ele pensou rápido, criando uma situação favorável para si, ainda que num último ato de defraudação, pois aliviou o fardo que ele colocava naqueles devedores.

8) No final, o mordomo foi elogiado, pois granjeou amigos que o favoreceriam para que ele pudesse entrar nos tabernáculos eternos.

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Qui 08 Jul 2010, 8:42 am

A bíblia não ensina que amigos irão favorecer nossa entrada nos tabernáculos eternos, muito menos amigos conseguidos com coisas ilícitas.

Quem decide quem entra e quem não entra é o juiz!


Então dirá o Rei aos que estiverem à sua
direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí
por herança o reino que vos está preparado
desde a fundação do mundo;
(Mat 25:35)

Então dirá também aos que estiverem à
sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos,
para o fogo eterno, preparado para o diabo e
seus anjos;
(Mat 25:41)

Onde será que entram os amigos nestas decisões acima???
Alguém sabe?



Desde quando um injusto filho deste mundo está preocupado com coisas espirituais para que faça amigos afim de que estes o favoreça no além???
Alguém sabe?

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Josoco em Qui 08 Jul 2010, 9:28 am

Lc 16:1 E DIZIA também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.
Lc 16:2 E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.
Lc 16:3 E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
Lc 16:4 Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas.
Lc 16:5 E, chamando a si cada um dos devedores do seu SENHOR, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?
Lc 16:6 E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta.
Lc 16:7 Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta.
Lc 16:8 E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.
Lc 16:9 E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.
Lc 16:10 Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.
Lc 16:11 Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?
Lc 16:12 E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?
Lc 16:13 Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.



Minha interpretação deste texto.

1 - O que denunciou o mordomo ao patrão representa todos os traidores, pois a amigo contou seu segredo a seu colega que vai contar para todos mundo, houve violação de segredo.

2 - O senhor ou patrão é claramente uma pessoa desonesta, pois as riquezas dele é de origem iníquas. Uma pessoa que rouba tudo e a todos, até seus empregados. Ele representa todos os que se enriquecem às custas da exploração do suor dos trabalhadores.

3 - O mordomo representa um empregado não cristão, que é roubado e se defende roubando, pois é ladrão roubando ladrão. Ele ao ver que iria ser despedido sem nada, pois o patrão desonesto não iria pagar mesmo, então resolveu o problema de sua indenização roubando o que podia enquanto tinha tempo pois era velho e tinha gastado toda sua vida naquele emprego e iria sair sem nada.

4 - Os filhos da luz representam os "manés" que querem ser honesto com pessoas desonestas. Devemos ser honesto com os honestos, puro com os puros, santo com os santos e ordinário com os ordinários.

5 - Deus elogiou a atitude do empregado (filho do mundo) e comparou com o que faria um empregado cristão (filho da luz) e disse: E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz. Lc. 16; 18

E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos. Lc. 16:19


Josoco
Banido

Número de Mensagens : 1930
Idade : 63
Localização : Brasil
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Qui 08 Jul 2010, 12:52 pm

A bíblia não ensina que amigos irão favorecer nossa entrada nos tabernáculos eternos, muito menos amigos conseguidos com coisas ilícitas.
Rapaz, essa parte para mim está bem clara. Aqui é Jesus explicando um aspecto importante da parábola, portanto é inquestionável. Leia o versículo mais uma vez:

'E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos" (Lc 16.9).

Quem decide quem entra e quem não entra é o juiz!

Então dirá o Rei aos que estiverem à sua
direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí
por herança o reino que vos está preparado
desde a fundação do mundo;(Mat 25:35)

Então dirá também aos que estiverem à
sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos,
para o fogo eterno, preparado para o diabo e
seus anjos;(Mat 25:41)

Essa é só uma parte da estória. Tem muito mais coisa aí... Você deve entender que Jesus simplificava questões bastante complexas, usando parábolas, para que nós pudéssemos ter uma ideia de como elas seriam. Jesus é o Juíz, mas ele também delega essa função aos seus dicípulos:

"Quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel" (Mt 19.28).

Onde será que entram os amigos nestas decisões acima???
Alguém sabe?
hummm
Eles entram aqui ó:

'E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos" (Lc 16.9).

Desde quando um injusto filho deste mundo está preocupado com coisas espirituais para que faça amigos afim de que estes o favoreça no além???
Alguém sabe?
hummm
A questão toda é que EXISTE esta parábola aí, não existe??? Para mim a parábola toda é VERDADEIRA e eu não posso dar um "jeitinho" para que ela se enquadre na minha visão!!! Tenho sim, de buscar ENTENDÊ-LA como ela é!

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por silvamelo em Qui 08 Jul 2010, 1:50 pm

1 - O que denunciou o mordomo ao patrão representa todos os traidores, pois a amigo contou seu segredo a seu colega que vai contar para todos mundo, houve violação de segredo.
Não vejo desse modo. Quem contou este segredo, foram pessoas que ficaram indignadas vendo que aquele mordomo era um defraudador.

2 - O senhor ou patrão é claramente uma pessoa desonesta, pois as riquezas dele é de origem iníquas. Uma pessoa que rouba tudo e a todos, até seus empregados. Ele representa todos os que se enriquecem às custas da exploração do suor dos trabalhadores.
Também não vejo essa desonestidade do patrão com tanta clareza quanto você. Se você prestar bem atenção na interpretação que eu sugeri, você ira perceber que a origem injusta dessas riquezas, está no fato delas terem sido adquiridas na opressão dos devedores, que outrora promoviam a desigualdade social, mas, ao receberem o reino dos céus, se arrependeram e decidiram reparar o seu erro...

Zaqueu talvez fosse como uma dessas pessoas, quando afirmou:

"E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado" (Lc 19.8).

Devemos ser ... ordinário com os ordinários.
Isso não confere com os ensinamentos de Cristo:

"Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; e, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; e, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas" (Mt 5.39-41).

Ao interpretar uma passagem bíblica, devemos ter sempre em mente todos os aspectos dos seus ensinamentos. Se a interpretação fere algum desses aspectos, isto significa que a interpretação está errada.

A questão das riquezas está intimamente ligada à escravidão do pecado, à que o homem foi sujeito ainda no jardim do Édem. Ao homem, foi dada a administração de todos os bens terrestres (Gn 1.28-30), mas quando pecou, foi destituído desses bens, tendo que conseguir sustento através do trabalho suado (Gn 3.17-19)... Com a queda do homem, Satanás obteve direito sobre os bens da terra (Lc 4.5-7), distribuindo esses bens pela injustiça , pois que o homem justo passou a ser oprimido e subjugado pelo homem acumulador de riquezas, que está obviamente à serviço do maligno.

Mas Jesus venceu na cruz e reorganizou esta situação, de modo que a igreja tenha com o que viver com dignidade, ainda que não seja rica (Mt 6.33).

Isso fica claro, quando vemos que os ricos que se convertiam na igreja primordial entregavam seus bens aos pés dos dicípulos e esses distribuíam a todos, na medida da necessidade de cada um, de modo que ninguém tinha falta de nada (At 2.44,45).

Mas atualmente o que vemos na igreja é uma influência maligna, que faz com que aqueles que deveriam estar vestindo o necessitado, na verdade estejam devorando as suas carnes... Esse é o aspecto da igreja de Laudiceia; a igreja de nossos dias (Ap 3.17,18).

silvamelo
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4417
Idade : 46
Localização : Rio de Janeiro
flag : Brasil
Data de inscrição : 15/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Josoco em Qui 08 Jul 2010, 8:33 pm


Sempre será um dos grandes problemas de entendimento da bíblia a questão da aceitação do texto. Aqui estamos debatendo a parábola do mordomo infiel. Tirar minhas palavras do texto e colocar em outro contexto não é válido para provar que eu disse o que eu não disse.

Tenho o elogio de Jesus.

"E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz." Lc. 16; 18

Josoco
Banido

Número de Mensagens : 1930
Idade : 63
Localização : Brasil
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Khwey em Qui 08 Jul 2010, 10:24 pm

silvamelo escreveu:
A bíblia não ensina que amigos irão favorecer nossa entrada nos tabernáculos eternos, muito menos amigos conseguidos com coisas ilícitas.
Rapaz, essa parte para mim está bem clara. Aqui é Jesus explicando um aspecto importante da parábola, portanto é inquestionável. Leia o versículo mais uma vez:

'E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos" (Lc 16.9).
Está realmente claro para você o significado de tabernáculo eterno???

Releia este verso você, e também os outros versos relativos, e entenda que Deus preparou moradas eternas para justos e também para injustos.

Ou seja, tabernáculo eterno não resume-se em morada somente para justo!


silvamelo escreveu:
Quem decide quem entra e quem não entra é o juiz!

Então dirá o Rei aos que estiverem à sua
direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí
por herança o reino que vos está preparado
desde a fundação do mundo;
(Mat 25:35)

Então dirá também aos que estiverem à
sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos,
para o fogo eterno, preparado para o diabo e
seus anjos;
(Mat 25:41)

Essa é só uma parte da estória. Tem muito mais coisa aí... Você deve entender que Jesus simplificava questões bastante complexas, usando parábolas, para que nós pudéssemos ter uma ideia de como elas seriam. Jesus é o Juíz, mas ele também delega essa função aos seus dicípulos:

"Quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel" (Mt 19.28).
Este verso fala de julgamento, e não de recepção!!!

Leia o verso mais uma vez, pois não custa nada!

E eu vos digo: Granjeai amigos com as
riquezas da injustiça; para que, quando
estas vos faltarem, vos recebam eles nos
tabernáculos eternos.
(Luc 16:9)

Este verso fala mesmo sobre julgamento???

Conforme uma correta interpretação de texto, conclui-se que estes amigos já estão habitando em tabernáculos eternos para então poder receber "os mordomos", e não em um juri para tentar reverter a pena com que o juiz sentenciará os "mordomos"!

Que interpretação, hein!!!
As regras de interpretação passaram longe!!!


silvamelo escreveu:
Onde será que entram os amigos nestas decisões acima???
Alguém sabe?

hummm
Eles entram aqui ó:

'E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos" (Lc 16.9).
Estes amigos não estão em um juri, mas já habitam em tabernáculos eternos onde talvez recebam aqueles "mordomos" que fizeram amigos com coisas ilícitas!

silvamelo escreveu:
Desde quando um injusto filho deste mundo está preocupado com coisas espirituais para que faça amigos afim de que estes o favoreça no além???
Alguém sabe?

hummm
A questão toda é que EXISTE esta parábola aí, não existe??? Para mim a parábola toda é VERDADEIRA e eu não posso dar um "jeitinho" para que ela se enquadre na minha visão!!! Tenho sim, de buscar ENTENDÊ-LA como ela é!
O que temos aqui é exatamente um esforço para que esta parábola enquadre na sua visão, onde, para você, temos um conselho de Jesus para que façamos amigos com coisas ilícitas para que estes amigos nos julguem inocentes no tribunal do juiz!

Não é isto mesmo que você se esforça para passar, com o auxilio de outros versos???


Desde quando um injusto filho deste mundo está preocupado com coisas
espirituais para que faça amigos afim de que estes o favoreça no além???
Alguém sabe?

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17151
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

b?blia Re: Regras de interpretação da bíblia

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 6:14 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum