.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
Quem está conectado
52 usuários online :: 4 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 48 Visitantes :: 2 Motores de busca

gusto, Jarbas, Khwey, Lit San Ares

O recorde de usuários online foi de 2364 em Seg 19 Dez 2011, 5:49 pm
Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10

Apostasia!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Apostasia!

Mensagem por Armagedom em Ter 06 Jan 2009, 6:56 am

Apostasia - “Meu coração saiu correndo!”

João escreve em Apocalipse 1:12-13: “E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; e no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro”. Aqui ele vê Jesus glorificado em Suas vestes sacerdotais. Ele está no meio dos sete castiçais, no local sagrado do Tabernáculo. O combustível para a luz do castiçal era o puro azeite de oliveira, necessário para uma iluminação adequada. Este azeite devia alimentar o castiçal para que este brilhasse continuamente, em favor dos filhos de Israel.

No Velho Testamento o castiçal simbolizava o Messias (Jesus Cristo), como sendo “a luz do mundo”, o qual iria brilhar continuamente, iluminando o local sagrado onde o sacerdote deveria estar (João 1:7-9; 8:12; 9:5; 12:46; 2 Coríntios 4:6; Lucas 1:78=79; 2:32; Apocalipse 21:23-24). A responsabilidade do sacerdote era manter as lâmpadas brilhando. Ele devia mantê-las com o azeite, alimentando-as, para que houvesse uma chama límpida e ininterrupta.

Essa luz também simbolizava o crente, o qual seria chamado “luz do mundo” (Mateus 5:14-17). Depois que Jesus subiu ao céu (João 9:5; Filipenses 2:15; Lucas 12:35; Efésios 5:8-9), o crente foi comissionado a ser a luz do mundo, andando conforme a Sua Palavra (João 1:7). O castiçal é visto ainda como símbolo da Igreja, levando, em o Nome de Cristo, luz para um mundo envolto em trevas.

Vemos este simbolismo prosseguindo em Apocalipse 1:20: “O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas”. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas. Sempre que vemos a palavra “estrela”, ela se refere a anjos. Os sete castiçais são as sete igrejas, das quais Cristo é a cabeça. Exatamente como o azeite alimenta o castiçal, o Espírito Santo ilumina todas as igrejas. O sete castiçais individuais simbolizam as sete igrejas locais, as quais representam a soma das igrejas do Senhor e não apenas as diferentes eras da mesma. Apocalipse 1:4 diz que elas já existiam na Ásia, quando o Livro foi escrito, não sendo as igrejas do futuro nem representando as eras da igreja. Podemos admitir que essas igrejas são exemplos das igrejas através das eras e que todas sete podiam existir ao mesmo tempo, conforme tem acontecido através da história. A última igreja mencionada é a de Laodicéia, a qual vai dominar nos últimos dias. Ela vai desencadear a apostasia.

Lemos em Apocalipse 2:1: “ESCREVE ao anjo da igreja que está em Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro”. O Senhor anda entre as igrejas, em todas as eras, a fim de conhecê-las. Ele as comenta e as repreende, com admoestações específicas, conforme Apocalipse 2:5: “Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres”. A remoção do castiçal significa que o Espírito Santo vai abandonar a Igreja, deixando-a por sua própria conta, o que resultará em que ela vai se tornar igual à de Laodicéia (como acontece nas igrejas onde prevalecem as opiniões dos homens, em lugar da Palavra de Deus). A lealdade a Cristo muitas vezes é substituída pela lealdade a uma organização, a uma igreja, ou aos líderes religiosos, muitos do quais substituem as doutrinas bíblicas por novas regras e nova interpretação da verdade. Isso acontece, principalmente, nas seitas.

Achamos que, hoje em dia, as igrejas mencionadas no Apocalipse existem ao mesmo tempo e que a igreja fiel coexiste com a igreja infiel. Mas a igreja que vai prevalecer no final é a de Laodicéia, a qual vai deslanchar a apostasia. Ela tem deixado Cristo do lado de fora, afastando-O do Seu povo. Ela tem existido sem motivação, por tanto tempo, que não tem exercido qualquer influência na sociedade, recebendo do mundo tudo que se opõe ao ensino de Cristo. O mundo olha para essa Igreja com indiferença, porque ela não possui o sal da convicção. Ela se tornou morna, buscando a unidade com todos, demonstrando tolerância com as aberrações doutrinárias, desculpando tal procedimento pelo uso da palavra “amor”. Essa Igreja está caindo sob a influência do mundo, em lugar de influenciá-lo. O mundo nem mesmo pode condená-la, porque ela é igual ao mundo. Mas a Bíblia nos alerta que o julgamento vai começar pela Casa de Deus (1 Pedro 4:17). O Senhor está infinitamente mais preocupado com o Seu povo do que com os incrédulos. Por isso, Jesus premia, admoesta e repreende cada igreja. Quando ele remove o castiçal das igrejas apóstatas, elas recorrem às técnicas e métodos humanos, a fim de atrair as pessoas [com propósitos, curas “divinas”, sinais e maravilhas] Um dos meios de atraí-las é jamais mencionar a palavra “pecado”. A igreja moderna precisa usar a psicologia, a fim de atrair muitos contribuintes, para continuar funcionando e até crescer... E crescer muito!

A Igreja de Laodicéia pensava estar agindo corretamente e estava se achando espiritual. Ela se considerava rica; portanto, Deus devia estar abençoando-a. A riqueza consiste em se vestir elegantemente e falar sobre bens materiais, a fim de impressionar as pessoas. Isso é típico do mundanismo penetrando nas igrejas. Laodicéia não conhece a sua condição interior porque está cega pelo sucesso. Por isso o Senhor sugere que ela compre ouro provado no fogo (através do sofrimento), vista-se de roupas brancas (vestes de salvação) e use colírio nos olhos, a fim de enxergar a sua deplorável condição espiritual. Hoje em dia, muitas pessoas vêem o sucesso e a prosperidade como sinal de bênçãos divinas e, como Laodicéia, ficam imersas na modorra espiritual. O Senhor preferia uma igreja quente (para curar) ou fria (para refrescar). Laodicéia nada fazia para emergir daquela apatia e por isso nada valia diante do Senhor. Ela coxeava entre dois mundos, como acontece a tantas igrejas de hoje, oscilando entre os dois amores.

Esta não é uma igreja ideal para o cristão freqüentar. Os laodicenses tinham bastante religiosidade e se achavam bons. Mas estavam nus. No tempo de Cristo, os soldados precisavam dormir vestidos, para o caso de surgir uma batalha urgente. Precisamos estar sempre vestidos com a justiça de Cristo. Mesmo assim, Laodicéia não precisava se desesperar. Assim como Cristo foi a essa igreja, Ele também pode vir ao indivíduo, se ele O aceitar: “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te”. (Apocalipse 3:19). Mesmo ficando do lado de fora dessa igreja, Cristo se oferece para vir a cada membro da mesma, embora não à coletividade. Quando uma igreja se separa da verdade, ela deixa de funcionar conforme a Palavra de Deus, usando apenas o que lhe convém, ou então mudando a significação das palavras para que estas se adaptem aos seus interesses. É isso que está acontecendo em muitas igrejas modernas.

Muitos cristãos têm identificado a apostasia - e por isso têm abandonado suas igrejas. Infelizmente, durante os séculos, muitos crentes que começaram a freqüentar uma igreja resolveram abandoná-la, para fundar uma seita. Mas não é este o caso, pois Jesus está se dirigindo às igrejas, no meio das quais Ele anda. Nos dias de hoje, a apostasia tem começado nos seminários liberas, os quais enviam seus mestres para os púlpitos bíblicos, a fim de ali pregarem suas idéias liberais, promovendo o homossexualismo, negando a Trindade, a Divindade de Cristo, o Seu nascimento virginal e outros artigos essenciais da fé cristã.

Além disso, o Movimento Nova Era começou a emergir e a penetrar nas igrejas, através da Igreja Emergente, enfatizando as experiências sobrenaturais sobre as verdades bíblicas, com o Movimento Homossexual sendo aceito pela Igreja Episcopal, junto com o Movimento Feminista, refutando Deus como Pai. Agora, a apostasia tem se espalhado e englobado quase todas as denominações. As doutrinas bíblicas têm sido distorcidas ou abandonadas e as ovelhas têm sido controladas com excesso de autoridade pastoral e com o falso ensino da validade da ambição por riqueza e da saúde perfeita, como sendo a vontade de Deus para o crente. Tudo isso com a aprovação do divórcio e do homossexualismo.

Entre as parábolas do Reino, Mateus 13 apresenta a do fermento, a qual descreve o curso da Igreja Emergente. Ela descreve o avanço da apostasia, conforme acontece no final. A palavra “apostasia” significa afastar-se da verdadeira fé, conforme é ensinada na Palavra de Deus. O fermento faz a massa crescer (Movimento do Crescimento das Igrejas), ostentando o orgulho que os evangelhos condenam, com líderes se enaltecendo diante dos homens e querendo ser venerados como deuses. Paulo diz na 1 Coríntios 5:6: “Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?” Em Gálatas 5:9, ele diz: “Um pouco de fermento leveda toda a massa”. A mulher da parábola representa a Igreja. Ela tem feito algo proibido por Deus, que é levedar a massa, misturando elementos estranhos ao Corpo de Cristo. Como um fermento, esses elementos têm se infiltrado na igreja. Eles vão agindo silenciosamente, até que toda a massa fica levedada e cai sob a sua influência. Por causa desses elementos estranhos, as coisas tendem somente a piorar. Que ninguém espere por um reavivamento, pois ele não virá, mas a apostasia, esta sim, já está na metade do caminho...

O erro introduzido, desde os tempos apostólicos (quando ainda era relativamente pequeno), foi crescendo gradualmente, através dos séculos, até o final dos tempos, quando chegará ao ápice. Grande parte da Igreja tem sido impactada, com a penetração do mundanismo na família, nas escolas, nos locais de trabalho, até que ela seja totalmente afetada pelo levedo da psicologia humanista. O confronto final com a Igreja apóstata pode ser visto no Livro do Apocalipse, capítulo 17.

O Tempo da Apostasia - Paulo adverte os tessalonicenses (2 Tessalonicenses 2:1-12) a respeito dos que procuravam enganá-los e fala sobre a vinda do “iníquo”, “o homem do pecado”. O objetivo desta carta de Paulo era confortar os crentes de Tessalônica, que estavam sendo perseguidos (1 Tessalonicenses 2) pelos judeus. Na 2 Tes. 2:7, ele diz que o mistério da iniqüidade já está operando e que somente o Espírito Santo o está controlando, até que do mundo Ele se afaste [com o Arrebatamento da Igreja verdadeira] e seja revelado o “iníquo”. Claro que Paulo não estava se referindo à nossa reunião com Cristo, antes da apostasia entrar na Igreja. Duas coisas devem acontecer, após a chegada da apostasia da Igreja: o Arrebatamento e a revelação do iníquo. Ele diz que o Dia do Senhor não virá, antes que aconteça a apostasia da fé e a retirada da Igreja fiel. Como “Dia do Senhor” entendemos o tempo da Grande Tribulação. Esta admoestação coincide com o que Jesus diz em Mateus 24. Uma de suas admoestações contundentes é sobre os falsos profetas... Os quais temos visto agora, mais do que durante os dezenove séculos anteriores. No Novo Testamento, temos duas vindas de Jesus: uma que será conhecida somente pelos crentes fiéis, que vão ser arrebatados, os quais serão levados para um lugar antes preparado para eles (João 14:3); a outra, no final da Tribulação, quando Cristo será visto pelo mundo inteiro, quando vier, para livrar o Seu povo dos inimigos e exercer o julgamento das nações, no Grande Trono Branco, quando a fé e mais obras serão levados sem conta, havendo a separação entre as ovelhas e os bodes. Ele volta à Terra para estabelecer o Seu Reinado Milenar, quando os mortos no Senhor e os que foram arrebatados, antes da Grande Tribulação, voltarão à Terra junto com Ele (1 Tessalonicenses 4:14).

Nos últimos tempos, a doutrina do Arrebatamento tem sido desprezada, por causa das teologias do Triunfalismo do Reino, do Dominionismo e do Reconstrucionismo, pregando a recristianização do mundo, a fim de preparar a volta de Cristo, com uma plêiade de super-cristãos - os modernos “apóstolos” e “profetas”, que são os grandes líderes da Igreja Emergente. Esta Igreja será a maior responsável pela apostasia final, por ser ecumênica e enfática nos sinais e maravilhas.

Paulo nos adverte claramente sobre a apostasia dos tempos finais, na 1 Timóteo 4:1-2 e na 2 Timóteo 4:3-4:

“MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência”

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” .

A apostasia vai grassar dentro da Igreja, porque os crentes darão ouvidos às doutrinas pregadas por espíritos enganadores - os quais vão dirigir os mestres que pregam visões, revelações e experiências sobrenaturais. [Temos centenas destes, todos herdeiros do ministério de William Branham...] As doutrinas bíblicas sofrerão também a influência da política internacional, exatamente como aconteceu no tempo de Antíoco Epifânio, o qual tentou impor o helenismo dentro do judaísmo. A Igreja está aderindo às leis dos direitos humanos (de pecar à vontade), com a pregação do amor e tolerância aos falsos mestres e aos pecados mais grosseiros, como os do homossexualismo. [No contexto mundano, os chamados “direitos humanos” têm funcionado quase exclusivamente em favor dos marginais].

A apostasia da Igreja tem crescido na escala Richter. Com a ausência do Castiçal (o Espírito Santo no lugar de Cristo), os demônios vão tomar conta da Igreja Mundial. Com o surgimento das doutrinas que prometem riqueza e satisfação do Ego, multidões têm sido atraídas para uma Igreja fermentada com as falsas doutrinas, inchando sobrenaturalmente, em razão da tendência das pessoas para o sobrenatural.

O conflito anterior da Igreja com o mundo tem sido neutralizado. Agora, a divisão é entre os fundamentalistas bíblicos e os liberais e reavivalistas, os liberais com o seu Cristianismo humanista e os reavivalistas, com as suas ondas de curas “divinas”, profecias e revelações.


:: Os carros correrão furiosamente nas ruas, colidirão um contra o outro nos largos caminhos; o seu aspecto será como o de tochas, correrão como relâmpagos. - Naum 2:4 -

Armagedom
Safira
Safira

Número de Mensagens : 102
Idade : 39
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Apostasia!

Mensagem por Armagedom em Ter 06 Jan 2009, 6:57 am

Como pode acontecer tudo isto?

A apostasia começa pela indiferença; pela falta de convicção bíblica e pela covardia dos crentes acomodados, que têm medo de lutar contra os que restringem a verdade. A maioria fica relutante, com um pé no mundo (em nome o falso amor), ignorando Tiago 4:4-b: “Qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. A Bíblia ensina que nos últimos tempos o amor de muitos esfriará. Vai faltar um amor bastante sincero para confrontar as pessoas com a verdade bíblica (Judas 3), o qual será abandonado em nome do “politicamente correto”. Por isso, as doutrinas estão sendo diluídas, a fim de atrair as pessoas, e com isso a Igreja do momento é tão morna como a Igreja de Laodicéia. Os líderes festeiros se gloriam: “Nunca houve um tempo tão promissor para a Igreja!” . Só que esse “tempo promissor” pode ser uma indicação da próxima vinda do Anticristo. Depois de alguns anos, Deus poderá se cansar da Igreja apóstata e agir, conforme Apocalipse 18. Convém notar que Paulo não fala de “uma apostasia”, pois já houve muitas. Ele usa o artigo “a”, significando uma coisa bem mais grave. Esta será a apostasia voluntária, com uma rebeldia generalizada, todos se voltando contra a legitimidade da Palavra de Deus escrita. Sem esta segura âncora, a Igreja vai afundar nas ondas que estão envolvendo-a. Deus nos comanda a ficarmos separados do erro, mas a nossa natureza carnal e pecaminosa tende à desobediência.

A desculpa dos falsos mestres (enamorados de Roma e do misticismo oriental) é que Deus está clamando pela derrubada dos muros da separação, o que transforma a Grande Comissão, em “grande confusão”. Lemos em Tiago 1:22: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos”. Em nome do amor e da tolerância, a Igreja tem se afastado da verdade e perdido grande parte do seu poder de evangelização. Quem pode imaginar que se a Igreja do Senhor se unir-se à hierarquia católica e aos líderes muçulmanos, com a desculpa de melhorar o mundo, isso possa resultar em algo bom, segundo o desejo de Deus? Quem poderia imaginar o Apóstolo Paulo se unindo aos líderes de Éfeso, para cultuar a deusa Diana dos Efésios? Pois é exatamente isto que os líderes da Igreja Emergente têm feito, quando pregam um evangelho diluído, no Oriente e no Ocidente. Estamos fechando os olhos à verdade. Por acaso os líderes dessa Igreja criticaram o papa Bento XVI beijando o Alcorão? Muitas igrejas evangélicas estão aplaudindo esse homem!

Romanos 16:17: “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles”.

2 João 7-11: “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão. Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras”.

Crente bonzinho, que não desagrada pessoa alguma, em nome do “politicamente correto”, deve envergonhar-se diante dos crentes primitivos, que tanto ”batalharam pela fé entregue aos santos.” (Judas 3). O conselho que Cristo nos dá, referindo-se à Igreja Emergente, líder nos propósitos, nos sinais e maravilhas é este: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas (Apocalipse 18:4).

Eventualmente, esta Igreja, junto com o mundo incrédulo, vai aceitar a marca da Besta, por lealdade à unidade global, a qual vai se empenhar em deter o terrorismo, quando este crescer bastante contra Israel, e contra as nações que ficarem a favor dos judeus. O sistema mundial terá de ser implementado com um controle tremendo, a fim de ser instalada a unidade social, econômica, e religiosa. E como ninguém vai poder comprar ou vender sem a marca da Besta (que pode ser uma leitura da palma da mão ou da íris, no infravermelho), esta tecnologia já começa a ser implantada nos países ricos, onde a Nova Era predomina com a sua teologia abrangente. O Satélite Global de Posição (GPS) já está sendo usado em alguns segmentos do governo americano. Ele vai poder localizar qualquer pessoa numa fração de segundos. A Digital Applied Solutions (ADS) já tem a patente desse tipo de tecnologia, conhecida como “Digital Angel”. Alguns voluntários já receberam esse “anjo”, desde o dia em que foi lançado, em 10/05/2002. Se juntarmos sete anos ao Ano 2002, teremos 2009, quando, provavelmente, o “anjo” estará em pleno uso, com a aprovação do novo presidente eleito.

O Movimento Carismático promete o cancelamento das dívidas e muita riqueza, pela confissão positiva, através da qual, segundo o mesmo, os crentes enriqueçam facilmente, dando ordens ao universo. As experiências sobrenaturais que identificam este movimento serão indispensáveis para unir pessoas de religiões diferentes. Paulo viu a apostasia entrando sorrateiramente na Igreja de Éfeso, e quando reuniu os anciãos, para a sua despedida, ele disse: “Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; e que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si” (Atos 20:29-30). Hoje em dia, multidões se juntam para ouvir e ver o seu mestre favorito e presenciar os sinais e maravilhas que ele opera. Jesus nos advertiu sobre os falso profetas que viriam em Seu Nome , com muitos milagres, como uma parte do engodo dos dias finais, antes de Sua volta. Não é tempo de esconder a cabeça na areia, esperando que o perigo passe, pois ele só vai crescer. Se de fato acreditamos que antes do Anticristo vem a apostasia e que esta é a era da Igreja de Laodicéia, a vinda do Senhor pode estar mais próxima do que imaginamos. Precisamos estar preparados e devemos nos esforçar para ganhar almas para o Senhor. Por enquanto, desfrutamos de alguma liberdade religiosa, quando ainda podemos pregar a Cristo, copiando o que Ele disse em João 9:4 e 11:9-10: “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar... Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz”.

Um dos meios usados para incrementar a apostasia tem sido a TV. Os pregadores televisivos são os mais admirados por multidões, que seguem suas doutrinas. Cristo nunca mandou que se pregasse o evangelho pela TV. Ele vai ser pregado, sim, no mundo inteiro, mas pelos 144.000 judeus escolhidos por Ele. A pregação verdadeira é a que fazemos pelo bom exemplo e por palavras que comprovem o efeito do Evangelho de Cristo em nossas vidas. Quem assiste a TV “cristã” atual e vê homens engravatados, verdadeiros janotas, pregando saúde e prosperidade, dificilmente se converte, com arrependimento de pecados, conforme os padrões bíblicos. Mas, o Espírito de Deus é tão diligente e misericordioso que, ao ver um coração sincero, Ele age segundo Jeremias 29:13) “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração”. Assim, vemos gente se convertendo até nas “sinagogas pentecostais!”

Nenhum desses ricos televisivos iria dar a sua vida em favor da verdade, como o fizeram os cristãos da igreja primitiva. Seu sucesso é medido pelo número de pessoas que os assistem e lhes enviam “ofertas de amor”. [Uma certa “Igreja” da prosperidade, agora adotou, nos Estados Unidos, o sistema do “drive thru”, atendendo as pessoas dentro do próprio carro, para lhes dar maior comodidade, ali recebendo as “ofertas de amor”.] A última esperança está no remanescente anônimo, que lê a Bíblia em casa, vive honesta e frugalmente, pregando o evangelho através do bom exemplo de vida cristã.

A pergunta seria: “Mas Deus não manda congregar-se na passagem de Hebreus 10:25?” – (“Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”). A resposta é: No tempo em que o autor de Hebreus escreveu esta carta aos “judeus na dispersão”, os judeus convertidos a Cristo precisavam congregar-se, a fim de não caírem sob a influência dos judeus e pagãos, nos países onde moravam. Não havia ainda a Palavra de Deus organizada pelo Cânon, conforme temos hoje; não havia os trabalhos de excelentes apologistas bíblicos, como Spurgeon e tantos outros; não havia a Internet para fazermos pesquisas bíblicas. Isto significa que freqüentar uma congregação pode significar, hoje em dia, ficar em casa lendo ou escutando a Bíblia e lendo autores bíblicos, pois a maioria das igrejas mais se assemelha a uma casa de show, onde o entretenimento toma o triplo do tempo que é usado na pregação da Palavra Santa, ou seja, para cada 60 minutos de barulho, 20 minutos de pregação. Isto sem mencionar as heresias entregues nos púlpitos. A Igreja do futuro talvez seja mesmo a IGREJA VIRTUAL.

Não é coincidência que tantos sinais e maravilhas estejam predominando na Igreja Emergente. Para substituir a pregação e aumentar o interesse dos membros, a fim de as igrejas fiquem lotadas e os gazofilácios tinindo, os mestres carismáticos precisam apelar para as coisas sobrenaturais. Os demônios são muito espertos. Eles conhecem os pontos fracos dos cristãos e agem no sentido de capturá-los em suas armadilhas satânicas. Auto-realização é a palavra chave usada para alcançarem este objetivo. E a psicologia, que predomina na Igreja Emergente, ensina como os cristãos podem consegui-la. Na 2 Tessalonicenses 2:10-11, lemos: “E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira”. A psicologia ajuda o cristão a entrar rapidamente na “operação do erro”, através da auto-realização, deixando-o feliz e realizado, porque ele nunca escuta a odiosa palavra “pecado” e continua se considerando “uma ótima pessoa”. Deus não fala mentira, mas somente a verdade (João 17:17). Sua Palavra não passa a mão sobre a cabeça de pessoa alguma, pois ela “é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12). Os mestres “avivalistas” falam mentiras para acalentar o EGO das pessoas, a fim lotarem suas igrejas. No Velho Testamento, vemos Deus usando os profetas verdadeiros para censurar os falsos profetas. E quando o povo de Israel rejeitou os profetas de Deus, preferindo os falsos, veio “o espírito de mentira na boca de todos os profetas do povo rebelde”. À Igreja de Tiatira, que permitiu a entrada dos falsos profetas, Deus avisou que ela iria entrar em grande Tribulação : “Eu conheço as tuas obras, e o teu amor, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência, e que as tuas últimas obras são mais do que as primeiras. Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria. E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu. Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras.” (Apocalipse 2:19-22). Isso mesmo pode acontecer, brevemente, à apóstata igreja moderna, na qual o Senhor Jesus Cristo não consegue entrar, porque em Seu lugar mil coisas “importantes” são colocadas e Ele fica batendo à porta, pedindo uma entrada que nunca Lhe é permitida.

Como nos dias de Noé, quando imperava a iniqüidade humana e ninguém acreditava no profeta de Deus, de repente o mundo pode entrar num colapso ecológico, social e econômico e precisar de um líder poderoso, para colocá-lo nos eixos. Ele vai chegar, com poderes super-humanos, e vai colocar tudo em ordem, durante os primeiros três anos e meio. Depois, vai revelar a sua verdadeira face e ai de quem ficar sob o seu governo!!!

Somente pela imensa misericórdia do Senhor, os salvos serão arrebatados deste mundo turbulento, onde viver será a maior desventura, e quando muitos clamarão pelo sossego da morte e não o conseguirão. (Isso me faz lembrar a frase que a neta Maria Eduarda, com sete anos, falou, ao descrever o medo que sentiu, quando escutou uma trovoada: “Fiquei tremendo e meu coração saiu correndo!”)

Mary Schultze, 05/01/2009 - www.cpr.org.br/Mary.htm


:: Os carros correrão furiosamente nas ruas, colidirão um contra o outro nos largos caminhos; o seu aspecto será como o de tochas, correrão como relâmpagos. - Naum 2:4 -

Armagedom
Safira
Safira

Número de Mensagens : 102
Idade : 39
flag : Brasil
Data de inscrição : 17/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Apostasia!

Mensagem por Jarbas em Qua 07 Jan 2009, 2:01 am

........

A apostasia vai acontecer quando o anticristo terminar de matar todos cristão que não foram arrebatados e que ficaram na tribulação, aí sim, depois de todos mortos, haverá a apostasia e o que o detinha seja tirado do meio para que ele se declare Deus (abominação desoladora).


Maranata.



"Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem."  (Lucas 21 : 36)

"Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados;"  (II Pedro 2 : 9)


"PERECE o justo, e não há quem considere isso em seu coração, e os homens compassivos são recolhidos, sem que alguém considere que o justo é levado antes do mal."  (Isaías 57 : 1)


"O temor do SENHOR é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio."
  (Provérbios 8 : 13)

Jarbas
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 15314
Localização : Goiânia - Go
flag : Brasil
Data de inscrição : 16/08/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Apostasia!

Mensagem por Sales em Qua 07 Jan 2009, 2:43 am

As sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia... Representa épocas, períodos da igreja na terra...

Estamos vivendo a última em nossos tempos, a Laodicéia,... ali não se trata de vários tipos de igrejas...

Para Deus a IGREJA é uma só... a única que é o corpo de Cristo... Aquelas que vemos com títulos e bandeiras são invenções dos homens... Esse negócio de igreja visível e igreja invisível... Deus só enxerga uma igreja a Sua.

Denominações, grupos, etc, são ajuntamentos da Igreja de Cristo... Veja que sempre Paulo enviava uma carta para a igreja que se encontrava em coríntios, por exemplo, ele dizia:

I Cor 1:2 ...Á igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:

E assim todas as cartas Dele usava esse sentido...

Por isso você não vê Os apóstolos colocando títulos ou bandeiras em nenhuma igreja... como vemos denominações... A igreja de Cristo era dividida naquela época por CIDADES... cada cidade tinha a igreja, ou seja, a igreja de Cristo naquela cidade. Era uma questão de jurisdição e nada mais... e onde havia a igreja de Cristo, ali representava a igreja de Cristo naquela região.

Por Jurisdição municipal era organizada a Igreja de Cristo.

Hoje vemos uma deturpação disso... desde a reforma protestante, com o passar dos anos, homens foram criando suas próprias doutrinas e assim divisões religiosas que chamamos hoje de Denominações. Até grupos que não se intulam denominações podem estar inconscientemente sendo denominacional...

Cada cidade deveira ter apenas uma representação da igreja de Cristo.

Mas isso voltará a acontecer... com o arrebatamento, denominações ou coisas semelhantes serão quebradas. Acredito que Deus já fará isso começar a acontecer antes do arrebatamento... espero.

Bom, ao meu entendimento, as igrejas que são referidas no Apocalipse, são períodos, épocas da igreja de Cristo na Terra... Hoje estamos vivendo o último desses períodos, LAODICÉIA.

Esse é o entendimento que tenho.


Ministro Sales

Sales
‎moderador
‎moderador

Número de Mensagens : 6100
Idade : 41
flag : Brasil
Data de inscrição : 10/10/2008

http://www.tempodedeus.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Apostasia!

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 12:18 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum