.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» O que você está ouvindo agora?
Ter 12 Dez 2017, 11:49 pm por Jarbas

» Não ameis o mundo...
Seg 11 Dez 2017, 9:59 pm por Criaturo

» O papa João Paulo II vai ressuscitar? (preferível que católicos não leiam)
Seg 11 Dez 2017, 5:54 pm por Anderson Cargnin Vanerlin

» Consequências da Reeleição
Dom 10 Dez 2017, 2:41 pm por EVANGELISTA/RJ/MSN

» Hipocrisia Hebraica
Dom 10 Dez 2017, 12:26 pm por irmão

» Fórum Adventista
Sab 09 Dez 2017, 10:32 pm por Cartman

» Noticiário Escatológico
Sab 09 Dez 2017, 7:02 pm por Jarbas

» imbecilidade...
Sab 09 Dez 2017, 2:11 pm por gusto

» Fomos projetados ? E o que nos faz HUMANOS e não meros animais ?
Sex 08 Dez 2017, 7:57 pm por Criaturo

Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10


Que futuro espera pelo Homo sapiens?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Que futuro espera pelo Homo sapiens?

Mensagem por Eduardo em Qui 02 Jul 2009, 6:16 pm

Que futuro espera pelo Homo sapiens?

Por Peter WARD
SCIAM BR, FEV 2009, p. 59-60 subtítulo Evolução Dirigida

Nós dirigimos a evolução de tantas espécies de animais e plantas, por que não dirigirmos a nossa? Por que esperar que a seleção natural faça o serviço se podemos fazê-lo mais depressa e de forma benéfica para nós mesmos? Na área do comportamento humano, por exemplo, geneticistas estão no encalço de componentes genéticos não apenas dos problemas e desordens, mas também de todo o tipo de aptidão e de vários aspectos da sexualidade e da competitividade, muitos dos quais podem ser, ao menos parcialmente, hereditários. Com o tempo, triagens elaboradas de composição genética se tornarão lugar-comum, e medicamentos serão indicados com base nos resultados.
O próximo passo será realmente mudar os genes das pessoas. Isso conceitualmente pode ser feito de duas formas: alterando apenas os genes do órgão relevante (terapia gênica) ou alterando o genoma inteiro de uma pessoa (o que é conhecido como terapia germinal). Pesquisadores ainda estão lutando com a limitada meta da terapia gênica para curar doenças. Mas se obtiverem sucesso com a terapia germinal, isso não ajudará apenas a pessoa em questão, mas também seus filhos. O maior obstáculo à engenharia genética em humanos será a pura complexidade do genoma. Os genes, em geral, desempenham mais de uma função; de modo inverso, funções são geralmente codificadas por mais de um gene. Em função dessa propriedade, conhecida como pleiotropia, alterar um gene pode ter conseqüências indesejáveis.
Por que tentar então? A pressão para mudar genes provavelmente virá de pais que desejam garantir que seu filho seja um menino ou uma menina; para dotar seus filhos com beleza, inteligência, talento musical ou uma natureza doce; ou para tentar garantir que não terão tendência a se tornarem desonestos, depressivos, hiperativos ou mesmo criminosos. Os motivos são vários. Assim como a pressão dos pais para melhorarem geneticamente seus filhos pode ser socialmente irresistível, também o envelhecimento poderá ter essa demanda social. Muitos estudos recentes sugerem que envelhecer não é mais que o mero desgaste de partes do corpo, como uma deterioração programada e em grande parte geneticamente controlada. Se for assim, o próximo século de pesquisa genética deverá destravar numerosos genes que controlam muitos aspectos do envelhecimento, e esses genes poderão ser manipulados.
Considerando que se torne fácil mudar nossos genes, como isso afetará a evolução a humanidade? Imagine pais alterando seus filhos ainda não nascidos para melhorar sua inteligência, aparência e longevidade. Se as crianças forem tão espertas quanto longevas, com QI de 150 e expectativa de vida de 150 anos, poderão ter mais filhos e acumularão mais riquezas que os outros. Socialmente serão provavelmente atraídos por outros do seu tipo. Considerando algum tipo de segregação social ou geográfica auto-imposta, seus genes podem se acumular e, eventualmente, se diferenciar como uma nova espécie. Um dia, então, teremos em nosso poder a possibilidade de produzir uma nova espécie humana. A decisão de enveredarmos por esse caminho ou não será tomada por nossos descendentes.


Basicamente é Eugenia o que esse paleontógo apregoa como futuro da genética em prol da humanidade...

http://www.ufrgs.br/bioetica/eugenia.htm


Visite-me no Fórum Adventista:

http://adventista.forumbrasil.net/
avatar
Eduardo
‎Moderador Adventista
‎Moderador Adventista

Número de Mensagens : 8397
Idade : 41
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/10/2008

http://adventista.forumbrasil.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Que futuro espera pelo Homo sapiens?

Mensagem por dedo-duro em Dom 05 Jul 2009, 7:14 pm

Também sou favorável a seleção genética de embriões, desde que seja dada a cada pessoa o acesso à terapia gênica. O perigo não está no nascimento de pessoas saudáveis, mas na criação de uma elite gênica. Sabendo oferecer a todos os seres humanos os benefícios da terapia gênica, colheremos o benefício da boa saúde, sem termos as preocupações de uma elite dominante desvinculada de suas raízes humanas. A mudança da espécie, portanto, deve ser um processo democrático.
avatar
dedo-duro
Pollux
Pollux

Número de Mensagens : 4236
flag : Brasil
Data de inscrição : 19/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum