.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Onde congregar?
Hoje à(s) 1:39 pm por gusto

» A religião e o ateísmo - tópico oficial
Hoje à(s) 12:50 pm por gusto

» Noticiário Escatológico
Hoje à(s) 12:21 pm por gusto

» Palavras são palavras, nada mais do que palavras. Será?
Hoje à(s) 10:44 am por gusto

» Um conselho aos debatedores de internet
Hoje à(s) 10:23 am por gusto

» A Verdadeira Liberdade
Hoje à(s) 10:02 am por gusto

» Frases
Hoje à(s) 9:54 am por gusto

» Livre arbítrio, auto idolatria
Ontem à(s) 10:47 pm por Lit San Ares

» A eleição torna-nos robôs?
Ontem à(s) 10:29 pm por Lit San Ares

Quem está conectado
54 usuários online :: 2 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 52 Visitantes :: 2 Motores de busca

gusto, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Poesias desperdiçadas ao vento

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Negativo Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por guardiao em Qua 03 Set 2008, 7:32 pm

Estava eu mechendo no meu orkut quando me deparei com algumas poesias que tinha feito à namorada que eu tinha que morava em minas, lendo-as fiquei maravilhado com o que escrevi e desejei compartilhar com voces as poesias em questão, gostaria se não fosse pedir muito para que voces mandassem poesias também neste tópico positivinho

guardiao
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1391
Idade : 34
Localização : Silent Hill
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por guardiao em Qua 03 Set 2008, 7:36 pm

Minha querida, a cada dia que passa meu amor por você aumenta mais, sabe, os dias tem mais cores, a felicidade esta mais presente, o amor é mais forte e o tempo mais perto. A distancia que hoje nos separa, posso senti-la fortificando ainda mais o meu amor, o seu amor, o nosso amor; Eu falo sempre que vou faze-la feliz, mas, a alegria que eu sinto por estar do seu lado(mesmo na distancia que nos separa) é imprecindível. Eu te Amo, pela mulher que você é... Eu te Amo pela mulher que você será... Eu te Amo pelos sonhos que juntos estamos compartilhando... Eu te Amo pelas decisões que juntos tomamos... e por fim Eu te Amo pelo namoro que temos, pelo lindo noivado que vamos ter, pelo inacreditavel casamento que iremos fazer, pelos maravilhosos filhos que você ira me proporcionar... Eu tenho orgulho de te dizer...



Te Amo (nome da moça ), à eterna em minha alma.


Minha vida, meu milagre
te amo muito...

te amo te amo te amo


Difícil não é lutar pelo que mais se quer, mas sim desistir de quem mais se ama. Eu precisei desistir, mas não pense que desisti por não ter força pra lutar, mas sim por não ter mais condição de sofrer...



Off temporariamente

guardiao
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1391
Idade : 34
Localização : Silent Hill
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por mana_sibele em Qua 03 Set 2008, 10:55 pm

Amo poesia mas não tirei um tempo para desenvoler essa tarde, então posto aqui poesias que lí e gostei.:D

Soneto de fidelidade


De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

Vinicius de Moraes


Estoril - Portugal, 10.1939

in Poemas, sonetos e baladas
in Antologia Poética
in Livro de Sonetos
in Poesia completa e prosa: "O encontro do cotidiano"
in Poesia completa e prosa: "Cancioneiro"


BeleBeto

mana_sibele
Quartzo
Quartzo

Número de Mensagens : 89
Idade : 31
Localização : Tubarão SC
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

http://si-malhando.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por mana_sibele em Qua 03 Set 2008, 11:00 pm

Também amo música, me faz refletir, por isso posto aqui.


14 BIS


Bola de Meia, Bola de Gude

Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão
Há um passado no meu presente, o sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra o menino me dá a mão

Ele fala de coisas bonitas que eu acredito que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor
Pois não posso, não devo, não quero viver como toda essa gente insiste em viver
Não posso aceitar sossegado qualquer maldade ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude, o solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança o menino me dá a mão
Há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração
toda vez que o adulto fraqueja ele vem pra me dar a mão
Há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão
Há um passado, no meu presente, um Sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assusta o menino me dá a mão

Ele fala de coisas bonitas que eu acredito que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor
Pois não posso, não devo, não quero viver como toda essa gente insiste em viver
E não posso aceitar sossegado qualquer maldade ser coisa normal

Bola de Meia, Bola de gude, o solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança o menino me dá a mão
Há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração
toda vez que o adulto fraqueja ele vem pra me dar a mão


BeleBeto

mana_sibele
Quartzo
Quartzo

Número de Mensagens : 89
Idade : 31
Localização : Tubarão SC
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

http://si-malhando.zip.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por guardiao em Ter 16 Set 2008, 8:21 pm

A MORTE DA ALMA

É assim que ela morre. A alma. Ao descobrir que aquele momento mágico já foi e nunca mais será, a alma, como o corpo, fecha os olhos para o mundo e nos tira a alegria de viver. Priva-nos de sentir todos os prazeres que já conhecemos e nos golpeia com a cegueira eterna.
Primeiro isso: o prazer dos cinco sentidos... Depois a insensibilidade, a apatia total, absoluta! Separa-nos do mundo exterior para nos encerrar dentro de nós mesmos, nas nossas masmorras interiores... A alma, antes de morrer, faz com que nos tornemos nossos próprios algozes. Aprisionados que estamos em nossas angustias, nada nem ninguém consegue nos libertar...
Omitimos as palavras e emitimos sons... Choramos lágrimas que não são vistas e escrevemos frases com "as tintas da melancolia". O ocaso do sol nada mais é do que mero acaso e o amanhecer, apenas mais um dia que temos de suportar.
É assim que morre a alma... Aos poucos deixa de ser e nos anula.
Pior do que ignorar o belo é sabê-lo ser indiferente... Pior do que não sentir as emoções não é negá-las, mas delas não se aperceber... Pior, muito pior do que morrer é anestesiar a vida... Assim morre a alma...Porque num determinado momento crucial do nosso caminho, simplesmente cansamos dos embates. E desistimos de nós mesmos...


Difícil não é lutar pelo que mais se quer, mas sim desistir de quem mais se ama. Eu precisei desistir, mas não pense que desisti por não ter força pra lutar, mas sim por não ter mais condição de sofrer...



Off temporariamente

guardiao
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1391
Idade : 34
Localização : Silent Hill
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Sab 18 Out 2014, 10:29 am

Eu vivo em tempos sombrios.
Uma linguagem sem malícia é sinal de
estupidez,
uma testa sem rugas é sinal de indiferença.
Aquele que ainda ri é porque ainda não
recebeu a terrível notícia.

Que tempos são esses, quando
falar sobre flores é quase um crime.
Pois significa silenciar sobre tanta injustiça?
Aquele que cruza tranqüilamente a rua
já está então inacessível aos amigos
que se encontram necessitados?

É verdade: eu ainda ganho o bastante para viver.
Mas acreditem: é por acaso. Nada do que eu faço
Dá-me o direito de comer quando eu tenho fome.
Por acaso estou sendo poupado.
(Se a minha sorte me deixa estou perdido!)

Dizem-me: come e bebe!
Fica feliz por teres o que tens!
Mas como é que posso comer e beber,
se a comida que eu como, eu tiro de quem tem fome?
se o copo de água que eu bebo, faz falta a
quem tem sede?
Mas apesar disso, eu continuo comendo e bebendo.
Bertolt Brecht http://pensador.uol.com.br/autor/bertolt_brecht/2/

gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Qui 30 Out 2014, 9:42 pm

CARTA DE SATANÁS A LOBÃO
Autor: Reácio Onário

Inferno, corte das trevas
Meu caro amigo Lobão
Lhe escrevo essa missiva
Como muita satisfação
Pois já soube dos seus planos
Que pros próximos quatro anos
Queres mudar de nação.

No inferno, caro amigo
Eu entendo o seu protesto
Venha que estou lhe esperando
Não se preocupe com resto
Que rancho e boia eu garanto
E você vai ver o quanto
Ao PT também, detesto.

Eu não gosto de Petralhas
Pois deu direito a pobreza
De comer todos os dias
De ter fartura na mesa
E igualmente a você
Sou fã de FHC
Esse sim é uma beleza!

Vendeu a Vale de graça
Traiu a sua nação
Deixou o pobre com fome
Cumpriu bem sua missão
Enganou o operário
Deu arrocho de salário
Pra toda a população.

E xingou de vagabundo
A quem era aposentado
Com a ação de FHC
Me senti realizado
Achei seu plano engenhoso
Pois quem maltrata o idoso
Merece ser apoiado.

Esse governo de pobre
É pior do que saúva
FHC era bom
Igual ki-suco de uva
Comprou porque era vivo
Com o cartão corporativo
Um consolo de viúva.
Com esse governo a elite
Perdeu a satisfação
De arrotar sua soberba
Com a mais cara profissão
Luiz Inácio é um bicho
Pois fez catador de lixo
Ter direito a educação.

Tenho nojo desse cara
Que deu a pobre o direito
De andar de carro novo
Comprar casa, ter respeito
Coisas que a Deus agrada
Deus me livre, camarada
Eu morro, mas não aceito.

Esse tal Bolsa Família
Eu odeio esse projeto
Pobre é pra morrer de fome
Viver na rua, sem teto
Quem ajuda essa gentalha
Para mim é um canalha
Ou o ser mais abjeto.

Esse Lula deu direito
Ao pobre sem instrução
Se educar, crescer na vida
E andar de avião
Aeroportos lotados
De pobre e de favelados
Isso sim é um mundo cão.

Um rico não pode mais
Ir ao shopping com a família
Que tem que topar com pobre
Comprando roupa e mobília
Seu partido errou o plano
E a culpa é do povo insano
Que pôs PT em Brasília.

Dilma é uma mulher honesta
E eu detesto honestidade
Aécio sim era o quente
Um político de verdade
Desde pequeno que é torto
Fez até aeroporto
Na sua propriedade.

Que negócio de carinho
Mulher trata é na porrada
Já quebrou até as fuças
De uma linda namorada
E com Dilma no debate
Lutando pra dá empate
Armava ardil e cilada.

Eu que sou sócio da Veja
Sempre procuro ajudar
O Mensalão dos Tucanos
Não deixei ninguém julgar
Nisso garanto a você
Ponho a culpa no PT
Antes de investigar.

Se por acaso os tucanos
Fizer um propinoduto
Eu apoio, pois eu acho
Que o poder absoluto
Só o rico é quem merece
Toda vez que um pobre cresce
O inferno fica de luto.

Meu nobre amigo Lobão
Sei que está no ostracismo
Pois esse povo canalha
Quer lhe jogar no abismo
Não curtem suas canções
Não solfeja seus refrões
Isso sim é um comunismo!!!

Venha aqui para o inferno
Que eu garanto a você
Que todo ano produzo
Uma bonita turnê
Nossa turma é da pesada
E até diaba recatada
Também curte um fuzuê.

Nessa Vida louca vida
Verá o quanto aqui ferve
E se eu não vou nessa **censurado**
Quero que você me leve
No helicóptero dos Perrela
Cheire pó numa tigela
Mostre o quanto e vida é breve.

Eu detesto socialistas
Pois sou um velho reaça
Criança morrendo a míngua
Eu aprecio, acho graça
Polícia batendo em pobre
É a atitude mais nobre
Que eu vejo numa praça.

FHC é meu ídolo
Lógico, depois de você.
Pobre só comia calango
Quando o nosso FHC
Governava esse Brasil
Mas rico entra no funil
Com esse tal de PT.

Odeio esse tal de Lula
Frei Boff, e esse tal Frei Beto
Que mostra a força do povo
Deixando a povo inquieto
Se o filho de pobre estuda
No Brasil a coisa muda
E não terá analfabeto.

Se coisa seguir assim
Escravos e serviçais
Será coisa do passado
E o rico não goza mais
Até Aécio sem ama
Terá que fazer a cama
Entre suspiros e ais.

Aliás do nome Aécio
Eu sei o significado
É uma Ave de Rapina
Li no grego estou lembrado
Tenho anel e formatura
O nosso inferno é cultura
Tá pensando o que, barbado?

Não diga que desistiu
Não fique me embromando
Pois um diabo me informou
Que você tava chegando
Vindo acompanhado ou só
Vais dormir com minha avó
Ela já tá lhe esperando.

Minha vó é uma gata
De 10 mil anos de idade
E me disse que você
É um reaça de verdade
Só digo o que é exato
Quando ela viu seu retrato
Relembrou da mocidade.

Já comprou uma camisola
Transparente nesse ano
Você vai dormir na frente
E ela vai cuTUCANO
Na sua cauda de lobo
Você como não é bobo
Verá que foi um bom plano.

No aeroporto de Claudio
Mando amanhã lhe buscar
Num confortável urubu
Meu astro vai decolar
Anote no seu caderno
Hora do voou pra o inferno
E a hora de chegar.

Eu agora me despeço
Mas deixo Aqui um abraço
Ao Roger do Ultrage
Que nunca mostrou cansaço
Pra falar mal do PT
É igualzinho a você
Tem a alma de ricaço.

Gentilli é gente da gente
Reacionário demais
Muito preconceituoso
Não deixa o Nordeste em paz
Mora no meu coração
Golpe é revolução
Na boca desse rapaz.

E a galera da Veja
É toda avessa a verdade
Jornalismo criminoso
É sua especialidade
Para acusar um sem prova
Sempre sai edição nova
Recheada de maldade.

Tem o Arnaldo Jabor,
William Bonner em ação
Lá na Venus Prateada
Tem também Míriam Leitão
Pra derrubar o Brasil
Cada um é mais sutil
Com garra e disposição.

Quando morrerem o inferno
Estará escancarado
Pra essa gente bacana
Que transmite o meu recado
Vamos vender o Brasil
Petrobrax, que sutil
Fico até arrepiado.

Lembrança a FHC,
Pense num velho profundo!
No tempo de seu governo
Vivia cheirando o fundo
No FMI falado
Deixou até penhorado
O Brasil no terceiro mundo.

Mas o PT tranformou
O Brasil numa potência
Pagou a tal Dívida Externa
Isso sim é incompetência
Do Fundo não são fregueses
Mas FHC três vezes
Quebrou o Brasil, que ciência!

O inferno te espera
Meu coleguinha Lobão
Judas lhe quer num amplexo
Caim lhe chama de irmão
Hitler manda um abraço amigo
E da mãe do Calor de Figo
Um beijo no coração.
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/10/30/abc-do-lobao-aecio-fhc-bonner-e-urubologa/

gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Andreia em Qui 30 Out 2014, 10:39 pm

Improviso do Amor-Perfeito

Naquela nuvem, naquela,
mando-te meu pensamento:
que Deus se ocupe do vento.

Os sonhos foram sonhados,
e o padecimento aceito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Imensos jardins da insônia,
de um olhar de despedida
deram flor por toda a vida.

Ai de mim que sobrevivo
sem o coração no peito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Longe, longe, atrás do oceano
que nos meus olhos se alteia,
entre pálpebras de areia...

Longe, longe... Deus te guarde
sobre o seu lado direito,
como eu te guardava do outro,
noite e dia, Amor-Perfeito.

Cecília Meireles

Andreia
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 243
Idade : 35
Localização : Bbelo horizonte MG
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/09/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Guilherme em Sex 31 Out 2014, 12:10 am

gusto escreveu:CARTA DE SATANÁS A LOBÃO
Autor: Reácio Onário

Inferno, corte das trevas
Meu caro amigo Lobão
Lhe escrevo essa missiva
Como muita satisfação
Pois já soube dos seus planos
Que pros próximos quatro anos
Queres mudar de nação.

No inferno, caro amigo
Eu .....

Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Sex 31 Out 2014, 12:43 pm

Que falta de criatividade. Sei que ficou ofendido.

Mas não precisava estragar mais este espaço.

Não há mais nada a se esperar, a não ser o juízo vindouro. :chapeu:

gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Guilherme em Sex 31 Out 2014, 7:46 pm

Andreia escreveu: palminhas palminhas Improviso do Amor-Perfeito

Naquela nuvem, naquela,
mando-te meu pensamento:
que Deus se ocupe do vento.

Os sonhos foram sonhados,
e o padecimento aceito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Imensos jardins da insônia,
de um olhar de despedida
deram flor por toda a vida.

Ai de mim que sobrevivo
sem o coração no peito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Longe, longe, atrás do oceano
que nos meus olhos se alteia,
entre pálpebras de areia...

Longe, longe... Deus te guarde
sobre o seu lado direito,
como eu te guardava do outro,
noite e dia, Amor-Perfeito.

Cecília Meireles
Lindo!!! palminhas

Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Guilherme em Sex 31 Out 2014, 9:04 pm

gusto escreveu:Que falta de criatividade. Sei que ficou ofendido.

Mas não precisava estragar mais este espaço.

Não há mais nada a se esperar, a não ser o juízo vindouro. :chapeu:

Nao precisa agradecer, voce merece! :chapeu:


Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Andreia em Sex 31 Out 2014, 10:46 pm

ORAÇÃO DA SUBMISSÃO
"Quando tu quiseste me conduzir, 
eu tomei o controle da minha vida.
Quando tu quiseste me governar, 
eu me dirigi a mim mesmo.
Quando tu quiseste cuidar de mim,
eu me bastei a mim mesmo.
Quando eu devia depender de tuas provisões, 
eu me abasteci de mim mesmo.
Quando eu devia me submeter à tua providência, 
eu segui o meu desejo.
Quando eu devia estudar, amar, honrar e confiar em ti, eu trabalhei para mim mesmo:
falhando e corrigindo as tuas leis
para concordarem comigo,
em lugar da tua, busquei a aprovação dos homens.
Eu sou por natureza um idólatra .
Senhor, meu maior desejo é levar meu coração
de volta a ti.
Convença-me que não posso ser meu próprio deus 
ou me fazer feliz a mim mesmo,
nem ser meu próprio Cristo
para restaurar minha alegria,
nem ser meu próprio Espírito para me ensinar,
me conduzir e me dirigir.
Ajuda-me a ver que a tua graça
age por meio da aflição providencial,
para que, quando meu dinheiro for deus, 
tu me jogues para baixo,
para que, quando meus bens forem meus ídolos,
tu os faças voar para longe,
para que, quando o prazer for tudo para mim, 
tudo o tornes amargo.
Afasta-me do erro do olhar, da curiosidade do ouvido, 
da avareza do apetite e da luxúria do coração.
Mostre-me que nada destas coisas
pode curar uma consciência ferida,
sustentar um esqueleto cambaleante,
segurar um espírito desviante.
Então, leva-me para a cruz e me deixe lá".


(Texto puritano anônimo do século 17, sob o título "Man a Nothing" [O homem não é nada] 

Andreia
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 243
Idade : 35
Localização : Bbelo horizonte MG
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/09/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Andreia em Sex 31 Out 2014, 10:48 pm

Guilherme escreveu:
Andreia escreveu: palminhas palminhas Improviso do Amor-Perfeito

Naquela nuvem, naquela,
mando-te meu pensamento:
que Deus se ocupe do vento.

Os sonhos foram sonhados,
e o padecimento aceito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Imensos jardins da insônia,
de um olhar de despedida
deram flor por toda a vida.

Ai de mim que sobrevivo
sem o coração no peito.
E onde estás, Amor-Perfeito ?

Longe, longe, atrás do oceano
que nos meus olhos se alteia,
entre pálpebras de areia...

Longe, longe... Deus te guarde
sobre o seu lado direito,
como eu te guardava do outro,
noite e dia, Amor-Perfeito.

Cecília Meireles
Lindo!!! palminhas
Tambem achei lindo guilherme. gostei

Andreia
Pérola
Pérola

Número de Mensagens : 243
Idade : 35
Localização : Bbelo horizonte MG
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/09/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Sab 01 Nov 2014, 12:10 am

Guiverme escreveu:Nao precisa agradecer, voce merece!
Mas não estou agradecendo, só avisando do juízo vindouro.

Esta é para você:

Eu não gosto de Petralhas
Pois deu direito a pobreza
De comer todos os dias
De ter fartura na mesa
E igualmente a você
Sou fã de FHC
Esse sim é uma beleza!


:risadinha: Gostou do seu novo nome?

gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Guilherme em Sab 01 Nov 2014, 11:51 am

gusto escreveu:
Guilherme escreveu:Nao precisa agradecer, voce merece!
Mas não estou agradecendo, só avisando do juízo vindouro.

Esta é para você:

Eu não gosto de Petralhas
Pois deu direito a pobreza
De comer todos os dias
De ter fartura na mesa
E igualmente a você
Sou fã de FHC
Esse sim é uma beleza!


:risadinha: Gostou do seu novo nome?
Sem miséria não existe esquerda marxista
O sonho de Marx era destruir os sonhos individuais do ser humano, reduzi-lo a uma questão meramente burocrática: trabalho, comida pouca e sem sabor, roupa simples e uma casa pequena e obediência total e cega aos chefes. Mas o problema para a demência de Marx era que os operários não queriam exatamente isto para suas vidas, antes, eles queriam conforto, boa mesa, boa cama e boa casa, então o Marx orientou os sindicatos a não pedirem aumento salarial nas lutas, pois poderia desvirtuar os trabalhadores, para o Karl Marx, trabalhador tinha que ser explorado para facilitar a propaganda do ódio ao patrão.
Nos países que a tese Marxista teve sucesso, o partido comunista usou a tática de manter a miséria em um nível administrado, para que o trabalhador nem morresse de fome e nem tivesse conforto algum, ao lado de uma propaganda massiva e nenhuma informação verdadeira do mundo de fora, lá fora sempre se vivia pior que ali no paraíso comunista. Isso funcionou por um tempo, então começaram os protestos e somente fuzilamentos em massa manteve o governo de esquerda no poder, a repressão total sobre a vida do cidadão e um estado policial idêntico ao estado nazista, fizeram do comunismo o regime que mais matou gente inocente na história da terra.
A China para não cair aliou fuzilamento e abertura econômica, possibilitando alem de conforto para uma boa parte da população,  também o luxo para uma parte menor, e assim o sonho capitalista invade a seara comunista, e a razão de ser da revolução cai de podre, pois agora pra se salvar o comunismo precisa ser capitalista e eles então criam o capitalismo controlado, o capitalismo sem democracia, o chamado capitalismo de estado. A Rússia assiste o desmoronamento do comunismo e seus ideias, mas os homens do regime se reinventam e criam o estado absolutista capitalista, um capitalismo onde o presidente é um rei absoluto e assim como o comunismo, esta nova velha Rússia é amparada numa repressão e controle policial, onde nada fica fora do controle do estado policial, apenas o nome comunismo sai de cena, mas todo o  processo de governo é o mesmo.
Estas mudanças no mundo comunista, deixa claro que não existia nenhuma ideologia por trás das revoluções e sim e apenas a gula pelo poder, pois eles enganam o trabalhador e são capitalistas quando podem desta forma manter o poder, mas por outro lado, não abandonam sua repressão assassina, que mata, aleija e enlouquece uma boa parte da população, criando o terror para governar.
A conclusão a que chegamos, e também a de todos que escrevem a verdade e não textos encomendados, é que a esquerda depende da miséria para, tanto ganhar, quanto para manter o poder.
Onde existe progresso, o pobre em vez de odiar o rico e burgues, quer é se igualar, pois quem gosta de miséria é intelectual, mas o intelectual gosta da miséria nos outros, para que eles possam posarem de santos e defensores dos pobres, quando na verdade o que os intelectuais, que diz defender o pobre, quer, é dominar, explorar e escravizar os mais pobres, e matar aqueles que não aceitem seu domínio.
Um esquerdista chega sorrindo, criticando tudo, para depois se tornar o algoz mais cruel que alguém possa imaginar.

www.ronaldobragas.blogspot.com
R.B.Santana


Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Guilherme em Sab 01 Nov 2014, 12:49 pm

gusto escreveu:Que falta de criatividade. Sei que ficou ofendido.

Mas não precisava estragar mais este espaço.

Não há mais nada a se esperar, a não ser o juízo vindouro. :chapeu: ei troll, o teu juizo ja chegou... :chapeu:




Falta de criatividade?
Nao e isso. E a necessidade de se repetir a informacao varias vezes quando se lida com jumentos :chapeu:

Nao e isso. E a necessidade de se repetir a informacao varias vezes quando se lida com jumentos  :chapeu:

Nao e isso. E a necessidade de se repetir a informacao varias vezes quando se lida com jumentos :chapeu:

     :risadinha:

Guilherme
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 1332
flag : Israel
Data de inscrição : 02/05/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Sab 01 Nov 2014, 1:22 pm

Quanto mais me batem, mas me fortaleço, e mais enxergo o poder de Deus em mim, que nada sou, muitas vezes ridicularizado, zombado, atacado, hostilizado...

"Quando estou fraco é que sou forte." Paulo de Tarso.

Tido como morto, mais eis que estou vivo.

Como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos. 2 Coríntios 6:9


gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Ed em Seg 03 Nov 2014, 10:36 pm



Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus 2Co 2:17

O Forum Gospel Brasil completa hoje 3156 dias de existência com 228805 mensagens

Ed
Mateus 18:20
Mateus 18:20

Número de Mensagens : 11000
Idade : 64
Localização : BRUSA
flag : BrUSA
Data de inscrição : 13/04/2008

http://gospelbrasil.topicboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Khwey em Seg 03 Nov 2014, 10:41 pm

Ele deve ter se inspirado na bíblia...

Mateus
5:16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

Certamente isto daí é mais acessível aos outros do que abrir a bíblia para ler o evangelho.

Khwey
administrador
administrador

Número de Mensagens : 17150
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por gusto em Sex 03 Jun 2016, 11:26 pm

Encerrando Ciclos

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.


(Nota: o texto Encerrando Ciclos não é de Fernando Pessoa ou de Paulo Coelho)
Gloria Hurtado

gusto
Antares
Antares

Número de Mensagens : 10509
Idade : 47
Localização : Ponta Grossa Pr
flag : Brasil
Data de inscrição : 12/08/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Negativo Re: Poesias desperdiçadas ao vento

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 1:41 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum