.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
51 usuários online :: 4 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 47 Visitantes :: 2 Motores de busca

Arcolino Neto, David de Oliveira, Khwey, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Lições Através de Contos! 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Leitura Lições Através de Contos! 2

Mensagem por conhecimento em Ter 02 Mar 2010, 9:28 pm

Amor Insuficiente


Lidamos freqüentemente com muitas coisas sem importância em nossas vidas. Somente quando passamos por alguma experiência verdadeiramente profunda nós reconhecemos os verdadeiros valores e o que é realmente importante. E então percebemos que muitos dos nossos problemas e preocupações, que taxamos como muito importantes, são triviais.
Eu já experimentei esse tipo de coisa. Eu comprei um violão novo e fui cheio de alegria até o castelo onde eu trabalhava. O porteiro me disse: “Uma menina está subindo o corrimão da ponte, isto é uma coisa muito perigosa!” Eu perguntei: “Onde?” E ele me mostrou através do sistema de monitoramento com câmeras, a frente do portão. “Veja, ela está aqui.” Eu vi a menina subir no corrimão. Ela estava girando de modo anormal para baixo, então eu vi o seu rosto. Eu comecei a correr imediatamente. Sua face era uma face de um ser humano que perdeu tudo. Eu vi a face de uma suicida.
Em poucos segundos me vi na frente do portão, mas já era tarde demais. Ela saltou para baixo. Eu só podia ver seu corpo inerte estirado no gelo 10 metros abaixo. O porteiro saiu e começou a lamentar, mas neste momento eu já estava a trepar no muro do castelo. Algumas pessoas gritavam para mim, que era perigoso, mas eu continuei descendo o muro de pedra. Inclinei-me sobre o corpo da menina - ela estava respirando.
Eu gentilmente a toquei e perguntei: “Você está viva?” A resposta foi confirmada por suas palavras tranqüilas contendo medo. “Por que eu não morri ainda?”
A tristeza me penetrou tão profundamente, que causou grande piedade e amor. Eu nunca fui mais amável e encantador com alguém antes. Peguei meu casaco e coloquei-o entre sua cabeça quebrada e o concreto congelado. Eu impensadamente examinei o corpo dela à procura de ferimentos. Felizmente, ela apenas tinha as mãos ensangüentadas, mas ela não estava sangrando, então não dei nenhuma atenção a isso. Somente mais tarde percebi que as feridas em suas mãos eram marcas da sua tentativa passada de cortar os pulsos, provavelmente com um vidro quebrado, mas de alguma maneira não deu certo. Talvez seja por isso que ela tentou terminar seu sofrimento saltando daquela altura.
Percebi a coragem da garota de 14 anos e minha compaixão e amor por ela se tornou ainda mais forte. Eu nunca amei alguém tanto antes, ninguém precisou deste tanto ainda.
A ambulância chegou em aproximadamente meia hora. Então a rotina do trabalho e algumas perguntas sem sentido seguiram-se. A cena acabou.
Meu prazer com o novo violão estava acabado também. Se ela precisasse de tala, eu teria quebrado o braço do meu violão. Até a música perdeu seu valor.
Eu estava para baixo, incapaz de fazer qualquer coisa. Eu não poderia voltar à vida normal – eu perdi o sentido.
Enquanto esperava pelo ônibus, ouvi duas meninas conversando no ponto de ônibus. Elas falavam seriamente sobre seu problema, procurar um lugar para se divertir à noite. Depois de um tempo eu decidi caminhar, porque eu não podia mais suportar conversa delas. Seu problema parecia ser trivial e sem sentido. Levei três dias até que fosse capaz de retornar à vida normal. Mas eu não era mais a mesma pessoa. Meus valores pessoais existentes desmoronaram e eu criei novos; eu era incapaz de viver como de costume.
Mais tarde eu descobri que a menina foi adotada por uma família cristã, mas sua vida provavelmente não foi nenhum mar de rosas. Eu sentia que ela não tinha amor o bastante, o que resultou em sua tentativa de cometer um suicídio. Ficou claro que as palavras doces não poderiam substituir a falta de amor, assim como se preocupam com as condições ambientais.
E, afinal, como ela acabou? Ela se casou com meu amigo, eles têm um filho e vivem felizes no amor. Eu descobri somente por acaso, quando ele me disse que sua esposa uma vez tentou o suicídio. Eu não disse nada a ele, como as palavras não podem expressar a minha alegria e felicidade pela vida, que voltou para ela. É verdade: a vida sem amor é vazia e sem valor...



Última edição por Ed em Sex 19 Mar 2010, 11:29 am, editado 2 vez(es) (Razão : Completei o conto)

conhecimento
Barro
Barro

Número de Mensagens : 2
flag : Brasil
Data de inscrição : 02/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitura Re: Lições Através de Contos! 2

Mensagem por Ed em Ter 02 Mar 2010, 9:49 pm



Somente após ser conhecido no forum, será permitido divulgação de outro site.

A matéria deve ser postada na íntegra neste espaço.

Grato pela compreensão.






::


Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3159 dias de existência com 228867 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11001
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitura Bom e ruim

Mensagem por conhecimento em Sex 19 Mar 2010, 11:07 am

Bom e ruim



O bom e o ruim são termos relacionados ao denominado “nível horizontal” da vida, que é a conseqüência da nossa atual situação de vida. O indivíduo avalia subjetivamente como bom ou ruim. Em contrapartida, há necessidade de distinguir as palavras “bondade” e “maldade”. Estas servem para descrever a direção espiritual do homem – “o vertical” em sua vida. Se você imagina o ser humano como um ponto através do qual o horizontal expressa a vida terrena e o vertical a vida espiritual, você formará uma cruz. A cruz é um símbolo da Verdade; o nível de sua vida (horizontal) será proporcional a sua qualidade espiritual (vertical). Assim se você realmente quer mudar sua vida e suas circunstâncias externas, mude a si mesmo.
As pessoas observam o mundo ao redor delas principalmente de um modo subjetivo, porque elas normalmente somente vêem em relação a si mesmas. “Isso é o que eu quero, mas não que isso seja bom e isso seja ruim...” – conforme lhes convém ou não. Na realidade, as coisas não são boas ou ruins. Nós somente as fazemos parecerem dessa forma. Nós designamos a chuva uma coisa boa quando ela molha nosso jardim e uma coisa ruim quando nós queremos estar ao ar livre; um fogo na lareira é designado uma coisa boa em uma noite fria, mas o calor do verão é considerado uma coisa ruim.
Opostos como “bom” e “ruim” de alguma forma pertencem um ao outro, como os dois lados da mesma moeda. Uma vez você vê isso de um lado e depois do outro; ainda que você nunca veja ambos os lados ao mesmo tempo. Vendo os dois opostos e conectá-los espiritualmente é algo que somente uma pessoa plenamente consciente pode fazer – um indivíduo que experimentou ambos os opostos conheceu-os e aprendeu a amá-los, ou mais claramente, os aceitou sem lamentar-se. Nós aprendemos que algo é bom somente em comparação com o seu oposto ruim. Sem contraste nada poderia existir. Afinal, como você saberia o que é bonito se você não soubesse o que é feio? Como você perceberia o que é felicidade se você não soubesse como é a sensação de estar infeliz? Mas quando você parar de julgar as coisas ao seu redor em termos de se você gosta delas ou não, sua visão subjetiva muda para a objetiva e você vê as coisas como elas são. Então você realmente entenderá a vida e você poderá vivê-la completamente.
O que é uma coisa boa para uma pessoa pode ser ruim para a outra. Você pode dividir o pão com uma faca, mas você também pode matar com uma faca. “Divisão do pão” de uma família pobre (tomar do pouco que eles têm), de qualquer modo, não é bom; matar, por exemplo, um porco, pode ser bom para seu dono; mas seria ruim no caso do porco ter alguma doença. O bom pode se transformar facilmente em ruim e o ruim em bom, e o que uma vez era conveniente pode ser agora um fardo.
A maioria das coisas, segundo às quais as pessoas se guiam, muda apenas sua situação no sentido horizontal e são irrelevantes para a qualidade de vida – como uma marca particular (de carro, cerveja, roupas), onde ir fazer compras... Em contraste com isto há os opostos que se encontram na linha vertical e, escolhendo entre eles, realmente mudamos nossas vidas. Por exemplo: orgulho – humildade; ganância – generosidade; luxúria – castidade; inveja – desapego; gula – moderação; raiva – tolerância; preguiça – vigor.
Baseado em nossas escolhas, nós tendemos para a direção do bom ou do ruim. No caminho do bom, as coisas boas podem nos ajudar, bem como as ruins. Quando, por exemplo, alguém em casa nos acorda pela manhã e nos dirigimos para fora da cama, nós vemos isto como uma coisa ruim se nós não dormimos o suficiente. Porém, quando nós aprendermos a não ficarmos bravos com eles (o que não é fácil se for uma situação repetida), nós ficamos tolerantes. Se nós aprendermos a acordar pela manhã e não por volta da hora do almoço (uma coisa que nós perceberemos inicialmente como ruim e desagradável), nós superaremos nossa própria preguiça e ganharemos tempo que anteriormente nós perdíamos dormindo. Todo passo na linha vertical nos muda e assim nossas vidas serão diferentes. Por exemplo, graças ao fato de sair mais cedo da cama nós podemos ter muitas experiências durante o dia e depois, à noite, nós não precisaremos sentar em algum lugar como em um barzinho e “bater papo”. Pássaros cantam graciosamente pela manhã e o clima é normalmente mais agradável antes do meio-dia; pelo contrário, álcool e cigarros “satisfazem” melhor à noite que durante o dia. Nós apenas temos que andar para cima na vertical e o caminho fica cada vez mais fácil; porque quando nós vamos ao longo dela, também mudamos nossa vida completamente. Afinal, é um reflexo do nosso estado interior. Quando nós somos tolerantes, outras pessoas são tolerantes em relação a nós. Quando nós não somos preguiçosos para fazer alguma coisa para os outros, outras pessoas vêm e nos ajudam também, se nós precisarmos disto. Se nós formos generosos, outros nos darão o que precisamos, neste momento nós seremos muito gratos. Portanto, nós lhe desejamos muita força e paciência no caminho pela linha vertical da sua cruz pessoal.



Espero que gostem!!!

Saudações,

conhecimento
Barro
Barro

Número de Mensagens : 2
flag : Brasil
Data de inscrição : 02/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Leitura Re: Lições Através de Contos! 2

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 10:06 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum