.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Já existíamos antes de nascermos
Ontem à(s) 5:37 pm por Eterna

» Um conselho aos debatedores de internet
Ontem à(s) 4:18 pm por Eterna

» Eleição, a dor e a loucura do incrédulo.
Ontem à(s) 4:03 pm por Eterna

» Qual a verdadeira intenção dos organizadores das manifestações?
Ontem à(s) 3:33 pm por Cartman

» Noticiário Escatológico
Ontem à(s) 12:15 pm por Jarbas

»  Endurecimeto do Faraó
Ontem à(s) 4:14 am por Lit San Ares

» Livre arbítrio, auto idolatria
Ontem à(s) 3:39 am por Lit San Ares

» PREDESTINAÇÃO DE DEUS
Sab 03 Dez 2016, 10:10 pm por gusto

» Onde congregar?
Sab 03 Dez 2016, 10:01 pm por gusto

Quem está conectado
12 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 12 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Seg 14 Set 2009, 6:37 pm

Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin a Hitler




Pure Society: From Darwin to Hitler
Andre Pichot

Editorial Reviews

Review

"ANDRE PICHOT, researcher at the CNRS in Strasbourg, is one of France's leading historians of science and a frequent contributor to journals and national newspapers. He is the author of numerous works, including Histoire de la notion de vie and Histoire de"

Product Description

As genetic manipulation comes to dominate medical science, a timely and trenchant history of eugenics. How did the notions of "race" and "ethnic group," under the cover of scientific legitimacy, get used for political ends? This work retraces the history of biological conceptions of society and their racist and eugenicist applications from the end of the nineteenth century to the post-Second World War epoch. André Pichot analyzes the relationship between science, politics and ideology, through the examination of specific cases: from Nazism to the various eugenicist research programs launched or financed by eminent scientific organizations from the beginning of the twentieth century onwards. And, today, with the mapping of the human genome and rapid advances in gene therapies, he warns that the dream of a "pure society" is in danger of resurrection.

About the Author

André Pichot, researcher at the CNRS in Strasbourg, is one of France's leading historians of science and a frequent contributor to journals and national newspapers. He is the author of numerous works, including Histoire de la notion de vie and Histoire de la notion de gène.

+++++

NOTA IMPERTINENTE DESTE BLOGGER:

Pichot não faz parte do movimento do Design Inteligente, mas é um exemplo de que há outros acadêmicos que resistem e expõem as implicações e consequências funestas do darwinismo. Outro livro sobre o assunto é o From Darwin to Hitler: Evolutionary Ethics, Eugenics, and Racism in Germany de Richard Weikart.

Eugenia, teu nome pós-moderno é bioengenharia...


http://pos-darwinista.blogspot.com/2009/09/eugenia-utopia-da-sociedade-pura-de.html


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Qui 24 Set 2009, 5:18 pm

Bioengenharia - um neologismo com licença para matar os mais fracos e criar uma super-raça. Cientistas podem ser genocidas? Não duvide nem um pouco. A bioengenharia é um nelogismo criado pela Nomenklatura científica para sanitizar, tornar mais palatável para o andar de baixo a eugenia (uma pseudociência derivada do darwinismo).

Aqui no Brasil nós já temos gente pesquisando nesta área? Eles não nos pediram um cheque em branco com a questão das pesquisas com células-tronco embrionárias? Em que pé estamos nessas pesquisas ?


+++++

Nature's Design

War Against the Weak: Eugenics and America's Campaign to Create a Master Human Race
By Rachel Dzanashvili

Staff Writer

Published: Wednesday, September 23, 2009
Updated: Wednesday, September 23, 2009



What would it take to engineer the perfect human being? For many Americans, this sounds like a cheesy tag-line in a sci-fi movie. Few people know that during the 20th century, an attempt was made to engineer a utopian society, or that this attempt involved some of the most appalling ethical violations in U.S. history.

This attempt is the eugenics movement, and its horrors have been vividly documented by Edwin Black in his book, “War Against the Weak: Eugenics and America's Campaign to Create a Master Human Race.” The book describes how a broad coalition of politicians, scientists, and intellectuals attempted to create a society free of violence, poverty and degeneracy, and, in doing so, contributed to one of history’s most horrific episodes: the Holocaust.

In this book, Black allows the reader to see an entire picture of the movement that led to anti-miscegenation laws (which prohibit marriage between races), immigration restrictions and a compulsory sterilization of more than 60,000 “defective” Americans. Ironically, over a third of these policies were instituted after World War II, after the Nuremberg trials deemed compulsory sterilization a crime against humanity.

While its thesis is simple, the sheer volume of information is both astonishing and galling. In the first of three parts, Black discusses the cultural, political and scientific landscape that allowed the pseudoscience of eugenics to thrive in the industrialized world It also describes the mass paranoia fixated on preserving racial superiority of the Anglo-Saxons at the expense of minorities, the poor and anyone else deemed “defective.”

The reader is also introduced to characters who advocated eugenics, some of whom are familiar -- Presidents Theodore Roosevelt and Woodrow Wilson, acclaimed author H.G. Wells, to name a few -- and some less well-known, including Charles Davenport, who pioneered eugenics research at Cold Spring Harbor, and Dr. Harry Haiselden, who advocated the passive euthanizing of newborns.
...

Read more here/Leia mais aqui.


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Sab 26 Set 2009, 9:12 am

Da velha série “Darwin, aquele monstro!”, mais um post do Enézio (que foge da discussão). A idéia é vincular os estudos de Darwin ou o conhecimento científico a qualquer mazela humana. Esta afirmação, em especial, já foi refutada milhares de vezes, mas, como os criacionistas tem medo do debate substantivo, simplesmente ignoram a refutação e voltam sempre com os mesmos argumentos tolos.
Vamos analisar um pouco a questão:



O que é eugenia?
O termo significa “bem nascido”. É, na prática, o direcionamento dos cruzamentos entre humanos, animais ou plantas, visando à obtenção de espécimes mais adaptados ou mais resistentes ao habitat.
Podemos distinguir três formas de eugenia, a natural, a induzida e a social.

Eugenia natural
Os processos eugênicos estão amplamente distribuídos na natureza. Enquanto em plantas a reprodução acontece, para quase todas as espécies, de forma aleatória (espalhando pólen ao vento ou dependendo de insetos ou aves), entre os animais a eugenia é amplamente verificada, inclusive no caso do homem.
Entre os animais é amplamente comum haver lutas entre machos para que apenas o mais forte acasale. Isto ocorre desde os invertebrados. Um caso curioso: entre as baleias-franca ocorrem lutas e disputas pela fêmea e o mais forte é o último a acasalar, já que seu esperma irá “lavar” o dos outros machos, aumentando a chance do concepto conter seus genes.
Em outros casos, os machos se exibem para as fêmeas ou para elas constroem abrigos ou ninhos. A fêmea escolhe o macho mais atraente ou que tenha maior habilidade em proteger a prole.
Outro mecanismo é a divisão de áreas em territórios, pelos machos. A fêmea irá acasalar com o macho que melhor defende o território.
Entre humanos, também ocorre eugenia natural. É por isso que você se sente atraído por um(a) possível parceiro(a) sexual que considera bonito(a), dentro de seu padrão estético. É por isso, também, que raramente pessoas com deficiências físicas ou mentais, principalmente hereditárias, conseguem constituir família e ter filhos.

Eugenia induzida
Depois de estudados e compreendidos, os mecanismos eugênicos foram utilizados pelo homem para melhorar plantas e animais para consumo humano.
É por isso que existem seleção de sementes ou animais para cruza, algumas vezes provocando rápida especiação.

Eugenia social
É aqui que o bicho pega. O termo eugenia foi cunhado Francis Galton, que a definiu como o estudo dos agentes sob o controle social que podem melhorar ou empobrecer as qualidades raciais das futuras gerações seja física ou mentalmente. Galton leu e não entendeu A origem das espécies e tomou o conceito de seleção natural – na qual a eugenia natural está fortemente envolvida – e o transpôs para a discussão filosófico-social. Galton era primo de Darwin. Vem daí – e da falta de conhecimento de biologia básica – a confusão armada pelos criacionistas.
A eugenia social, entretanto foi apregoada, sob diferentes nomes e conceitos, desde a longínqua antiguidade.
Muitas tribos praticam abertamente a eugenia (até hoje), eliminando seus filhos doentes ou que apresentem deficiências físicas. Era amplamente praticada em Esparta.
Platão era um forte defensor da eugenia.
A eugenia social, no final do século XIX confundiu-se com os conceito de raça, amplamente disseminado na Inglaterra, então, gerando o que se chamava de eugenia positiva, segundo a qual as raças puras deveriam predominar sobre as mais fracas. Essa idéia é do Conde de Gobineau, um filósofo francês que foi quem, verdadeiramente, deu origem e base aos conceitos de eugenia social, segregação racial e racismo. Seu livro em que tais conceitos são veiculados é "Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas" e foi escrito em 1855 antes de “A origem das espécies”. O que Galton, o primo trapalhão de Darwin, fez foi somar o estudo sobre seleção natural aos estudos de Gobineau, além de definir o termo eugenia.
Não tendo conhecimentos suficientes de biologia, Galton simplesmente deu munição aos racistas.
O conceito de eugenia social foi amplamente divulgado e bem recebido na Europa, no Brasil e nos EUA, dando origem a formas explícitas ou veladas de segregação racial, inclusive com a recomendação contrária ou proibição formal dos casamentos inter-raciais.
Uma das defensoras da eugenia social – mediante a não realização de matrimônios inter-raciais foi Ellen G. White patronaisse da igreja adventista.

Onde a eugenia e os criacionistas estão errados
O que Darwin fez foi apenas descrever o processo de eugenia natural e mostrar suas implicações no processo seletivo. Darwin jamais advogou conceitos como raça pura, raças inferiores e outras idiotices desse porte, até porque (e isso Darwin ainda não sabia) o que torna uma população mais adaptada é justamente o cruzamento que amplia a variabilidade genética .
É bom saber, também, que existem criacionistas, principalmente os da Terra jovem, que defendem abertamente a eugenia social, como William J. Tinkle.

Conclusões
1. A eugenia natural é amplamente disseminada na natureza. Pode-se informar aos cristãos que a Eugenia foi criada por Deus.
2. A eugenia social existe desde os primórdios da humanidade
3. A moderna eugenia social, como descrita por Galton, baseia-se em idéias errôneas e facilmente refutadas por qualquer cientista sério.
4. A eugenia social foi e é defendida por algumas igrejas ou denominações cristãs.
5. Não foi o estudo de Darwin que gerou o conceito de eugenia social.

Fontes: Wikipedia, A origem das espécies, Talk Origins

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:14 am

Mas os discipulos do santo Darwin vivem revigorando a tese eugênica.


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Sab 26 Set 2009, 9:18 am

Eduardo escreveu:Mas os discipulos do santo Darwin vivem revigorando a tese eugênica.
Por gentileza: poderia informar quais artigos recentes relacionam evolução à eugenia?
Peço, por favor as fontes para que possamos analisar os argumentos e saírmos do processo de acusação vazia.

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:23 am


  1. A EUGENIA NO BRASIL: CIÊNCIA E PENSAMENTO SOCIAL NO MOVIMENTO EUGENISTA BRASILEIRO DO ENTRE-GUERRAS, por Vanderlei Sebastião de Souza.
  2. A Guerra contra os Fracos (tradução de Tuca Magalhães; A Girafa
  3. Francis Galton: eugenia e hereditariedade, por Valdeir Del Cont. Douto.r em Ciências Sociais, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Unicamp, Brasil.


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Luís em Sab 26 Set 2009, 9:32 am

.
Como bem foi dito, a Natureza em si é 'eugênica'. A defesa de da variedade é interessante, mas a defesa da ampla gama de defeitos genéticos e doenças que assolam o homem é insustentável.

Porque desejar que apenas gado e animaizinhos de estimação sejam 'bem nascidos'?


"A razão de eu jamais haver visto teu deus é que ele está na tua imaginação."

Luís
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4099
flag : Canada
Data de inscrição : 08/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:32 am

The Life, Letters, and Labours of Francis Galton – A Vida, as cartas e os trabalhos de Francis Galton, Karl Peason, Cambridge University Press, 1930, v II, p. 340, apud Edwin Black, obra cit., pág. 57).


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:34 am

Luís escreveu:.
Como bem foi dito, a Natureza em si é 'eugênica'. A defesa de da variedade é interessante, mas a defesa da ampla gama de defeitos genéticos e doenças que assolam o homem é insustentável.

Porque desejar que apenas gado e animaizinhos de estimação sejam 'bem nascidos'?
Oha aqui Fabris, o próprio Luis, um ateu como você, é honesto para admitir sua preferência pela eugenia.


Última edição por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:46 am, editado 2 vez(es)


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Sab 26 Set 2009, 9:44 am

Eduardo escreveu:
Luís escreveu:.
Como bem foi dito, a Natureza em si é 'eugênica'. A defesa de da variedade é interessante, mas a defesa da ampla gama de defeitos genéticos e doenças que assolam o homem é insustentável.

Porque desejar que apenas gado e animaizinhos de estimação sejam 'bem nascidos'?
Oha aqui Fabris, o próprio Luis, um ateu como você, é honesto para admitir sua preferência pela eugenia.
O Luís tem direito à sua opinião, com a qual não concordo.
O fato dele ser ateu ou teísta não é, de forma alguma, relevante nesse caso.
Eu não julgo opiniões a partir das posições vivenciais assumidas por quem a emitiu.

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 9:46 am

Veja mais um artigo sobre o tema:

Que futuro espera pelo Homo sapiens?

Por Peter WARD
SCIAM BR, FEV 2009, p. 59-60 subtítulo Evolução Dirigida

Nós dirigimos a evolução de tantas espécies de animais e plantas, por que não dirigirmos a nossa? Por que esperar que a seleção natural faça o serviço se podemos fazê-lo mais depressa e de forma benéfica para nós mesmos? Na área do comportamento humano, por exemplo, geneticistas estão no encalço de componentes genéticos não apenas dos problemas e desordens, mas também de todo o tipo de aptidão e de vários aspectos da sexualidade e da competitividade, muitos dos quais podem ser, ao menos parcialmente, hereditários. Com o tempo, triagens elaboradas de composição genética se tornarão lugar-comum, e medicamentos serão indicados com base nos resultados.
O próximo passo será realmente mudar os genes das pessoas. Isso conceitualmente pode ser feito de duas formas: alterando apenas os genes do órgão relevante (terapia gênica) ou alterando o genoma inteiro de uma pessoa (o que é conhecido como terapia germinal). Pesquisadores ainda estão lutando com a limitada meta da terapia gênica para curar doenças. Mas se obtiverem sucesso com a terapia germinal, isso não ajudará apenas a pessoa em questão, mas também seus filhos. O maior obstáculo à engenharia genética em humanos será a pura complexidade do genoma. Os genes, em geral, desempenham mais de uma função; de modo inverso, funções são geralmente codificadas por mais de um gene. Em função dessa propriedade, conhecida como pleiotropia, alterar um gene pode ter conseqüências indesejáveis.
Por que tentar então? A pressão para mudar genes provavelmente virá de pais que desejam garantir que seu filho seja um menino ou uma menina; para dotar seus filhos com beleza, inteligência, talento musical ou uma natureza doce; ou para tentar garantir que não terão tendência a se tornarem desonestos, depressivos, hiperativos ou mesmo criminosos. Os motivos são vários. Assim como a pressão dos pais para melhorarem geneticamente seus filhos pode ser socialmente irresistível, também o envelhecimento poderá ter essa demanda social. Muitos estudos recentes sugerem que envelhecer não é mais que o mero desgaste de partes do corpo, como uma deterioração programada e em grande parte geneticamente controlada. Se for assim, o próximo século de pesquisa genética deverá destravar numerosos genes que controlam muitos aspectos do envelhecimento, e esses genes poderão ser manipulados.
Considerando que se torne fácil mudar nossos genes, como isso afetará a evolução a humanidade? Imagine pais alterando seus filhos ainda não nascidos para melhorar sua inteligência, aparência e longevidade. Se as crianças forem tão espertas quanto longevas, com QI de 150 e expectativa de vida de 150 anos, poderão ter mais filhos e acumularão mais riquezas que os outros. Socialmente serão provavelmente atraídos por outros do seu tipo. Considerando algum tipo de segregação social ou geográfica auto-imposta, seus genes podem se acumular e, eventualmente, se diferenciar como uma nova espécie. Um dia, então, teremos em nosso poder a possibilidade de produzir uma nova espécie humana. A decisão de enveredarmos por esse caminho ou não será tomada por nossos descendentes.

Comentários- colocações éticas- nenhuma--- imagine o mundo cheio de humanos de cabelos loiros e olhos azuis...


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Luís em Sab 26 Set 2009, 9:57 am

.
Melhor não misturar crenças misticas com posições filosóficas... :p

O que está em jogo é o bem-estar da humanidade. Nada mais.


"A razão de eu jamais haver visto teu deus é que ele está na tua imaginação."

Luís
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4099
flag : Canada
Data de inscrição : 08/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Sab 26 Set 2009, 10:18 am

A eugenia pode propiciar esse bem-estar para a humanidade?


Última edição por Eduardo em Sex 06 Nov 2009, 2:59 pm, editado 1 vez(es)


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Sab 26 Set 2009, 10:27 am

Seria interessante você postar o artigo na íntegra.
Ward não está defendendo nenhuma eugenia, mas mostrando as consequências da terapia gênica e suas implicações científicas. Quem deve fornecer os limites éticos é a sociedade como um todo e não a ciência, já que isso não é seu campo.
Ward não defende a segregação racial, mas descreve o que ocorreria com uma população isolada das demais. Ele não menciona que tal população ficaria totalmente dependente da terapia gênica para sua reprodução, graças à baixa variabilidade genética.

Quanto à manipulção genética, vamos a uma pequena suposição:
você e sua esposa resolvem ter um filho e consultam um geneticista médico. O profissional lhes informa que, pela conformação genética de ambos, há uma grande chance da criança ser portadora de fibrose cística, uma doença genética que afeta os pulmões e que, geralmente, provoca a morte antes dos 5 anos de idade, após uma longa e dolorosa agonia (a criança não consegue respirar). O médico informa que a solução seria a coleta de óvulos e esperma, análise de ambos, fertilização in-vitro e implantação do óvulo, o que asseguraria um bebê saudável.
Que decisão você tomaria?
Detalhe: isso, segundo seu conceito, é eugenia.

Eduardo escreveu:
Comentários- colocações éticas- nenhuma--- imagine o mundo cheio de humanos de cabelos loiros e olhos azuis...
[/quote]Ué! Este era o sonho dourado de Ellen White e dos adventistas que colaboraram com o programa eugenista de Hitler.

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Sab 26 Set 2009, 10:31 am

Luís escreveu:.
Melhor não misturar crenças misticas com posições filosóficas...

O que está em jogo é o bem-estar da humanidade. Nada mais.
Para mim, o bem-estar da humanidade passa pela transposição de barreiras étnicas, raciais, sociais e religiosas e o estímulo justamente ao maior cruzamento entre povos e raças.
Muito diferente é a terapia genética que precisa, sim, ser estimulada a fim de se prevenir doenças que, na esmagadora maioria das vezes são mortais.

Estamos, aqui, nos desviando da discussão inicial, que era se Darwin apregoava ou não a eugenia. Como demonstrei, essa é uma idéia falsa, já refutada há dezenas de anos e que os criacionistas - em seu desespero - seguem mencionando e se furtando ao debate.

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Luís em Sab 26 Set 2009, 10:42 am

Eduardo escreveu:A eugênia pode propiciar esse bem-estar para a humanidade?
Não tenho tanta certeza, mas estou convencido de que a 'não eugenia' de hoje propicia muito mal-estar à humanidade. Ou preferes viver num mundo de 300 doenças genéticas e mais de 5.000 outras enfermidades?


"A razão de eu jamais haver visto teu deus é que ele está na tua imaginação."

Luís
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4099
flag : Canada
Data de inscrição : 08/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Ter 29 Set 2009, 10:16 am

Luís escreveu:
Eduardo escreveu:A eugênia pode propiciar esse bem-estar para a humanidade?
Não tenho tanta certeza, mas estou convencido de que a 'não eugenia' de hoje propicia muito mal-estar à humanidade. Ou preferes viver num mundo de 300 doenças genéticas e mais de 5.000 outras enfermidades?
O que você está defendendo é a eugenias induzida em humanos.
Acho que a melhor medida seria a prevenção, ampliando-se cada vez mais o aconselhamento genético antes de resolver ter filhos.


"Amigo, me gustas mucho, pero tu madre me gusta más" (Hino nacional de Marisales)

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Seg 05 Out 2009, 9:31 pm

Bebês com síndrome de Down vão simplesmente desaparecer?

Albert Mohler, presidente do Seminário Batista do Sul

21 de setembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — O desenvolvimento de tecnologias de diagnóstico pré-natal apresenta inúmeras questões morais — com o diagnóstico da síndrome de Down na frente e centro. Durante os vários anos passados, vem se observando e amplamente se noticiando uma redução nítida no número de bebês que nascem com a síndrome de Down. Dá para se atribuir essa redução diretamente à decisão de abortar depois de um diagnóstico pré-natal.

Conforme informa o jornal Science Daily, um novo artigo de peso que será publicado na revista Archives of Disease in Childhood aponta para novas tecnologias para futuro próximo que provavelmente aumentarão o diagnóstico da síndrome de Down (SD) durante a gravidez. “Os novos testes que serão introduzidos no próximo ano oferecerão um simples teste de sangue que não representa risco algum para o feto e dá um diagnóstico preciso de uma ou mais das variantes genéticas da síndrome de Down — a trissomia 21, a translocação ou o mosaicismo”, declarou a revista.

O desenvolvimento desses novos testes quase que certamente tornará mais freqüente a prática do diagnóstico pré-natal para se detectar a síndrome de Down. Atualmente, os testes disponíveis representam algum risco para o feto e são invasivos. Os novos testes para o próximo ano são baseados em simples testes de sangue.

A nova pesquisa é baseada no trabalho do Dr. Brian Skotko, um médico de genética clínica no Hospital Infantil de Boston. Skotko, que tem uma irmã com a síndrome de Down, faz a comovente pergunta: “Quando os novos testes estiverem disponíveis, os bebês com síndrome de Down aos poucos desaparecerão?”

A pesquisa dele revela tendências profundamente preocupantes. Entre 1989 e 2005, nascimentos de bebês com a síndrome de Down diminuíram em 15 por cento. Conforme explica Science Daily: “Na ausência de testes pré-natal, os pesquisadores teriam esperado o oposto — um aumento de 34 por cento em nascimentos — devido à tendência de mulheres aguardando mais tempo para ter filhos. Sabe-se que ter filhos mais tarde aumenta as chances de ter um bebê com a síndrome de Down”.

Num artigo publicado em 2005, Skotko argumentou que os médicos estão muitas vezes mal preparados para conversar sobre o diagnóstico da síndrome de Down com suas pacientes grávidas. De modo frio, ele também revelou que uma percentagem significativa dos médicos “relatou que eles ‘frisam’ os aspectos negativos da SD, de modo que as pacientes vejam com bons olhos um aborto intencional”.

Com as novas tecnologias de diagnóstico pré-natal tão perto no horizonte, Skotko agora vê uma “verdadeira colisão” em seu caminho. “Mais mulheres vão passar pelo processo de testes, que poderiam levar a muitas conversas difíceis e desagradáveis entre médicos e pacientes que estão esperando bebê”.

A razão para a redução no número de bebês que nascem com a síndrome de Down fica mais nítida quando o jornal The Washington Post cita a pesquisa de Skotko indicando que 92 por cento das mulheres que são informadas de que estão esperando um bebê com a síndrome de Down escolhem abortar a gravidez. Isto é: de cada dez bebês, nove são abortados.

As dimensões da “colisão” que o Dr. Skotko vê chegando agora se tornam visíveis. Se essas percentagens continuarem, o desenvolvimento desses novos testes quase que certamente levará a um vasto aumento no número de bebês abortados depois do diagnóstico da síndrome de Down.

Isso apresenta um sério desafio moral para a classe médica — e para a sociedade em geral. A assistência médica é um bem social pelo qual a sociedade inteira é responsável. O desenvolvimento de tecnologias de diagnóstico e procedimentos pré-natais traz uma crise moral bem diante de nós — bem em nossos corações. Veremos os bebês com síndrome de Down simplesmente desaparecerem?

Em seu artigo de 2005, publicado na revista American Journal of Obstetrics and Gynecology, o Dr. Skotko explicou que os testes pré-natais para se detectar a síndrome de Down colocam diante das mães que estão esperando bebê uma simples escolha — prosseguir com a gravidez ou abortar. Ele continuou:

“Sabendo disso, os fornecedores de serviços médicos historicamente agem supondo que se uma mulher dá consentimento para um exame ou diagnóstico pré-natal, ela tem de crer que ter um filho com a SD seria um resultado indesejado e quereria abortar sua gravidez se tal diagnóstico pré-natal fosse feito”.

As mães que estão esperando bebê têm de ler essa sentença várias vezes. Os que as aconselham também deveriam fazer isso.

Como o Dr. Skotko compreende muito bem, essa crise moral não se limita a bebês com a síndrome de Down. Ele pergunta: “As mães que estão esperando bebê deveriam ter à disposição os exames para selecionar e abortar fetos com um sexo indesejado? Os exames pré-natais deveriam identificar os fetos com genes que os predispõem ao câncer de mama na vida adulta? Os casais que desejam abortar fetos com genes combinados com preferências sexuais deverão ter apoio no futuro?”

O fato de que 92 por cento das mulheres que são informadas de que seu bebê em gestação apresenta elevado risco de síndrome de Down escolhem abortar o bebê deveria nos deixar chocados. O que isso fala sobre a nossa desvalorização da vida humana e da dignidade humana? Isso só pode significar que essas mulheres vêem um bebê com a síndrome de Down como um ser humano indigno de se ter — e o bebê como uma vida que não vale a pena se viver.

O Dr. Skotko aponta para os novos testes que já estão para entrar em funcionamento e vê uma colisão chegando. Considerando sua importante pesquisa, seria melhor vermos uma crise moral surgindo no horizonte. A Cultura da Morte está ganhando impulso diante de nossos olhos. Quem será o próximo na fila para ser considerado indigno de viver?

http://juliosevero.blogspot.com/2009/10/bebes-com-sindrome-de-down-vao.html


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Fabris em Seg 05 Out 2009, 9:42 pm

Para variar, o severo dá várias bolas fora.
Ele, por exemplo, não sabe que hoje há testes não invasivos para se detectar a SD, tais como a translucência nucal e a relação beta-HCG e PAPP-A.

Ele não sabe que nenhum ginecologista consciente deixa de fazer esses testes quando a mulher tem mais de 40 anos e jamais deixa de informar a mãe.

O que ocorre a partir daí, é decisão do casal.

Mas, seguindo o raciocínio do Ronaldo, os pais daqueles 9 entre 10 bebês com SD devem ser, necessáriamente ateus. O que demonstra que já devemos ser maioria na sociedade.


"Amigo, me gustas mucho, pero tu madre me gusta más" (Hino nacional de Marisales)

Fabris
Esmeralda
Esmeralda

Número de Mensagens : 780
Idade : 63
Localização : Laguna - Santa Catarina
flag : Brasil
Data de inscrição : 25/09/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Ter 06 Out 2009, 10:32 pm

A eugenia é a filha dileta de Darwin: se as espécies se transformam por "seleção natural", há raças inferiores e raças superiores, obviamente...

Charles Darwin (o pirata do Beagle) declara:

"Entre os selvagens, os corpos ou as mentes doentes são rapidamente eliminados, os homens civilizados, entretanto, constroem asilos para os imbecis, os incapacitados e os doentes. E nossos médicos põem o melhor de seu talento em conservar a vida de todos e cada um até o último momento, permitindo assim que se propaguem os membros fracos das nossas sociedades civilizadas. Ninguém que tenha trabalhado na reprodução de animais domésticos, terá dúvidas de que isto é extremamente prejudicial para a raça humana".

(Charles Darwin - Livro: "The descent of man: and selection in relation to sex" [A Descendência do Homem, e a seleção natural por meio do Sexo])


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Luís em Ter 06 Out 2009, 10:46 pm

.
Penso que todos deviam nascer com a sindrome de Down...

Ou será que todos já somos downinanos e não sabemos???

gargalhada


"A razão de eu jamais haver visto teu deus é que ele está na tua imaginação."

Luís
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4099
flag : Canada
Data de inscrição : 08/12/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Qui 08 Out 2009, 11:37 pm

O darwinismo social também é de Darwin

Os darwinistas ortodoxos, fundamentalistas, pós-modernos, chiques e perfumados a la Dawkins negam de pés juntos: Darwin não tem nada a ver com o que fizeram depois com sua teoria geral da evolução.

Argh, isso é como cometer um assassinato, pois a maioria dos darwinistas é composta por ateus devido à teoria do homem que teve a maior ideia que toda a humanidade já teve. Contudo, eles sabem que ideias têm consequências, mesmo teorias científicas:

“‘Social Darwinism’ is often taken to be something extraneous, an ugly concretion added to the pure Darwinian corpus after the event, tarnishing Darwin’s image. But his notebooks make plain that competition, free trade, imperialism, racial extermination, and sexual inequality were written into the equation from the start- ‘Darwinism’ was always intended to explain human society.” (Desmond, Adrian [Science historian, University College, London] & Moore, James [Science historian, The Open University, UK], “Darwin,” [1991], Penguin: London, 1992, reprint, pp.xix).

QED: Darwin tem sim responsabilidade pelo darwinismo social!


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Ter 03 Nov 2009, 8:24 pm

Ultrassom de aborto (pena de morte sem formação de culpa) 'converte' Abby Johnson

Planned Parenthood Leader Changes Sides
Monday, November 2, 2009, 11:17 AM
Wesley J. Smith

There have been interesting polling, occasionally reported here, about how the country seems to be moving in a pro life direction, with the Gallup Poll now showing a majority opposing abortion. One reason seems to be that improved imaging techniques have verified the humanity of gestating life. That is sure what happened with Abby Johnson, who quit her position as head of a local Planned Parenthood chapter, and indeed, now works with pro lifers to help persuade women to make the choice of giving birth. From the story:

Planned Parenthood has been a part of Abby Johnson’s life for the past eight years; that is until last month, when Abby resigned. Johnson said she realized she wanted to leave, after watching an ultrasound of an abortion procedure. “I just thought I can’t do this anymore, and it was just like a flash that hit me and I thought that’s it,” said Jonhson.

She handed in her resignation October 6. Johnson worked as the Bryan Planned Parenthood Director for two years. According to Johnson, the non-profit was struggling under the weight of a tough economy, and changing it’s business model from one that pushed prevention, to one that focused on abortion. “It seemed like maybe that’s not what a lot of people were believing any more because that’s not where the money was. The money wasn’t in family planning, the money wasn’t in prevention, the money was in abortion and so I had a problem with that,” said Johnson.

If Johnson’s charge is true about being told to intentionally push abortion for financial reasons, Planned Parenthood cannot credibly claim to be a dispassionate family planning/women empowering organization. Rather, it has an agenda that is both ideological and financially motivated. Since PP receives millions in taxpayer dollars, I think Johnson’s charge should be investigated.

Source/Fonte.

+++++

Possivelmente o ultrassom de aborto que Abby Johnson assistiu foi deste tipo:



ABORTO: PENA DE MORTE SEM FORMAÇÃO DE CULPA! GENOCÍDIO!! HOLOCAUSTO SILENCIOSO!!!


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por dedo-duro em Ter 03 Nov 2009, 8:36 pm

.
Os anti-abortistas deveriam largar a HIPOCRISIA e adotar uma criança.

dedo-duro
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4236
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Eduardo em Ter 03 Nov 2009, 10:00 pm

Correto.


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/

Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8396
Idade : 40
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Eugenia: a utopia da sociedade pura - de Darwin/Hitler a nossos dias

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 6:31 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum